Banca de DEFESA: ALEXSANDRA SANTANA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALEXSANDRA SANTANA DA SILVA
DATA : 29/03/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Nepsa II
TÍTULO:

ACESSIBILIDADE À INFORMAÇÃO NO E-COMMERCE NA AVIAÇÃO COMERCIAL NA PERSPECTIVA DO CONSÓRCIO W3C


PALAVRAS-CHAVES:

Acessibilidade à Informação. E-commerce. Aviação Comercial. Decisão de compra. W3C.


PÁGINAS: 180
RESUMO:

O presente estudo objetiva analisar a acessibilidade à informação no e-commerce na aviação comercial na perspectiva do W3C. A metodologia de abordagem é quantitativa, descritiva e exploratória. O campo empírico é constituído por dados secundários e primários, com base na pesquisa documental (amostral), com foco nas normas e diretrizes de acessibilidade à informação no setor aéreo. Quanto aos websites de e-commerce, delimitam-se cento e treze companhias aéreas, sendo sessenta e uma companhias participantes das alianças globais: Star Alliance, One World e Sky Team. A métrica de análise ocorreu através do Access Monitor, fundamentado nas Diretrizes de Acessibilidade ao Conteúdo da Web [WCAG 2.0] - World Wide Web Consortium International [W3C]. Verificam-se os requisitos de conformidade nos níveis de prioridade A (nível básico), AA (nível médio) e AAA (nível alto) nas páginas web individuais, e, em alguns casos, conjunto de páginas web. Na sequência, a análise de clusters realizada utilizou o método quantitativo de classificação hierárquica fundamentado na Distância Euclidiana - menor distância, que objetiva o agrupamento dos casos pelas semelhanças e dessemelhanças, buscando a homogeneidade. A metodologia usada foi longitudinal temporal espacial, com recorte transversal. A fase retrospectiva do estudo no contexto brasileiro ocorreu entre 2015 e 2016. A fase prospectiva abrangeu setenta e um países nos cinco continentes, e ocorreu entre janeiro e junho de 2018, e entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019. Como resultado, cento e duas companhias aéreas foram reprovadas quanto ao padrão de acessibilidade do Consórcio W3C. Apenas a Asiana Airlines (Star Alliance) e a Azores Airlines (fora das alianças globais) foram aprovadas. A análise dos clusters concluiu diferentes graus de inacessibilidade no setor aéreo, configurados com escassos pontos de convergência positiva para o consumidor. Dentre os padrões de erros analisáveis, algumas dispersões são maiores. Por outro lado, evidencia-se outro padrão de erro homogêneo e simultâneo, aumentando o grau de inacessibilidade para o nível AAA. Isto atribuído à variância desses erros e de outras tipologias não analisáveis agrava o grau de inacessibilidade, anulando os aspectos positivos da convergência anunciada. O padrão de erros demonstra que a homogeneidade, no nível micro das alianças, ocorre no nível AAA, e que as companhias também se interligam pelo processo inverso de dispersão frente à significante variância desses erros, no nível A, formando a heterogeneidade dos grupos. As implicações práticas deste trabalho refletem no direito de escolha entre as possibilidades tarifárias, compra do e-ticket e realização do web check-in e check-in. Deste modo, verifica-se que conforme limita-se a acessibilidade à informação, limita-se também o direito de escolha do consumidor.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2001718 - LUIZ AUGUSTO MACHADO MENDES FILHO
Externo à Instituição - MARCIO MARREIRO DAS CHAGAS - IFRN
Interno - 1149626 - MAURO LEMUEL DE OLIVEIRA ALEXANDRE
Presidente - 1160199 - SERGIO MARQUES JUNIOR
Notícia cadastrada em: 13/03/2019 23:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao