Banca de DEFESA: WAGNER ARAÚJO OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WAGNER ARAÚJO OLIVEIRA
DATA : 08/03/2017
HORA: 14:00
LOCAL: NEPSA 2
TÍTULO:

Turismo, Unidades de Conservação e Inclusão social:

Uma análise da Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais (APARC) e Área de Proteção Ambiental de Jenipabu (APAJ), RN


PALAVRAS-CHAVES:

Turismo. Unidades de Conservação. Inclusão Social. Área de Proteção Ambiental de Jenipabu e Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais.


PÁGINAS: 122
RESUMO:

O presente trabalho objetiva conhecer como o planejamento e a gestão do turismo no âmbito da Área de Proteção Ambiental de Jenipabu (APAJ) e da Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais (APARC) vêm sendo desenvolvido sob a ótica da inclusão social das populações tradicionais do entorno. Para tanto, a pesquisa adotou uma abordagem qualitativa, sendo de caráter exploratório e descritivo. Como instrumento de coleta foi utilizado a aplicação de roteiros de entrevistas semiestruturados, tendo como população do estudo os atores socais aliados atividade turística, além da apreciação de documentos oficiais e legais das UCs. Para análise dos dados, fez-se o uso do método de análise de conteúdo baseado nas dimensões da inclusão social no turismo desenvolvidas pelos os autores Sancho e Irving (2007). A partir dos resultados foi possível constatar que ambos os processos de criação (da APAJ e da APARC) não foram conduzidos de modo participativos e consultivos, pois não houve consulta e participação das comunidades nos seus processos de criação e implementação. Com relação ao turismo, observou-se que é a principal atividade econômica, na APAJ o turismo está concentrado nas praias de Redinha Nova, Santa Rita e nas dunas móveis da praia de Jenipabu por meio de passeios de buggy, passeios de dromedários e esquidunas. Enquanto na APARC o turismo é desenvolvido a partir dos passeios nos recifes de corais, na praia Maracajaú, é onde se concentra maior fluxo turístico, os passeios também são operacionalizados em Rio do Fogo, que no momento está em fase de cadastramento dos pescadores para se inserir na atividade, e na comunidade de Perobas, quem opera é empresário local juntamente com os pescadores da comunidade. E por fim, com relação à inclusão social no planejamento e gestão do turismo na APAJ e APARC percebe-se que esse tema está atrelado, exclusivamente, a capacidade da atividade em gerar emprego e renda, sobretudo com a criação de novos postos de trabalhos que o mercado turístico oferece. Nesse sentido, permite-se afirmar que a concepção desse conceito impera em uma abordagem puramente econômica, sendo um discurso reducionista, diferente do que a promoção da inclusão social estabelece, pois essa propõe integração social entre os atores sociais envolvidos com o turismo, garantia de direitos sociais e participativos, prática da cidadania, participação ativa no processo de planejamento e gestão, distribuição equitativa de benefícios e novas oportunidades de inserção no mercado de trabalho com melhorias de qualidade de vida. Além disso, a inclusão social envolve e deve ser trabalhada amplamente de modo que venha garantir acesso à educação, aos serviços socais, saúde, investimentos em infraestrutura básica e direitos políticos. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANTONIO JANIO FERNANDES - UERN
Presidente - 1645228 - KERLEI ENIELE SONAGLIO
Interno - 1513243 - MARCOS ANTONIO LEITE DO NASCIMENTO
Interno - 2806096 - WILKER RICARDO DE MENDONCA NOBREGA
Notícia cadastrada em: 20/02/2017 14:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao