Banca de DEFESA: NATÁLIA LOPES CARDOSO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATÁLIA LOPES CARDOSO
DATA : 25/03/2022
HORA: 08:30
LOCAL: videoconferência
TÍTULO:

Propriedades psicométricas do sit-to-stand test para pacientes com Hipertensão Pulmonar: uma revisão sistemática


PALAVRAS-CHAVES:

Hipertensão pulmonar; teste senta e levanta; propriedades psicométricas


PÁGINAS: 50
RESUMO:

A Hipertensão pulmonar (HP) é considerada uma síndrome clínica complexa, caracterizada pelo aumento da pressão arterial pulmonar. Os pacientes cursam com limitação das atividades cotidianas com aumento da dispneia relacionada aos esforços, disfunção muscular sistêmica e declínio funcional. Atualmente, ferramentas de avaliação indireta da tolerância ao exercício são realizadas pelos testes de campo e entre eles o sit-to-stand test (STS). Diferentes protocolos do STS foram utilizados nessa população, dessa forma estabelecer as propriedades de medidas na HP torna-se fundamental para a seleção e prescrição do teste com medidas válidas e confiáveis. Objetivo: Determinar as propriedades psicométricas (validade, confiabilidade [consistência interna e erro de medida], teste de hipóteses para validade de construto e responsividade) e repetições alcançadas dos diferentes protocolos do STS em indivíduos com HP. Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática que incluiu estudos com pacientes com HP que foram avaliados pelo STS test (1 minuto (1-STS), 30 segundos (30-STS) ou de 5 repetições (5rep-STS)). As buscas foram realizadas nas plataformas PubMed/MEDLINE, EMBASE, SciELO, Cochrane Library, e Web of Science seguindo a estratégia PICOT (População: adultos com HP; Intervenção: avaliação da capacidade de exercício com o STS; Comparador: grupo controle ou valores de referência; Outcomes: propriedades psicométricas; Tipo de estudos: ensaios clínicos randomizados ou quase randomizados e estudos observacionais) e o Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses Protocols (PRISMA-P). Utilizamos o software Rayyan para exportação, análise dos dados e seleção dos estudos. O risco de viés foi conduzido pelo manual Consensus‐Based Standards for the Selection of Health Measurement Instruments (COSMIN) e a análise da qualidade da evidência pelo Grading of Recommendations, Assessment, Development, and Evaluation (GRADE) modificado. O protocolo foi submetido na plataforma PROSPERO (CRD42021244271). Todas as etapas de avaliação foram conduzidas por dois pesquisadores independentes, em caso de discordância, um terceiro avaliador foi consultado. Resultados: Foram identificados 6.357 artigos, destes 1.310 artigos foram excluídos por duplicação. Dos 5.047 artigos restantes que seguiram para a análise de títulos e resumos, apenas 7 seguiram para análise de texto completo e desses apenas 3 (González-Saiz et al., 2017, Kahraman et al., 2020 e Nakazato et al., 2021) artigos foram incluídos para análise, avaliação de risco de viés e qualidade da evidência. Quatro propriedades psicométricas foram avaliadas: 2 estudos avaliaram a validade convergente, um estudo avaliou validade entre grupos, um avaliou a responsividade e um avaliou a confiabilidade. Destes, 3 propriedades psicométricas obtiverem qualidade da evidência moderada, a responsividade do 5- STS (7,5 ± 1,4 to 6,0 ± 1,1 (p<0,001)), a validade convergente do 30- STS (30-STS vs 6MWD r= 0,660 p <0.001) e do 1-STST (1-STST vs Acelerômetro r= 0,593 p= 0,006). Um estudo apresentou baixa qualidade da evidência na validade entre grupos do 30-STS (30-STS e NYHA Class II 13,68 (3,34) vs 30-STS and NYHA Class III 10,25 (3,49); p=0,004) e outro muito baixa na confiabilidade do 30-STS (ICC 0,95 (0,90–0,97). Conclusão: Concluímos que há uma escassez de estudos sobre os protocolos do STS na HP e diante dos achados podemos inferir que o 30-STS foi considerado responsivo, e que os protocolos do 30-STS e o 1-STS apresentaram validade convergente válidos na HP. A validade entre grupos e a confiabilidade apresentaram déficit metodológicos que impossibilitaram serem considerados confiáveis. Dessa forma, sugerimos que mais estudos com maior tamanho amostral e com rigor metodológico são necessários para a indicação e interpretação do uso do STS na população com HP.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ARMELE DE FATIMA DORNELAS DE ANDRADE - UFPE
Externa ao Programa - 2211023 - ILLIA NADINNE DANTAS FLORENTINO LIMA
Externa ao Programa - 2646588 - JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
Presidente - 5566309 - VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
Notícia cadastrada em: 08/03/2022 15:52
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao