PPGFST PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Telefone/Ramal: (84) 3342-2002 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgfst
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFRN

2024
Dissertações
1
  • WESLLEY BARBOSA SALES
  • EXPLORANDO AS RELAÇÕES ENTRE ÁGUA, METABOLISMO E FORÇA EM IDOSOS COMUNITÁRIOS: RESULTADOS DO ESTUDO PRO-EVA

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • CRISTIANO DOS SANTOS GOMES
  • KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • Data: 23/02/2024

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: o processo de envelhecimento promove inúmeras modificações anatômicas e fisiológicas no ser humano. No sistema musculoesquelético ocorre a diminuição da massa muscular e da quantidade total de água, o que pode estar relacionado ao declínio funcional dessa população. OBJETIVO: explorar as relações entre água, metabolismo e força (massa muscular esquelética, circunferência de panturrilha e força de preensão) em idosos comunitários. MÉTODO: estudo observacional transversal e analítico, em que foram avaliados 709 idosos com idade ≥ 60 anos, de ambos os sexos e residentes no município de Parnamirim/RN, Brasil. Foram coletados dados por meio de um protocolo padronizado contendo questões sobre variáveis sociodemográficas e hábitos de vida (presentes na caderneta de saúde da pessoa idosa – CSPI). Aquelas relacionadas à água corporal total, taxa metabólica basal e a quantidade de água intra e extracelular foram mensuradas por meio da bioimpedância elétrica. As variáveis relacionadas à força muscular, como a massa muscular esquelética, circunferência da panturrilha e força de preensão, foram mensuradas respectivamente por meio da bioimpedância elétrica, de uma fita métrica e de um dinamômetro hidráulico Saehan. A associação entre as variáveis de água corporal total e metabolismo com as de força muscular foi executava/realizada pelo teste de correlação de Spearman, e considerada significante com um p< 0,05, com intervalo de confiança de 95%. RESULTADOS: a maioria dos indivíduos avaliados foram mulheres (60,7%) com média de idade de 70,1 ±7,1 anos.  Houve correlação positiva moderada entre TMB e força de preensão (r= 0,6 p <0,01) e água corporal total e força de preensão (r = 0,7 p <0,01). A quantidade de água intracelular mostrou correlação positiva forte com a força de preensão (r = 0,7 p <0,01). Enquanto a circunferência de panturrilha teve uma correlação positiva e fraca com os componentes de água e metabolismo. No que concerne à massa muscular esquelética, a análise mostrou correlação positiva forte com a água corporal total (r = 0,8 p = <0,01) e com taxa metabólica basal (r = 0,9 p = <0,01). CONCLUSÃO: Baseado nos resultados preliminares, observa-se que a relação entre os componentes da água corporal e metabolismo com a força muscular pode auxiliar nas investigações sobre as condições de saúde de idosos comunitários, auxiliando na identificação precoce de idosos com redução de força e massa muscular e minimizando os agravantes à saúde dessa população. Além disso, a avaliação da composição corporal por bioimpedância emerge como uma ferramenta de mais baixo custo e promissora no screening de idosos em risco de sarcopenia.


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: the aging process promotes numerous anatomical and physiological changes in human beings. In the musculoskeletal system, there is a decrease in muscle mass and the total amount of water, which may be related to the functional decline of this population. OBJECTIVE: to explore the relationships between water, metabolism and strength (skeletal muscle mass, calf circumference and grip strength) in community-dwelling elderly. METHOD: cross-sectional observational and analytical study, in which 709 elderly aged ≥ 60 years, of both sexes and residents of the city of Parnamirim/RN, Brazil, were evaluated. Data were collected through a standardized protocol containing questions about sociodemographic variables and lifestyle habits (present in the elderly person's health booklet - CSPI). Those related to total body water, basal metabolic rate and the amount of intra and extracellular water were measured using bioelectrical impedance. Variables related to muscle strength, such as skeletal muscle mass, calf circumference and grip strength, were measured respectively using electrical bioimpedance, a measuring tape and a Saehan hydraulic dynamometer. The association between the variables of total body water and metabolism with those of muscle strength was performed/performed using the Spearman correlation test, and was considered significant at p< 0.05, with a 95% confidence interval. RESULTS: most of the evaluated individuals were women (60.7%) with a mean age of 70.1 ± 7.1 years. There was a moderate positive correlation between BMR and grip strength (r= 0.6 p < 0.01) and total body water and grip strength (r = 0.7 p < 0.01). The amount of intracellular water showed a strong positive correlation with grip strength (r = 0.7 p < 0.01). While calf circumference had a positive and weak correlation with water and metabolism components. With regard to skeletal muscle mass, the analysis showed a strong positive correlation with total body water (r = 0.8 p = <0.01) and with basal metabolic rate (r = 0.9 p = <0.01). CONCLUSION: based on the preliminary results, it is observed that the relationship between the components of body water and metabolism with muscle strength can help in investigations into the health conditions of community-dwelling elderly, helping in the early identification of elderly people with reduced strength and muscle mass and minimizing the aggravating factors to the health of this population. In addition, the assessment of body composition by bioimpedance emerges as a lower-cost and promising tool in the screening of elderly people at risk of sarcopenia.

2023
Dissertações
1
  • ANA CLARA TEIXEIRA FERNANDES
  • Avaliação Posturográfica do Equilíbrio Postural de Indivíduos Sem e Com Disfunção Vestibular 
  • Orientador : JULIANA MARIA GAZZOLA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANA CAMPOS SILVA
  • JULIANA MARIA GAZZOLA
  • LIDIANE MARIA DE BRITO MACEDO FERREIRA
  • Data: 28/02/2023

  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Comparar os parâmetros do equilíbrio postural em diferentes condições sensoriais de indivíduos sem e com disfunção vestibular submetidos à avaliação posturográfica. Método: Trata-se de um estudo transversal e analítico. Foram incluídos indivíduos de 40 a 79 anos, distribuídos no Grupo 1 (G1) - com queixa de tontura e/ou desequilíbrio postural e diagnosticados com disfunção vestibular, e o Grupo 2 (G2) sem as queixas supramencionadas e diagnóstico vestibular. Foram avaliados: dados sociodemográficos, clínico-funcionais (Questionário Internacional de Atividade Física; Vestibular Disorders Activities of Daily Living Scale), e os parâmetros razão da Elipse de Confiança/Limite de Estabilidade (EC/LE), Velocidade Média Anteroposterior (VM AP) e Médio-lateral (VM M/L) através do exame posturográfico composto por sete provas: C1 e C2 (olhos abertos e fechados em superfície firme); C3 e C4 (olhos abertos e fechados); C5, C6 e C7 (estímulo visual optocinético para direita e esquerda, e túnel), estes em superfície instável. Para análise de dados os testes utilizados foram t de Student ou Mann-Whitney. Resultados: a amostra foi composta por 100 indivíduos, sendo 62 do G1 e 38 do G2. A razão EC/LE e VM M/L foram maiores nas sete condições sensoriais no G1. A VM AP do G1 foi maior na progressão das condições 1 a 3. Conclusão: Indivíduos com disfunção vestibular apresentaram maiores oscilações posturais M/L quando reduzidas aferências sensoriais. As oscilações AP dos grupos foram similares em condições que proporcionaram redução somatossensorial, privação e supressão de estímulos visuais dinâmicos.


  • Mostrar Abstract
  • Purpose: To compare the parameters of postural balance in different sensory conditions of individuals without and with vestibular dysfunction submitted to posturographic evaluation. Method: This is a cross-sectional and analytical study. Individuals aged 40 to 79 years, distributed in Group 1 (G1) - complaining of dizziness and/or postural imbalance and diagnosed with vestibular dysfunction, and Group 2 (G2) without the above-mentioned complaints and vestibular diagnosis were included. Sociodemographic, clinical-functional data (International Physical Activity Questionnaire; Vestibular Disorders Activities of Daily Living Scale), and the parameters ratio of The Confidence/Stability Limit Elipse (CE/SL), Anteroposterior Speed (APS) and Mid-lateral Speed (MLS) through the posturographic examination composed of seven tests: C1 and C2 (eyes open and closed on firm surface); C3 and C4 (eyes open and closed); C5, C6 and C7 (optokinetic visual stimulus for right and left, and tunnel), these on unstable surface. For data analysis, the tests used were Student's t or Mann-Whitney. Results: the sample consisted of 100 individuals, 62 from G1 and 38 from G2. The CE/SL ratio and MLS were higher in the seven sensory conditions in G1. The APS of G1 was higher in the progression of conditions 1 to 3. Conclusion: Individuals with vestibular dysfunction presented higher MLS postural oscillations when reduced sensory aferences. The APS oscillations of the groups were similar in conditions that provided somatosensory reduction, deprivation and suppression of dynamic visual stimuli.

2
  • RICARDO VINICIUS SILVA DE SOUZA
  • Estimulação transcraniana por corrente contínua na dor, incapacidade e qualidade de vida em indivíduos com dor lombar crônica não específica: um ensaio clínico randomizado.

  • Orientador : WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLECIO GABRIEL DE SOUZA
  • GLAUKO ANDRE DE FIGUEIREDO DANTAS
  • WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • Data: 28/02/2023

  • Mostrar Resumo
  • A dor lombar é a desordem musculoesquelética responsável pela maior taxa de anos vividos com incapacidade em todo o mundo e é a forma mais comum de dor crônica. O manejo da dor lombar compreende diferentes estratégias de intervenção, entre elas a estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) que pode produzir efeitos benéficos em pacientes com dores musculoesqueléticas, como por exemplo, melhora de desfechos clínicos. Esse estudo teve como objetivo verificar os efeitos da ETCC sobre a dor, incapacidade e qualidade de vida de indivíduos com dor lombar crônica não específica (DLCNE). Trata-se de um ensaio clínico controlado randomizado e duplo cego. A amostra foi composta por 37 indivíduos de ambos os sexos, com idade entre 18 e 60 anos com DLCNE. Os participantes foram alocados aleatoriamente em dois grupos: Grupo 1 que recebeu a ETCC simulada; Grupo 2 que recebeu a ETCC ativa. A intervenção foi realizada duas vezes por semana durante 5 semanas, totalizando 10 sessões utilizando o protocolo (20 minutos, 2mA, no córtex pré-frontal dorsolateral (DLPFC). Foram realizadas avaliações da Dor (EVA e algometria), incapacidade (Questionário de Incapacidade Roland-Morris Disability e o Índice de Incapacidade Oswestry) e qualidade de vida (SF-36). O desfecho primário (dor) foi medido 1 semana antes do início do estudo, após cada sessão e 1 semana após conclusão da intervenção de 5 semanas. Já os desfechos secundários (incapacidade e qualidade de vida) foram medidos 1 semana antes do início do estudo e 1 semana após conclusão da intervenção de 5 semanas. Ao final do estudo espera-se que a ETCC se mostre capaz de reduzir a dor, a incapacidade e melhore a qualidade de vida de indivíduos com dor lombar crônica não específica.


  • Mostrar Abstract
  • Low back pain is the musculoskeletal disorder responsible for the highest rate of years lived with disability worldwide and is the most common form of chronic pain. Low back pain management comprises different intervention strategies, including transcranial direct current stimulation (tDCS), which can produce beneficial effects in patients with musculoskeletal pain, such as, for example, improvement in clinical outcomes. This study aimed to verify the effects of tDCS on pain, disability and quality of life of individuals with chronic non-specific low back pain (NCLP). This is a randomized, double-blind, controlled clinical trial. The sample consisted of 37 individuals of both sexes, aged between 18 and 60 years old with NELD. Participants were randomly allocated into two groups: Group 1 who received sham tDCS; Group 2 that received active tDCS. The intervention was performed twice a week for 5 weeks, totaling 10 sessions using the protocol (20 minutes, 2mA, in the dorsolateral prefrontal cortex (DLPFC). Pain assessments were performed (VAS and algometry), disability (Disability Questionnaire). Roland-Morris Disability and Oswestry Disability Index) and quality of life (SF-36). The primary outcome (pain) was measured 1 week before baseline, after each session, and 1 week after completion of the 5-week intervention Secondary outcomes (disability and quality of life) were measured 1 week before the start of the study and 1 week after completion of the 5-week intervention. At the end of the study, it is expected that tDCS will be able to reduce pain, disability and improve the quality of life of individuals with chronic non-specific low back pain.

3
  • RAYANE GRAYCE DA SILVA VIEIRA
  • EFEITOS AGUDOS DA TÉCNICA DE INSUFLAÇÃO-EXSUFLAÇÃO MECÂNICA SOBRE O PICO DE FLUXO DE TOSSE E VOLUMES DA PAREDE TORÁCICA EM INDIVÍDUOS COM ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA

  • Orientador : GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • LUCIEN PERONI GUALDI
  • ANA ALINE MARCELINO DA SILVA
  • Data: 01/03/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa multissistêmica com heterogeneidade clínica, genética e neuropatológica, sendo o comprometimento respiratório, caracterizado por volumes pulmonares reduzidos e tosse ineficaz, sua principal causa de morbi-mortalidade. A insuflação-exsuflação mecânica (I-EM), consiste em aumentar o fluxo de ar expiratório e, assim, promover o aumento do pico de fluxo da tosse (PFT) e a remoção de secreções. Objetivo: Analisar e descrever os efeitos agudos da aplicação da técnica de I-EM sobre PFT e volumes operacionais da parede torácica (PT) em indivíduos com ELA versus saudáveis pareados. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo transversal analítico, onde sujeitos com ELA foram alocados no grupo experimental (GE) e sujeitos saudáveis pareados quanto a idade, gênero e índice de massa corporal foram alocados no grupo controle (GC). Após a coleta de dados sociodemográficos e clínicos, os sujeitos foram avaliados quanto a função pulmonar (espirometria) e força muscular respiratória (pressões respiratórias máximas). Em seguida, foram avaliados os volumes da PT e PFT antes (Pré I-EM) durante (I-EM) e após a aplicação da técnica de I-EM (Pós I-EM), através da Pletismografia Optoeletrônica (POE).
    Resultados: Foram avaliados 9 indivíduos com ELA, dos quais 6 possuíam ELA de início espinhal. Observou-se um aumento de 0,73±1,4 L/s no PFT de sujeitos com ELA de início Espinhal, enquanto que sujeitos com ELA de início bulbar apresentaram uma redução de 0,82±1,2 L/s imediatamente após a aplicação da técnica de I-EM. Quanto aos parâmetros de análise do padrão respiratório, o índice de respiração rápida e superficial (IRRS) no momento Pré I-EM era de 71,46 (38,53-122,40) e passou a 55,41 (29,42-159,43) no momento Pós I-EM.
    Conclusão: Os resultados demonstram que a técnica de I-EM levou a um aumento agudo no valor de PFT na ELA de início espinhal, bem como melhorou o padrão respiratório da população estudada, através da redução do IRRS.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS) is a multisystemic neurodegenerative disease with clinical, genetic and neuropathological heterogeneity, with cerebral impairment, characterized by reduced lung volumes and ineffective cough, its main cause of morbidity and mortality. Mechanical insufflation-exsufflation (I-EM) consists of increasing the expiratory air flow and, thus, promoting an increase in the peak cough flow (PCF) and the removal of secretions. Objective: To analyze and describe the acute effects of applying the I-EM technique on PCF and operating volumes of the chest wall (CW) in individuals with ALS versus healthy peers. Methodology: This is an analytical cross-sectional study, where subjects with ALS were allocated to the experimental group (EG) and healthy subjects matched for age, gender and body mass index were allocated to the control group (CG). After collecting sociodemographic and clinical data, the subjects were assessed for lung function (spirometry) and respiratory muscle strength (maximum respiratory pressures). Then, the PT and PCF volumes were evaluated before (Pre I-EM) during (I-EM) and after the application of the I-EM technique (Post I-EM), through Optoelectronic Plethysmography (OEP). Results: Nine individuals with ALS were evaluated, of which 6 had spinal onset ALS. An increase of 0.73±1.4 L/s was observed in the PCF of holders with Spinal-onset ALS, while holders with bulbar-onset ALS showed a reduction of 0.82±1.2 L/s immediately after the application of the I-EM technique. As for the analysis parameters of the controlled pattern, the rapid and shallow breathing index (RSBI) at the Pre I-EM moment was 71.46 (38.53-122.40) and changed to 55.41 (29.42- 159.43) at the time Post I-EM. Conclusion: The results demonstrated that the I-EM technique led to an acute increase in the PCF value in spinal-onset ALS, as well as improved the pattern followed by the population followed, by reducing the RSBI.

4
  • JOUBERT VITOR DE SOUTO BARBOSA
  • ADAPTAÇÃO E VALIDAÇÃO DE CONTEÚDO DOS INSTRUMENTOS DE MEDIDA DO CONTROLE CLÍNICO QUE COMPÕEM O SISTEMA ELETRÔNICO PARA A AVALIAÇÃO, SUPORTE E MONITORAMENTO DA ASMA PARA ADULTOS (e-ASMA)

  • Orientador : KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • KAROLINNE SOUZA MONTEIRO
  • RAQUEL EMANUELE DE FRANCA MENDES ALVES
  • Data: 01/03/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A avaliação do controle da asma, no Brasil, tem sido realizada a partir de instrumentos de medida originalmente desenvolvidos em inglês, traduzidos e validados para o português. Esses instrumentos são importantes para a detecção precoce do nível de controle da asma, retardando os sintomas e auxiliando no manejo da doença. Objetivo: Adaptar e testar a validade de conteúdo, para a população adulta, dos instrumentos de medida de avaliação do controle da asma denominados de Questionário de Avaliação Suporte e Monitoramento da asma (qASMA) e Diário de Avaliação, Suporte e Monitoramento da asma (dASMA), que compõem o sistema eletrônico para Avaliação Suporte e Monitoramento da Asma (e-ASMA). Métodos: Trata-se de um estudo metodológico exploratório, de avaliação de propriedades de medida, com adultos a partir de 18 anos, que apresentem diagnóstico de asma em qualquer nível de controle, de acordo com a Global Initiative for Asthma (GINA). O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da UFRN (CAAE: 35771920.2.0000.5537 e PARECER: 4.895.038) e está vinculado ao projeto “Desenvolvimento e validação de um sistema eletrônico para Avaliação, Suporte e Monitoramento da Asma (e-ASMA)” aprovado na Chamada CNPq/MCTI/FNDCT Nº 18/2021 – UNIVERSAL visando apoiar o desenvolvimento científico, tecnológico e a inovação do país. Este seguiu as recomendações internacionais do Consensus-based Standards for the selection of health Measurement Instruments (COSMIN) e compreendeu 2 fases: (1) adaptação inicial do qASMA e dASMA para a população adulta e obtenção de versões preliminares dos instrumentos; (2) avaliação da adaptação conceitual e semântica e validação de conteúdo do qASMA e dASMA. Os instrumentos qASMA e dASMA desenvolvidos e validados para adolescentes brasileiros originaram as suas respectivas versões para adultos. A adaptação das versões para adultos do qASMA e dASMA e suas respectivas validações de conteúdo foram obtidas a partir da adaptação inicial dos itens através de consenso dos pesquisadores, seguida do julgamento destes por um comitê de juízes e um pré-teste realizado a partir de entrevistas em profundidade com adultos com asma. Resultados: Os itens que compõem o qASMA e dASMA foram inicialmente adaptados por três pesquisadores do estudo. Após a adaptação inicial, os instrumentos foram julgados por um comitê com 10 juízes, que seguiram os critérios do COSMIN para a avaliação da relevância e da abrangência dos itens. Inicialmente, cinco itens do qASMA e um item do dASMA apresentaram valores de kappa de fleiss inferiores ao adequado (0,70). Estes itens foram adaptados e novamente enviados e aprovados pelo comitê de juízes. Posteriormente, foram realizadas as entrevistas em profundidade com 15 representantes do público-alvo. Após a análise de discurso dos participantes, foram elencadas cinco categorias temáticas demonstrando a abrangência dos instrumentos. Todos os participantes consideraram os itens dos instrumentos relevantes e compreensíveis bem como indicaram que as instruções para preenchimento, o período de tempo a ser levado em consideração e as opções de resposta estavam adequados. Alguns participantes sugeriram pequenas modificações na redação de alguns itens. Essas sugestões foram acolhidas pelos pesquisadores com o objetivo de facilitar a compreensão dos itens para a versão final dos instrumentos. Conclusão: As etapas de adaptação dos instrumentos suportaram sua validação de conteúdo e sugerem que os itens do qASMA e dASMA são relevantes, compreensíveis e abrangentes para a população alvo. As versões do qASMA e dASMA apresentam validade de conteúdo adequada para o rastreio de informações acerca do controle da asma em adultos brasileiros. Por fim, os resultados deste estudo de adaptação e validação de conteúdo suportarão as demais validações psicométricas dos instrumentos qASMA e dASMA para adultos brasileiros.

     


  • Mostrar Abstract
  • The assessment of asthma control in Brazil has been carried out using measurement instruments originally studied in English, translated and validated into Portuguese. These are important tools for early detection of the level of asthma control, delaying symptoms and helping to manage the disease. Objective: To adapt and test the content validity, for the adult population, of the instruments for assessing asthma control called the Asthma Support and Monitoring Assessment Questionnaire (qASMA) and the Asthma Assessment, Support and Monitoring Diary (dASMA), which make up the electronic system for Asthma Support Assessment and Monitoring (e-ASMA). Methods: This is an exploratory methodological study, evaluating measurement properties, with adults from 18 years of age, who present a diagnosis of asthma at any level of control, according to the Global Initiative for Asthma (GINA). The present study was approved by the UFRN Ethics and Research Committee (CAAE: 35771920.2.0000.5537 and OPINION: 4.895.038) and is linked to the project “Development and validation of an electronic system for Asthma Assessment, Support and Monitoring (e- ASMA)” approved in Call CNPq/MCTI/FNDCT No. 18/2021 – UNIVERSAL in order to support scientific and technological development and innovation in the country. This followed the international recommendations of the Consensus-based Standards for the selection of health Measurement Instruments (COSMIN) and comprised 2 phases: (1) initial adaptation of the qASMA and dASMA for the adult population and obtaining preliminary versions of the instruments; (2) evaluation of conceptual and semantic adaptation and content validation of qASMA and dASMA. The qASMA and dASMA instruments developed and validated for Brazilian adolescents originated their respective versions for adults. The adaptation of the qASMA and dASMA versions for adults and their respective content validations were obtained from the initial adaptation of the items through the consensus of the researchers, followed by their judgment by a committee of judges and a pre-test carried out from interviews in depth with adults with asthma. Results: The items that make up the qASMA and dASMA were initially adapted by three study researchers. After the initial adaptation, the instruments were judged by a committee of 10 judges, who followed the COSMIN criteria for assessing the relevance and scope of the items. Initially, five qASMA items and one dASMA item had fleiss kappa values lower than adequate (0.70). These items were adapted and again sent and approved by the committee of judges. Subsequently, in-depth interviews were conducted with 15 representatives of the target audience. After analyzing the participants' discourse, five thematic categories were listed, demonstrating the scope of the instruments. All participants considered the items of the instruments relevant and understandable, as well as indicating that the instructions for completing them, the period of time to be taken into account and the response options were adequate. Some participants suggested minor changes in the wording of some items. These suggestions were accepted by the researchers in order to facilitate the understanding of the items for the final version of the instruments. Conclusion: The adaptation steps of the instruments supported their content validation and suggest that the qASMA and dASMA items are relevant, understandable and comprehensive for the target population. The qASMA and dASMA versions have adequate content validity for tracking information about asthma control in Brazilian adults. Finally, the results of this content adaptation and validation study will support the other psychometric validations of the qASMA and dASMA instruments for Brazilian adults.

5
  • WHITNEY HOUSTON BARBOSA DOS SANTOS
  • Tradução, adaptação transcultural e análise psicométrica do rapid assessment of physical activity para idosos

  • Orientador : PATRICIA ANGELICA DE MIRANDA SILVA NOGUEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PATRICIA ANGELICA DE MIRANDA SILVA NOGUEIRA
  • CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • IVANIZIA SOARES DA SILVA
  • Data: 07/03/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional, no Brasil, vem crescendo de forma muito rápida, A prática de atividade física proporciona múltiplos benefícios à saúde, incluindo uma melhor cognição, regulação da aptidão cardiorrespiratória e vascular além de redução das doenças crônicas. Entretanto, existe escassez de questionário validados na língua portuguesa para avaliação do nível de atividade física em idosos. Dessa forma o estudo atual objetivou traduzir para o português brasileiro, adaptar transculturalmente e avaliar as propriedades psicométricas do instrumento Rapid Assessment of Physical Activity (RAPA) para o uso na população idosa brasileira. Materiais e métodos: Estudo metodológico exploratório e psicométrico, que envolve o processo de tradução e adaptação transcultural, por meio da tradução, tradução reversa, revisão por um comitê multiprofissional de especialistas e pré-teste. Foi avaliado a validade concorrente entre o Rapid Assessment of Physical Activity (RAPA), International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) e a monitorização objetiva da atividade física por meio de uma pulseira. Confiabilidade e teste reteste foi avaliado por meio de duas visitas com um intervalo de uma semana. Resultados: O RAPA foi traduzido e adaptado transcuturalmente para idosos brasileiros. Houve correlação moderada entre o RAPA e o IPAQ para os participantes com alta escolaridade através do coeficiente de correlação de Spearman (r=0,60, p<0,003) e (r=0,51, p<0,0001) respectivamente. A confiabilidade teste reteste avaliada através do teste de Kappa mostrou forte confiabilidade intra (k=0,89, p<0,0001, concordância 80%) e inter-examinadores (k=0,71, p<0,0001, concordância 84%). A sensibilidade e especificidade atingiram valores mínimos sem significância estatística, compadado a medidas objetivas da atividade física em idosos. Conclusão: Os dados do presente estudo demonstraram que a versão traduzida para o português brasileiro do RAPA é uma medida válida e confiável para medição da atividade física em idosos com alta escolaridade no Brasil, podendo ser utilizado na prática clínica devido seu custo benefício e pouco tempo de aplicação. O estudo atual também mostrou evidências consideráveis sobre o teste reteste e confiabilidade. Levando em consideração a sensibilidade e especificidade, medidas objetivas da atividade física possuem melhor capacidade para mensurar a quantidade de minutos ativos em idosos brasileiros.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Population aging in Brazil has been growing very quickly. The practice of physical activity provides multiple health benefits, including better cognition, regulation of cardiorespiratory and vascular fitness, in addition to the reduction of chronic diseases. However, there is a shortage of validated questionnaires in Portuguese to assess the level of physical activity in the elderly. Thus, the current study aimed to translate into Brazilian Portuguese, cross-culturally adapt and evaluate the psychometric properties of the Rapid Assessment of Physical Activity (RAPA) instrument for use in the Brazilian elderly population. Materials and methods: Exploratory and psychometric methodological study, which involves the process of translation and cross-cultural adaptation, through translation, reverse translation, review by a multidisciplinary committee of experts and pre-test. The concurrent validity of the Rapid Assessment of Physical Activity (RAPA), International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) and objective monitoring of physical activity using a bracelet was evaluated. Reliability and test-retest was assessed using two visits one week apart. Results: The RAPA was translated and transculturally adapted for Brazilian elderly. There was a moderate correlation between RAPA and IPAQ for participants with high education through Spearman's correlation coefficient (r=0.60, p<0.003) and (r=0.51, p<0.0001) respectively. The test-retest reliability assessed using the Kappa test showed strong intra-rater (k=0.89, p<0.0001, 80% agreement) and inter-examiner (k=0.71, p<0.0001, 84-agreement) reliability. %). Sensitivity and specificity reached minimum values without statistical significance, compared to objective measures of physical activity in the elderly. Conclusion: The data from the present study demonstrated that the translated version of the RAPA into Brazilian Portuguese is a valid and reliable measure for measuring physical activity in elderly people with a high level of education in Brazil, and can be used in clinical practice due to its cost-effectiveness and short time. of application. The current study also showed considerable evidence about test-retest and reliability. Taking into account sensitivity and specificity, objective measures of physical activity are better able to measure the number of active minutes in elderly Brazilians.

6
  • JAIANA XAVIER SANTOS
  • USABILIDADE DA VERSÃO DOMICILIAR DO JOGO SÉRIO VIRTUALTER E MOTIVAÇÃO INTRÍNSECA DE IDOSOS SAUDÁVEIS

  • Orientador : FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • THAIANA BARBOSA FERREIRA PACHECO
  • LARISSA BASTOS TAVARES
  • Data: 03/04/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os jogos de realidade virtual são instrumentos promissores na reabilitação da marcha e do equilíbrio em idosos. Estes jogos usam do desafio, da narrativa e da interatividade para gerar motivação intrínseca no paciente. Estratégias que aumentam a motivação intrínseca podem ser mais eficazes no que diz respeito à transferência de aprendizagem e mudanças de comportamento. Neste contexto, o potencial do jogo se dá principalmente pelo fator motivacional que estes despertam em seus usuários. Contudo, há um aspecto importante que deve ser considerado quando se pensa na prática clínica: a usabilidade do jogo. Nesse sentido, observa-se a importante de investigar a usabilidade domiciliar e a motivação intrínseca de idosos saudáveis após a utilização de um jogo sério para reabilitação do equilíbrio em casa. Objetivo: Analisar a usabilidade da versão domiciliar do jogo sério VirtualTer e a motivação intrínseca de idosos saudáveis após o uso do sistema. Método: Trata-se de um estudo descritivo e transversal, com uma amostra de 25 idosos saudáveis recrutados de forma não probabilística e por conveniência. Foi utilizada a versão domiciliar do jogo sério VirtualTer, desenvolvido para a reabilitação do equilíbrio postural de idosos. O jogo contou com as etapas de desafios do VirtualTer (floresta, montanha e deserto), que estimulam o alcance lateral de tronco. A execução do jogo foi feita por meio de um notebook e da interface de captura dos movimentos PoseNet, um software de reconhecimento de pose via webcam. O jogo foi aplicado no ambiente domiciliar, e cada idoso executou três repetições. Foi realizada uma avaliação dos dados sociodemográficos, além da aplicação do Short Physical Performance Battery (SPPB); International Physical Activity Questionnaire (IPAQ); e da Escala de Avaliação de Incapacidade WHODAS 2.0. Após a aplicação do jogo, os idosos responderam ao Inventário de Motivação Intrínseca (IMI) e a System Usability Scale (SUS). Resultados: Participaram do estudo 25 idosos, com moderado desempenho físico, alto grau de inatividade física e comportamento sedentário, sendo 68% do sexo feminino. A mediana da idade foi de 69 (IQ 61 – 76,5) anos. A análise do WHODAS 2.0 apresentou uma pontuação mediana de 55 (IQ 42,5 – 69) pontos, indicando uma população com deficiência moderada. O escore total da escala SUS obteve uma mediana de 72,50 (IQ 95 – 28); o que classifica uma boa usabilidade da versão domiciliar do VirtualTer. As variáveis gênero (p=0,04), estado civil (p=0,03) e escolaridade (p=0,01) indicaram significância estatística com a escala de usabilidade. A motivação intrínseca mensurada pelo IMI resultou em uma mediana de 87 (IQ 96 – 56) pontos, o que indica maior motivação dos jogadores. Conclusão: A versão domiciliar do VirtualTer é um jogo sério com boa usabilidade e boa motivação intrínseca, sob o ponto de vista do paciente, o que indica a efetividade do sistema como ferramenta de reabilitação para o equilíbrio postural em idosos.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Virtual reality games are promising tools for gait and balance rehabilitation in the elderly. These games use challenge, narrative and interactivity to generate intrinsic motivation in the patient. Strategies that increase intrinsic motivation may be more effective with regard to learning transfer and behavior changes. In this context, the potential of the game is mainly due to the motivational factor that they awaken in their users. However, there is an important aspect that must be considered when thinking about clinical practice: the usability of the game. In this sense, it is important to investigate the home usability and the intrinsic motivation of healthy elderly people after using a serious game for balance rehabilitation at home.Objective: To analyze the usability of the home version of the VirtualTer serious game and the intrinsic motivation of healthy elderly people after using the system. Method: This is a descriptive and cross-sectional study, with a sample of 25 healthy elderly recruited in a non-probabilistic way and for convenience. The home version of the VirtualTer serious game, developed for the rehabilitation of postural balance in the elderly, was used. The game had VirtualTer challenge stages (forest, mountain and desert), which stimulate the lateral reach of the trunk. The game was run using a notebook and the PoseNet motion capture interface, a pose recognition software via webcam. The game was applied in the home environment, and each elderly person performed three repetitions. An evaluation of sociodemographic data was carried out, in addition to the application of the Short Physical Performance Battery (SPPB); International Physical Activity Questionnaire (IPAQ); and the WHODAS 2.0 Disability Rating Scale. After applying the game, the elderly answered the Intrinsic Motivation Inventory (IMI) and the System Usability Scale (SUS). Results: The study included 25 elderly people, with moderate physical performance, a high degree of physical inactivity and sedentary behavior, 68% of whom were female. The median age was 69 (IQ 61 – 76.5) years. The WHODAS 2.0 analysis showed a median score of 55 (IQ 42.5 – 69) points, indicating a population with moderate disability. The total score of the SUS scale obtained a median of 72.50 (IQ 95 – 28); which classifies a good usability of the home version of VirtualTer. The variables gender (p=0.04), marital status (p=0.03) and education (p=0.01) indicated statistical significance with the usability scale. The intrinsic motivation measured by the IMI resulted in a median of 87 (IQ 96 – 56) points, which indicates greater motivation of the players. Conclusion: The home version of VirtualTer is a serious game with good usability and good intrinsic motivation, from the patient's point of view, which indicates the effectiveness of the system as a rehabilitation tool for postural balance in the elderly.

7
  • JESIMIEL MISSIAS DE SOUZA
  • EVENTOS ADVERSOS REPORTADOS NO TREINO DE MARCHA EM ESTEIRA EM INDIVIDUOS COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

  • Orientador : TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE BRAGA GALVAO SILVEIRA FERNANDES
  • MIKHAIL SANTOS CERQUEIRA
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • Data: 14/04/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O treino de marcha em esteira tem sido recomendado na reabilitação de pessoas com Acidente Vascular Cerebral (AVC). Como todo tratamento na área da saúde, o treino em esteira é fonte potencial de eventos adversos, sendo importante que a avaliação, o relato e a qualidade das informações desses eventos sejam claras, fidedignas e confiáveis. Objetivo: Analisar o reporte dos eventos adversos em ensaios clínicos envolvendo treino de marcha em esteira para indivíduos com AVC. Métodos: O artigo constitui revisão sistemática de estudos de intervenção, nos quais foram considerados ensaios clínicos randomizados ou quase randomizados e do tipo crossover; e estudos do tipo antes-depois. Os estudos primários deveriam incluir treinamento de marcha em esteira em indivíduos com AVC em pelo menos um dos grupos do estudo. Foram considerados estudos com texto completo, nas línguas inglesa, portuguesa e espanhola e sem restrição de data. As buscas foram realizadas no período de outubro e novembro de 2019 e atualizadas em maio e junho de 2021, assim como em novembro e dezembro de 2022 nas bases de dados PsyINFO, MEDLINE, CENTRAL, CINAHL, SportDISCUS, LILACS e PEDro. Dentre os estudos que se encaixavam nos critérios, foram incluídos os estudos que fizessem menção a algum tipo de evento adverso observado ou avaliado/monitorado no estudo. No artigo, os desfechos relacionados aos eventos adversos foram analisados quanto à ocorrência e tipos de eventos avaliados e observados, sendo os dados analisados por estatística descritiva. Os dados relativos ao tipo e gravidade do evento foram analisados em relação a uma árvore de eventos adversos. Resultados: No Artigo foram incluídos 51 estudos, dos quais 36 eram ensaios clínicos randomizados. Os eventos adversos mais avaliados nos estudos foram dor e descompensações na frequência e pressão cardíaca, enquanto os eventos mais observados foram novo AVC, complicações médicas, e dor. Embora menos graves quando comparados as intervenções cirúrgicas e farmacológicas, os eventos adversos associados ao exercício físico precisam de atenção quanto a severidade, tipo e frequência em que ocorrem. Os eventos adversos dos participantes dos grupos que receberam treino em esteira foram relatados em um maior número de estudos, em comparação com participantes que não fizeram treino em esteira. Poucos estudos usaram uma estratégia de avaliação dos eventos, deixando de informar detalhes do evento, como foram avaliados e o momento da avaliação. Conclusão: A partir desta revisão, concluímos que o relato dos eventos adversos em estudos que fizeram treino em esteira em indivíduos com AVC é inconstante e não sistemático. Ainda que seja considerado seguro, nossos resultados apontam que o treino em esteira em indivíduos com AVC parece estar relacionado à ocorrência de eventos adversos.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Treadmill gait training has been recommended in the rehabilitation of people with stroke. As with any treatment in the health area, treadmill training is a potential source of adverse events, and it is important that the evaluation, reporting and quality of information on these events are clear, reliable and expected. Objective: To analyze the report of adverse events in clinical trials involving treadmill gait training for individuals with stroke. Methods: The article constitutes a systematic review of intervention studies, in which randomized or quasi-randomized crossover clinical trials were considered; and before-after studies. Primary studies should include treadmill gait training in subjects with stroke in at least one of the study groups. Studies with full text, in English, Portuguese and Spanish and without data restrictions were considered. The searches were carried out in the period of October and November 2019 and updated in May and June 2021, as well as in November and December 2022 in the PsyINFO, MEDLINE, CENTRAL, CINAHL, SportDISCUS, LILACS and PEDro databases. Among the studies that met the criteria, studies that mentioned some type of adverse event observed or evaluated/monitored in the study were included. In the article, the results related to adverse events were analyzed regarding the occurrence and types of events evaluated and observed, and the data were analyzed using descriptive statistics. Data regarding the type and severity of the event were analyzed in relation to an adverse event tree. Results: The Article included 51 studies, of which 36 were randomized clinical trials. The most frequently evaluated adverse events in the studies were pain and imbalances in heart rate and pressure, while the most observed events were new strokes, medical complications and pain. Although less serious when compared to physiological and pharmacological reactions, adverse events associated with physical exercise need attention regarding the severity, type and frequency in which they occur. Adverse events for participants in groups who received treadmill training were reported in a greater number of studies compared to participants who did not train on a treadmill. Few studies used an event assessment strategy, failing to inform event details, how they were assessed and the time of assessment. Conclusion: From this review, we concluded that the reporting of adverse events in studies that built treadmill training in individuals with stroke is inconsistent and not systematic. Even though it is considered safe, our results indicate that treadmill training in individuals with stroke seems to be related to the occurrence of adverse events.

8
  • MAITHÊ AVELINO SALUSTIANO
  • ASSOCIAÇÃO ENTRE A IDADE DA MENOPAUSA E A FUNCIONALIDADE DE MULHERES IDOSAS: UMA ANÁLISE DA PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE

  • Orientador : SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MARIA DO CARMO PINTO LIMA
  • Data: 19/04/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A menopausa marca o fim do período reprodutivo da mulher
    e ocorre em média entre os 48 e 52 anos. Ela pode ser classificada
    como precoce antes dos 45 anos e tardia após os 55 anos. Estudos
    anteriores têm sugerido que a menopausa precoce está associada a
    piores resultados de funcionalidade em mulheres pós-menopausadas,
    porém resultados divergentes têm sido relatados. Objetivo: Este estudo
    objetiva investigar a associação da idade de menopausa e a
    funcionalidade de mulheres idosas a partir de dados da Pesquisa
    Nacional em Saúde. Métodos: Trata-se de um estudo transversal com
    uma amostra de 5.148 mulheres com 60 anos ou mais. As participantes
    foram classificadas de acordo com a idade da menopausa (menos de 45
    anos, 45 e 49 anos, 50 e 54 anos e 55 anos ou mais) e quanto à presença
    de dificuldade em realizar as Atividades de Vida Diária (AVD) (tomar
    banho, deitar-levantar, sentar-levantar, andar e sair sozinho).Asparticipantes também foram avaliadas quando aos dadossocioeconômicos, hábitos de vida e presença de doenças crônicas. Aassociação entre idade da menopausa e a dificuldade nas AVD foiavaliada por meio de regressão logística binária com o ajuste pelascovariáveis (idade, escolaridade, renda, raça/cor, tabagismo, consumoalcoólico, prática de exercícios físicos, diagnóstico de doença crônica eterapia de reposição hormonal). Foi realizada uma análise desensibilidade dividindo as participantes de acordo com a idade nomomento da avaliação (60-74 anos e 75 anos ou mais). Os dados foramanalisados ajustando os pesos amostrais decorrentes de amostrascompletas sendo considerado p<0,05. Resultados: Não houveassociação entre a idade da menopausa e a dificuldade nas AVDconsiderando a amostra completa ou a amostra apenas das idosas maisjovens. Considerando a amostra acima dos 74 anos, aquelas commenopausa antes dos 45 anos e entre 45 e 49 anos apresentaram maiorchance de dificuldade nas AVD comparadas ao grupo de referência(menopausa entre 50 e 54 anos) (OR=1,85; IC95%= 1,10;3,10 e OR=1,54;IC95%= 1,12;2,13, respectivamente). Conclusão: O presente estudondica necessidade de maior atenção à saúde funcional de mulheresque param de menstruar mais jovens, bem como o incentivo a hábitossaudáveis que possam contribuir para a manutenção da independênciapor mais tempo.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Menopause marks the end of a woman's reproductive
    period and occurs on average between 48 and 52 years old. It can be
    classified as early before age 45 and late after age 55. Previous studies
    have suggested that early menopause is associated with worse
    functional outcomes in postmenopausal women, but conflicting results
    have been reported. Objective: This study aims to investigate the
    association between age at menopause and functionality of elderly
    women based on data from the National Health Survey. Methods: This is
    a cross-sectional study with a sample of 5,148 women aged 60 years or
    older. Participants were classified according to age at menopause
    (younger than 45 years old, between 45 and 49 years, 50 and 54 years
    and 55 years or older) and the presence of difficulty in performing
    Activities of Daily Living (ADL) (bathing, lie down-stand up, sit-stand up,
    walking and going out alone). The participants were also evaluated regarding socioeconomic data, lifestyle habits and the presence of chronic diseases. The association between age at menopause and ADL difficulties was assessed using binary logistic regression with adjustment for covariables (age, education, income, race/color,smoking, alcohol consumption, practice of physical exercises, diagnosis of chronic diseases and hormone replacement therapy). A sensitivity analysis was performed dividing participants according to age at the time of assessment (60-74 years old and 75 years old or older). Data were analyzed by adjusting the sample weights resulting from complete samples, considering p<0.05. Results: There was no association between age at menopause and difficulty in ADL considering the complete sample or the sample of younger elderly women only. Considering the sample over 74 years old, those with menopause before 45 years old and between 45 and 49 years old had a greater chance of difficulty in ADL compared to the reference group (menopause between 50 and 54 years old) (OR=1.85; CI95% = 1.10;3.10 and OR=1.54; CI95%= 1.12;2.13, respectively). Conclusion: The present study indicates the need for greater attention to the functional health of women who stop menstruating younger, as well as encouraging healthy habits that may contribute to maintaining independence for a longer period

9
  • ANITA ALMEIDA GONZAGA
  • FATORES ASSOCIADOS A SINTOMAS CRANIOCERVICAIS E OTOLÓGICOS EM PROFISSIONAIS DA SAÚDE QUE ATUARAM NA PANDEMIA DA COVID-19: UM ESTUDO TRANSVERSAL

  • Orientador : KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANIELLA ARAÚJO DE OLIVEIRA
  • KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • LIDIANE MARIA DE BRITO MACEDO FERREIRA
  • Data: 25/04/2023

  • Mostrar Resumo
  • Durante a pandemia por COVID-19 ocorreu um aumento do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), acréscimo de jornadas de trabalho e altas taxas de transtornos psicológicos nos profissionais de saúde, aos quais em conjunto, podem acarretar problemas agudos e crônicos de saúde psíquica e física, como as queixas craniocervicais, cefaleia, dor orofacial, cervicalgia e sintomas otológicos, as quais, também podem ser influenciadas devido às interligações anatômicas e comunicação nervosa das estruturas craniocervicais. Objetivo: identificar os fatores associados a sintomas craniocervicais e otológicos em profissionais de saúde que atuaram na pandemia da COVID-19. Métodos: estudo transversal realizado com profissionais de saúde de ambos os sexos, com 18 anos ou mais, que atuaram na prestação de assistência a pacientes infectados ou suspeitos de COVID-19, sem restrição de atuação em departamento ou nível de atenção. Foram coletados dados acerca das características sociodemográficas, presença de sintomas craniocervicais (cefaleia, dor orofacial e cervicalgia) e otológicos (zumbido, plenitude auricular, hipoacusia, tontura e vertigem), padrão de uso de EPI antes e durante a pandemia. Além do histórico médico, condições de trabalho, hábitos de vida, qualidade do sono e sintomatologia depressiva, por meio de um questionário autoadministrado online. Resultados: 147 sujeitos responderam ao questionário, com 79,6% de mulheres, idade média de 35 ± 9,7 anos. A presença dos sintomas craniocervicais antes à pandemia foi de 32% para cefaleia, 15,6% para a dor orofacial, 21,1% cervicalgia e 11,6% para os sintomas otológicos. Em relação ao agravamento dos sintomas pré-existentes durante a pandemia, foram identificados 22% cefaleia, 8,8% da dor orofacial, 9,4 % cervicalgia e 6,8% sintomas otológicos. Já para o surgimento de novos sintomas craniocervicais durante a pandemia, a cefaleia esteve presente em 50,8%, dor orofacial ocorreu em 39,7%, cervicalgia 43,8% e sintomas otológicos 54,4%. A cefaleia foi o sintoma mais prevalente antes à pandemia e no agravamento de sintomas pré-existentes; já os sintomas otológicos para o surgimento de novos sintomas. Os fatores associados ao agravamento dos sintomas pré-existentes da cefaleia foram: ser do sexo feminino (OR = 5,09), não praticar atividade física durante a pandemia (OR = 4,48) e usar a máscara PFF2 durante a pandemia (OR = 4,07). Já para a dor orofacial foi apenas trabalhar em enfermaria (OR = 4,74). Em relação aos fatores associados ao surgimento dos sintomas craniocervicais, no que diz respeito à cefaleia,encontramos a sintomatologia depressiva presente (OR = 3,15) e para o surgimento da dor orofacial foram presença da cervicalgia durante a pandemia (OR = 2,42) e possuir sintomas otológicos durante a pandemia (OR = 3,14). Com relação à cervicalgia, possuir sintomas associados durante a pandemia (OR = 3,99) e apresentar dor orofacial durante a pandemia (OR = 2,45). No que se refere aos fatores associados ao surgimento dos sintomas otológicos foi encontrados, o uso de máscara cirúrgica antes à pandemia acima de 4 horas por dia (OR = 3,06), uso de face shield durante a pandemia acima de 4 horas por dia (OR = 2,98, IC 95% 1,07 – 8,24, p = 0,035) e presença de dor orofacial durante a pandemia (OR = 3,89). Conclusão: foi evidenciado o aumento na frequência dos sintomas craniocervicais e otológicos nos profissionais da saúde durante a pandemia, sendo a cefaleia mais prevalente antes à pandemia e no agravamento de sintomas pré-existentes. Sugere-se a realização estudos epidemiológicos, longitudinais, com o maior tamanho amostral, para aprimorar o conhecimento e repercussões quanto às queixas craniocervicais e otológicas, formas de preveni-las e tratá-las.


  • Mostrar Abstract
  • During the COVID-19 pandemic, there was an increase in the use of Personal Protective Equipment (PPE), increased working hours and high rates of psychological disorders in health professionals, which together can lead to acute and chronic health problems. psychic and physical, such as craniocervical complaints, headache, orofacial pain, neck pain and otological symptoms, which can also be influenced due to the anatomical interconnections and nervous communication of the craniocervical structures. Objective: to identify factors associated with craniocervical and otological symptoms in health professionals who worked in the COVID-19 pandemic. Methods:cross-sectional study carried out with health professionals of both sexes, aged 18 years or older, who worked in providing assistance to patients infected or suspected of having COVID-19, without restrictions on their work in department or level of care. Data were collected on sociodemographic characteristics, presence of craniocervical symptoms (headache, orofacial pain and neck pain) and otological symptoms (tinnitus, ear fullness, hypoacusis, dizziness and vertigo), pattern of PPE use before and during the pandemic. In addition to medical history, working conditions, life habits, sleep quality and depressive symptoms, through a self-administered online questionnaire. Results: 147 subjects answered the questionnaire, with 79.6% women, mean age 35 ± 9.7 years. The presence of craniocervical symptoms before the pandemic was 32% for headache, 15.6% for orofacial pain, 21.1% for neck pain and 11.6% for otological symptoms. Regarding the worsening of pre-existing symptoms during the pandemic, headaches were identified in 22%, orofacial pain in 8.8%, neck pain in 9.4% and otological symptoms in 6.8%. As for the emergence of new craniocervical symptoms during the pandemic, headache was present in 50.8%, orofacial pain occurred in 39.7%, neck pain in 43.8% and otological symptoms in 54.4%. Headache was the most prevalent symptom before the pandemic and in the worsening of pre-existing symptoms; already the otological symptoms for the emergence of new symptoms. Factors associated with the worsening of pre-existing headache symptoms were: being female (OR = 5.09), not practicing physical activity during the pandemic (OR = 4.48), and using the PFF2 mask during the pandemic (OR = 4.07). As for orofacial pain, it was just working in a ward (OR = 4.74). Regarding the factors associated with the onset of craniocervical symptoms, with regard to headache, we found depressive symptoms present (OR = 3.15) and for the onset of orofacial pain, the presence of neck pain during the pandemic (OR = 2.42 ) and having otological symptoms during the pandemic (OR = 3.14). Regarding neck pain, having associated symptoms during the pandemic (OR = 3.99) and presenting orofacial pain during the pandemic (OR = 2.45). With regard to the factors associated with the onset of otological symptoms, the use of a surgical mask before the pandemic for more than 4 hours a day (OR = 3.06), use of a face shield during the pandemic for more than 4 hours a day (OR = 2.98, 95% CI 1.07 – 8.24, p = 0.035) and presence of orofacial pain during the pandemic (OR = 3.89). Conclusion: an increase in the frequency of craniocervical and otological symptoms in health professionals during the pandemic was evidenced, with headache being the most prevalent before the pandemic and in the worsening of pre-existing symptoms. It is suggested to carry out epidemiological, longitudinal studies, with the largest sample size, to improve knowledge and repercussions regarding craniocervical and otological complaints, ways to prevent and treat them.

10
  • IGOR RAFAEL DAMASCENO DE OLIVEIRA
  •  OSTEOSARCOPENIA E DESEMPENHO FÍSICO EM UMA AMOSTRA DE IDOSAS COMUNITÁRIAS EM UM CENTRO URBANO DO NORDESTE BRASILEIRO: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO.

  • Orientador : RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • INGRID GUERRA AZEVEDO
  • RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • SABRINA GABRIELLE GOMES FERNANDES MACEDO
  • Data: 25/05/2023

  • Mostrar Resumo
  • Osteosarcopenia é uma síndrome geriátrica única, que pode ser compreendida como a presença concomitante de redução de massa óssea e redução da massa muscular, amplificando as possíveis repercussões clínicas e os principais fatores de risco de duas das principais desordens musculoesqueléticas que acometem a população idosa. Osteopenia/osteoporose e sarcopenia apresentam fatores de risco em comum, envolvendo fatores modificáveis, como hábitos de vida, e não modificáveis, como sexo e fatores genéticos. Objetivo: Identificar a associação entre Osteosarcopenia e Medidas de Desempenho físico em uma amostra de idosas comunitárias osteosarcopênicas e não-osteosarcopênicas residentes de um centro urbano do Nordeste brasileiro. Métodos: Trata-se de um estudo observacional analítico, de caráter transversal, que avaliou 32 mulheres idosas com osteosarcopenia e 32 sem osteosarcopenia. Foram coletados dados sociodemográficos, antropométricos, preocupação com as quedas, nível de atividade física, sintomatologia depressiva e avaliação funcional de saúde. A composição corporal foi acessada por Absorciometria Radiológica de Dupla Energia (DEXA) e a sarcopenia definida com base nos critérios do European Working Group on Sarcopenia in Older People 2 (EWGSOP2). O Desempenho físico foi obtido pela Short Physical Performance Battery (SPPB) e pela análise da Força de Preensão Palmar (FPP). Teste de Qui-quadrado de Pearson foi utilizado para identificar associações nas distribuições da amostra. Regressões Logísticas Binárias ajustadas por idade, Índice de Massa Corporal, Velocidade de Caminhada, Velocidade para sentar/levantar de uma cadeira e FPP foram desenvolvidas para estimar a predição sobre a osteosarcopenia. Resultados: FPP (OR = 0,70, IC 0,58 a 0,86, p-valor <0,001) associou-se significativamente com a presença de osteosarcopenia. Não existiram associações significativas para os domínios da SPPB.


  • Mostrar Abstract
  • Abstract: Introduction: Osteosarcopenia is a unique geriatric syndrome that can be understood as the concomitant presence of reduced bone mass and reduced muscle mass, amplifying the possible clinical repercussions and the main risk factors of two of the main musculoskeletal disorders that affect the older population. Osteopenia/osteoporosis and sarcopenia have common risk factors, involving modifiable factors, such as lifestyle habits, and non-modifiable factors, such as gender and genetic factors. Objective: To identify the association between osteosarcopenia and physical performance measures in a sample of osteosarcopenic and non-osteosarcopenic community-dwelling older women from an urban center in the Northeast of Brazil. Methods: This is a cross-sectional analytical observational study that evaluated 32 community-dwelling older women with osteosarcopenia and 32 with no osteosarcopenia. Sociodemographic, anthropometric, concern about falls, level of physical activity, depressive symptomatology and functional health assessment data were collected. Body composition was accessed by Dual Energy X-ray Absorptiometry (DXA) and sarcopenia defined based on the European Working Group on Sarcopenia in Older People 2 (EWGSOP2) criteria. Physical performance was obtained by Short Physical Performance Battery (SPPB) and Grip Strength (GS). Pearson's Chi-square was used to identify associations in the sample distributions. Binary Logistic Regression adjusted for age, Body Mass Index, SPPB, and GS was developed to estimate the prediction on osteosarcopenia. Results: GS (OR = 0.7, CI 0.58 to 0.86, p-value < 0.001) was significantly associated with presence of osteosarcopenia. There were no significant associations on the SPPB domains.

11
  • TAINÁ DE CASTRO OLIVEIRA
  • PREVALÊNCIA DA SARCOPENIA BASEADA EM DIFERENTES MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DE FORÇA MUSCULAR EM IDOSOS RESIDENTES NA COMUNIDADE: RESULTADOS DO ESTUDO PRO-EVA.

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • ALINE DO NASCIMENTO FALCAO FREIRE MONTE
  • INGRID GUERRA AZEVEDO
  • Data: 15/06/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: À medida que a população mundial envelhece, um dos desafios importantes para a área da saúde é intervir no declínio do sistema musculoesquelético. Esse declínio consiste, principalmente, na redução da massa muscular e função, que é chamada de sarcopenia e está associada a resultados adversos à saúde. Embora tenha aumentado o número de estudos sobre sarcopenia, a prevalência relatada varia muito, uma vez que, depende das características da população estudada e os pontos de corte adotados. Os diferentes valores de referência têm um impacto crítico na epidemiologia da sarcopenia, pois os pontos de corte não são consistentes. Nesse sentido, entender como a prevalência varia de acordo com os diferentes pontos de corte ou formas de classificação como forma de identificar o que mais se adeque à população em estudo, torna-se necessário. Objetivo: Verificar a prevalência da sarcopenia utilizando diferentes formas de avaliação propostas pelo EWGSOP2. Métodos: Foram avaliados 778 idosos da comunidade que vivem em Parnamirim/RN. Os pontos de corte foram definidos para as variáveis usadas para rastrear a sarcopenia (força de preensão manual, teste de sentar-levantar, massa muscular esquelética, velocidade da marcha e SPPB) e a prevalência dos componentes da sarcopenia foi encontrada de acordo com a categorização da faixa etária dividida em dois grupos (60 a 75 anos e Acima de 75 anos). Resultados: Em ambos os grupos de idade, o percentual de mulheres foi maior (61,5% e 58,8%), a maioria era casada (56,5% e 49,7%) e frequentou a escola em um período menor que 8 anos (77,2% e 89,5%). Na comparação das proporções entre as formas de avaliação, observou-se maior proporção de sarcopenia nos métodos que utilizaram a MME sem ajuste pela altura tanto para preensão palmar (B) quanto pro teste de sentar e levantar (D), essa proporção aumentou no grupo de idade acima de 75 anos.  Conclusão: As análises do estudo confirmaram que as prevalências de sarcopenia variam de acordo com os métodos utilizados, onde é possível fazer o rastreio através da força de preensão como também do teste de levantar e sentar e ambos são mais sensíveis quando associado com a massa muscular sem ajustes pela altura. Fica evidente também o aumento da prevalência da sarcopenia à medida que se eleva a idade. 


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: As the world population ages, one of the important challenges for the health area is to intervene in the decline of the musculoskeletal system. This decline mainly consists of a reduction in muscle mass and function, which is called sarcopenia and is associated with adverse health outcomes. Although the number of studies on sarcopenia has increased, the reported prevalence varies greatly, since it depends on the characteristics of the population studied and the cutoff points adopted in the consensus. The different reference values have a critical impact on the epidemiology of sarcopenia as the cutoffs are not consistent. In this sense, defining the best cut-off point and the best way to measure the muscle mass and strength of individuals, considering not only ethnic heterogeneities, but also the practicality and cost of instruments aimed at this type of measurement, makes it if necessary. Objective: To verify the prevalence of sarcopenia using different forms of assessment proposed by the EWGSOP2. Methods: 778 community-dwelling elderly people living in a city in Rio Grande do Norte, Brazil were evaluated. Cut-off points were defined for the variables used to screen for sarcopenia (grip strength, sit-stand test, skeletal muscle mass, gait speed, and SPPB) and the prevalence of sarcopenia components was found according to categorization by age group. Results: In both groups, the percentage of women is higher (61.5% and 58.8%), most were married (56.5% and 49.7%) and attended school for less than 8 years (77.2% and 89.5%). Comparing the proportions between the forms of assessment, a greater proportion of sarcopenia was observed in the methods that used the MME without height adjustment for both the handgrip (B) and the sit-to-stand test (D), this proportion increased in the group aged over 75 years. Conclusion: The analysis of the study confirmed that the prevalence of sarcopenia varies according to the methods used, where it is possible to do the screening through the grip strength as well as the sit-up test and both are more sensitive when associated with muscle mass without height adjustments. The increase in the prevalence of sarcopenia is also evident as age increases.

12
  • PALOMA DAIANE BEATRIS ALMEIDA DE SENA
  • COMPARAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR E ATIVIDADE ELETROMIOGRÁFICA ENTRE SUJEITOS COM E SEM SÍNDROME DA DOR SUBACROMIAL.

  • Orientador : JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GERMANNA DE MEDEIROS BARBOSA
  • JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • JOSE DIEGO SALES DO NASCIMENTO
  • Data: 21/07/2023

  • Mostrar Resumo
  • Contextualização: alterações na ativação muscular e produção de força na articulação escápulo-umeral estão freqüentemente associadas à Síndrome da Dor Subacromial (SDSA). No entanto, estudos que avaliem variáveis relacionadas ao início do tempo de disparo dos músculos estabilizadores da escápula nesses sujeitos, comparando-os a um grupo controle assintomático, ainda são escassos. Assim, comparar força muscular e atividade muscular estática e dinâmica entre indivíduos com SDSA e indivíduos assintomáticos pode fornecer informações sobre os aspectos musculares normais e alterados nessa população de pacientes, o que deve ser considerado na abordagem de planejamento de exercícios para a reabilitação desses indivíduos. Objetivo: comparar a força muscular e a atividade eletromiográfica dos músculos do ombro, entre indivíduos assintomáticos e com SDSA. Metodologia: Estudo transversal. Indivíduos de ambos os sexos com idade entre 35 e 60 anos diagnosticados com SDSA foram recrutados e comparados com indivíduos assintomáticos, pareados por idade, peso, altura, sexo, dominância do membro e nível de atividade física. A força muscular foi medida com um dinamômetro digital manual Lafayette Instrument® e a amplitude eletromiográfica foi verificada por meio de um módulo condicionador de sinais modelo TeleMyo (Noraxon®, EUA), utilizando elétrodos de superfície auto-adesivos passivos. Resultados: Foi encontrada redução da força de rotação interna, externa e flexão no ombro do grupo SDSA, comparado aos sujeitos assintomáticos (p< 0,05).  O músculo serrátil anterior no grupo SDSA mostrou atividade diminuída em todos os ângulos de elevação do úmero avaliados e um atraso no início do tempo de disparo durante a elevação completa do ombro, quando comparado ao grupo controle. Conclusão: A força dos flexores, rotadores laterais e mediais do ombro e a função do músculo serrátil anterior são importantes a serem consideradas na reabilitação de pacientes com sintomas da sídrome da dor subacromial.


  • Mostrar Abstract
  • Background: Alterations in muscle activation and force production in the scapulohumeral joint are frequently associated with Subacromial Pain Syndrome (SPS). However, studies that evaluate variables related to the onset of the firing time of the scapular stabilizing muscles in these subjects, comparing them to an asymptomatic control group, are still scarce. Thus, comparing muscle strength and static and dynamic muscle activity between individuals with SPS and asymptomatic individuals may provide information on normal and altered muscle aspects in this patient population, which should be considered in the exercise planning approach for the rehabilitation of these individuals. Objective: To compare muscle strength and electromyographic activity of the shoulder muscles between asymptomatic individuals and individuals with SPS. Methodology: Cross-sectional study. Individuals of both sexes aged between 35 and 60 years diagnosed with SPS were recruited and compared to asymptomatic individuals, matched for age, weight, height, sex, limb dominance and level of physical activity. Muscle strength was measured with a Lafayette Instrument® hand-held digital dynamometer and electromyographic amplitude was checked with a TeleMyo signal conditioning module (Noraxon®, USA) using passive self-adhesive surface electrodes. Results: Reduction of internal and external rotation strength and flexion was found in the shoulder of the SPS group, compared to the asymptomatic subjects (p< 0.05).  The serratus anterior muscle in the SPS group showed decreased activity at all evaluated humeral elevation angles and a delayed onset of firing time during full shoulder elevation when compared to the control group. Conclusion: The strength of the flexors, lateral and medial rotators of the shoulder and the function of the serratus anterior muscle are important to consider in the rehabilitation of patients with symptoms of subacromial pain syndrome.

13
  • ÍKARO FELIPE DA SILVA PATRÍCIO
  • QUEIXA DE DOR NOS MEMBROS INFERIORES EM PESSOAS IDOSAS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2: RELAÇÕES SOCIODEMOGRÁFICAS, CLÍNICO-FUNCIONAIS E PSICO-COGNITIVAS

  • Orientador : JULIANA MARIA GAZZOLA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JULIANA MARIA GAZZOLA
  • MARCELO CARDOSO DE SOUZA
  • NAIRA DE FÁTIMA DUTRA LEMOS
  • Data: 26/08/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A dor em Membros Inferiores (MMII) é uma das principais queixas em idosos com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2), sendo um dos marcadores do declínio funcional e perda da autonomia da pessoa idosa, através de estímulos dolorosos que são mais comuns em forma de alfinetada, formigamento e dormência. Objetivo: verificar a relação entre a queixa de dor em MMII com os dados sociodemográficos, clínico-funcionais e psicocognitivos em idosos com DM2. Método: Trata-se de estudo do tipo transversal, descritivo de caráter analítico realizado no Hospital Universitário Onofre Lopes, em Natal/RN. Participaram idosos com idade igual ou maior a 60 anos diagnosticados com DM2. Os idosos foram avaliados a partir de um inquérito multidimensional, contendo dados sociodemográficos, clínico-funcionais e psicocognitivos, além disso, utilizou-se os instrumentos: Mini-Mental State Exam (MMSE), Escala de Depressão Geriátrica Abreviada (GDS), Timed Up and Go Test (TUGT), WHODAS 2.0 e do MiniBestest (MiniBEST), para rastreio do déficit cognitivo, dos sintomas depressivos, da mobilidade funcional, da capacidade funcional e do equilíbrio postural, respectivamente. Foram realizadas: análise descritiva, testes de Mann-Whitney e de Qui-quadrado, seguido da análise de regressão logística multivariada (p<0,05 e IC de 95%). Resultados: A amostra consistiu em 150 idosos, com média etária de 69,4 (±6,95) anos, sendo a maioria do sexo feminino (65,0%) e com queixa de dor em MMII (53%) O modelo final da regressão mostrou que a queixa de dor se relacionou significativamente com a saúde geral (p<0,001; [2,09-13,06]), GDS (p=0,024; [1,03-1,51]) e TUGT motora (p=0,002; [1,09-1,52]) e esse modelo apresentou 81,8% de acurácia. Conclusão: Os resultados deste estudo sugerem que o sintoma da dor pode levar o idoso a ter uma pior percepção da saúde geral e que fatores como a presença de sintomas depressivos e prejuízo na mobilidade funcional também estão relacionados à queixa de dor em idosos com DM2. O sintoma da dor leva o idoso a ter uma pior percepção da saúde geral, logo o conhecimento dos fatores associados à essa queixa nas pessoas idosas com DM2.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The Lower Limbs pain (LLP) is one of the main complaints in elderly individuals with Type 2 Diabetes Mellitus (T2DM), working as a marker for functional decline and loss of autonomy in the elderly, through painful stimuli that are more commonly experienced as pinpricks, tingling, and numbness. Objective: To investigate the relationship between lower limb pain complaints and sociodemographic, clinical-functional, and psychocognitive data in elderly individuals with T2DM. Method: This is a cross-sectional, descriptive, analytical study conducted at Onofre Lopes University Hospital in Natal, Brazil. Elderly individuals aged 60 years or older diagnosed with T2DM participated in the study. The elderly participants were evaluated through a multidimensional survey, including sociodemographic, clinical-functional, and psychocognitive data. Additionally, the following instruments were used: Mini-Mental State Exam (MMSE), Abbreviated Geriatric Depression Scale (GDS), Timed Up and Go Test (TUGT), WHODAS 2.0, and Mini-BESTest (MiniBEST) for cognitive deficit screening, depressive symptoms, functional mobility, functional capacity, and postural balance, respectively. Descriptive analysis, Mann-Whitney and Chi-square tests were performed, followed by multivariate logistic regression analysis (p<0.05 and 95% CI). Results: The sample consisted of 150 elderly individuals with a mean age of 69.4 (±6.95) years, with the majority being female (65.0%) and reporting lower limb pain complaints (53%). The final regression model showed that the pain complaint was significantly associated with overall health (p<0.001; [2.09-13.06]), GDS (p=0.024; [1.03-1.51]), and motor TUGT (p=0.002; [1.09-1.52]), and this model had an accuracy of 81.8%. Conclusion: This study suggests that the symptom of pain can lead the elderly to have a worse perception of overall health, and factors such as the presence of depressive symptoms and impairment in functional mobility are also related to pain complaints in elderly individuals with T2DM.

14
  • DEAN FELIPE MACIEL MAIA
  • Desenvolvimento de um toolkit online para capacitação de
    fisioterapeutas em diagnosticar, avaliar e tratar pacientes com
    tendinopatia patelar

  • Orientador : RODRIGO SCATTONE DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANIEL FERREIRA MOREIRA LOBATO
  • MARCELO CARDOSO DE SOUZA
  • RODRIGO SCATTONE DA SILVA
  • Data: 29/08/2023

  • Mostrar Resumo
  • RESUMO
    Introdução: A tendinopatia patelar é uma causa comum de dor no joelho
    que acomete principalmente indivíduos jovens e fisicamente ativos,
    além de atletas. A tendinopatia patelar pode resultar em interrupção de
    prática de atividades físicas e em aposentadoria precoce de atletas.
    Apesar da facilidade e amplas opções de buscas de informações, os
    fisioterapeutas apresentam dificuldades no gerenciamento adequado
    desta condição. A sobrecarga de informações, falta de tempo, idioma de
    publicação dos estudos e dificuldades na avaliação crítica de
    evidências científicas são algumas barreiras enfrentadas por
    fisioterapeutas para uma conduta baseada em evidências científicas.
    Objetivo: Desenvolver um toolkit online baseado nas melhores
    evidências científicas para capacitar fisioterapeutas a aprimorarem suas
    habilidades em diagnosticar, avaliar e tratar pacientes com tendinopatia
    patelar.
    Metodologia: O desenvolvimento do toolkit ocorreu em 3 fases: (I)
    Definição do conteúdo do toolkit por meio de revisão da literatura sobre
    tendinopatia patelar; (II) desenvolvimento do protótipo do toolkit; (III)
    Avaliação do toolkit por fisioterapeutas por meio de focus groups.
    Resultados: Na fase 1, o conteúdo do toolkit foi definido e apresentado
    no formato de texto, infográficos, vídeos e teste de conhecimento (quiz),
    além de ser dividido em três módulos principais com seus respectivos
    submódulos. O desenvolvimento do protótipo do toolkit foi realizado na
    fase 2. Na fase 3, ocorreu o focus group (n = 6 fisioterapeutas),
    permitindo o aperfeiçoamento do conteúdo e fornecendo melhorias para
    a usabilidade do toolkit. O toolkit está disponível em
    https://tendinopatiapatelar.trekeducation.org/.
    Conclusão: O toolkit demonstra potencial para ser uma boa opção de
    fonte de informações de qualidade fornecida a fisioterapeutas
    envolvidos nos cuidados da tendinopatia patelar. O toolkit de
    tendinopatia patelar possui seu conteúdo baseado nas melhores
    evidências científicas disponíveis, além de ferramentas agradáveis ao
    usuário. Estudos futuros devem investigar o real impacto do toolkit nos
    desfechos clínicos de pacientes com tendinopatia patelar.


  • Mostrar Abstract
  • ABSTRACT
    Introduction: Patellar tendinopathy is a common cause of knee pain that
    affects young and physically active individuals in addition to athletes.
    Patellar tendinopathy can lead to interruption of physical activity and
    early retirement of athletes. Despite the ease and abundance of
    information available, physical therapists struggle to properly manage
    this condition. Information overload, lack of time, language, and
    difficulties in critically appraising scientific evidence are some of the
    barriers physiotherapists face in adopting evidence-based practice.
    Objective: To develop an online toolkit based on the best scientific evidence to enable physiotherapists to improve their skills in diagnosing, assessing and treating patients with patellar tendinopathy.

    Methodology: The development of the toolkit occurred in 3 phases: (I)
    definition of the toolkit content through a literature review on patellar
    tendinopathy; (II) development of the toolkit prototype; (III) evaluation of
    the toolkit by physiotherapists through focus groups.
    Results: In Phase 1, the content of the toolkit was defined and presented
    in the form of text, infographics, videos and quizzes, and was divided
    into three main modules with their respective sub-modules. The
    prototype of the toolkit was developed in phase 2. In phase 3 the focus
    group (n = 6 physiotherapists) took place, which allowed the
    improvement of the content and provided improvements for the usability
    of the toolkit. The toolkit is available at
    https://tendinopatiapatelar.trekeducation.org/.
    Conclusions: The toolkit shows potential to be a good option for a
    source of quality information for physiotherapists involved in the care of
    patellar tendinopathy. The Patellar Tendinopathy Toolkit has content
    based on the best available scientific evidence and user-friendly tools.
    Future studies should investigate the actual impact of the toolkit on
    clinical outcomes of patients with patellar tendinopathy.

15
  • WILDNA SHARON MARTINS DA COSTA
  • VALIDADE DISCRIMINATIVA DE ITENS DOS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS PARA O ZUMBIDO
    SOMATOSSENSORIAL EM PACIENTES COM ZUMBIDO.
     
  • Orientador : KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • CARINA ANDREA COSTA BEZERRA ROCHA
  • THAIS CRISTINA CHAVES
  • Data: 16/11/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o zumbido é definido como a percepção sonora de um som gerado nas vias auditivas ou para-auditivas. Quando o zumbido recebe influência da coluna cervical e/ou região temporomandibular tem-se o zumbido somatossensorial (ZSS). O diagnóstico do ZSS é feito com critérios padronizados e estabelecidos em um consenso internacional de especialistas, no entanto, a padronização do exame físico e as propriedades de medidas desses critérios ainda não foram avaliadas. Objetivo: propor um checklist do exame físico de itens adaptado do Diagnostic Criteria for Somatosensory Tinnitus para diagnóstico do ZSS e determinar a validade discriminativa de itens do critério diagnóstico entre pacientes com e sem ZSS. Métodos: estudo metodológico do tipo validade de grupos conhecidos, em que foram incluídos indivíduos na faixa etária de 18 anos ou mais, de ambos os sexos e queixa de zumbido, na qual foram recrutados a partir de um ambulatório de Otorrinolaringologia especializado, totalizando 100 pacientes divididos entre o Grupo com ZSS (n=46) e Grupo sem ZSS (n=54). Os pacientes foram avaliados por uma equipe multiprofissional para triagem da etiologia do zumbido, e nesse contexto, submetidos uma avaliação fisioterapêutica por meio de um exame físico estruturado, adaptado dos critérios diagnósticos do zumbido somatossensorial, para detectar a influência do sistema somatossensorial na causa do zumbido. Os itens verificados no exame físico foram: a modulação do zumbido às manobras somáticas (MS), à palpação da articulação temporomandibular (ATM), dos músculos mastigatórios e cervicais; a presença de dor e de pontos gatilho miofasciais (PGs). Os pacientes também foram questionados sobre a intensidade do incômodo provocado pelo zumbido por meio da Escala Numérica (EN) e o impacto do sintoma na qualidade de vida por meio do Tinnitus Handicap Inventory (THI). A validade de grupos conhecidos do checklist de exame físico dos critérios diagnósticos para o Zumbido Somatossensorial (CD/ZSS) foi avaliada pelo teste qui-quadrado, teste exato de Fisher e coeficiente Fi. Os escores do THI foram comparados entre os grupos utilizando o teste t de Student com tamanho de efeito mensurado pelo d de Cohen. Resultados: o Grupo com ZSS apresentou maior incômodo do zumbido (p<0,01); o estresse e prejuízo no sono foram autorrelatados como fatores de piora do zumbido que prejudicam a qualidade de vida em 82,6%  e 63%, respectivamente, nesses pacientes (p<0,01 e p=0,04) com associação variando de forte a muito forte (0,20-0,28). E ainda, os pacientes desse grupo tiveram um maior impacto na qualidade de vida em relação ao domínio funcional e pontuação total do THI (p=0,03 e p=0,05, respectivamente) quando comparado ao Grupo sem ZSS. Com relação aos itens do exame físico para o diagnóstico do ZSS, foram encontradas associações para modulação às MS em todos os movimentos da coluna cervical e da região mandibular (p<0,05) e no gaze-evoked (p<0,01), todos com um tamanho de efeito muito forte (Fi 0,32-0,54) para o Grupo com ZSS. Para o item dos critérios relacionados à palpação da ATM, o Grupo com ZSS apresentou maior frequência de modulação à palpação na ATM à esquerda (p=0,05) e presença de dor autorrelatada na ATM à direita (p<0,01), com associações de forte a muito forte (Fi 0,19 e 0,29, respectivamente). Já a presença de presença de crepitação na ATM não apresentou diferença estatisticamente significativa. Também houve associação para modulação à palpação em todos os músculos cervicais e mastigatórios avaliados (p<0,01) com um tamanho do efeito muito forte (Fi 0,27-0,47). No que diz respeito à presença de dor aos movimentos ativos cervicais e mandibulares houve significância estatística para os movimentos de flexão (p=0,05 e Fi=0,19), protrusão (p=0,01 e Fi=0,24) e retração (p=0,02 e Fi=0,22) da coluna cervical e da ATM nos movimentos de lateralização à direita (p=0,01 e Fi=0,24) e apertar dentes (p<0,01 e Fi=0,29). A presença de dor à palpação muscular foi estatisticamente significativa para a maioria dos músculos (p=0,01 a 0,04), variando a associação forte a muito forte (Fi 0,19-0,31). Quanto à presença de PGs houve maior diferença para o Grupo com ZSS nos músculos suboccipitais (p=0,01), ECOM à direita (p=0,04), trapézio superior direito (p<0,01) e esquerdo (p=0,05) e romboide bilateralmente (p=0,04) com a associação muito forte (Fi 0,18-0,27). Conclusão: o checklist de itens adaptados dos critérios diagnósticos para ZSS foi capaz de discriminar diferenças entre os grupos com e sem ZSS apresentando associações de forte a muito forte para os pacientes com ZSS. Espera-se, que o checklist possa auxiliar na identificação padronizada de pacientes com provável zumbido somatossensorial, tanto na prática clínica dos profissionais que atuam na assistência aos pacientes com zumbido e em pesquisas cientificas na temática.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Tinnitus is defined as the auditory perception of a sound generated in the auditory or para-auditory pathways. When tinnitus is influenced by the cervical spine and/or temporomandibular region, it is referred to as somatosensory tinnitus (SST). The diagnosis of SST is based on standardized criteria established in an international consensus of experts; however, the standardization of the physical examination and the measurement properties of these criteria have not yet been evaluated.

    Objective: To propose a physical examination checklist of adapted items from the Diagnostic Criteria for Somatosensory Tinnitus for the diagnosis of SST and determine the discriminative validity of diagnostic criteria items between patients with and without SST.

    Methods: A methodological study of known-groups validity was conducted, including individuals aged 18 years or older, of both sexes, with a complaint of tinnitus, recruited from a specialized Otorhinolaryngology outpatient clinic, totaling 100 patients divided into the SST Group (n=46) and the Non-SST Group (n=54). Patients were assessed by a multidisciplinary team to screen for the etiology of tinnitus, and in this context, underwent a physiotherapeutic assessment through a structured physical examination adapted from somatosensory tinnitus diagnostic criteria to detect the influence of the somatosensory system on the cause of tinnitus. The physical examination items assessed were tinnitus modulation by somatic maneuvers (SM), palpation of the temporomandibular joint (TMJ), the jaw and neck muscles; the presence of pain and myofascial trigger points (MTrPs). Patients were also asked about the intensity of tinnitus-related distress using the Numerical Rating Scale (NRS) and the impact of the symptom on their quality of life using the Tinnitus Handicap Inventory (THI). The known-groups validity of the physical examination checklist for the Diagnostic Criteria for Somatosensory Tinnitus (DC/SST) was evaluated using the chi-square test, Fisher's exact test, and the Fi coefficient. THI scores were compared between groups using Student's t-test with effect size measured by Cohen's d.

    Results: The SST Group reported greater tinnitus distress (p<0.01); stress and sleep impairment were self-reported as worsening factors of tinnitus that affect the quality of life in 82.6% and 63% of these patients, respectively (p<0.01 and p=0.04) with associations ranging from strong to very strong (0.20-0.28), and patients in this group had a greater impact on the quality of life in the functional domain and total THI score 

    (p=0.03 and p=0.05, respectively) when compared to the Non-SST Group. As for the physical examination items for the diagnosis of SST, associations were found for modulation by SM in all cervical and mandibular movements (p<0.05) and gaze-evoked (p<0.01), all with a very strong effect size (Fi 0.32-0.54) for the SST Group. Regarding the criteria related to TMJ palpation, the SST Group showed a higher frequency of palpation modulation in the left TMJ (p=0.05) and self-reported pain in the right TMJ (p<0.01), with strong to very strong associations (Fi 0.19 and 0.29, respectively). The presence of crepitation in the TMJ did not show a statistically significant difference. There was also an association for modulation upon palpation in all cervical and masticatory muscles assessed (p<0.01) with a very strong effect size (Fi 0.27-0.47). Regarding the presence of pain during active cervical and mandibular movements, there was statistical significance for flexion (p=0.05 and Fi=0.19), protrusion (p=0.01 and Fi=0.24), and retraction (p=0.02 and Fi=0.22) of the cervical spine and the right lateralization (p=0.01 and Fi=0.24) and clenching (p<0.01 and Fi=0.29) movements of the TMJ. The presence of pain upon muscle palpation showed significance for most muscles (p=0.01 to 0.04), with a strong to very strong association (Fi 0.19-0.31). Regarding the presence of MTrPs, there was a greater difference for the SST Group in the suboccipital muscles (p=0.01), right sternocleidomastoid muscle (p=0.04), right and left upper trapezius (p<0.01 and p=0.05, respectively), and bilateral rhomboid muscles (p=0.04) with a very strong association (Fi 0.18-0.27).

    Conclusion: The checklist of items adapted from the diagnostic criteria for SST was able to discriminate differences between the groups with and without SST, showing strong to very strong associations for patients with SST. It is expected that the checklist may aiding in the standardized identification of patients with probable somatosensory tinnitus be easily implemented both in the clinical practice of professionals assisting patients with tinnitus and in scientific research field.

     

Teses
1
  • SABRINA GABRIELLE GOMES FERNANDES MACEDO
  • EXPLORAÇÃO E COMPARAÇÃO DE PONTOS DE CORTE PARA O RASTREIO DA SARCOPENIA EM IDOSOS COMUNITÁRIOS: RESULTADO DO ESTUDO PRO-EVA.

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • CRISTIANO DOS SANTOS GOMES
  • DANIELE SIRINEU PEREIRA
  • JULIANA FERNANDES DE SOUZA BARBOSA
  • MAYLE ANDRADE MOREIRA
  • Data: 18/01/2023

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O tecido muscular esquelético é um componente importante para o estudo da condição de saúde e do estado nutricional dos idosos, e junto com a força muscular, tem uma grande importância para atividades como deambulação, mobilidade e independência funcional e sua redução é um componente essencial para o estabelecimento do diagnóstico da sarcopenia, portanto, a sua medição necessita der viável para a pesquisa e a prática clínica. Tendo em vista isso, faz-se necessário compreender o que existe na literatura a respeito dos valores de pontos de corte disponíveis e quais outras estratégias de avaliação podem ser utilizadas, levando em consideração as diferenças de composição corporal e de contexto em que a população idosa está inserida.

    OBJETIVO: Explorar e comparar os pontos de corte existentes na literatura para o rastreio da sarcopenia em idosos comunitários.

    MÉTODOS: Essa tese compreende três artigos, sendo uma revisão sistemática (RS) da literatura, um estudo transversal (N=1290 idosos) e um metodológico (N=682) composto por idosos comunitários residentes do município de Parnamirim/Rio Grande do Norte, com idade igual ou superior a 60 anos. Quanto a coleta de dados, para a RS foram considerados estudos observacionais publicados nos últimos 10 anos que utilizaram a dinamometria como forma de rastreio da baixa força muscular no diagnóstico da sarcopenia. Para os outros estudos coletados dados sociodemográficos, antropométricos, composição corporal e desempenho físico. No que diz respeito a avaliação da sarcopenia, os idosos foram avaliados por meio da dinamometria e da MME, por meio das Equações de Predição.

    RESULTADOS: Para o Artigo 01 (RS) foram identificados inicialmente 19.730 referências, das quais 62 foram incluídas ao final. Todos os estudos analisados usaram algoritmos ou definições de sarcopenia já estabelecidos na literatura, dentre esses, 16 desenvolveram valores específicos de pontos de corte levando em consideração a população estudada. No Artigo 02, os idosos apresentavam uma média de idade de 69,5 anos e 62,5% eram mulheres. Quanto aos valores de pontos de corte desenvolvidos, utilizando o percentil 20 e considerando a população local, observou-se os seguintes valores: Força de Preensão=25,3 kg para homens e 16 kg para mulheres; MME= 7,88 kg/m² e 5,52 kg/m², para homens e mulheres, respectivamente. Para a velocidade da marcha, encontrou-se o valor de 0,71 m/s para homens e 0,63 m/s para mulheres. No Artigo 03, a amostra foi composta por idosos com média de idade de 70,06 (±7,06) anos e em sua maioria por mulheres (60,7%).  Ao comparar as médias da medida critério (6,7±1,1) e as equações antropométricas, foi visto que a Equação de Baumgartner apresentou uma maior média (12,7± 1,4) e uma maior diferença em relação a medida critério (-6,06kg). Quanto a análise da validade cruzada, apenas a Equação de Visvanhatan 02 atendeu aos critérios de validade propostos por Lohman (p-valor > 0,05, erro padrão estimado = 0,602 e R²= 0,74), além de apresentar um menor viés (0,04) e um menor intervalo entre os limites de concordância, quando comparado a bioimpedância (BIA). CONCLUSÃO: Conclui-se que: #1. Há uma diversidade de valores de pontos de corte disponíveis na literatura para definir a baixa força muscular, e essa heterogeneidade pode variar de acordo com o sexo e o local onde a população foi avaliada; #2. Os pontos de corte específicos para a população do nordeste brasileiros foram diferentes daqueles já estabelecidos na literatura, podendo influenciar assim na prevalência da sarcopenia, superestimando ou subestimando esse valor; #3. Apenas uma equação, que utiliza variáveis mais simples (sexo, peso e altura) mostrou uma boa validade quando comparado a medida-critério (BIA).


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: Aging is a natural process that implies gradual and inevitable changes related to health. Studies indicate that one of the most important challenges arising from the aging process is managing to control the progressive decline of the musculoskeletal system, called sarcopenia. First described in 1989 by Rosenberg, the concept of sarcopenia is not established in the literature, therefore, in order to determine operational criteria, different study’s groups around the world came together to facilitate its identification and measurement, presenting methods and assessment tools that are valid for screening for sarcopenia. However, taking into account the difficulties encountered in Primary Health Care (PHC), the use of easier, simpler and cheaper alternatives is indicated, and an example of this is the use of prediction equations based on anthropometric measurements.  Despite being a method that has been gaining ground in epidemiological research, there are still few studies that aim to validate and/or develop these equations in the Brazilian population, so it is evident the need to carry out a cross-validation of the prediction equations in community-dwelling older people living in Brazilian northeast. OBJECTIVE: To verify the cross-validity of SMM prediction equations in an Community-dwelling older people, using bioelectrical impedance (BIA) as a comparative method. METHODS: A methodological study, comprising 682 older people aged ≥ 60 years, of both gender, living in the city of Parnamirim. Data were collected through a standardized protocol containing questions about sociodemographic variables and lifestyle habits (present in the Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa - CSPI). For the variables used in the 5 anthropometric equations analyzed, weight, height, calf circumference and hand grip strength were evaluated, and for the evaluation of the SMM, the BIA was used, which was considered in this study as a comparator criterion. As for the data analysis, the paired t-student test and Pearson's correlation were performed to compare the means and the relationship between the variables and verify the cross-validity between the measures. In order to verify the validity of the prediction equations, a linear regression was performed, and the assumptions of Lohman (1992) were followed to confirm this validity. Finally, the Bland & Altman method was used to verify the agreement between the assessment methods. RESULTS: The sample consisted of older people with a mean age of 70.06 (±7,06) years and mostly women (60.7%). When comparing the criterion measure and the anthropometric equations, it was seen that the Baumgartner Equation presented a greater mean and a greater difference (-6.06kg). As for the cross-validity analysis, only the Visvanhatan Equation 02 met the validity criteria proposed by Lohman (p-value > 0.05, estimated standard error = 0.602 and R²= 0.74), in addition to presenting a lower bias (0.04) and a smaller interval between the limits of agreement when compared to BIA. EXPECTED RESULTS: Based on the preliminary results, it was observed that the use of simpler equations is valid for use in community-dwelling older people, proving to be reliable for use within the daily assessment of the elderly person, thus helping to identify them early. of such a significant decline, minimizing the adverse effects in later years of the life of this population group.

2
  • LEDYCNARF JANUÁRIO DE HOLANDA
  • Aprendizagem de Máquina Aplicada a Análise do Movimento de Membro Superior de Pessoas com Esclerose Lateral Amiotrófica.

  • Orientador : ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • DENIS DELISLE RODRÍGUEZ
  • EMERSON FACHIN MARTINS
  • SUELLEN MARY MARINHO DOS SANTOS ANDRADE
  • Data: 14/02/2023

  • Mostrar Resumo
  •  

    Introdução: A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) desencadeia limitações motoras progressivas, que se apresentam de forma distinta em cada paciente, tais como comprometimentos relacionados ao membro superior (MS). Estas impactam no desempenho das atividades de vida diária e independência funcional. Com a evolução tecnológica, a eletromiografia de superfície (EMGs) e acelerômetro (ACC) estão sendo implementadas como ferramentas adicionais para análise da função motora, desse modo aprimorando as ferramentas de avaliação existentes. Estas ainda podem ser aperfeiçoadas com associação de algoritmos de Aprendizagem de Máquina (AM) que podem contribuir para o desenvolvimento de ferramentas mais acuradas e precisas para a reabilitação.

    Objetivo: Implementar modelo de AM sobre dados de EMGs e ACC para avaliação da função motora de MS de pessoas com ELA.

    Metodologia: Trata-se de um estudo transversal aprovado pelo Comitê de Ética do Campus Central da UFRN (CAAE: 25687819.3.0000.5537). 10 pessoas saudáveis e 7 com ELA foram avaliadas, a partir de uma ficha de avaliação padronizada, instrumentos de avaliação validados para analisar a condição de saúde da pessoa com ELA e/ou com outras desordens neurológicas e/ou musculoesqueléticas, e análise do movimento de MS, a partir do EMGs e ACC. O processamento dos dados foi realizado no software Matlab R2022b e análise estatística no software Statistical Package for the Social Science (SPSS) versão 20.0.

    Resultados:

    Artigo 1 - Elaborar uma revisão de escopo a fim de descrever as características de órteses de MS controladas por algoritmos de AM, a partir de informações extraídas de artigos e patentes publicadas.

    Artigo 2 - Analisar e comparar o grau de estacionaridade e linearidade de dados de ACC adquiridos durante o movimento de MS de pessoas com ELA e saudáveis.

    Artigo 3 - Analisar e comparar o grau de estacionaridade e linearidade de dados de EMGs adquiridos durante o movimento de MS de pessoas com ELA e saudáveis.

    Artigo 4 - Analisar e comparar níveis de fadiga e força muscular de pessoas saudáveis e com ELA, a partir de sinais de EMGs e ACC.

    - Comparar o nível de ativação muscular e nível de variação de movimento de pessoas saudáveis e com ELA, a partir de sinais de EMGs e ACC, respectivamente.

    - Classificar dados de EMGs e ACC de pessoas saudáveis e com ELA, a partir de algoritmos de AM.

    Conclusão: Órteses de MS controladas por algoritmos de AM podem oferecer benefícios adicionais para reabilitação motora de pessoas, que possuem alterações do movimento causada por alguma doença, como a ELA. Estes pacientes possuem alterações clínicas que o diferem de uma pessoa saudável. Em nosso estudo, isso foi evidenciado na diferença de propriedades estatísticas do sinal de EMGs e ACC, nível de fadiga, força muscular, ativação muscular e variação do movimento.

     


  • Mostrar Abstract
  • Abstract

    Introduction: Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS) leads to progressive motor limitations, which appear differently in each patient, such as impairments related to the upper limb (UL). These impact the performance of activities of daily living and functional independence. Surface electromyography (sEMG) and accelerometer (ACC) are being integrated as additional tools for motor function analysis with technological evolution, thereby enhancing existing assessment tools. These can still be improved with the association of Machine Learning (ML) algorithms that can contribute to the development of more accurate and precise tools for rehabilitation.

    Objective: To implement an ML model on sEMG and ACC data to assess the SM motor function of people with ALS.

    Methods: This is a cross-sectional study approved by the Ethics Committee of the UFRN Central Campus (CAAE: 25687819.3.0000.5537). 10 healthy people and 7 with ALS were evaluated, using a standardized evaluation form, validated assessment instruments to analyze the health condition of the person with ALS and/or other neurological and/or musculoskeletal disorders, and analysis of the UL movement, from sEMG and ACC. Data processing was performed using Matlab R2022b software and statistical analysis using the Statistical Package for Social Science (SPSS) version 20.0 software.

    Results:

    Article 1 - Elaborate a scope review in order to describe the characteristics of UL orthoses controlled by ML algorithms, based on information extracted from published articles and patents.

    Article 2 - Analyze and compare the degree of stationarity and linearity of ACC data acquired during the UL movement of people with ALS and healthy people.

    Article 3 - Analyze and compare the degree of stationarity and linearity of sEMG data acquired during the UL movement of people with ALS and healthy people.

    Article 4 - Analyze and compare levels of fatigue and muscle strength in healthy people and people with ALS, based on sEMG and ACC signals.

    - To compare the level of muscle activation and the level of movement variation in healthy people and people with ALS, based on EMGs and ACC signals, respectively.

    - Classify data from sEMG and ACC of healthy people and those with ALS, based on AM algorithms.

    Conclusion: UL orthoses controlled by ML algorithms can offer additional benefits for the motor rehabilitation of people who have movement disorders caused by a disease, such as ALS. These patients depend on illnesses that differ from a healthy person. Our findings showed the difference in statistical properties of the sEMG and ACC signal, level of fatigue, muscle strength, muscle activation, and movement displacement.

3
  • PATRÍCIA MAYARA MOURA DA SILVA
  • Aprendizagem de máquina aplicada à execução da marcha em pacientes
    com diabetes tipo 2.

  • Orientador : FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ABNER CARDOSO RODRIGUES NETO
  • EDGAR RAMOS VIEIRA
  • FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • RUMMENIGGE RUDSON DANTAS
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • Data: 10/03/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A diabetes caracteriza-se por um conjunto de doenças
    metabólicas que podem causar diversas alterações. Uma delas ocorre na
    função sensório-motora que gera alterações na execução da marcha, como:
    fase de apoio mais longa, passos mais curtos e inadequada distribuição da
    pressão plantar. Métodos quantitativos de avaliação das alterações do
    padrão de marcha podem ser decisivos para traçar estratégias de tratamento.
    Além disso, podem ajudar na prevenção de complicações causadas pela
    diabetes. Com os avanços das técnicas de aprendizagem de máquina (AM) o
    reconhecimento automatizado de padrões diante da enorme quantidade de
    dados vem se tornando uma ferramenta essencial na área médica de- vido à
    capacidade de prever complicações clínicas antes que a doença se agrave.
    Objetivos: aplicar modelos de AM sobre dados de avaliação da marcha de
    pacientes diabéticos, tipo 2, a fim de identificar os padrões de execução de
    marcha que possam prever complicações clínicas da diabetes. Métodos: O
    estudo envolveu dois tipos de modalidades metodológicas: 1) Elaboração de
    protocolo e Revisão Sistemática; 2) Desenvolvimento e aprimoramento de
    modelos preditivos de AM não supervisionada e supervisionada para análise
    exploratória de dados, detecção da diabetes e detecção de complicações
    clínicas na diabetes baseadas nos níveis de hemoglobina glicada. Os dados
    para execução do estudo foram fornecidos mediante parceria com a
    Universidade Internacional da Flórida (FIU) durante doutorado sanduíche
    (Edital No. 02/2020 – CAPES/PRINT) entre setembro de 2021 e junho de
    2022. Os dados foram pré-processados e implementados em diferentes
    modelos de AM. Os modelos de AM utilizados foram avaliados quanto a sua
    eficiência baseando-se na análise de silhouette para AM não supervisionada,
    métricas de AM supervisionada baseadas na matriz de confusão e estatística
    convencional adotando-se o nível de significância de 5%. Resultados: 1)
    Resultou em dois artigos: Artigo 1 - O protocolo definiu a metodologia a ser
    seguida na revisão; Artigo 2 - Quatro estudos (208 participantes) foram
    incluídos na revisão. Dois usaram AM como método preditivo, um utilizou
    estatística convencional baseada em regressão múltipla stepwise e um o 

    classificador Fuzzy que é um método de incerteza. Os estudos atingiram pelo
    menos 75% em reportar adequadamente 19 itens do TRIPOD. Três dos
    estudos incluídos foram classificados como alto risco de viés. 2) Resultou em
    três artigos: Artigo 3 – K-Médias separou o conjunto de dados em dois
    grupos (silhouette = 0,47). Os padrões de velocidade, comprimento do passo
    e distribuição de pressão plantar da marcha foram estatisticamente diferentes
    (p < 0,05) entre diabéticos e não diabéticos. Além disso, entre os
    pacientes diabéticos, observou-se uma diferença de estatística significativa (p
    < 0,05) nos padrões de distribuição de pressão plantar. Artigo 4 – Algoritmos
    de AM supervisionada usando dados de marcha mostraram alta sensibilidade
    na distribuição da pressão plantar da região do calcanhar para classificar
    diabéticos de não diabéticos. Artigo 5 – O classificador XGB apresentou
    melhores resultados alcançando AUC de 0,99, precisão de 0,91, recall de
    0,90 e f1-score de 0,89. As três características da marcha mais relevantes na
    classificação das complicações do diabetes encontradas foram base de apoio
    esquerda, pressão esquerda média ao longo do tempo na região dos
    metatarsos (I-III) e média da área do sensor ativo na região dos III-IV
    falanges. Conclusão: O uso da AM vem crescendo cada vez mais se
    fazendo necessário haver estudos metodológicos mais rigorosos de forma a
    melhorar as evidências quanto ao desenvolvimento e aplicação de
    ferramentas preditivas, principalmente em relação a dados de execução da
    marcha de pacientes diabéticos. A AM em aplicações médicas vem
    auxiliando no desenvolvimento de novas habilidades e abordagens no modo
    de tratar. Em relação aos pacientes diabéticos, o uso de AM na detecção
    precoce de certas alterações na execução da marcha, poderão ser
    fundamentais na prática clínica para o direcionamento de tratamentos, os
    quais poderão ser fundamentais na prevenção do aparecimento dos
    distúrbios neurológicos.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Diabetes is characterized by a metabolic disease group that
    can cause several changes. One of them occurs in the sensorimotor function,
    which generates alterations in gait execution, such as longer stance phase,
    shorter steps and inadequate plantar pressure distribution. Quantitative
    methods for assessing changes in gait patterns can be decisive in designing
    treatment strategies. In addition, they can help prevent diabetes
    complications. With advances in machine learning (ML) techniques,
    automated pattern recognition in the face of large amounts of data has
    become an essential tool in the medical field due to the ability to predict
    clinical complications before the disease gets worse. Objectives: to apply ML
    models on gait evaluation data of type 2 diabetic patients to identify patterns
    of gait performance that may predict diabetes clinical complications.
    Methods: The study involved two methodological modalities: 1) Protocol
    elaboration and Systematic Review; 2) Development and improvement of
    predictive models of unsupervised and supervised BF for exploratory data
    analysis, diabetes detection and detection of clinical complications in diabetes
    based on glycated hemoglobin levels. The data for the execution of the study
    was provided through a partnership with the International University of Florida
    (FIU) during a sandwich doctorate (Edital No. 02/2020 – CAPES/PRINT)
    between September 2021 and June 2022. The data were pre-processed and
    implemented in different ML models. The ML models used efficiency were
    evaluated based on the silhouette analysis for unsupervised ML, the
    confusion matrix for supervised ML metrics, and conventional statistics,
    adopting a significance level of 5%. Results: 1) Resulted in two articles:
    Article 1 - The protocol defined the systematic review methodology; Article 2 -
    The review included four studies (208 participants). Two used ML as a
    predictive method, one used conventional statistics based on multiple
    stepwise regression, and the last used the uncertainty method Fuzzy
    classifier. Studies achieved at least 75% in adequately reporting 19 TRIPOD 

    items. Three of the included studies were classified as high risk of bias. 2)
    Resulted in three articles: Article 3 – K-Means separated the dataset into two
    groups (silhouette = 0.47). Gait speed, step length and plantar pressure
    distribution patterns were statistically different (p < 0.05) between diabetics
    and non-diabetics. Furthermore, among diabetic patients, a statistically
    significant difference (p < 0.05) was observed in plantar pressure distribution
    patterns. Article 4 – Supervised ML algorithms using gait data showed high
    sensitivity in the distribution of plantar pressure in the heel region to classify
    diabetes from non-diabetics. Article 5 – The XGB classifier presented better
    results, reaching an AUC of 0.99, a precision of 0.91, a recall of 0.90 and an
    f1-score of 0.89. The three most relevant gait characteristics in the
    classification of diabetes complications found were left support base, mean
    left pressure over time in the metatarsal region (I-III) and mean active sensor
    area in the III-IV phalanges region. Conclusion: The use of ML has been
    growing more and more, making it necessary to have more rigorous
    methodological studies to improve the evidence regarding the development
    and application of predictive tools, mainly concerning the gait performance
    data of diabetic patients. ML in medical applications has been helping to
    develop new skills and approaches in the way of treating. Regarding diabetic
    patients, the use of ML in the early detection of alterations in gait performance
    may be fundamental in clinical practice for directing treatments, which may be
    crucial in preventing the appearance of neurological disorders.

4
  • EMILIA MARCIA GOMES DE SOUZA E SILVA
  • Avaliação dos efeitos da telereabilitação em cuidadores de pacientes com doenças neurológicas.

  • Orientador : ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CAROLINE CUNHA DO ESPIRITO SANTO
  • ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • LORENNA MARQUES DE MELO SANTIAGO
  • LORENNA RAQUEL DANTAS DE MACEDO BORGES
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • Data: 24/03/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O cuidador é peça fundamental no suporte à pessoa com doença crônica durante suas atividades rotineiras e programação médica. Cuidadores informais de pessoas com com doenças neurológicas, principalmente as neurodegenerativas, como Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) sofrem com intensas ondas de estresse, sobrecarga, diminuição do auto-cuidado, e consequente piora na qualidade de vida. A prática de atividade física tem efeitos benéficos para os cuidadores, no entanto, eles parecem não priorizar a própria saúde, e sim, o cuidado. Devido a pandemia de COVID-19, e o distanciamento social, o teleatendimento vem se fortalecendo como opção para manutenção dos tratamentos e auxílio do cuidado. Atualmente, não há consenso sobre a melhor intervenção para os cuidadores, seja ela telereabilitação ou presencial, síncrona ou assíncrona. Objetivos: Objetivo 1: Analisar e comparar os resultados da aplicação de um programa educacional de autocuidado via teleatendimento, síncrono e assíncrono, na saúde física e mental de cuidadores de pessoas com ELA. Com a elaboração de uma cartilha “Programa de auto-cuidado direcionado para cuidadores de pessoas com ELA” que será a base teórica da intervenção. Objetivo 2: Avaliar o impacto da telereabilitação sobre a sobrecarga, estresse, dor e qualidade de vida de cuidadores de pacientes com desordens neurológicas. Metodologia: Metodologia 1: Este estudo consiste em um ensaio clínico controlado randomizado e cego. Foram recrutados 17 participantes, randomizados para o grupo experimental (GE=9) e grupo controle (GC=8). O GE recebeu cartilha informativa e participou de um programa de telereabilitação durante 6 semanas, onde foram discutidos temas relacionados ao bem-estar físico e mental. Os encontros aconteceram via plataforma online de áudio e vídeo e contaram com neuropsicólogo, nutricionista e fisioterapeuta, de forma síncrona. O GC recebeu cartilha informativa e orientações sobre a importância da prática do autocuidado e de atividades físicas. Durante as seis semanas, o GC teve 2 momentos de acompanhamento, via contato telefônico, para sanar dúvidas sobre as informações contidas na cartilha. As medidas de desfecho: sobrecarga do cuidador (Escala de Zarit), qualidade de vida (World Health Organization Quality of Life-100), dor (Escala de dor de McGill), estresse (Escala de Estresse percebido), e depressão (Inventário de Depressão de Beck) foram avaliadas antes, após as intervenções e no follow-up de 30 dias. Metodologia 2: Trata-se de uma revisão sistemática, realizada nas seguintes bases de dados: MEDLINE Ovid, Embase; Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL); PEDro; e PsycINFO Ovid. Foram incluídos ensaios clínicos que realizaram telerreabilitação, avaliando sobrecarga, estresse, dor e/ou qualidade de vida dos cuidadores de pessoas com doenças neurológicas, sem restrição de idioma ou ano de publicação. Quatro revisores independentes selecionaram os estudos elegíveis. A qualidade da evidência e o risco de viés foram avaliados de acordo com as ferramentas recomendadas pela colaboração Cochrane. Resultados: Resultado 1: Foram observadas diferenças significativas no domínio físico da qualidade de vida no grupo experimental e no meio ambiente no grupo controle, além de encontrar melhora no número de descritores de dor do grupo experimental, e no índice de dor de ambos os grupos. Não houve diferença estatisticamente significativa intergrupos. Resultado 2: Foram encontrados 80.043 artigos através da chave de pesquisa, 75.111 foram selecionados para leitura de título e resumo, destes foram excluídos 75.108 artigos, assim, apenas 07 artigos foram selecionados para leitura na íntegra e, por fim, incluídos 02 estudos nesta revisão sistemática. Um deles tratava de cuidadores de pacientes com AVC e o outro de cuidadoras (esposas) de pacientes com Alzheimer. Conclusão: Percebe-se discretas alterações na qualidade de vida dos cuidadores, após aplicação de um programa de autocuidado através de telereabilitação, demonstrando também que parece não haver diferença no modo síncrono para o assíncrono. Há evidente carência e escassez de pesquisas acerca de telereabilitação em cuidadores de pessoas com doenças neurológicas, o que agrava ainda mais quando a doença é rara, mostrando a invisibilidade dessa população.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The caregiver is a key player in supporting people with chronic illnesses during
    their routine and planned medical activities. Informal care for people with neurological
    diseases, notably neurodegenerative ones, such as Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS) goes
    through intense stress, overload, reduced self-care, and consequently worsening quality of
    life. Physical activity provides additional effects on caregivers, however, they do not seem
    to prioritize their own health, but the person cared for. After the COVID-19 pandemic and
    the necessary social distance, telerehabilitation became stronger as an option for maintaining
    treatments and helping with care. Currently, telerehabilitation is a great alternative for people
    with difficulties in time management, and in face-to-face meetings. Although, there is no
    consensus on the best intervention for caregivers, whether synchronous or asynchronous. Objectives:
    Objective of study 1: To assess the impact of telerehabilitation on the burden,
    stress, pain, and quality of life of caregivers of people with neurological disorders. Objective
    of study 2: To analyze and compare the results of applying for an educational self-care program
    via telerehabilitation, synchronous and asynchronous, on the physical and mental health
    of caregivers of people with ALS. Methods: Methods of study 1: This is a systematic
    review, carried out in the following databases: MEDLINE Ovid, Embase; Cochrane Central
    Register of Controlled Trials (CENTRAL); Pedro; and PsycINFO Ovid. Clinical trials that
    performed telerehabilitation included, assessing the burden, stress, pain, and/or quality of life
    of caregivers of people with neurological diseases, without the restriction of language or year.
    Four independent reviewers selected eligible studies. The quality of evidence and the risk of
    bias were assessed according to the tools recommended by the Cochrane team. Methods
    of study 2: Study 2 consists of a blinded, randomized, controlled clinical trial. 17 participants
    were recruited, and randomized to the experimental group (EG=9) and control group
    (CG=8). The EG received an informative booklet and participated in a telerehabilitation program
    for 6 weeks, where topics related to physical and mental well-being were discussed. The
    meetings took place via the online audio and video platform and had a neuropsychologist,
    nutritionist, and physiotherapist, synchronously. The CG received an informative booklet
    and guidance on the importance of self-care and physical activity. During the six weeks, the
    CG had 2 follow-up moments, via telephone contact, to resolve doubts about the information
    contained in the booklet. As care measures: stress burden (Zarit Scale), quality of life (World
    Health Organization Quality of Life-100), pain (McGill Pain Scale), stress (Perceived Stress
    Scale), and depression (Beck Depression Inventory) were assessed before, after the interventions,
    and at the 30-day follow-up. Results: Result of study 1: 80,043 articles were found
    through the search strategy, 75,111 were selected for reading the title and abstract, of these
    75,108 articles were excluded, thus, only 07 articles were selected for reading in full and,
    finally, it included 02 studies in this systematic review. One of them dealt with caregivers
    of people with stroke and the other with caregivers (wives) of individuals with Alzheimer’s.
    Result of study 2: Differences were observed in the physical domain of quality of life in the
    experimental group and in the environment in the control group. Improvements in the number
    of pain descriptors in the experimental group and in the pain index in both groups were
    found. There was no statistically significant difference between the groups. Conclusion:
    There is an advancement in the quality of life of caregivers after applying for a self-care
    program through telerehabilitation, demonstrating that both synchronous and asynchronous
    forms can be used. There is an evident lack and scarcity of research on telerehabilitation in
    caregivers of people with neurological diseases, which is even worse when the disease is rare,
    showing the invisibility of this population.
5
  • KAREN DE MEDEIROS PONDOFE
  • Avanços da Fisioterapia Respiratória na ELA: técnicas e assistência

  • Orientador : VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • Vinicius Zacarias Maldaner da Silva
  • LUCIANA DE ANDRADE MENDES
  • LUCIEN PERONI GUALDI
  • MATIAS OTTO-YANES
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • Data: 28/04/2023

  • Mostrar Resumo
  • A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é caracterizada por sinais e sintomas de degeneração dos neurônios motores superiores e inferiores. Isso leva à fraqueza progressiva dos músculos bulbares, dos membros, torácicos e abdominais, causando perda de deambulação e funcionalidade, dificuldades na deglutição, disfunção dos músculos respiratórios e morte devido à insuficiência ventilatória. É uma das doenças neuromusculares mais incapacitantes, com progressão consideravelmente rápida e fatal. A sobrevida média desde o início dos sintomas é de aproximadamente 3 a 5 anos, mas alguns pacientes sobrevivem por mais tempo, com uma progressão lenta da doença. Uma vez que não há tratamento médico que reverta ou altere significativamente a progressão da doença, o tratamento da ELA permanece sintomático, realizado por equipe multidisciplinar, chegando a necessitar de auxílio de ventilação mecânica quando a insuficiência respiratória se instala. Outros aspectos importantes da optimização do cuidado respiratório devem ser considerados, como a prevenção e o tratamento de infecções respiratórias que contribuem para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes. Atualmente, muitos Estados brasileiros não oferecem, juntamente com a VNI, um programa de optimização dos cuidados com os pacientes em seu aspecto geral. Por tanto, os cuidados com os pacientes com ELA envolvem um modelo assistencial, bem como com a educação em saúde a seus familiares. Do ponto de vista clínico e no âmbito dos cuidados respiratórios, propomos a implementação de um programa de cuidados respiratórios com assistência integral a pacientes com ELA, estendendo ao domicílio, buscando aumentar a sobrevida destes. Esta tese é parte integrante do projeto RevELA, de iniciativa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), financiada pelo Ministério da Saúde e com parceria com o Pneumocardiovascular LAB. Com o intuito de atender as necessidades dos pacientes com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) de forma multidisciplinar e tecnológica. Relacionado à fisioterapia respiratória, as metas traçadas incluem um ensaio clínico para implantação de programa de assistência domiciliar na ELA, uma revisão sistemática sobre os efeitos da fisioterapia respiratória na ELA, com publicação de artigos, Diretrizes para recomendações do manejo respiratório nesses pacientes e a educação em saúde através de treinamentos e orientações à cuidadores e fisioterapeutas com a elaboração de cartilhas e de cursos presencial e por plataforma virtual, que fazem parte dos cuidados nas intervenções.


  • Mostrar Abstract
  • Amyotrophic lateral sclerosis (ALS) is characterized by signs and symptoms of upper and lower motor neuron degeneration. This leads to progressive weakness of the bulbar, limb, thoracic, and abdominal muscles, causing loss of ambulation and functionality, swallowing difficulties, respiratory muscle dysfunction, and death due to ventilatory failure. It is one of the most disabling neuromuscular diseases, with a considerably rapid and fatal progression. Median survival from the onset of symptoms is approximately 3 to 5 years, but some patients survive longer, with slow disease progression. Since there is no medical treatment that reverses or significantly alters the progression of the disease, the treatment of ALS remains symptomatic, performed by a multidisciplinary team, even requiring the aid of mechanical ventilation when respiratory failure sets in. Other important aspects of optimizing respiratory care must be considered, such as the prevention and treatment of respiratory infections that contribute to improving the quality of life of patients. Currently, many Brazilian states do not offer, along with NIV, a program to optimize patient care in general. Therefore, care for patients with ALS involves a care model, as well as health education for their families. From a clinical point of view and in the scope of respiratory care, we propose the implementation of a respiratory care program with comprehensive care for patients with ALS, extending to their homes, seeking to increase their survival. This thesis is an integral part of the RevELA project, an initiative of the Federal University of Rio Grande do Norte (UFRN), through the Laboratory of Technological Innovation in Health (LAIS), financed by the Ministry of Health and in partnership with the Pneumocardiovascular LAB. In order to meet the needs of patients with Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS) in a multidisciplinary and technological way. Related to respiratory physiotherapy, the goals set include a clinical trial for the implementation of a home care program in ALS, a systematic review on the effects of respiratory physiotherapy in ALS, with the publication of articles, Guidelines for recommendations for respiratory management in these patients and education in health through training and guidance for caregivers and physiotherapists with the development of booklets and courses in person and via virtual platform, which are part of the care in interventions.

6
  • TACITO ZAILDO DE MORAIS SANTOS
  • CONTEXTUALIZAÇÃO, DESENVOLVIMENTO, OPERACIONALIZAÇÃO E VALIDAÇÕES PRELIMINARES DO QUESTIONÁRIO ADHERE: ADESÃO A MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE DOENÇAS RESPIRATÓRIAS INFECCIOSAS NO BRASIL.

  • Orientador : KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • LILIAN LIRA LISBOA
  • BRENDA NAZARÉ GOMES ANDRIOLO
  • ISABEL CRISTINA VASCONCELOS DE OLIVEIRA
  • Data: 28/06/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A pandemia de COVID-19 evidenciou o tema da adesão individual e populacional às medidas recomendadas internacionalmente para prevenção e controle de doenças respiratórias infecciosas. Contudo, a baixa conformidade com comportamentos preventivos recomendados e a escassez de ferramentas que avaliem esse construto numa mesma população tem desafiado gestores e pesquisadores. Diante de todas as possíveis implicações clínicas, econômicas e psicossociais, as medidas de prevenção a nível populacional, integradas a políticas públicas de saúde, podem significar esforços efetivos e tomadas de decisão assertivas. Objetivos: Desenvolver e testar as validades preliminares de um instrumento para a população brasileira, capaz de mensurar barreiras e facilitadores de adesão às medidas recomendadas para prevenção e controle de doenças respiratórias infecciosas. Métodos: Para contemplar os objetivos supracitados, dois estudos foram realizados. O estudo 1 incluiu uma revisão sistemática (RS) que seguiu as recomendações Cochrane para síntese qualitativa global de temas e o Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analysis (PRISMA). Os temas emergentes na RS elicitaram o conteúdo para a geração inicial dos itens do instrumento. Estes itens foram classificados em dois frameworks: o Modelo de Crenças em Saúde (HBM) e o Modelo de Capacidade, Oportunidade e Motivação (COM-B). O estudo 2 compreendeu o desenvolvimento do questionário e validações preliminares do ADHERE. Para a construção inicial dos itens, em adição aos resultados da RS, foram realizadas entrevistas em profundidade com representantes da população-alvo, seguindo as recomendações do PRO Good Research Practices Task Force Report (ISPOR 1). Em seguida, a validade de conteúdo foi avaliada por painel de juízes e o questionário foi submetido a um pré-teste quantitativo com a população-alvo no formato Survey, seguindo o Método e-Delphi modificado, bem como às recomendações do COSMIN methodology for content validity e do PRO Good Research Practices Task Force Report (ISPOR 2). A estrutura fatorial do questionário ADHERE foi investigada através de Análise Fatorial Exploratória (AFE) considerando o modelo de rotação varimax e um coeficiente de 0.45. A consistência interna dos dados foi avaliada pelo Coeficiente Alfa de Cronbach. Por fim, os itens retidos na análise fatorial foram submetidos a um pré-teste qualitativo com novos representantes da população-alvo no formato de entrevistas cognitivas (Debriefing). O planejamento e execução da etapa seguiu as recomendações descritas no PRO Good Research Practices Task Force Report: Part 2 - Assessing Respondent Understanding (ISPOR 2). Resultados: A revisão sistemática incluiu 71 estudos e a síntese qualitativa destes identificou 37 achados de barreiras e 23 de facilitadores, classificados em 10 temas codificados e 10 dimensões dos frameworks utilizados (COM-B e HBM). A revisão sistemática e as entrevistas em profundidade resultaram num banco de itens preliminar. Na validação de construto teórico (conteúdo e face), 68 itens preliminares do ADHERE foram julgados por um painel de juízes, seguindo o método e-Delphi modificado, de forma anônima e em três rodadas. Os itens foram julgados quanto à clareza, objetividade, relevância, viabilidade e abrangência utilizando a plataforma online Jotform®. Após o painel de juízes, os 61 itens remanescentes foram pré-testados em 138 representantes do público-alvo, no formato Survey via Jotform®. Os respondentes avaliaram a clareza, relevância e abrangência de forma dicotômica e anônima. Com um limiar de corte de relevância estabelecido como ≥ 70% das avaliações, 8 itens foram eliminados por relevância direta ou indireta e 4 itens foram eliminados por redundância, totalizando 49 itens após a etapa de validação de conteúdo. O coeficiente alfa de Cronbach indicou elevada consistência interna para a escala com 34 itens (α=0,94). Posteriormente, os resultados do teste de Kaiser-Meyer-Olkin (KMO=0,80) e do teste de esfericidade de Barlett (χ²= 3488,09; p<0,001) indicaram um ajuste adequado dos dados, possibilitando a AFE. Após esta análise, a versão I do questionário ADHERE apresentou 34 itens agrupados em 4 fatores, considerando um coeficiente de 0,45, os quais explicaram 42% da variância total. Os quatro fatores (Fator 1, 2, 3 e 4) reuniram 10, 10, 9 e 5 itens, respectivamente. As dimensões identificadas foram:  autopercepção de barreiras pessoais e ambientais (α=0,89); autoeficácia (α=0,87); políticas de saúde (α=0,86) e interações pessoais (α=0,80). No pré-teste qualitativo foram incluídos 16 participantes, onde obteve-se uma maior proporção de pessoas com nível básico de educação. Ao final desta análise, os 34 itens foram mantidos mediante ajustes e mudanças de operacionalização de escalas. O processo de avaliação de itens nesta etapa possibilitou ajustes na redação de 18 itens e modificações na operacionalização da escala de 5 itens. Diante disso, o questionário passou a incorporar três contextos para Escala de Likert: práticas, atitudes e conhecimento; medidos respectivamente por marcadores de frequência, concordância e conhecimento. Conclusões: A partir da validação completa do questionário ADHERE seu uso pode gerar relatórios confiáveis e ajudar formuladores de políticas a planejar, monitorar, revisar, modificar e implementar intervenções de educação em saúde centrada no indivíduo e na comunidade. Diante disso, torna-se essencial desenvolver novas abordagens do instrumento ADHERE considerando que uma parcela importante da nossa população não é alfabetizada, mora em regiões longínquas, não possui acesso ou tem limitada compreensão sobre o uso de recursos eletrônicos. Dito isto, a validação contínua e a atualização do questionário também são importantes para garantir sua relevância ao longo do tempo.

     


  • Mostrar Abstract
  • ABSTRACT

     

    Background: The COVID-19 pandemic highlighted the issue of individual and population adherence to internationally recommended measures for the prevention and control of infectious respiratory diseases. However, low compliance with recommended preventive behaviors and the scarcity of tools to assess this construct in the same population has challenged managers and researchers. Given all the possible clinical, economic, and psychosocial implications, preventive measures at the population level, integrated into public health policies, can mean effective efforts and assertive decision-making. Objectives: To develop and test the preliminary validity of an instrument for the Brazilian population, capable of measuring, through barriers and facilitators, the level of adherence to recommended measures for the prevention and control of infectious respiratory diseases. Methods:  To contemplate our objectives, we carried out two studies. Study 1 included a systematic review (SR) that followed the Cochrane recommendations for the global qualitative synthesis of themes and the Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analysis (PRISMA). The themes emerging in the SR elicited the content for the initial generation of instrument items. In turn, the Health Beliefs Model (HBM) and the Capacity, Opportunity, and Motivation Model (COM-B) frameworks contributed to classifying the items in preliminary dimensions. Study 2 comprised the development of the questionnaire and initial validations of ADHERE. For the initial construction of the items, in addition to the SR results, in-depth interviews were conducted with representatives of the target population, following the recommendations of the PRO Good Research Practices Task Force Report (ISPOR 1). Next, a panel of experts tested the face and content validity of the questionnaire before conducting a quantitative pre-test with the target population in the Survey format. The quantitative pre-test followed the modified e-Delphi Method, as well as the recommendations of the COSMIN methodology for content validity and the PRO Good Research Practices Task Force Report (ISPOR 2). An Exploratory Factor Analysis (EFA) considering the varimax rotation model investigated the factor structure of the ADHERE questionnaire considering a coefficient of 0.45. In turn, we used Cronbach's Alpha Coefficient to assess the internal consistency of the data. Finally, the items retained in the factorial analysis were submitted to a qualitative pre-test with new representatives of the target population in the format of cognitive interviews (Debriefing). The planning and execution of the step followed the recommendations described in the PRO Good Research Practices Task Force Report: Part 2 - Assessing Respondent Understanding (ISPOR 2) Results: The systematic review included 71 studies and identified 37 findings of barriers and 23 of facilitators, classified into ten themes and dimensions of the frameworks used (COM-B and HBM). The results of the systematic review and in-depth interviews allowed us to build our initial item bank. In the theoretical construct validation (content and face), a panel of experts evaluated 68 preliminary items, following the modified e-Delphi method, during three rounds and anonymously. The judgment of the items used the Jotform® platform and considered clarity, objectivity, relevance, feasibility, and scope as criteria. After the panel of experts, 138 representatives of the target population evaluated the remaining 61 items via Jotform® in the survey format. Respondents rated clarity, relevance, and comprehensiveness dichotomously and anonymously. With a cut-off of relevance established as ≥ 70% of the evaluations, we eliminated eight items due to lack of direct or indirect relevance and four due to redundancy, totaling 49 items after the content validation step. Cronbach's alpha coefficient indicated high internal consistency for the scale with 34 items (α=0.94). Subsequently, the results of the Kaiser-Meyer-Olkin test (KMO=0.80) and Barlett's test of sphericity (χ²= 3488.09; p<0.001) indicated an adequate adjustment of the data, enabling the EFA. After this analysis, the version I of the ADHERE questionnaire had 34 items grouped into four factors, considering a coefficient of 0.45, which explained 42% of the total variance. The four factors (Factor one, two, three, and four) gathered ten, ten, nine, and five items, respectively. The identified factors were: self-perception of personal and environmental barriers (α=0.89), self-efficacy (α=0.87), health policies (α=0.86) and personal interactions (α=0.80). After this step, we included 16 participants in the qualitative pre-test, obtaining a higher proportion of people with a basic level of education. At the end of this analysis, the 34 items remained after adjustments and changes in the operationalization of scales. The item evaluation process at this stage allowed adjustments to the wording of 18 items and modifications to the 5-item scale format. Therefore, the questionnaire incorporated three contexts for the Likert Scale: practices, attitudes, and knowledge, and markers of frequency, agreement, and knowledge, respectively. Conclusions: From the complete validation of the ADHERE questionnaire, its use can generate reliable reports and help policymakers to plan, monitor, review, modify, and implement health education interventions centered on the individual and community. Given this, it is essential to develop new approaches to the ADHERE instrument, considering that a significant portion of our population is not literate, lives in remote regions, and does not have access to or has a limited understanding of the use of electronic resources. That said, continuous validation and updating of the questionnaire is also necessary to ensure its relevance over time.

7
  • EUJESSIKA KATIELLY RODRIGUES SILVA
  • Desenvolvimento, Validação e Aplicabilidade Clínica de uma Plataforma de Monitoramento Remoto para Análise da Variabilidade de Frequência Cardíaca

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
  • KEZIA DE VASCONCELOS OLIVEIRA DANTAS
  • SABRINA DE FIGUEIREDO SOUTO
  • Data: 30/06/2023

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A variabilidade da frequência cardíaca (VFC) tem sido objeto de estudo dentro do campo da gerontologia nos últimos anos, tendo em vista que, diversas pesquisas sugerem a relação íntima entre alterações de VFC, idade e risco cardiovascular. Estudos apontam a necessidade do acompanhamento dos indivíduos por períodos prolongados, destacando que a identificação de risco cardiovascular é dependente do tempo de mensuração. Entretanto, diversos estudos utilizam apenas registros e mensurações de curto prazo para análise da VFC devido as dificuldades encontradas em submeter o indivíduo ao uso de aparelhos por 24 horas, tais como eletrocardiograma e o Holter. Por outro lado, esses curtos registros, muitas vezes, são incapazes de identificar riscos e desfechos adversos à saúde. Nesse contexto, dispositivos vestíveis, no formato de relógios inteligentes (smartwatch), têm sido incorporados como uma ferramenta dentro da perspectiva do monitoramento remoto, contínuo e longitudinal, podendo ser empregados como uma nova forma de aquisição de dados para análise da VCF. Porém, por utilizarem sensores de fotopletismografia para obtenção do dado de frequência cardíaca (FC), a série temporal obtida pelo sensor pode apresentar falhas e dados faltantes são frequentemente observados, sendo necessário o desenvolvimento de modelos inteligentes para criação dos índices de VFC.

    OBJETIVOS: #Artigo 01: Apresentar as estratégias adotadas para o desenvolvimento de uma solução de software, intitulada Sênior Saúde Móvel (SSM), para análise da VFC, com base em um sensor de fotopletismografia embarcado em um smartwatch comercial. #Artigo 02: Validar o software Sênior Saúde Móvel para análise da VFC através de um estudo realizado com 231 participantes. Além disso, o artigo tem como objetivo apresentar a arquitetura e principais funcionalidades da Sênior Saúde Móvel. #Artigo 03: Estabelecer os valores de referência de VFC em idosos brasileiros comunitários por meio da solução desenvolvida através de um smartwatch.

    MÉTODOS: #Artigo 01: Buscando desenvolver uma solução de software para análise da VFC para smartwatch, foram empregados, principalmente, as seguintes técnicas: (1) interpolação para o preenchimento do dado faltante na série temporal; (2) modelagem do algoritmo de VFC, para gerar a aproximação do dado obtido pelos relógios inteligentes com o dado obtido pelo padrão ouro (Polar H10) por meio de diversos modelos inteligentes; (3) métodos para remoção de artefatos e inconsistências da série; (4) testes estatísticos para análise da diferença entre os valores de VFC obtidos pela solução criada na presente pesquisa e os valores obtidos pelo padrão ouro. #Artigo 02: O segundo artigo apresenta o processo de validação da solução de software desenvolvida no artigo 1. Para isso, foram recrutados 231 indivíduos acima de 60 anos e solicitado que fizessem o uso de um smartwatch no braço não dominante durante 24h. A série temporal extraída do smartwatch foi analisada por meio da solução de software (SSM) desenvolvida e apresentada no artigo 01 e, também, pelo software Kubios®. Foram comparados os valores obtidos por meio das duas ferramentas e através do teste Wilcoxon observou-se a existência ou não de diferenças estatisticamente significativas, entre os SSM e Kubios, para cada um dos índices de VFC, estabelecendo o nível de significância de α 0,05. Em seguida, foram construídos gráficos de Bland-Altman para cálculo dos limites de concordância entre os dois métodos (SSM e o Kubios®). Por fim, para avaliar as métricas de VFC resultantes da SSM e medir o quão longe os valores previstos estavam do valor de referência, ou seja, aqueles gerados pelo Kubios, calculamos o MSE, definido como a média do quadrado da diferença entre valores reais e estimados. #Artigo 03: Estudo com 220 idosos comunitários que utilizaram um smartwatch durante 24h. A série temporal foi extraída e aplicado o algoritmo de VFC desenvolvido na presente tese para proposição de valores de referência de VFC em indivíduos acima de 60 anos, divididos em faixas etárias, por meio de um smartwatch.

    RESULTADOS: #Artigo 01: Para o preenchimento dos dados faltantes da série temporal foram aplicadas diversas técnicas e foi possível observar que Piecewise Cubic Hermite Interpolating Polynomial (PCHIP) apresentou menor erro mensurado pelo Root Mean Square Error (RMSE) quando comparado as outras diversas técnicas empregadas. Para o processo de modelagem do algoritmo de VFC com o objetivo de gerar a aproximação dos dados obtidos pela Fitbit com o dado do padrão ouro (Polar H10) foram aplicados diversos modelos inteligentes. O modelo inteligente que apresentou o menor RMSE foi a rede neural do tipo Long Short-Term Memory (LSTM), mostrando uma boa capacidade de aprendizagem em longo prazo. Para a remoção dos artefatos e inconsistências da série temporal criada foi aplicado o método Kamath, uma vez que este método forneceu os resultados mais semelhantes aos do Kubios®. Cada etapa do fluxo de trabalho foi validade de forma individual. E, por fim, a avaliação do processo como todo foi realizada através do teste t de Student pareado para determinar se as observações pareadas (software desenvolvido e dado obtido pelo software Kubios®) são significativamente diferentes entre si. Como resultado, foi possível observar que não existe diferença estatisticamente significativa entre os índices de VFC gerados pela solução desenvolvida na pesquisa e pelos índices gerados pelo Kubios®. #Artigo 02: Os resultados do teste de Wilcoxon mostraram que não houve diferença estatisticamente significativa entre os dados obtidos pelo software SSM desenvolvido nessa pesquisa e pelo dado gerado pelo software Kubios® para todos os índices de VFC (SDNN: p = 0.08; RMSSD: p = 0.59; pNN50: p = 0.53). Os resultados gráficos do teste de Bland Altman, para os três índices de VFC, mostraram as médias das diferenças próximas de zero e os limites estreitos, resultando assim, que os dados avaliados pelos dois métodos são essencialmente equivalentes. Finalizando o processo de validação, aplicamos o MSE para avaliarmos as diferenças entre os valores previstos pelo algoritmo e os valores reais gerados pelo Kubios®. O MSE obtido foi de 0,256 para SDNN, 0,211 para RMSSD e 0,191 para pNN50. Um pequeno valor de MSE indica que nosso modelo se ajustou adequadamente aos dados do padrão ouro. Em suma, os resultados encontrados sugerem que não há diferença significativa entre a plataforma SSM em comparação com o Kubios®.

    #Artigo 3: Os valores de referência de média e desvio padrão observados para os homens foram: SDNN 127(15), RMSSD 24(7.7) e pNN50 4.1(3.5), enquanto que as mulheres foram observados os seguintes valores: SDNN 111(36.6), RMSSD 19(6.8) e pNN50 .4(2.9). Nesse artigo foram observadas diferenças estatisticamente significativas nos índices de VFC entre homens e mulheres, tendo os homens apresentado maiores índices de VFC quando comparados as mulheres. Com relação a alteração da VFC ao longo da idade, as mulheres apresentaram um aumento significativo dos índices parassimpáticos na faixa etária de 70 a 79 anos. Por meio das análises de correlação, foi possível observar uma forte correlação entre frequência cardíaca de repouso e todos os índices de VFC nos homens e nas mulheres. Quando observada a correlação entre frequência cardíaca média e os índices de VFC, somente as mulheres mantem correlações fortes. Com relação as variáveis de atividade física, uma correlação forte e positiva foi encontrada entre números de passos e o SDNN entre os homens e uma correlação moderada e positiva para as mulheres.

    CONCLUSÕES: Conclui-se que: #Artigo1: A solução de software desenvolvida para VFC, através das técnicas e métodos adotados, não apresentou diferenças estatisticamente significativas com o Polar H10, aqui adotado como padrão ouro e valor real a ser alcançado. Assim, os valores previstos pela nossa solução apresentaram um bom ajuste com os valores alvos. #Artigo 2: A plataforma SSM pode fornecer resultados confiáveis associados às métricas de VFC e, portanto, os profissionais de saúde podem incorporar esta plataforma durante o processo de monitoramento remoto de seus pacientes para o acompanhamento da VFC. #Artigo 3: Foi observado o aumento dos valores de VFC nos índices parassimpáticos principalmente entre as mulheres na faixa etária de 70 a 79 anos, indicando que, nesse período, entre o gênero feminino, existe um aumento da atividade vagal, mecanismo cardioprotetor contra desfechos cardiovasculares. Destacamos também a forte correlação encontrada entre FCR e VFC tanto nos homens como nas mulheres, porém, ao observar correlação entre FC média e VFC, a correlação torna-se fraca no grupo dos homens, entretanto, permanece forte no grupo das mulheres.


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: Heart Rate Variability (HRV) has been the subject of study within the field of gerontology in recent years, considering that several studies suggest an intimate relationship between changes in HRV, age, and cardiovascular risk. Studies indicate the need to monitor individuals for prolonged periods, highlighting that the identification of cardiovascular risk is dependent on the measurement time. However, several studies use only short-term records and measurements for HRV analysis due to the difficulties encountered in submitting the individual to the use of devices for 24 hours, such as electrocardiogram and Holter. On the other hand, these short records are often unable to identify risks and adverse health outcomes. In this context, wearable devices, such as smartwatches, have been incorporated as a tool within the perspective of remote, continuous, and longitudinal monitoring, and can be used as a new form of data acquisition for HRV analysis. However, as they use photoplethysmography sensors to obtain heart rate (HR) data, the time series obtained by the sensor may present failures, and missing data are often observed, requiring the development of intelligent models to create HRV indices.

    OBJECTIVES: #Paper 01: To present the strategies adopted for the development of a software solution, entitled Senior Mobile Health (SMH), for HRV analysis, based on a photoplethysmography sensor embedded in a commercial smartwatch. #Paper 02: To validate the Senior Mobile Health software for HRV analysis through a study with 231 participants. In addition, the paper aims to present the architecture and main functionalities of the Senior Mobile Health platform. #Paper 03: To establish HRV reference values in community-dwelling Brazilian elderly through a solution developed using a smartwatch.

    METHODS: #Paper 01: Seeking to develop a software solution for HRV analysis for a smartwatch, the following techniques were mainly used: (1) interpolation to fill in the missing data in the time series; (2) modeling of the HRV algorithm, to approximate the data obtained by smartwatches with the data obtained by the gold standard (Polar H10) through several smart models; (3) methods for removing artifacts and inconsistencies from the series; (4) statistical tests to analyze the difference between the HRV values obtained by the solution created in this research and the values obtained by the gold standard. #Paper 02: The second paper presents the validation process of the software solution developed in paper 01. For this, 231 individuals over 60 years of age were recruited and asked to use a smartwatch on their non-dominant arm for 24 hours. The time series extracted from the smartwatch was analyzed using the software solution (SMH0 developed and presented in paper 01 and using the Kubios® software. The values obtained through the two tools were compared and through the Wilcoxon test, it was observed the existence or not of statistically significant differences, between the SSM and Kubios, for each of the HRV indices, establishing the significance level of α 0,05. Then, Bland-Altman graphs were constructed to calculate the limits of agreement between the two methods (SSM and Kubios®). Finally, to evaluate the HRV metrics resulting from the SSM and measure how far the predicted values were from the reference value, that is, those generated by Kubios, we calculated the MSE, defined as the mean squared difference between actual values and the estimated values. #Paper 03: It has a study with 220 community-dwelling seniors who used a smartwatch for 24 hours. The time series was extracted and the HRV algorithm developed in this thesis was applied to propose HRV reference values in individuals over 60 years old, divided into age groups, using a smartwatch.

    RESULTS: #Paper 01: To fill in the missing data of the time series, several techniques were applied, and it was possible to observe that Piecewise Cubic Hermite Interpolating Polynomial (PCHIP) presented a lower error measured by the Root Mean Square Error (RMSE) when compared to the other selected techniques. For the process of modeling the HRV algorithm with the objective of generating the approximation of the data obtained by Fitbit with the data of the gold standard (Polar H10), several intelligent models were applied. The intelligent model that presented the lowest RMSE was the Long Short-Term Memory (LSTM) neural network, showing good long-term learning ability. To remove artifacts and inconsistencies from the created time series, the Kamath method was applied, since this method provided the results most similar to those of Kubios®. Each step of the workflow was validated individually. And, finally, the evaluation of the process was carried out using the paired Student's t-test to determine whether the paired observations (software developed and data obtained by the Kubios® software) are significantly different from each other. As a result, it was possible to observe that there is no statistically significant difference between the HRV indices generated by the solution developed in the research and the indices generated by Kubios®. #Paper 02: The results of the Wilcoxon test showed that there was no statistically significant difference between the data obtained by the SSM software developed in this research and the data generated by the Kubios® software for all HRV indices (SDNN: p = 0.08; RMSSD: p = 0.59; pNN50: p = 0.53). The graphic results of the Bland Altman test, for the three HRV indices, showed the means of the differences close to zero and the narrow limits, thus resulting that the data evaluated by the two methods are essentially equivalent. Finalizing the validation process, we applied the MSE to evaluate the differences between the values predicted by the algorithm and the real values generated by Kubios®. The obtained MSE was 0.256 for SDNN, 0.211 for RMSSD, and 0.191 for pNN50. A small MSE value indicates that our model adequately fits the gold standard data. In short, the results found suggest that there is no significant difference between the SMH platform compared to Kubios®.

    #Paper 03: The reference values of mean and standard deviation observed for men were: SDNN 127(15), RMSSD 24(7.7), and pNN50 4.1(3.5), while the following values were observed for women: SDNN 111(36.6), RMSSD 19(6.8) and pNN50.4(2.9). In this paper, statistically significant differences were observed in the HRV indices between men and women, with men presenting higher HRV indices when compared to women. Regarding the change in HRV over age, women showed a significant increase in parasympathetic indices in the age group of 70 to 79 years. Through correlation analyses, it was possible to observe a strong correlation between heart rate at rest and all HRV indices in men and women. When observing the correlation between mean heart rate and HRV indices, only women maintain strong correlations. Regarding the physical activity variables, a strong and positive correlation was found between the number of steps and the SDNN among men and a moderate and positive correlation for women.

    CONCLUSIONS: We conclude that: #Paper 01: The software solution developed for HRV, through the techniques and methods adopted, did not present statistically significant differences with the Polar H10, adopted here as the gold standard and real value to be achieved. Thus, the values predicted by our solution showed a good fit with the target values. #Paper 02: The SSM platform can provide reliable results associated with HRV metrics and therefore healthcare professionals can incorporate this platform during the remote monitoring process of their patients for HRV follow-up. #Paper 03: An increase in HRV values in parasympathetic indices was observed mainly among women aged 70 to 79 years, indicating that, in this period, among females, there is an increase in vagal activity, a cardioprotective mechanism against cardiovascular problems. We also highlight the strong correlation found between HRV and HRV in both men and women, however, when observing the correlation between average HR and HRV, the correlation becomes weak in the men's group, however, it remains strong in the women's group.

8
  • CANDICE SIMOES PIMENTA DE MEDEIROS
  • Análise de viabilidade do uso domiciliar do exergame VirtualTer para reabilitação do equilíbrio postural de idosos

     

  • Orientador : FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • BARTOLOMEU FAGUNDES DE LIMA FILHO
  • FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • RUMMENIGGE RUDSON DANTAS
  • TANIA FERNANDES CAMPOS
  • THAIANA BARBOSA FERREIRA PACHECO
  • Data: 25/08/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A utilização de exergames vem ganhando destaque na reabilitação por aumentar o nível de atividade física, impulsionando a saúde, a função física em idosos e como ferramenta de treino no ambiente domiciliar. O VirtualTer é um exergame de baixo custo, validado e testado no ambiente laboratorial e adaptado para o contexto domiciliar de idosos visando ampliar os níveis de atividade física e reduzir o risco de quedas nessa população. Nesse sentido, ressalta-se a importância de investigar a viabilidade e os efeitos do uso domiciliar do exergame VirtualTer em idosos. Objetivo: Essa tese tem como objetivo principal analisar a viabilidade do uso domiciliar do exergame VirtualTer para reabilitação do equilíbrio postural de idosos. Métodos: O estudo envolveu três modalidades integradas: 1) Elaboração de protocolo e revisão sistemática; 2) Estudo piloto com a aplicação do protótipo da versão domiciliar do VirtualTer em sessão única durante 15 minutos; 3) Análise de viabilidade dos efeitos do uso domiciliar do VirtualTer e avaliação qualitativa das barreiras e facilitadores durante a aplicação do jogo. O VirtualTer foi executado três vezes na semana durante duas semanas por 25 minutos. Os efeitos do jogo foram analisados com a avaliação sociodemográfica e os testes Short Physical Performance Battery (SPPB), International Physical Activity Questionnaire (IPAQ), Escala de Avaliação de Incapacidade WHODAS 2.0, Teste de Alcance Funcional (TAF), System Usability Scale (SUS) e Inventário de Motivação Intrínseca (IMI). Durante a intervenção, foi realizada uma análise observacional das barreiras e facilitadores por meio de um formulário diário, estruturado mediante os domínios da Classificação Internacional da Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Resultados: A modalidade 1 resultou em dois artigos: Artigo 1 – O protocolo da revisão sistemática definiu a metodologia a ser implementada na execução da revisão. Artigo 2 – Na revisão sistemática, após a triagem de 1107 registros, 4 estudos foram elegíveis. A usabilidade dos exergames foi classificada como aceitável e boa. O efeito combinado indicou melhorias no equilíbrio funcional no teste TUG (MD = -5,90; IC 95% = -10,29 a -1,51) e teste de Tinetti (MD = 4,80; IC 95% = 3,36 a 6,24), em favor do grupo exergames. Observou-se uma diferença significativa no grupo experimental para as modalidades imersivas (MD = -9,14; IC 95% = -15,51 a -2,77). A certeza da evidência foi classificada como baixa e muito baixa. A modalidade 2 resultou em um artigo: Artigo 3 – Cerca de 25 idosos com baixo desempenho físico, alto nível de inatividade física e funcionalidade prejudicada participaram do estudo piloto. Houve uma relação significativa entre a escala SUS e o gênero (P=0,04), estado civil (P=0,03) e escolaridade (P=0,01). Observou-se uma motivação de 87 pontos na IMI, uma usabilidade de 72,50 pontos na escala SUS com nível de satisfação de 80%. Foram identificados elementos técnicos passíveis de adaptação sendo incorporadas soluções funcionais para a marcha estacionária e ultrapassagem de obstáculos para consolidação final da versão domiciliar. A modalidade 3 resultou em dois artigos: Artigo 4 – A amostra foi composta por 15 idosos. Observou-se melhores pontuações nos testes após a intervenção. Foi encontrada uma correlação significativa entre os valores do pré e pós intervenção do TAF (p = 0,001), na velocidade no teste de caminhada do SPPB (p = 0,023) e na classificação do IPAQ (p = 0,020). Os idosos tiveram alta motivação intrínseca (92 pontos no IMI) após o treino, classificaram a usabilidade do jogo como excelente (score de 85 no SUS) e observou-se um nível de satisfação de 86,7%. Houve uma diferença significativa (p = 0,001) nas pontuações do jogo ao longo da intervenção. Artigo 5 – Observou-se incapacidade funcional leve no WHODAS sem diferenças significativas entre o pré e pós intervenção. Os elementos facilitadores foram a inovação, diversão, usabilidade, motivação e competitividade do jogo; os benefícios da atividade física, a estrutura e o aconchego do domicílio, as adaptações e o incentivo e suporte da família. As barreiras foram relacionadas com elementos tecnológicos do jogo (travamentos, inconsistências na captura do movimento e contagem desproporcional das energias nocivas do jogo), medo e insegurança de subir e descer do step, limitação da mobilidade, ruídos externos, atitudes de membros da casa, animais domésticos, telefonemas e visitas inesperadas. Conclusão: Os exergames aplicados em casa mostraram boa usabilidade e tiveram efeitos significativos no equilíbrio postural, principalmente as modalidades imersivas. O protótipo da versão domiciliar do VirtualTer obteve boa usabilidade e demarcou a necessidade de ajustes nos elementos técnicos para fomentaram uma maior especificidade e robustez na versão final do jogo. O exergame VirtualTer foi considerado como uma ferramenta viável, segura, apresentando excelente usabilidade e aceitação no ambiente domiciliar, gerou alta motivação nos idosos e melhores pontuações nos testes clínicos pós intervenção. As barreiras e facilitadores observadas durante a execução do jogo influenciaram a sua aplicação, reforçando a necessidade do VirtualTer domiciliar ser executado com supervisão e contribuem para o aperfeiçoamento dessa ferramenta tecnológica.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The use of exergames has been gaining prominence in rehabilitation to increase levels of physical activity, promoting health, improving physical function in older adults, and as a training tool in the home environment. VirtualTer is a low-cost exergame, validated and tested in a laboratory setting, and adapted for the home context of older adults, with the aim of enhancing levels of physical activity and reducing the risk of falls in this population. In this regard, it is important to investigate the feasibility and effects of using the VirtualTer exergame at home for older adults. Objectives: The main objective of this thesis is to analyze the feasibility of using the VirtualTer exergame at home for postural balance rehabilitation in older adults. Methods: The study involved three integrated modalities: 1) Elaboration of a protocol and systematic review; 2) Pilot study with the application of the prototype of VirtualTer home version in a single 15-minutes session; 3) Feasibility analysis of the effects of using VirtualTer at home and qualitative assessment of barriers and facilitators during the application of the game. VirtualTer was executed three times a week for two weeks, with each session lasting 25 minutes. The game effects were analyzed using sociodemographic assessment, Short Physical Performance Battery (SPPB), International Physical Activity Questionnaire (IPAQ), World Health Organization Disability Assessment Schedule 2.0 (WHODAS), Functional Reach Test (FRT), System Usability Scale (SUS) and Intrinsic Motivation Inventory (IMI). During the intervention, an observational analysis of barriers and facilitators was carried out using a daily form, structured according to the domains of the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF). Results: Modality 1 resulted in two articles: Article 1 – The systematic review protocol defined the methodology that guided the execution of the review. Article 2 – In the systematic review, after screening 1107 records, 4 trials were eligible. The usability of exergames was classified as acceptable and good. The pooled effect indicated improvements in functional balance in the TUG test (MD = -5.90; 95%CI = -10.29 to -1.51)  and Tinetti test (MD = 4.80; 95%CI = 3.36 to 6.24), in favor of the exergame group. A significant difference was observed in the experimental group for the immersive modalities (MD = -9.14; 95%CI = -15.51 to -2.77). The certainty of evidence was classified as low and very low. Modality 2 resulted in one article: Article 3 – Approximately 25 older adults with low physical performance, high level of physical inactivity, and impaired functionality participated in the pilot study. There was a significant relationship between the SUS scale and gender (P=0.04), marital status (P=0.03), and education level (P=0.01). A motivation score of 87 points was observed in the IMI, with a usability score of 72.50 points on the SUS scale and a satisfaction level of 80%. Technical elements subject to adaptation were identified, and functional solutions were incorporated for stationary gait and overtaking obstacles for the final consolidation of the home version. Modality 3 resulted in two articles: Article 4 – The sample consisted of 15 older adults. Better test scores were observed after the intervention. A significant correlation was found between pre- and post-intervention for FRT values (P = 0.001), walking speed on the SPPB (P = 0.023) and IPAQ score (P = 0.020). The older adults exhibited high intrinsic motivation (92 points on the IMI) after training, classified the usability of the game as excellent (score of 85 on the SUS), and a satisfaction level of 86.7% was observed. There was a significant difference (P = 0.001) in game scores across the intervention. Article 5 – Mild functional disability was observed in the WHODAS without significant differences between pre and post intervention. The facilitators elements were the innovation, fun, usability, motivation and competitiveness of the game; the benefits of physical activity, the structure and comfort of the home environment, adaptations, and the encouragement and support of family members. The barriers were related to technological elements of the game (locking, inconsistencies in motion capture, and disproportionate counting of harmful energies in the game), fear and insecurity of climbing up and down the step, limited mobility, external noise, attitudes of household members, domestic animals, unexpected phone calls and visits. Conclusion: Exergames applied at home showed good usability and had significant effects on postural balance, especially the immersive modalities. The prototype of the home version of VirtualTer achieved good usability and highlighted the need for adjustments in the technical elements to promote greater specificity and robustness in the final version of the game. The VirtualTer exergame was considered a feasible and safe tool, presenting excellent usability and acceptance in the home environment, generated high motivation in the older adults and improved better scores in post-intervention clinical tests. The barriers and facilitators observed during the game execution influenced its application, emphasizing the need for supervised use of home-based VirtualTer and contributing to the improvement of this technological tool.

9
  • JACKSON CLAUDIO COSTA DE LIMA
  • CONFIABILIDADE DOS TESTES DE PRESSÃO RESPIRATÓRIA NASAL EM ADULTOS JOVENS SAUDÁVEIS

  • Orientador : GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA ALINE MARCELINO DA SILVA
  • GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • JESSICA DANIELLE MEDEIROS DA FONSECA
  • MATIAS OTTO-YANES
  • PALOMMA RUSSELLY SALDANHA DE ARAÚJO OLIVEIRA
  • Data: 31/08/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: os testes de pressão inspiratória nasal (SNIP) e pressão expiratória nasal (SNEP) são métodos importantes usados para avaliar a força de músculos inspiratórios e expiratórios em diferentes populações. A reabilitação de precisão exige que os testes utilizados nas avaliações das pressões respiratórias sejam confiáveis e reprodutíveis. Métodos de baixa confiabilidade e reprodutibilidade não podem ser apresentados como alternativa de avaliação. A confiabilidade e reprodutibilidade do SNIP e SNEP em adultos ainda são desconhecidas. Objetivo: estabelecer a confiabilidade dos testes SNIP e SNEP em adultos jovens saudáveis e discorrer sobre a quantidade necessária de manobras de cada teste para obter dados reprodutíveis. Métodos: foi realizado um estudo observacional analítico de corte transversal com indivíduos saudáveis, de ambos os sexos, entre 18 e 29 anos de idade. O protocolo utilizado consistiu de duas sequências de avaliações, conforme randomização simples dos testes. Sequência 1 - (PImax + SNIP 1-20 ) e (PEmax + SNEP 1-20 ). Sequência 2 - (PEmax + SNEP 1-20 ) e (PImax + SNIP 1-20 ). Cada voluntário realizou 20 testes SNIP e SNEP com intervalo de 30 segundos entre as manobras. A confiabilidade foi medida através do coeficiente de correlação intraclasse (CCI), erro padrão de mensuração (EPM) e a mínima mudança detectável (MMD) entre a medida mais alta e a primeira manobra reprodutível. Resultados: foram recrutados 49 participantes, dos quais 17 foram excluídos. A amostra deste estudo foi composta por 32 sujeitos, idade mediana de 23 anos, com distribuição paritária de homens e mulheres. O CCI SNIP em ambos os sexos foi 0,992. Os homens apresentaram EPM 2,074 e MMD 5,747. As mulheres apresentaram EPM 1,152 e MMD 3,193. Considerando a amostra total, o CCI foi 0,994 com EPM 1,820 e MMD 5,043. O CCI SNEP foi 0,877 em homens (EPM 7,660 e MMD 21,231) e 0,957 nas mulheres (EPM 6,115 e MMD 16, 950). Considerando a amostra, o CCI foi 0,950 com EPM 6,031 e MMD 16,716. Além disso, 60% dos SNIP mais altos ocorreram entre a 11ª e a 20ª manobras em homens e mulheres. Nos homens, 55% dos maiores SNEP ocorreram entre a 11ª e a 20ª manobras; esse valor foi de 50% nas mulheres. Conclusão: SNIP apresentou confiabilidade excelente em ambos os sexos. SNEP apresentou confiabilidade boa nos homens e excelente nas mulheres. Os resultados mostram que SNIP e SNEP são confiáveis e reprodutíveis e podem ser aplicados em diferentes populações.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: nasal inspiratory pressure (SNIP) and nasal expiratory pressure (SNEP) tests are important methods used to assess inspiratory and expiratory muscle strength in different populations. Precision rehabilitation requires that the tests used to assess respiratory pressures are reliable and reproducible. Low reliability and reproducibility methods cannot be presented as an evaluation alternative. The reliability and reproducibility of SNIP and SNEP in adults are still unknown. Objective: to establish the reliability of the SNIP and SNEP tests in healthy young adults and discuss the necessary number of maneuvers for each test to obtain reproducible data. Methods: an observational analytical cross-sectional study was carried out with healthy individuals, of both sexes, between 18 and 29 years of age. The protocol used consisted of two evaluation sequences, according to the simple randomization of the tests. Sequence 1 - (PImax + SNIP 1-20 ) and (MEP + SNEP 1-20 ). Sequence 2 - (PEmax + SNEP 1-20 ) and (PImax + SNIP 1-20 ). Each volunteer performed 20 SNIP and SNEP tests with a 30-second interval between maneuvers. Reliability was measured using the intraclass correlation coefficient (ICC), standard error of measurement (SEM) and the minimum detectable change (MDC) between the highest measurement and the first reproducible maneuver. Results: 49 participants were recruited, of which 17 were excluded. The sample of this study consisted of 32 subjects, median age of 23 years, with equal distribution of men and women. The ICC SNIP in both sexes was 0.992. Men had SEM 2.074 and MDC 5.747. Women had SEM 1.152 and MDC 3.193. Considering the total sample, the ICC was 0.994 with SEM 1.820 and MDC 5.043. The ICC SNEP was 0.877 in men (SEM 7.660 and MDC 21.231) and 0.957 in women (SEM 6.115 and MDC 16.950). Considering the sample, the CCI was 0.950 with SEM 6.031 and MDC 16.716. Also, 60% of the highest SNIPs occurred among the 11th and 20th maneuvers in men and women. In men, 55% of the highest SNEPs occurred among the 11th and 20th maneuvers; this value was 50% in women. Conclusion: SNIP showed excellent reliability in both sexes. SNEP presented good reliability in men and excellent in women. The results show that SNIP and SNEP are reliable and reproducible and can be applied in different populations.

10
  • SABRINNE SUELEN SANTOS SAMPAIO
  • Intervenção “tummy time” no desenvolvimento motor e cognitivo de recém - nascidos prematuros – ensaio clínico randomizado.

     

  • Orientador : SILVANA ALVES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CAROLINA DANIEL DE LIMA ALVAREZ
  • CIBELLE KAYENNE MARTINS ROBERTO FORMIGA
  • Daniele de Almeida Soares- Marangoni
  • GENTIL GOMES DA FONSECA FILHO
  • SILVANA ALVES PEREIRA
  • Data: 30/11/2023

  • Mostrar Resumo
  • Diferentes intervenções têm sido desenvolvidas na esperança de organizar os desfechos neurológicos de recém-nascido prematuro (RNPT), entretanto, oferecer um cuidado organizado precoce e considerar a participação dos pais parece uma importante alternativa neste processo. Pensando nisso, o Tummy Time (TT) pode oferecer os estímulos necessários para minimizar as sequelas do desenvolvimento motor e cognitivo, além disso, favorece que os bebês residentes em países em desenvolvimento tenham a oportunidade de estímulos mesmo diante das dificuldades de acesso aos centros de reabilitação. O objetivo deste estudo foi avaliar se a experiência diária do TT, adicionada aos cuidados habituais, melhoraria o desenvolvimento motor e cognitivo em prematuros de países em desenvolvimento. Tratou-se de um ensaio clínico randomizado, controlado e duplo-cego, constituído por 31 RNPT com idade gestacional média ao nascimento 33,3+/-1,6 semanas, com peso inferior a 2500g, os quais foram acompanhados após a alta hospitalar até os 4 meses de idade corrigida no ambulatório de Follow up. Foram incluídos 16 bebês no grupo TT, onde os pais foram convidados e orientados, através de uma cartilha ilustrativa, a praticar o TT durante pelo menos 30 minutos, durante as suas atividades de rotina e brincadeiras, e 15 bebês no grupo cuidados habituais (CH) o qual envolveu as mães como principais fornecedores das necessidades biológicas dos seus recém-nascidos e que seguiam os cuidados rotineiramente orientados nas consultas ambulatoriais. Os resultados motores e cognitivos foram avaliados utilizando as escalas motora e cognitiva da Bayley-III, aos 2 e 4 meses de idade corrigida. A elevação da cabeça foi medida utilizando o ângulo entre o trago da orelha e a superfície de apoio do bebê na baseline, 2, 3 e 4 meses de idade corrigida, utilizando o software Kinovea®. As análises dos resultados foram realizadas por um examinador cego a alocação dos grupos. O escore motor composto da Bayley foi mais elevado no grupo TT do que no grupo CH aos 2 meses (TT 117,85+/-9,67, CH 85,91+/-13,81, p=<0,001) e 4 meses (TT 126,62+/-16,15, CH 87,80+/-18,54, p=0.003) de idade corrigida. A escala composta cognitiva também foi mais elevada no grupo TT que no grupo CH apenas aos 2 (TT 98,57 +/-7,44, UC 83,33+/-13,37, p=<0,001) e 4 (TT 105,00+/-14,88, UC 81,00+/-24,24, p=<0,001) meses de idade corrigida. Houve um aumento do ângulo de elevação da cabeça com o tempo, mas não diferiu as médias entre os grupos (p=0,66). Embora a elevação da cabeça tenha sido semelhante em ambos os grupos, a prática do TT expandiu a perspectiva dos bebês para explorar o seu próprio corpo e ambiente, favorecendo os estímulos para padrões motores e cognitivos adequados para a idade. Uma das limitações do estudo foi o fato de que 31% dos participantes perderam o seguimento na segunda avaliação. Isto demonstra o desafio de fornecer e continuar programas de intervenção precoce para RNPT em contextos de baixos rendimentos. Assim, a prática TT em bebês prematuros pode melhorar as funções motoras e cognitivas, como uma abordagem doméstica imediatamente após a alta.


  • Mostrar Abstract
  • Different interventions have been developed in the hope of organizing the neurological outcomes of premature newborns (RNPT). However, offering early organized care and considering parental involvement seems to be an important alternative in this process. With this in mind, Tummy Time (TT) can provide the necessary stimuli to minimize the sequelae of motor and cognitive development. Additionally, it allows babies in developing countries the opportunity for stimuli even in the face of difficulties accessing rehabilitation centers. The objective of this study was to assess whether daily TT experience, added to routine care, would improve motor and cognitive development in premature infants from developing countries. This was a randomized, controlled, double-blind clinical trial involving 31 RNPT with an average gestational age at birth of 33.3+/-1.6 weeks and a weight of less than 2500g. They were followed after hospital discharge until 4 months of corrected age in the Follow-up outpatient clinic. Sixteen babies were included in the TT group, where parents were invited and guided, through an illustrative booklet, to practice TT for at least 30 minutes during their routine activities and playtime. Fifteen babies were in the usual care (UC) group, in which mothers were the main providers of their newborns' biological needs and followed routine care as instructed in outpatient consultations. Motor and cognitive results were evaluated using the Bayley-III motor and cognitive scales at 2 and 4 months of corrected age. Head elevation was measured using the angle between the ear tragus and the baby's support surface at baseline, 2, 3, and 4 months of corrected age, using the Kinovea® software. Result analyses were performed by an examiner blinded to group allocation. The composite motor score of the Bayley was higher in the TT group than in the UC group at 2 months (TT 117.85+/-9.67, UC 85.91+/-13.81, p=<0.001) and 4 months (TT 126.62+/-16.15, UC 87.80+/-18.54, p=0.003) of corrected age. The composite cognitive scale was also higher in the TT group than in the UC group only at 2 (TT 98.57+/-7.44, UC 83.33+/-13.37, p=<0.001) and 4 (TT 105.00+/-14.88, UC 81.00+/-24.24, p=<0.001) months of corrected age. There was an increase in the head elevation angle over time, but the means did not differ between groups (p=0.66). Although head elevation was similar in both groups, TT practice expanded babies' perspective to explore their own body and environment, favoring stimuli for motor and cognitive patterns appropriate for their age. One limitation of the study was that 31% of participants were lost to follow-up in the second assessment. This demonstrates the challenge of providing and sustaining early intervention programs for RNPT in low-income contexts. Thus, TT practice in premature babies can improve motor and cognitive functions as a home-based approach immediately after discharge. 

11
  • DENISE DAL AVA AUGUSTO
  • Exercícios terapêuticos na tendinopatia do manguito rotador: prática clínica de
    fisioterapeutas brasileiros e efeitos do exercício isométrico em indivíduos afetados.

  • Orientador : CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • JOSE DIEGO SALES DO NASCIMENTO
  • MARCELO CARDOSO DE SOUZA
  • MICHELE FORGIARINI SACCOL
  • SANDRA CRISTINA DE ANDRADE
  • Data: 21/12/2023

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O exercício terapêutico tem sido a intervenção primária no manejo das
    repercussões clínicas e funcionais no tratamento de indivíduos com tendinopatia do
    manguito rotador (MR). Os exercícios resistidos, excêntricos e concêntricos, têm se
    mostrado eficazes para a melhora da função geral do ombro, e poucos estudos têm
    sido desenvolvidos avaliando os efeitos do exercício isométrico na dor, função e
    controle neuromuscular em indivíduos com tendinopatia do MR. Além disso, ainda
    não se sabe se e como os fisioterapeutas brasileiros estão utilizando exercícios
    resistidos para a reabilitação de pacientes com tendinopatia do MR. Assim, essa
    Tese de Doutorado foi composta por dois estudos. Objetivos: Estudo I= Investigar
    os efeitos de um protocolo de exercícios isométricos para os músculos do MR
    associado a exercícios de alongamento e fortalecimento de músculos escapulares
    sobre a dor e função do ombro, força e atividade eletromiográfica (EMG) dos
    músculos do MR e ombro em indivíduos com tendinopatia de MR. Estudo II=
    Investigar o uso dos exercícios terapêuticos por fisioterapeutas brasileiros no
    manejo da tendinopatia de MR.
    Métodos: Estudo I= Caracterizou-se por uma série de casos de onze indivíduos (8
    mulheres e 3 homens, 37,9±5,6 anos) com tendinopatia do MR, que realizaram
    exercícios isométricos do MR em combinação com alongamento e fortalecimento
    da musculatura escapular durante 6 semanas. Os efeitos do tratamento foram
    avaliados com base na dor e função do ombro autorrelatados pelo paciente, força
    muscular isométrica, atividade eletromiográfica (EMG) durante a elevação do braço
    e rotação interna e externa do ombro e dor durante a elevação do braço antes e no
    final da primeira sessão e após 6 semanas de intervenção. Estudo II= Foi realizada
    uma pesquisa online com fisioterapeutas brasileiros. A pesquisa incluiu uma
    combinação de 62 perguntas abertas e fechadas, divididas em três seções: dados
    demográficos dos participantes, experiência profissional e prática clínica na
    reabilitação de pacientes com tendinopatia MR.
    Resultados: Estudo I = Após seis semanas de intervenção, houve redução da dor
    em repouso de 1,72 pontos (IC=-2.99 -0.44, d=1.20), durante atividades normais
    de 3,80 pontos (IC=-5.72 -1.88, d=1.76) e durante atividades estenuantes de 3,10
    pontos (IC=-5.02 -1.18, d=1.44), avaliadas pelo Penn Shoulder Score. Houve
    melhora da função do ombro medida pelo Penn Shoulder Score (MD=15.7,IC=-27.3 -4.1, d=1.29) e pelo Western Ontario Rotator Cuff (MD=410.9, IC=-76.0 - 58.8, d=0.46), após 6 semanas de intervenção. Houve aumento da força muscularisométrica para elevação do braço (MD=3.24BW%, IC=0.17 6.31, d=0.45) erotação interna (MD=3.98BW%, IC=0.31 7.65, d=0.49), aumento da atividade muscular do infraespinhal (MD=8.6%, IC=1.30 15.90, d=0.51) e serrátil anterior (MD=12.1%, IC=4.34 17.86, d=0.60) e ainda redução da dor durante a elevação do braço (MD=1.99, IC=-3.64 -0.33, d=0.33). Não houve nenhuma alteração após aprimeira sessão de intervenção. Estudo II = Participaram da pesquisa 159 fisioterapeutas, onde 76% relataram ter especial interesse na reabilitação do ombro. A maioria dos fisioterapeutas recomendou exercícios isométricos (69,9%) na fase inicial da reabilitação e exercícios excêntricos (47,4%) na fase avançada. Porém, houve grande variabilidade na determinação do volume dos exercícios, principalmente nos exercícios isométricos. Na determinação e progressão da carga de exercício, a maioria dos fisioterapeutas considerou a dor e o conforto dopaciente, independentemente do tipo de exercício, e relatou que não interromperia os exercícios em caso de dor durante as fases inicial e tardia da reabilitação, apesar da dor ser considerada o principal efeito adverso do exercício e um critério para alta. A maioria (48,4%) recomendou reavaliar e modificar os exercícios semanalmente. Além dos exercícios resistidos, os fisioterapeutas também recomendaram outros exercícios e técnicas tanto na fase inicial quanto na fase avançada da reabilitação.

    Conclusões: A série casos mostrou que um protocolo de exercícios isométricos de
    MR em combinação com alongamento e fortalecimento da musculatura escapular
    pode melhorar a dor e a força isométrica do ombro, bem como a função e a
    atividade elétrica dos músculos infraespinhal e serrátil anterior após um período de
    6 semanas de intervenção. Nossa pesquisa online mostrou que a maioria dos
    fisioterapeutas brasileiros incorpora exercícios de fortalecimento de MR em seus
    programas de reabilitação, e apesar da falta de consenso sobre alguns aspectos,
    nossos achados indicam que a prática clínica dos fisioterapeutas brasileiros está
    em consonância com a literatura e a prática atuais em outros países.


  • Mostrar Abstract
  • Background: Therapeutic exercise has been the primary intervention in managing
    clinical and functional repercussions for individuals with rotator cuff tendinopathy
    (RCT). Resisted exercises, both eccentric and concentric, have proven effective in
    improving overall shoulder function. However, few studies have been conducted to
    evaluate the effects of isometric exercise on pain, function, and neuromuscular
    control in individuals with RCT. Additionally, there remains uncertainty about the
    extent to which Brazilian physiotherapists are employing resisted exercises in
    rehabilitating patients with RCT. Consequently, this doctoral thesis consists of two
    studies. Objectives: Study I - To investigate the effects of an isometric exercise
    protocol for the muscles of the rotator cuff, combined with stretching and
    strengthening exercises for scapular muscles, on shoulder pain and function,
    muscle strength, and electromyographic (EMG) activity of the rotator cuff and
    shoulder muscles in individuals with RCT. Study II - To investigate the utilization of
    therapeutic exercises by Brazilian physiotherapists in managing RCT. Methods:
    Study I: Characterized by a case series of eleven individuals (8 women and 3 men,
    aged 37.9 ± 5.6 years) diagnosed with RCT, who underwent isometric MR
    exercises combined with stretching and strengthening of the scapular muscles over
    a period of 6 weeks. Treatment effects were assessed based on patient-reported
    shoulder pain and function, isometric muscle strength, EMG activity during arm
    elevation and shoulder internal and external rotation, as well as pain during arm
    elevation before and at the end of the first session and after 6 weeks of intervention.
    Study II: An online survey with Brazilian physiotherapists. The survey comprised a
    combination of 62 open and closed-ended questions, divided into three sections:
    participants' demographic data, professional experience, and clinical practice in the
    rehabilitation of patients with RCT. Results: Study I: Following six weeks of
    intervention, there was a reduction in resting pain by 1.72 points (CI = -2.99 -0.44,
    d = 1.20), during normal activities by 3.80 points (CI = -5.72 -1.88, d = 1.76), and
    during strenuous activities by 3.10 points (CI = -5.02 -1.18, d = 1.44), assessed by

    the Penn Shoulder Score. Improvement in shoulder function was observed as
    measured by the Penn Shoulder Score (MD = 15.7, CI = -27.3 -4.1, d = 1.29) and
    the Western Ontario Rotator Cuff Index (MD = 410.9, CI = -76.0 -58.8, d = 0.46)
    after 6 weeks of intervention. There was an increase in isometric muscle strength
    for arm elevation (MD = 3.24BW%, CI = 0.17 6.31, d = 0.45) and internal rotation
    (MD = 3.98BW%, CI = 0.31 7.65, d = 0.49), increased muscle activity of the
    infraspinatus (MD = 8.6%, CI = 1.30 15.90, d = 0.51) and serratus anterior (MD =
    12.1%, CI = 4.34 17.86, d = 0.60), along with a reduction in pain during arm
    elevation (MD = 1.99, CI = -3.64 -0.33, d = 0.33). No changes were noted after the
    first intervention session. Study II: A total of 159 physiotherapists participated in the
    survey, with 76% reporting a specific interest in shoulder rehabilitation. The majority
    of physiotherapists advocated for isometric exercises (69.9%) in the initial
    rehabilitation phase and eccentric exercises (47.4%) in the advanced phase.
    However, substantial variability was observed in determining exercise volume,
    particularly concerning isometric exercises. In establishing and progressing
    exercise loads, most physiotherapists took into account patient pain and comfort,
    irrespective of exercise type, and reported that they would not cease exercises in
    case of pain during the early and late rehabilitation phases, despite pain being
    considered the primary adverse effect of exercise and a discharge criterion. A
    majority (48.4%) recommended weekly reassessment and modification of
    exercises. In addition to resistance exercises, physiotherapists also advocated for
    various other exercises and techniques in both the initial and advanced stages of
    rehabilitation. Conclusions: The case series demonstrated that a protocol involving
    isometric MR exercises combined with stretching and strengthening of the scapular
    musculature may improve shoulder pain, isometric strength, as well as function and
    electromyographic activity of the infraspinatus and serratus anterior muscles after a
    6-week intervention period. Our online survey revealed that the majority of Brazilian
    physiotherapists incorporate MR strengthening exercises into their rehabilitation
    programs. Despite some consensus gaps, our findings suggest that the clinical
    practice of Brazilian physiotherapists is in line with current literature and practices
    observed in other countries.

2022
Dissertações
1
  • MARIA DAS GRAÇAS DE ARAÚJO LIRA
  • VERSÃO BRASILEIRA DA VESTIBULAR ACTIVITIES AND PARTICIPATION MEASURE: ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL, VALIDADE, CONSISTÊNCIA INTERNA, CONFIABILIDADE E MEDIDA DE ERRO

     


  • Orientador : KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • KAROLINNE SOUZA MONTEIRO
  • THAIS CRISTINA CHAVES
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a Vestibular Activities and Participation measure (VAP) é um instrumento que mensura o efeito das desordens vestibulares sobre a atividade e participação dos indivíduos baseado da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Dos 34 itens da versão original, duas subescalas independentes foram desenvolvidas. Objetivo: realizar a adaptação transcultural das subescalas VAP e avaliar suas propriedades de medida (validade, consistência interna, confiabilidade e medida de erro). Métodos: trata-se de um estudo metodológico, em que a adaptação transcultural seguiu as etapas de tradução, síntese, retrotradução, revisão por uma comissão de especialistas e pré-teste. A validade estrutural foi avaliada utilizando análises fatoriais exploratória (AFE) e confirmatória (AFC), enquanto o teste de hipóteses foi analisado correlacionando as subescalas VAP com o Dizziness Handicap Inventory (DHI). O alfa de Cronbach foi utilizado para mensurar a consistência interna. Para análise das confiabilidades intra- e interavaliador foi utilizado o Coeficiente de Correlação Intraclasse (CCI) e a medida de erro foi avaliada pelos Erro Padrão de Medida (EPM) e Mínima Mudança Detectável (MMD). Resultados: as subescalas VAP-BR receberam algumas informações adicionais, a fim de melhorar a compreensão dos voluntários no pré-teste. Um fator foi encontrado para cada subescala com 50% de variância explicada. Na AFC, as subescalas 1 e 2 apresentaram, respectivamente, índices de ajuste do modelo adequados (X2/df:1,08 e 1; CFI: 0,99 para ambas; GFI: 0,97 e 0,98; RMESA: 0,03 e 0,08; SRMR: 0,04 e 0,01). Os valores alfa de Chronbach encontrados foram 0,80 para a subescala 1 e 0,82 para a subescala 2. As subescalas 1 e 2 apresentaram os respectivos valores de CCI = 0,87 e 0,90; EPM = 1,01 e 1,16; MMD = 2,79 e 3,22 na avaliação intra-avaliador. Já entre avaliadores diferentes, ambas as subescalas apresentaram CCI igual a 0,92; e para as subescalas 1e 2, respectivamente, foram encontrados valores EPM = 1,03 e 1,53; MMD = 2,85 e 4,23. As correlações entre o DHI e as subescalas VAP revelaram coeficientes acima de 0,57. Conclusão: a versão brasileira das subescalas Vestibular Activities and Participation measure apresenta propriedades de medida adequadas. Dessa forma, as subescalas VAP-BR tornam-se relevantes para a população brasileira com desordens vestibulares a fim de identificar suas limitações de atividade e restrição de participação.

     


  • Mostrar Abstract
  • Background: Vestibular Activities and Participation measure (VAP) is an instrument that measures the effect of vestibular disorders on activity and participation using items from the International Classification of Functioning, Disability and Health. Two independent subscales were developed from 34-item original version. Objective: to perform cross-cultural adaptation of the VAP subscales and to evaluate their measurement properties (validity, internal consistency, reliability and measurement error). Methods: this is a methodological study, in which the cross-cultural adaptation followed the steps of translation, synthesis, back-translation, review by a committee of experts and pre-test. Structural validity was assessed using exploratory (EFA) and confirmatory (CFA) factor analysis, while hypothesis testing was analyzed by correlating the VAP subscales with Dizziness Handicap Inventory (DHI). Cronbach's alpha was used to measure internal consistency. Intraclass Correlation Coefficient (ICC) was used for assessing intra- and interrater reliability and measurement error was calculated by Standard Error of Measurement (SEM) and Smallest Detectable Change (SDC). Results: VAP-BR subscales received some additional information in order to improve the understanding of the volunteers in pre-test. One factor was found in EFA for each subscale with 50% explained variance. In CFA, subscales 1 and 2 presented, respectively, adequate model fit indices (X2/df: 1.08 and 1; CFI: 0.99 for both; GFI: 0.97 and 0.98; RMESA: 0.03 and 0.08; SRMR: 0.04 and 0.01). Chronbach's alpha values found were 0.80 for subscale 1 and 0.82 for subscale 2. Subscales 1 and 2 presented respective ICC = 0.87 and 0.90; SEM = 1.01 and 1.16; and SDC = 2.79 and 3.22 for intra-rater assessment. When assessed by two different raters, both subscales showed ICC = 0.92, while values to SEM = 1.03 and 1.53; and SDC = 2.85 and 4.23 were found in subscales 1 and 2, respectively. Correlations between DHI and VAP subscales revealed coefficients above 0.57. Conclusion: Brazilian version of Vestibular Activities and Participation subscales have adequate measurement properties. Thus, VAP-BR subscales become relevant for Brazilian population with vestibular disorders in order to identify their activity limitations and participation restrictions.

2
  • JÉSSICA JEANNY DE OLIVEIRA CAVALCANTE
  • CUIDANDO DO PACIENTE COM DOENÇA DE ALZHEIMER:

    O IMPACTO SUBJETIVO DA DOENÇA NO CUIDADOR PRIMÁRIO NO CONTEXTO DA PANDEMIA PELO COVID-19

  • Orientador : JULIANA MARIA GAZZOLA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JULIANA MARIA GAZZOLA
  • DANIELE SIRINEU PEREIRA
  • NAIRA DE FÁTIMA DUTRA LEMOS
  • Data: 24/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Com o envelhecimento populacional, aumenta-se a prevalência de doenças que levam ao prejuízo funcional do idoso gerando a necessidade de um cuidador, papel exercido normalmente por um familiar, ou seja, informal. Dentre as doenças que podem levar, inclusive, à incapacidade funcional temos as demências, sendo a mais comum a provável Doença de Alzheimer (DA). O HCoV é responsável por causar a doença COVID-19, sendo caracterizada pela OMS, em março de 2020, como uma pandemia. Assim, medidas de isolamento social foram tomadas, dificultando ainda mais esses cuidados com o idoso com DA. Objetivo: Verificar relação entre o escore total da Caregiver Burden Scale (CBS) e cada uma das suas dimensões e as 1) características dos cuidadores, 2) dos cuidados prestados e 3) das características do idoso com DA no contexto da pandemia pelo COVID-19. Método: Foi realizado um estudo analítico de corte transversal com 40 cuidadores primários de idosos com provável DA atendidos no Centro Especializado de Atenção à Saúde do Idoso (CEASI), na cidade do Natal/RN, Brasil, no período de março de 2020 a março de 2021. Para medir o impacto subjetivo da doença no cuidador primário foi aplicada a CAREGIVER BURDEN SCALE (CBS), instrumento composto por 22 questões, agrupadas em cinco dimensões (Tensão Geral, Isolamento, Decepção, Envolvimento Emocional e Ambiente), sendo maior o impacto subjetivo quanto maior os escores. Foram realizadas análises descritivas simples e inferencionais, por meio dos testes T de Student e ANOVA, seguido do teste de Tukey e o Coeficiente de Correlação de Pearson (r), α=0,05. Resultados: A maioria dos cuidadores foi o sexo feminino (95,0%), com média etária de 52,85 anos e desvio-padrão (DP) de 11,23. A amostra dos pacientes apresentou uma maioria feminina (85,0%), com média etária de 83,60 anos e DP de 7,63. Em relação às características do cuidador, houve correlação negativa significante apenas entre a dimensão Ambiente e a idade (p=0,010; -ρ = 0,405). Houve relações significantes entre a dimensão Envolvimento Emocional e as variáveis relacionadas ao cuidador: estado civil (p=0,008), trabalha ou estuda fora (p=0,042), realiza as tarefas como o auxílio na higiene (p=0,044) e no vestuário (p=0,036); e entre a dimensão Ambiente e o tempo de dedicação ao idoso (p=0,009). Em relação às características do paciente, houve correlação negativa significante entre a dimensão Envolvimento Emocional e a idade (p=0,018; ρ= -0,372) e o número de atividades comprometidas (p=0,023; ρ= -0,0360). Houve relação significante entre a dimensão Isolamento e o estado civil do paciente (p=0,006). Conclusões: No contexto da Pandemia por COVID-19, o impacto subjetivo no cuidador de idosos com provável DA foi considerado relevante. A dimensão mais afetada da CBS foi o Envolvimento Emocional. Os cuidadores mais jovens, que não auxiliam na higiene e no vestuário, com menor tempo de dedicação, que trabalha ou estuda fora e solteiro/divorciado apresentaram maiores escores nas dimensões da CBS. Estes também são maiores quando os pacientes são casados/união estável, e quanto mais jovem o paciente e quanto menor o número de atividades comprometidas do mesmo. Tal conhecimento permite direcionar as orientações interdisciplinares e estratégias no cuidado e terapêuticas, afim de minimizar as dificuldades e a qualidade de vida de todos os envolvidos.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: With the population aging, the prevalence of diseases that lead to functional impairment of the elderly increases, generating the need for a caregiver, a role normally performed by a family member, that is, informal. Among the diseases that can even lead to functional disability, we have dementias, the most common being Alzheimer's Disease (AD). The HCoV is responsible for causing the disease COVID-19, being characterized by the WHO, in March 2020, as a pandemic. Thus, social isolation measures were taken, making this care for the elderly with AD even more difficult. Objective: To verify the relationship between the total score of the Caregiver Burden Scale (CBS) and each of its dimensions and the 1) characteristics of caregivers, 2) of the care provided and 3) of the characteristics of the elderly with AD in the context of the COVID-19 pandemic. Method: An analytical cross-sectional study was carried out with 40 primary caregivers of elderly people with probable AD treated at the Centro Especializado de Atenção à Saúde do Idoso (CEASI), in the city of Natal/RN, Brazil, from March 2020 to March 2021. To measure the subjective impact of the disease on the primary caregiver, the CAREGIVER BURDEN SCALE (CBS) was applied, an instrument composed of 22 questions, grouped into five dimensions (General Tension, Isolation, Disappointment, Emotional Involvement, and Environment), with the highest subjective impact the higher the scores. Simple descriptive and inferential analyzes were performed using Student's T-tests and ANOVA, followed by Tukey's test and Pearson's Correlation Coefficient (r), α=0.05. Results: Most caregivers were female (95.0%), with a mean age of 52.85 years and a standard deviation (SD) of 11.23. The sample of patients had a female majority (85.0%), with a mean age of 83.60 years and SD of 7.63. Regarding caregiver characteristics, there was a significant negative correlation only between the Environment dimension and age (p=0.010; -ρ = 0.405). There were significant relationships between the Emotional Involvement dimension and the variables related to the caregiver: marital status (p=0.008), work or study abroad (p=0.042), perform tasks such as helping with hygiene (p=0.044), and dressing (p=0.044). p=0.036); and between the Environment dimension and the time dedicated to the elderly (p=0.009). Regarding patient characteristics, there was a significant negative correlation between the Emotional Involvement dimension and age (p=0.018; ρ= -0.372) and the number of activities involved (p=0.023; ρ= -0.0360). There was a significant relationship between the Isolation dimension and the patient's marital status (p=0.006). Conclusions: In the context of the COVID-19 Pandemic, the subjective impact on the caregiver of elderly people with probable AD was considered relevant. The most affected dimension of CBS was Emotional Engagement younger caregivers, who do not help with hygiene and dressing, with less time of dedication, who work or study abroad, and single/divorced had higher scores in the CBS dimensions. These are also higher when patients are married/stable union, and the younger the patient the lower the number of compromised activities of the same. Such knowledge allows directing interdisciplinary guidelines and strategies in care and therapies, to minimize the difficulties and quality of life of all those involved.

3
  • DAYENNE JENEFFER SOUZA DA SILVA
  • DETERMINANTES DOS VALORES INADEQUADOS DA HEMOGLOBINA A GLICADA NA SAÚDE DE IDOSOS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2


  • Orientador : JULIANA MARIA GAZZOLA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JULIANA MARIA GAZZOLA
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • FLÁVIA DONÁ SIMONE
  • Data: 25/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • O Diabetes Mellitus (DM) é considerado uma doença metabólica crônica caracterizada por níveis elevados de glicose no sangue, que a longo prazo pode levar a sérios danos aos órgãos e sistemas. OBJETIVO: Identificar os determinantes dos valores inadequados da hemoglobina A glicada (HG) em pessoas idosas com DM tipo 2. MÉTODO: Trata-se de um estudo observacional analítico de caráter transversal, cuja amostra (n=107) foi selecionada por conveniência e constituída por idosos com 60 anos ou mais, com diagnóstico de DM tipo 2, segundo os critérios da American Diabetes Association (ADA), realizado entre o período de agosto de 2017 a dezembro de 2018, por meio de entrevista estruturada e aplicação de testes e escalas multidimensionais de rastreio para investigação dos preditores da HG. Foram aplicados os testes de Mann-Whitney, de Kruskal-Wallis seguido do teste de Dunn e o Coeficiente de Correlação de Spearman (ρ), p<0,05. A seguir, foi realizada análise de regressão stepwise. RESULTADOS: A amostra apresentou a maioria feminina (67,3%), com média etária de 67,3 ±4,9 anos. Metade (49,5%) apresentaram nível alterado da HG (8,1% ou mais). Para o estudo multivariado dos preditores da HG, foram selecionadas as variáveis com valor de p<0,10: sexo, número de medicações, escala visual analógica (EVA) de dor em membros inferiores (MMII), Geriatric Depression Scale-15, Timed Up and Go Test (TUGT) motora, TUGT dupla tarefa, MiniBesTest, WHODAS, tempo de diagnóstico, glicemia de jejum, percepção subjetiva da visão, força de prensão palmar, uso de insulina, dor em membros inferiores, hipotensão ortostática e ocorrência de quedas. Maiores valores da EVA de dor em MMII (β=0,123; IC 95% 0,011; 0,021; p=0,031), presença de hipotensão ortostática (β= 1,061; IC 95% 0,092; 2,030; p=0,032) e em uso de insulina (β= 0,959; IC 95% 0,088; 1,830; p=0,031) aumentam os valores da HG. CONCLUSÃO: Em conclusão, ressalta-se a importância de identificar os determinantes que elevam os níveis de HG considerando a influência dos determinantes na saúde que podem ser modificáveis ao longo do curso da vida, a fim de incentivar a adesão ao autocuidado e evitar severidade dos danos à saúde que podem afetar consideravelmente a qualidade de vida do idoso com DM2.


  • Mostrar Abstract
  • Diabetes Mellitus is considered a chronic metabolic disease characterized by high blood glucose levels, which in the long term can lead to serious damage to the heart, blood vessels, eyes, kidneys, and nerves. OBJECTIVE: To identify the determinants of inadequate glycated hemoglobin A (HG) values in elderly people with type 2 DM. METHOD: This is an analytical observational cross-sectional study, whose sample (n=107) was selected for convenience and consisted of by elderly people aged 60 years or older, diagnosed with type 2 DM, according to the criteria of the American Diabetes Association (ADA), carried out between August 2017 and December 2018, through a structured interview and application of tests and scales multidimensional screening tools to investigate predictors of GH. The Mann-Whitney and Kruskal-Wallis tests were applied, followed by Dunn's test and the Spearman Correlation Coefficient (ρ), p<0.05. Then, stepwise regression analysis was performed. RESULTS: The sample was mostly female (67.3%), with a mean age of 67.3 ± 4.9 years. Half (49.5%) had an altered level of GH (8.1% or more). For the multivariate study of GH predictors, variables with p<0.10 were selected: gender, number of medications, visual analogue scale (VAS) for lower limb pain (LL), Geriatric Depression Scale-15, Timed Motor Up and Go Test (TUGT), dual-task TUGT, MiniBesTest, WHODAS, time to diagnosis, fasting glucose, subjective perception of vision, handgrip strength, insulin use, lower limb pain, orthostatic hypotension and occurrence of falls . Higher VAS values of pain in lower limbs (β=0.123; 95% CI 0.011; 0.021; p=0.031), presence of orthostatic hypotension (β= 1.061; 95% CI 0.092; 2.030; p=0.032) and using insulin (β= 0.959; 95% CI 0.088; 1.830; p=0.031) increase HG values. CONCLUSION:  In conclusion, we emphasize the importance of identifying the determinants that increase the levels of GH, considering the influence of the determinants on health that can be modifiable throughout the course of life, in order to encourage adherence to self-care and avoid severity of symptoms. damage to health that can considerably affect the quality of life of the elderly with DM2.

4
  • CHARLE VICTOR MARTINS TERTULIANO
  • RELAÇÃO ENTRE DÉFICIT COGNITIVO E DESEMPENHO FÍSICO EM IDOSOS: ESTUDO TRANSVERSAL 


  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MAYLE ANDRADE MOREIRA
  • SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
  • Data: 10/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A cognição é uma função corporal que diminui com o envelhecimento e suas alterações são caracterizadas pelo comprometimento da memória, julgamento, linguagem e atenção. Pode ocorrer devido a problemas neurodegenerativos complexos que podem afetar as habilidades cognitivas, o desempenho físico, a funcionalidade e pode ser um marcador de demência, sendo uma condição clínica crítica para os idosos comunitários em vulnerabilidade social e um desafio à saúde global. Objetivo: Avaliar a relação entre déficit cognitivo e desempenho físico em idosos comunitários. Métodos: Trata-se de um estudo observacional, analítico e de caráter transversal, composto por idosos comunitários, residentes no município de Parnamirim (Rio Grande do Norte), com idade ≥ 60 anos. Foram coletados dados sociodemográficos e clínico-funcionais, além de dados sobre comorbidades, déficit cognitivo e desempenho físico, através da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, da Prova Cognitiva de Leganés (PCL) e do Short Physical Performance Battery (SPPB). A análise estatística foi realizada por meio dos testes t de Student, qui-quadrado e Regressão de Poisson. Resultados: Foram avaliados 760 idosos, com média de 70,18 (±7,11) anos de idade. Houve associação estatisticamente significativa entre déficit cognitivo e desempenho físico (p<0,001). Assim como para as variáveis: idade (p = <0,001), sexo (p = <0,001), psicotrópicos (p = 0,001), diabetes mellitus (p = 0,040) e acidente vascular cerebral (p = 0,036). Os fatores associados ao baixo desempenho físico foram: idade (p = <0,001), sexo feminino (p = <0,001), uso de psicotrópicos (p = 0,025), diagnóstico de diabetes mellitus (p = 0,028) e a presença de déficit cognitivo (p = 0,001). Conclusão: Encontramos uma relação transversal entre o declínio cognitivo associado ao desempenho físico em uma amostra de idosos comunitários. Pior desempenho físico foi associado a maior idade, ser mulher, maior morbidade (diabetes), maior uso de drogas (psicotrópicos) e alteração na função cognitiva. Os profissionais de saúde devem estar atentos aos fatores potencialmente modificáveis e desenvolver medidas de cuidados preventivos e não farmacológicos eficazes para melhorar os resultados de saúde em idosos, melhorando assim a qualidade de vida, promovendo independência e redução das incapacidades cognitivo-funcionais.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Cognition is a bodily function that decreases with aging and its alterations are characterized by impairment of memory, judgment, language and attention. It can occur due to neurodegenerative, vascular and dysthymia/dysphoria problems. Reduced cognitive abilities can affect physical performance, functionality and social and occupational activities, and can be a marker of dementia, being a critical clinical condition for the elderly and a growing challenge to global health. Objective: To assess the relationship between cognitive impairment and physical performance in community-dwelling elderly. Methods: This is an observational, analytical and cross-sectional study, composed of community elderly, residents in the municipality of Parnamirim (Rio Grande do Norte), aged ≥ 60 years. Sociodemographic and anthropometric data were collected, as well as data on comorbidities, cognitive deficit and physical performance, through the Elderly Health Handbook, the Leganés Cognitive Test (PCL) and the Short Physical Performance Battery (SPPB). In the statistical analysis, the normality of the variables was assessed using the Kolmogorov-Smirnov test. Student's t-test and chi-square test were performed to compare elderly people with low and good physical performance in relation to the mean of PCL and covariates. A logistic regression analysis was performed to identify all factors associated with poor physical performance. Results: 760 elderly people were evaluated, with a mean age of 70.18 (±7.11) years old. The cognitive function obtained a mean score of 25.35 (±4.30). As for physical performance, an average of 9.74 (±2.26), of which 85%, was classified as good performance. There was a statistically significant association between cognitive impairment and physical performance (p<0.001). The covariates that were related to physical performance were PCL score (p = <0.001), cognitive function (p = <0.001), age (p = <0.001), sex (p = <0.001), psychotropic drugs (p = 0.001 ), diabetes mellitus (p = 0.040) and stroke (p = 0.036). Predictive factors for decline in physical performance were age (p = <0.001), female gender (p = <0.001), use of psychotropic drugs (p = 0.025), diagnosis of diabetes mellitus (p = 0.028) and the presence of cognitive deficit (p = 0.001).

5
  • NATÁLIA LOPES CARDOSO
  • Propriedades psicométricas do sit-to-stand test para pacientes com Hipertensão Pulmonar: uma revisão sistemática

  • Orientador : VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • ILLIA NADINNE DANTAS FLORENTINO LIMA
  • JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
  • ARMELE DE FATIMA DORNELAS DE ANDRADE
  • Data: 24/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • A Hipertensão pulmonar (HP) é considerada uma síndrome clínica complexa, caracterizada pelo aumento da pressão arterial pulmonar. Os pacientes cursam com limitação das atividades cotidianas com aumento da dispneia relacionada aos esforços, disfunção muscular sistêmica e declínio funcional. Atualmente, ferramentas de avaliação indireta da tolerância ao exercício são realizadas pelos testes de campo e entre eles o sit-to-stand test (STS). Diferentes protocolos do STS foram utilizados nessa população, dessa forma estabelecer as propriedades de medidas na HP torna-se fundamental para a seleção e prescrição do teste com medidas válidas e confiáveis. Objetivo: Determinar as propriedades psicométricas (validade, confiabilidade [consistência interna e erro de medida], teste de hipóteses para validade de construto e responsividade) e repetições alcançadas dos diferentes protocolos do STS em indivíduos com HP. Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática que incluiu estudos com pacientes com HP que foram avaliados pelo STS test (1 minuto (1-STS), 30 segundos (30-STS) ou de 5 repetições (5rep-STS)). As buscas foram realizadas nas plataformas PubMed/MEDLINE, EMBASE, SciELO, Cochrane Library, e Web of Science seguindo a estratégia PICOT (População: adultos com HP; Intervenção: avaliação da capacidade de exercício com o STS; Comparador: grupo controle ou valores de referência; Outcomes: propriedades psicométricas; Tipo de estudos: ensaios clínicos randomizados ou quase randomizados e estudos observacionais) e o Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses Protocols (PRISMA-P). Utilizamos o software Rayyan para exportação, análise dos dados e seleção dos estudos. O risco de viés foi conduzido pelo manual Consensus‐Based Standards for the Selection of Health Measurement Instruments (COSMIN) e a análise da qualidade da evidência pelo Grading of Recommendations, Assessment, Development, and Evaluation (GRADE) modificado. O protocolo foi submetido na plataforma PROSPERO (CRD42021244271). Todas as etapas de avaliação foram conduzidas por dois pesquisadores independentes, em caso de discordância, um terceiro avaliador foi consultado. Resultados: Foram identificados 6.357 artigos, destes 1.310 artigos foram excluídos por duplicação. Dos 5.047 artigos restantes que seguiram para a análise de títulos e resumos, apenas 7 seguiram para análise de texto completo e desses apenas 3 (González-Saiz et al., 2017, Kahraman et al., 2020 e Nakazato et al., 2021) artigos foram incluídos para análise, avaliação de risco de viés e qualidade da evidência. Quatro propriedades psicométricas foram avaliadas: 2 estudos avaliaram a validade convergente, um estudo avaliou validade entre grupos, um avaliou a responsividade e um avaliou a confiabilidade. Destes, 3 propriedades psicométricas obtiverem qualidade da evidência moderada, a responsividade do 5- STS (7,5 ± 1,4 to 6,0 ± 1,1 (p<0,001)), a validade convergente do 30- STS (30-STS vs 6MWD r= 0,660 p <0.001) e do 1-STST (1-STST vs Acelerômetro r= 0,593 p= 0,006). Um estudo apresentou baixa qualidade da evidência na validade entre grupos do 30-STS (30-STS e NYHA Class II 13,68 (3,34) vs 30-STS and NYHA Class III 10,25 (3,49); p=0,004) e outro muito baixa na confiabilidade do 30-STS (ICC 0,95 (0,90–0,97). Conclusão: Concluímos que há uma escassez de estudos sobre os protocolos do STS na HP e diante dos achados podemos inferir que o 30-STS foi considerado responsivo, e que os protocolos do 30-STS e o 1-STS apresentaram validade convergente válidos na HP. A validade entre grupos e a confiabilidade apresentaram déficit metodológicos que impossibilitaram serem considerados confiáveis. Dessa forma, sugerimos que mais estudos com maior tamanho amostral e com rigor metodológico são necessários para a indicação e interpretação do uso do STS na população com HP.


  • Mostrar Abstract
  • Pulmonary hypertension (PH) is considered a complex clinical syndrome due to increased pulmonary arterial pressure. Patients present with limitations of daily activities, dyspnea related to exercise, muscle dysfunction and functional decline. Currently, the tools for indirect assessment of exercise tolerance are performed by field tests and among them the sit-to-stand test (STS). The STS protocol was used in this population, so different tests with valid and effective measures were established as properties of measurements in the selection of PH. Objective: To determine properties such as properties (validity, reliability, internal reliability and measurement error), hypothesis testing for construct validity and responsiveness) and durability of the different STS protocols in measurements with HP. Methods: This is a systematic review that included studies with patients with PH who were evaluated by the STS test (1 minute (1-STS), 30 seconds (30-STS) or 5 repetitions (5rep-STS)). Searches were performed on PubMed/MEDLINE, EMBASE, SciELO, Cochrane Library, and Web of Science platforms following the PICOT strategy (Population: adults with PH; Intervention: assessment of exercise capacity with the STS; Comparator: control group or values of reference; Outcomes: psychometric properties; Type of studies: randomized or quasirandomized clinical trials and observational studies) and the Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses Protocols (PRISMA-P). We used Rayyan software for export, data analysis and study selection. The risk of bias was conducted by the ConsensusBased Standards for the Selection of Health Measurement Instruments (COSMIN) manual and the evidence quality analysis by the modified Grading of Recommendations, Assessment, Development, and Evaluation (GRADE). The protocol was submitted on the PROSPERO platform (CRD42021244271). All evaluation steps were conducted by two independent researchers, in case of disagreement, a third evaluator was consulted. Results: 6,357 articles were identified, of which 1,310 articles were excluded due to duplication. Of the 5,047 remaining articles that went on to analyze titles and abstracts, only 7 went on to full-text analysis and of these only 3 (González-Saiz et al., 2017, Kahraman et al., 2020 and Nakazato et al., 2021) articles were included for analysis, assessment of risk of bias and quality of evidence. Four psychometric properties were evaluated: 2 studies assessed convergent validity, one study assessed cross-group validity, one assessed responsiveness, and one assessed reliability. Of these, 3 psychometric properties obtained moderate quality of evidence, the responsiveness of the 5-STS (7.5 ± 1.4 to 6.0 ± 1.1 (p<0.001)), the convergent validity of the 30-STS (30- STS vs 6MWD r= 0.660 p<0.001) and 1-STST (1- STST vs Accelerometer r= 0.593 p= 0.006). One study showed a low quality of evidence on the validity between groups of 30-STS (30-STS and NYHA Class II 13.68 (3.34) vs 30-STS and NYHA Class III 10.25 (3.49); p= 0.004) and another very low on the reliability of the 30-STS (ICC 0.95 (0.90–0.97). Conclusion: We conclude that there is a scarcity of studies on STS protocols in HP and, given the findings, we can infer that the 30-STS was considered responsive, and that the 30-STS and 1- STS protocols showed valid convergent validity in HP. The validity between groups and reliability showed methodological deficits that made it impossible to be considered reliable. Thus, we suggest that more studies with a larger sample size and with methodological rigor are necessary for the indication and interpretation of the use of STS in the population with PH

6
  • THAIS ALMEIDA SILVEIRA MENDES
  • REPERCUSSÕES CARDIOVASCULARES E FUNCIONAIS DE PROTOCOLOS DE TREINO EM ESTEIRA COM DIFERENTES INCLINAÇÕES EM INDIVÍDUOS COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL

  • Orientador : TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
  • NICOLE SOARES OLIVER CRUZ
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • Data: 29/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O treino em esteira tem sido bastante utilizado para reabilitação da marcha de indivíduos após Acidente Vascular Cerebral (AVC). Entretanto, ainda há escassez de protocolos de treino aeróbico em esteira inclinada, que analisem a segurança relacionada ao impacto cardiovascular e funcional desse treinamento nessa população. Objetivo: Avaliar as repercussões cardiovasculares e funcionais de um protocolo de treinamento em esteira em diferentes inclinações em indivíduos com AVC crônico. Metodologia: Ensaio clínico randomizado, no qual 26 indivíduos com AVC crônico foram aleatorizados em Grupo Controle (GC) – que realizou treino de marcha em esteira sem inclinação, Grupo Experimental 1 (GE1) - que realizou treino em esteira com 5% de inclinação anterior e Grupo Experimental 2 (GE2) - que realizou treino em esteira com 10% de inclinação anterior. Em todos os grupos, as sessões de treinamento tiveram 30 minutos de duração, com frequência de 3 vezes por semana durante 6 semanas, totalizando 18 sessões. Os participantes foram avaliados imediatamente antes, durante e após cada sessão de treinamento quanto aos parâmetros cardiovasculares, obtendo-se os seguintes desfechos: frequência cardíaca [FC], pressão arterial [PA], equivalentes metabólicos [METs], duplo produto [DP]; além de medidas de carga interna: esforço percebido [EP] e fadiga muscular [FM]. Em cada sessão, foram avaliados quanto às variáveis funcionais: velocidade da marcha e distância percorrida na esteira. No artigo 1, os dados funcionais e cardiovasculares da 1ª, 9ª e 18ª sessões foram comparados entre os grupos utilizando Análise de Variância Mista com medidas repetidas (α=5%). No artigo 2, estatística descritiva foi usada para verificar o comportamento dos parâmetros cardiovasculares em cada sessão, e Análises de Variância mista com medidas repetidas foram aplicadas para comparar os grupos em cada sessão quanto a esses parâmetros (α=5%). Resultados: No artigo 1, não foi observada interação tempo*grupo em nenhum dos desfechos cardiovasculares (FC e PA), bem como para os desfechos funcionais. Em relação a variável PA parece ter havido um efeito do tempo ao longo das sessões de treinamento (F=3,482; P=0,040). Similar efeito do tempo pôde ser observado em relação aos desfechos velocidade da marcha e distância percorrida (F=21,618; P<0,001; F=22,402; P<0,001). Esforço percebido e fadiga muscular não se mostraram diferentes entre os grupos. No artigo 2, não foi observada interação tempo*grupo nas variáveis PAS, PAD e FC, não havendo diferença entre os grupos em cada sessão de treinamento. Em relação às variáveis PAS e PAD parece ter havido um efeito ao longo do tempo em algumas sessões de treinamento; da PAS nas sessões 9 (P=0,027); 15 (P=0,027) e 18 (P=0,027) e da PAD nas sessões 4 (P=0,026); 5 (P=0,014); 9 (P=0,005); 12 (P=0,022); 14 (P=0,008) e 17 (P=0,038). Conclusão: O treino feito com incremento da intensidade a partir da inclinação anterior da esteira não se mostrou diferente do treino sem inclinação, em relação aos parâmetros cardiovasculares e funcionais vistos durante o treinamento. O grupo controle realizou o treino em esteira com intensidade leve (62% da FCmáx) e os grupos experimentais realizaram o treino em esteira com intensidade moderada (ambos com 69% da FCmáx), sendo as inclinações de 5% e 10% seguras e replicáveis para a reabilitação de indivíduos com AVC crônico


  • Mostrar Abstract
  • Background: Treadmill training has been widely used for gait rehabilitation in individuals after stroke. However, there’s still a shortage of aerobic training protocols on an inclined treadmill, which analyze the safety related to the cardiovascular and functional impact of this training in this population. Objective: To evaluate the cardiovascular and functional repercussions of a treadmill training protocol at different inclines in individuals with chronic stroke. Methodology: Randomized clinical trial, in which 26 individuals with chronic stroke were randomized into a Control Group (CG) - which performed gait training on a treadmill without incline, Experimental Group 1 (EG1) - which performed training on a treadmill with 5% anterior incline and Experimental Group 2 (EG2) - which performed training on a treadmill with 10% of anterior incline. In all groups, training sessions lasted 30 minutes, with a frequency of 3 times a week for 6 weeks, totaling 18 sessions. Participants were evaluated immediately before, during and after each training session regarding cardiovascular parameters, obtaining the following outcomes: heart rate [HR], blood pressure [BP], metabolic equivalents [METs], double product [SD]; in addition to measures of internal load: perceived exertion [PE] and muscle fatigue [FM]. In each session, functional variables were evaluated: gait speed and distance covered on the treadmill. In article 1, functional and cardiovascular data from the 1st, 9th and 18th sessions were compared between groups using Mixed Analysis of Variance with repeated measures (α=5%). In article 2, descriptive statistics were used to verify the behavior of cardiovascular parameters in each session, and mixed analysis of variance with repeated measures were applied to compare the groups in each session regarding these parameters (α=5%). Results: In article 1, no time*group interaction was observed in any of the cardiovascular outcomes (HR and BP), as well as for the functional outcomes. Regarding the BP variable, there seems to have been an effect of time over the training sessions (F=3.482; P=0.040). A similar effect of time could be observed in relation to the outcomes of gait speed and distance covered (F=21.618; P<0.001; F=22.402; P<0.001). Perceived exertion and muscle fatigue were not different between groups. In article 2, no time*group interaction was observed in the SBP, DBP and HR variables, with no difference between the groups in each training session. Regarding the SBP and DBP variables, there seems to have been an effect over time in some training sessions; of SBP in sessions 9 (P=0.027); 15 (P=0.027) and 18 (P=0.027) and DBP in sessions 4 (P=0.026); 5 (P=0.014); 9 (P=0.005); 12 (P=0.022); 14 (P=0.008) and 17 (P=0.038). Conclusion: Training performed with increased intensity from the anterior incline of the treadmill was not different from training without incline, in relation to cardiovascular and functional parameters seen during training. The control group performed training on a treadmill with light intensity (62% of HRmax) and the experimental groups performed training on a treadmill with moderate intensity (both with 69% of HRmax), with inclines of 5% and 10% being safe and replicable for the rehabilitation of individuals with chronic stroke.

7
  • ALINE ALVES DE SOUZA
  • Efeitos de um protocolo de exercícios domiciliares com acompanhamento remoto e presencial de indivíduos com Esclerose Lateral Amiotrófica: ensaio clínico randomizado

  • Orientador : TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • LUCIANA PROTASIO DE MELO
  • THAIANA BARBOSA FERREIRA PACHECO
  • Data: 31/03/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa progressiva com manifestações clínicas variáveis e complexas e que requer uma abordagem multidisciplinar. No entanto, o tratamento presencial nessa população pode encontrar algumas barreiras, como a dificuldade de deslocamento até os centros de tratamento e de acesso a fisioterapeutas ou outros profissionais. Como forma de transpor essas barreiras, foram implementadas novas estratégias nos sistemas de saúde, dentre elas a telerreabilitação, para facilitar o tratamento e o acompanhamento fisioterapêutico desses indivíduos. Objetivo: Avaliar os efeitos de um protocolo de exercícios domiciliares com acompanhamento presencial e remoto sobre desfechos clínicos e adesão ao tratamento em pacientes com ELA. Métodos: Trata-se de um ensaio clínico randomizado e cego, onde foram incluídos indivíduos adultos, de ambos os sexos, com idade entre 18 e 80 anos, com diagnóstico clínico definido, provável ou possível de ELA. Após avaliação inicial presencial, os participantes foram randomizados em dois grupos, que realizaram um protocolo de exercícios domiciliares (de acordo com a fase da doença), três vezes por semana durante seis meses. A execução do protocolo de exercícios foi acompanhada semanalmente (1x/semana), de forma remota (via telefonemas) para o grupo experimental (GE) e de forma presencial (com visitas da equipe) para o grupo controle (GC). As medidas de desfecho avaliadas foram: capacidade física funcional (Amyotrophic lateral sclerosis Functional Rating Scale – Revised – ALSFRSr), gravidade da doença (Escala de gravidade na Esclerose lateral amiotrófica - Egela), fadiga (Escala de severidade da Fadiga – ESF) e dor (Escala Visual Analógica e Diagrama corporal). As reavaliações dos desfechos ocorrerão de maneira remota a cada dois meses, durante o período de intervenção, e um mês após o término das intervenções. A estatística descritiva foi utilizada para apresentação dos dados preliminares e será utilizado o modelo linear misto para comparar as medidas de desfecho entre os grupos e entre os momentos de avaliação ao final da intervenção, com α=5%. Resultados: Foram avaliados seis participantes, de ambos os sexos, com idade média de 57,8 (± 9,1) anos, com predominância de apresentação da doença em sua forma espinhal (66,6%) e tempo médio de início dos sintomas entre 1 e 2 anos. Os dados referentes às medidas de desfecho parecem demonstrar diminuição das pontuações da escala de capacidade funcional e dor, um aumento dos escores da escala de fadiga e manutenção das pontuações da escala de gravidade da doença, quando comparados os momentos de avaliação inicial e reavaliação após dois meses. Quanto à intervenção, os participantes apresentaram uma boa adesão ao tratamento domiciliar, realizando o protocolo de exercício, de 2 a 3 vezes na semana, seguindo o que foi proposto. Apenas 5 participantes relataram fadiga durante ou após a intervenção e não houve relato de dor. Conclusão: De acordo com os resultados preliminares, pode-se concluir que os achados do estudo estão semelhantes ao que se encontra na literatura, no que diz respeito às características clínicas e sociodemográficas, bem como o comportamento da doença e suas repercussões. Até o momento, o tempo de intervenção ao qual os participantes foram submetidos não foi suficiente para detectar alterações estatísticas nas medidas de desfecho analisadas. Contudo, a aderência dos participantes ao protocolo de exercícios domiciliares tem sido alta, e os exercícios têm sido bem tolerados.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS) is a progressive neurodegenerative disease with variable and complex clinical manifestations, requiring a multidisciplinary approach. However, face-to-face treatment in this population may encounter some barriers, such as the difficulty of traveling to treatment centers and access to physical therapists or other professionals. As a way of overcoming these barriers, new strategies were implemented in the health systems, among them telerehabilitation, to facilitate the treatment and physical therapy follow-up of these individuals. Objective: To evaluate the effects of a home exercise protocol with face-toface and remote monitoring on clinical outcomes and treatment adherence in patients with ALS Methods: This is a randomized, blinded clinical trial, which included adult individuals of both sexes, aged between 18 and 80 years, with a definite, probable or possible clinical diagnosis of ALS. After the initial face-to-face assessment, the participants were randomized into two groups, which performed a protocol of home exercises (according to the stage of the disease), three times a week for six months. The execution of the exercise protocol was monitored weekly (1x/week), remotely (via phone calls) for the experimental group (EG) and in person (with visits from the team) for the control group (CG). The outcome measures assessed were: functional physical capacity (Amyotrophic Lateral Sclerosis Functional Rating Scale – Revised – ALSFRS-r), disease severity (Amyotrophic Lateral Sclerosis Severity Scale – Egela), fatigue (Fatigue Severity Scale – FSS) and pain (Visual Analog Scale and Body Diagram). Outcome reassessments will take place remotely every two months, during the intervention period, and one month after the intervention ends. Descriptive statistics were used to present the preliminary data and the mixed linear model will be used to compare the outcome measures between the groups and between the evaluation moments at the end of the intervention, with α=5% Results: Six participants were included, of both sexes, with a mean age of 57.8 (± 9.1) years, who had a predominance of the disease in its spinal form (66.6%), with a mean time of onset of symptoms between 1 and 2 years. Data related to outcome measures seem to demonstrate a decrease in the scores on the functional capacity and pain scale, an increase in the scores on the fatigue scale, and maintenance of the scores on the disease severity scale, when comparing the moments of initial assessment and reassessment after two months. As for the intervention, the participants showed good adherence to home treatment, performing the exercise protocol 2 to 3 times a week, following what was proposed. Only 5 participants reported fatigue during or after the intervention and there was no report of pain. Conclusion: According to the preliminary results, it can be concluded that the findings of the study are similar to what is found in the literature, regarding clinical and sociodemographic characteristics, as well as the behavior of the disease and its repercussions. So far, the intervention time to which the participants were submitted was not sufficient to detect statistical changes in the analyzed outcome measures. However, participants' adherence to the home exercise protocol has been high, and the exercises have been well tolerated

8
  • ELIZANE POQUIVIQUI DO NASCIMENTO
  • CAPACIDADE FÍSICA E OXIGENAÇÃO TECIDUAL EM PACIENTES PÓS
    COVID-19

  • Orientador : VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LAYANA MARQUES DE OLIVEIRA
  • SAINT CLAIR GOMES BERNARDES NETO
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • Data: 27/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • Evidências científicas e clínicas apontam um comprometimento persistente da capacidade funcional em indivíduos pós COVID-19, entretanto a causa da limitação funcional e da sintomatologia ainda precisam ser elucidadas. Dessa forma, o objetivo desse estudo foi avaliar e comparar a capacidade funcional em pacientes pós Covid-19 versus grupo controle, além de analisar a hemodinâmica cardíaca e a resposta da oxigenação muscular tecidual durante os protocolos de avaliação em ambos os grupos. Trata-se de um estudo transversal em pacientes diagnosticados com COVID-19 que passaram ou não por internação hospitalar, maiores de 18 anos de ambos os sexos comparados a um grupo controle. Utilizamos dois testes funcionais para análise e comparação do desempenho: o teste da caminhada dos 6-minutos (TC6M) e o teste senta e levanta de 1 min (1-STS). Além das variáveis de desempenho, frequência cardíaca, saturação periférica de O2 e sintomatologia (dispneia e fadiga), avaliamos a resposta de hemodinâmica cardíaca por impedância (volume sistólico, índice de volume sistólico (VSi), débito cardíaco, índice cardíaco (IC), Resistência Vascular Sistêmica (RVS), Índice de resistência vascular sistêmica, Fração de Ejeção (FE), Volume Diastólico Final, Tempo de enchimento ventricular e Índice de contratilidade (ICT)) durante o protocolo 1-STS. As respostas da perfusão tecidual na oxigenação do músculo vasto-lateral (oxiemoglobina (O2Hb), desoxiemoglobina (HHb), hemoglobina total (tHb) e índice de saturação tecidual (TSI)) foram registrados antes, durante e após dois minutos (recuperação) em ambos os testes. Para análise de dados utilizamos o programa estatístico GraphPad Prism 8.0 com níveis de significância p<0,05 e Intervalo de Confiança de 95% e para as comparações intragrupo das variáveis realizamos teste de Friedman enquanto nas comparações intergrupos Mann-Whitney. Foram incluídos no estudo 36 pacientes, 13 (36,11%) mulheres e 23 (63,88%) homens, com idade mediana de 36,00 (29,00-51,00) anos de idade e com IMC de 26,51(24,06-30,32) no grupo pós COVID-19 e 11 indivíduos no grupo controle, 8 (72,72%) mulheres e 3 (27,27%) homens, com idade mediana de 25,00(23,00-39,00) anos e com IMC de 23,71(22,54-28,28). Quando comparados os grupos, o grupo pós COVID-19 apresentou redução de 20% no desempenho versus controle na distância percorrida no TC6M (p=0,0001) e de 28% no número de repetições do 1-STS (p=0,01). Ainda, houve diferenças intergrupos nas variáveis de hemodinâmica cardíaca durante o protocolo de 1-STS onde o grupo pós COVID-19 apresentou redução de 18% no VSi (p=0,004), de 21% no IC (p=0,0009), de 78% no ICT (p=0,0001) e de 29% no FE (p=0,0003) e um aumento da RVS em 25% (p=0,03) e 27% no RVSi (p=0,0007). Apesar do menor desempenho funcional, as variáveis oxigenação tecidual durante os testes TC6M e 1-STS e na fase de recuperação apresentaram respostas de magnitude semelhante entre pessoas com COVID-19 e controles saudáveis, não havendo diferença estatisticamente significativa intergrupo nas variáveis estudadas. Assim, nossos resultados sugerem que o grupo pós COVID-19 quando comparado a sujeitos não infectados apresentam (I) redução na capacidade funcional identificado por ambos os testes, em 28% no 1-STS e 20% no TC6M, (II) alterações nas respostas hemodinâmicas cardíacas e de resistência vascular sistêmica (III) padrão semelhante da oferta e consumo de oxigenação muscular em ambos os testes semelhantes em ambos os grupos.Sugerimos que um estudo com maior número amostral e com estratificação de grupos pós COVID-19 para complementar esses achados.


  • Mostrar Abstract
  • Scientific and clinical evidence points to a persistent impairment of functional capacity in post-COVID-19 individuals, however the cause of functional limitation and symptomatology still need to be elucidated. Thus, the objective of this study was to evaluate and compare functional capacity in post-Covid-19 patients versus a control group, in addition to analyzing cardiac hemodynamics and tissue muscle oxygenation response during the assessment protocols in both groups. This is a cross-sectional study in patients diagnosed with COVID-19 who were hospitalized or not, older than 18 years of both sexes compared to a control group. We used two functional tests for performance analysis and comparison: the 6-minute walk test (6MWT) and the 1-min sit-and-stand test (1-STS). In addition to the performance variables, heart rate, peripheral O2 saturation and symptoms (dyspnea and fatigue), we evaluated the cardiac hemodynamic response by impedance (systolic volume, stroke volume index (SVi), cardiac output, cardiac index (CI), Systemic Vascular Resistance (SVR), Systemic Vascular Resistance Index, Ejection Fraction (EF), End Diastolic Volume, Ventricular Filling Time and Contractility Index (TCI)) during the 1-STS protocol. Tissue perfusion responses to vastus lateralis muscle oxygenation (oxyhemoglobin (O2Hb), deoxyhemoglobin (HHb), total hemoglobin (tHb) and tissue saturation index (TSI)) were recorded before, during and after two minutes (recovery) in both tests. For data analysis, we used the statistical program GraphPad Prism 8.0 with significance levels p<0.05 and a confidence interval of 95% and for the intragroup comparisons of the variables, we performed the Friedman test while in the Mann-Whitney intergroup comparisons. Thirty-six patients were included in the study, 13 (36.11%) women and 23 (63.88%) men, with a median age of 36.00 (29.00-51.00) years old and with a BMI of 26. 51(24.06-30.32) in the post-COVID-19 group and 11 individuals in the control group, 8 (72.72%) women and 3 (27.27%) men, with a median age of 25.00(23) .00-39.00) years and with a BMI of 23.71(22.54-28.28). When comparing the groups, the post-COVID-19 group showed a 20% reduction in performance versus control in the distance covered in the 6MWT (p=0.0001) and of 28% in the number of repetitions of the 1-STS (p=0.01 ). Furthermore, there were intergroup differences in cardiac hemodynamics variables during the 1-STS protocol, where the post-COVID-19 group showed a reduction of 18% in VSi (p=0.004), of 21% in CI (p=0.0009), of 78% in ICT (p=0.0001) and 29% in EF (p=0.0003) and an increase in SVR by 25% (p=0.03) and 27% in RVSi (p=0, 0007). Despite the lower functional performance, the tissue oxygenation variables during the 6MWT and 1-STS tests and in the recovery phase showed responses of similar magnitude between people with COVID-19 and healthy controls, with no statistically significant intergroup difference in the variables studied. Thus, our results suggest that the post-COVID-19 group, when compared to uninfected subjects, present (I) a reduction in functional capacity identified by both tests, by 28% in the 1-STS and 20% in the 6MWT, (II) changes in the Cardiac hemodynamic responses and systemic vascular resistance (III) similar pattern of muscle oxygen supply and consumption in both tests similar in both groups. We suggest that a study with a larger sample size and stratification of groups post COVID-19 to complement these findings.

9
  • AMANDA DE MELO CÂNDIDO
  • Reabilitação motora para crianças e jovens com distrofia muscular: Revisão de escopo

  • Orientador : ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • CAMILA ROCHA SIMÃO
  • ISABELLY CRISTINA RODRIGUES REGALADO MOURA
  • Data: 17/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O tratamento das doenças neuromusculares mudou nos últimos anos, do manejo paliativo dos sintomas aos métodos preventivos de capacitação com foco na funcionalidade, participação e atividade. A importância da realização de exercícios físicos na qualidade de vida de crianças e jovens com distrofias musculares é bem conhecida, porém ainda há lacunas sobre os tipos de exercícios, intensidade, frequência, duração e efeitos que possam nortear as intervenções. Apesar das evoluções terapêuticas na área da reabilitação, verifica-se uma escassez de ensaios clínicos e ausência de revisões sistemáticas com foco nas intervenções motoras na população com distrofia muscular dificultando a elaboração de evidências de pesquisa e diretrizes que possam auxiliar na tomada de decisão e aplicação na prática clínica. Objetivo: Identificar os estudos em intervenção motora e caracterizar as abordagens realizadas nas distrofias musculares em crianças e jovens. Metodologia: A elaboração da revisão de escopo seguiu as orientações do The Joanna Briggs Institute, de acordo com a seguinte estrutura: (1) identificação da questão de pesquisa, (2) critérios de inclusão, (3) identificação de estudos relevantes, (4) seleção de estudos, (5) mapeamento dos dados e (6) comparação, resumo e relato dos resultados. Para garantir a confiabilidade entre avaliadores, 20% da amostra foi revisada de forma independente e comparada pelos dois membros da equipe. Resultados: foram encontrados 11.009 resumos nas bases de dados, 416 eram duplicados e 22 elegíveis para revisão do texto completo. Doze estudos foram incluídos na revisão. Ao total, 308 crianças e jovens participaram de todos os estudos incluídos, a idade dos participantes variou entre 4 e 14 anos. Foram encontrados diferentes protocolos com focos de intervenção distintos, entre as modalidades. Os desfechos mais abordados foram força muscular, função muscular, resistência, marcha e habilidades funcionais. 40,37% dos instrumentos utilizados focaram em testes funcionais. Conclusão: Foi observado uma variabilidade considerável nos desfechos analisados e intervenções motoras aplicadas às crianças e adolescentes com DM. As evidências clínicas sobre os tipos de exercícios nas distrofias musculares ainda são limitadas e heterogêneas e não permitem um consenso sobre os efeitos do exercício físico nesta condição clínica. No entanto, há escassez de estudos que foquem na qualidade de vida, participação e independência desta população.



  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The treatment of neuromuscular diseases has changed in recent years, from palliative management of symptoms to preventive methods of training focusing on functionality, participation, and activity. The importance of physical exercise in the quality of life of children and young people with muscular dystrophy (MD) is well known, but there are still gaps in knowledge about the types of exercise, intensity, frequency, duration, and effects that can guide interventions. Despite the therapeutic developments in rehabilitation, there is a lack of clinical trials and systematic reviews focusing on motor interventions in the population with muscular dystrophy, hindering the development of research and guidelines that can assist in decision-making and clinical practice. Objective: To identify studies on motor intervention and to characterize the approaches carried out in children and young people with muscular dystrophies. Methodology: The elaboration of the scoping review followed the guidelines of The Joanna Briggs Institute according to the following structure: (1) identification of the research question; (2) inclusion criteria; (3) identification of relevant studies; (4) study selection; (5) data mapping; and (6) comparison, summary, and reporting of results. To ensure inter-rater reliability, 20% of the sample was independently reviewed and compared by the two researchers. Results: 11,009 abstracts were found in the databases; 416 were duplicates; and 22 were eligible for full-text review. Twelve studies were included in the review. In total, 308 children and young people participated in all the included studies. The age of the participants ranged between 4 and 14 years. Different protocols with different intervention focuses were found among the modalities. The most discussed outcomes were muscle strength, muscle function, endurance, gait, and functional skills. 40.37% of the instruments used focused on functional tests. Conclusion: Considerable variability was observed in the analyzed outcomes and motor interventions applied to children and adolescents with MD. Clinical evidence on the types of exercise in muscular dystrophies is still limited and heterogeneous and does not allow a consensus on the effects of physical exercise in this clinical condition. However, there is a lack of studies that focus on the quality of life, participation, and independence of this population.

10
  • PEDRO YKARO FIALHO SILVA
  • Risco de atraso no desenvolvimento motor e socioemocional de bebês nascidos durante a pandemia de COVID-19: um estudo transversal


  • Orientador : SILVANA ALVES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SILVANA ALVES PEREIRA
  • CAROLINA DANIEL DE LIMA ALVAREZ
  • INGRID FONSECA DAMASCENO BEZERRA
  • Data: 27/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Investigar o risco de atraso no desenvolvimento em bebês nascidos durante a pandemia de COVID-19. Método: Estudo transversal realizado com 54 lactentes com idade entre 1 e 12 meses. Vinte e sete bebês nascidos de mães diagnosticadas com COVID-19 durante a gravidez entre março e novembro de 2021 compuseram o grupo COVID-19. O grupo controle incluiu bebês avaliados antes da pandemia, e os dados foram pareados em relação à idade gestacional e sexo. Os dados neonatais e pré-natais foram extraídos de prontuários e cadernetas de saúde da criança. A triagem para risco de atraso no desenvolvimento foi realizada usando o Survey of Wellbeing of Young Children (SWYC) durante uma entrevista por telefone ou visita domiciliar. Para a análise dos dados, foram realizados teste qui-quadrado, teste de Mann-Whitney e regressão logística binária. Resultados: O risco de atraso no desenvolvimento motor foi identificado em 15 bebês (12 no grupo COVID) e 36 estavam em risco de alteração comportamental (22 no grupo COVID). Em relação às famílias de bebês do grupo COVID, 63% das mães estavam em risco de depressão, 51,9% estavam em risco de abuso de substâncias, 40,7% em risco de insegurança alimentar e 7,4% em risco de violência doméstica. Bebês de mães expostas à pandemia da COVID-19 durante a gravidez aumentaram em até 6,3 vezes o risco de atraso no desenvolvimento motor. O atraso no desenvolvimento motor foi significativamente associado às alterações socioemocionais (odds ratio = 6,4, p = 0,01). A inflexibilidade foi uma variável estatisticamente relevante para os comprometimentos socioemocionais. Conclusão: O contexto ambiental vivido pela mãe, como o isolamento social prolongado e vulnerabilidade psicossocial, além dos aspectos biológicos associados ao adoecimento materno, pode impactar negativamente no desenvolvimento motor e socioemocional dos bebês nascidos durante a pandemia.


  • Mostrar Abstract
  • Objective: To investigate the risk of developmental delay in infants born to mothers exposed to the COVID-19 pandemic. Method: This cross-sectional study was conducted with 54 infants of both sexes aged between 1 and 12 months. Twenty-seven infants born to mothers diagnosed with COVID-19 during pregnancy between March and November 2021 composed the COVID pandemic group. Control group included infants evaluated before pandemic. Neonatal and prenatal data were extracted from medical records and child health booklets. Screening for risk of developmental delay was performed using the Survey of Wellbeing of Young Children during a phone interview or home visit. Chi-squared, Mann-Whitney test, and binary logistic regression were applied. Results: The risk of motor developmental delay was identified in 15 infants (12 in the COVID pandemic group), and 36 were at risk of behavioral alteration (22 in the COVID pandemic group). Regarding families of infants of the COVID pandemic group, 63% of mothers were at risk of depression, 51.9% were at risk of substance abuse, 40.7% of food insecurity, and 7.4% of domestic violence. Infants from mothers exposed to the COVID-19 pandemic during pregnancy increased up to 6.3-fold the risk of motor developmental delay. Motor developmental delay was significantly associated with socioemotional alterations (odds ratio = 6.4, p = 0.01). Inflexibility was a statistically relevant variable for socioemotional impairments. Conclusion: The environmental context lived by the mother, such as prolonged social isolation and psychosocial vulnerability, may negatively impact motor and socioemotional development of infants.

11
  • FRANCISCO TIAGO OLIVEIRA IBIAPINA
  • RELAÇÃO ENTRE APOIO SOCIAL E QUALIDADE DE VIDA EM GESTANTES DE RISCO HABITUAL

  • Orientador : ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
  • LAIANE SANTOS EUFRASIO
  • DIONIS DE CASTRO DUTRA MACHADO
  • Data: 10/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução:   Qualidade de vida (QV) em gestantes tem sido investigada ao longo dos anos. O apoio familiar, financeiro, atividades recreativas, acompanhamento psicológico, acompanhamento do pré-natal são questões relevantes para que a gestante possa sentir-se acolhida e inserida no âmbito biopsicossocial, minimizando complicações durante a gestação, o parto e pós-parto. Objetivo: Verificar a relação entre qualidade de vida e o apoio social em gestantes de risco habitual. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal observacional. A amostra inicial constou de 201 gestantes, que estavam entre o primeiro e terceiro trimestre gestacional. Após observação dos critérios de exclusão, restaram 102 gestantes que compuseram a amostra final. Foram utilizados uma ficha de avaliação inicial, o Questionário de apoio social The Medical Outcomes Study for Social Support Survey, e Questionário de qualidade de vida de Ferrans e Powers. Para análise estatística, os testes de Kolmogorov-Smirnov foram utilizados para realizar a distribuição das variáveis quantitativas. A correlação entre apoio social e qualidade de vida foi feita pelo teste de Spearman, apresentando p valor menor que 0,05. Resultados: A amostra apresentou média de idade cronológica e gestacional de 31.06 (±3.65) anos e 23,84 (±5.62) semanas, respectivamente. Os dados obtidos demonstraram uma percepção de QV relativamente alta, com um escore total de 22.64 (±3.23).  Os domínios com maiores valores foram: família e psicológico/espiritual, com pontuação total de 25.42± 3,47 e 23,76 ± 3,83 respectivamente. A pontuação obtida para apoio social apresentou um média do escore total de 77,62, sugerindo uma boa percepção de apoio social por parte das participantes. A correlação entre apoio social e qualidade de vida apresentou valor de 0,318, com p valor menor que 0,001. Conclusão: Os dados observados sugerem que há relação entre apoio social e qualidade de vida no grupo de gestantes, porém mais estudos necessitam ser realizados para confirmarem ou refutarem os resultados deste estudo.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Quality of life (QoL) in pregnant women has been investigated over the years. Family and financial support, recreational activities, psychological support, prenatal care are relevant issues so that the pregnant women may feel welcomed and inserted in the biopsychosocial scope, minimizing complications during pregnancy, childbirth and postpartum. Aims: To verify the relationship between quality of life and social support in pregnant women at usual risk. Methodology: This is an observational cross-sectional study. The initial sample consisted of 201 pregnant women, who were between the first and third trimester of pregnancy. After observing the exclusion criteria, there were 102 pregnant women who made up the final sample. An initial assessment form, The Medical Outcomes Study for Social Support Survey, and the Ferrans and Powers Quality of Life Questionnaire were used. For statistical analysis, the Kolmogorov-Smirnov tests were used to perform the distribution of quantitative variables. The correlation between social support and quality of life was performed using the Spearman test, with p value lower than 0.05. Results: The sample had chronological and gestational age mean of 31.06 (±3.65) years and 23.84 (±5.62) weeks, respectively. The data obtained demonstrated a relatively high perception of QOL, with a total score of 22.64 (±3.23). The domains with the highest values were family and psychological/spiritual, with a total score of 25.42± 3.47 and 23.76 ± 3.83 respectively. The score obtained for social support had an mean over the total score of 77.62, suggesting a good perception of social support by the participants. The correlation between social support and quality of life presented a value of 0.318, with p value less than 0.001. Conclusion: The observed data suggest that there is a relationship between social support and quality of life in the group of pregnant women, but more studies need to be carried out to confirm or refute the results of this study.

     

12
  • SWELTTON RODRIGUES RAMOS DA SILVA
  • Utilização de protocolo de avaliação do nível de deterioração precoce (NEWS) em pacientes com covid-19 na intervenção da equipe fisioterapêutica em um hospital campanha da Paraíba.

  • Orientador : SELMA SOUSA BRUNO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SELMA SOUSA BRUNO
  • GERSON FONSECA DE SOUZA
  • RENATA RAMOS TOMAZ BARBOSA
  • Data: 19/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • A covid-19 é uma doença ocasionada pelo coronavírus, uma patologia multisistêmica, inflamatória  que acomete principalmente o sistema respiratório, cardíaco, podendo  desencadear síndrome do desconforto respiratório, alterando múltiplos e de diversas formas os sinais fisiológicos, geralmente identificados de forma tardia, aumentando os riscos de paradas cardiorrespiratórias e até o óbito. Dessa forma, existem instrumentos que conseguem avaliar os sinais vitais diante do risco iminente. O NEWS foi desenvolvido como ferramenta de fácil aplicabilidade e com o objetivo de uniformizar e padronizar a avaliação e a resposta aos pacientes em deterioração diante os sinais fisiológicos apresentados durante a avaliação e podendo antecipar em termos de diagnóstico de deterioração precoce e terapêutica. Objetivos: o objetivo primário é avaliar a capacidade de predição da National Early Warning Score (NEWS) para estratificação de risco de gravidade em admissão de pacientes com diagnóstico de covid-19, além de analisar a tomada de decisão clínica fisioterapêutica a partir desse score. Método: uma corte transversal, retrospectivo e de caráter analítico, exploratório em amostra de 195 pacientes internos em hospital de campanha ao enfrentamento da covid-19 entre jun0 de outubro de 2021. Elegíveis pacientes acima de 18anos,de ambos os gêneros, com sinais, sintomas e diagnostico clinico e testagem rápida positiva para covid-19, encaminhados e admitidos no hospital de campanha, que realizaram intervenções fisioterapêuticas. Foram excluidos pacientes em cuidados paliativos ou casos cirúrgicos, AVE agudo, DPOC e asma exacerbado. A coleta foi feita nos prontuários físicos e eletrônicos, (TiMed) e um formulário de coleta de dados composto por blocos com as variáveis de interesse: dados demográficos e de admissão e permanência hospitalar, epidemiológicos, variáveis e parâmetros fisiológicos aferidos no escore NEWS e a tomada de decisão fisioterapêutica apontada. As variáveis desfecho serão tomadas quanto a capacidade de escore de risco de gravidade do NEWS e a relação desses com a tomada de decisão clínica fisioterapêutica. Foram identificados 195 prontuários de admissões com avaliação do NEWS escore, entretanto 21 pacientes foram excluídos dos resultados por apresentarem em seu diagnóstico clínico DPOC, idade 61anos (61,37±19,9), 59,9% homens, HAS (39%) e doenças cardiovasculares (8,9%) os antecedentes mais comuns, pelo NEWS, 30,5 e 26,4% dos pacientes apresentaram risco médio e alto sendo a frequência respiratória e saturação periférica de oxigênio os sinais mais afetados. O NEWS foi associado positivamente a introdução de oxigenioterapia (p=0,005) e ventilação não invasiva (p=0,035) pela equipe de fisioterapia em pacientes com baixo risco.


  • Mostrar Abstract
  • Covid-19 is a disease a multisystemic, inflamatory caused by the coronavirus, what affects mainly the respiratory and cardiac systems, causing respiratory distress syndrome, which consequently alters the physiological signs, usually identified late, increasing the risk of cardiorespiratory arrest and even death. Thus, there are instruments that can assess vital signs in the face of imminent risk. NEWS was developed as an easy-to-apply tool with the objective of standardizing and standardizing the assessment and response to deteriorating patients in view of the physiological signs presented during the assessment. Objective: the primary objective is to evaluate the predictive capacity of the National Early Warning Score (NEWS) for stratification of severity risk at admission of patients diagnosed with covid-19, in addition to analyzing physical therapy clinical decision-making based on this score. Method: the present study is cross-sectional, retrospective and analytical, exploratory of medical records of inpatients in a field hospital facing Covid-19. The sample will consist of physical/electronic medical records of patients who were regulated and admitted to Hospital Solidário, with a minimum age of 18 years, of both genders, with signs, symptoms and clinically diagnosed and with positive rapid testing for covid-19, referred and admitted to the field hospital, who underwent physiotherapeutic interventions, from June to October 2020. The exclusion criteria will be: patients in palliative care or surgical cases, acute stroke, COPD and exacerbated asthma. To the collection, data will be accessed from the electronic medical record system (TiMed) and a data collection form composed of blocks with the variables of interest: demographic data, admission and hospital stay, epidemiological data, variables and physiological parameters measured in the NEWS score and the indicated physiotherapeutic decision making. The main outcome variables will be analyzed and will be taken in terms of the NEWS severity risk score and their relationship with the physiotherapeutic clinical decision making. 195 medical recorders were indentifided with NEWS assesssment in the patients, however 21 were excluded by COPD acute, ageded 61yr (61,37±19,9), 59,9% men, sistolic hypertention (39%) and cardiovascular disease were (8,9%) the most commun, by the NEWS score, 30,5 and 26,4% of patients presented mediun and high risk respectively of having acute deterioration, beeing the respiratory rate and oxigen peripheral saturation the signs more affected. The NEWS was positively associated with oxigen supplemantation (p=0,005) and no invasive ventilation (p=0,035) by the physioterapist team in patients with low risk. 

13
  • ANDERSON SANTANA DE MORAIS
  • Oscilação ventilatória avaliada através do teste de esforço cardiopulmonar na insuficiência cardíaca.

  • Orientador : SELMA SOUSA BRUNO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SELMA SOUSA BRUNO
  • JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
  • NICOLE SOARES OLIVER CRUZ
  • Data: 29/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A insuficiência cardíaca (IC) é uma síndrome clinica complexa definida pela incapacidade do coração em gerar débito cardíaco. Além das alterações cardíacas, pacientes com IC apresentam alterações no controle ventilatório, como hiperventilação no repouso, durante o exercício ou durante o sono. A oscilação ventilatória (OV) é descrita como uma respiração periódica durante o exercício caracterizada com períodos de hipopneia e hiperpneia, sem interposição de apneia. É uma variável que pode ser encontrada durante o teste de esforço cardiopulmonar (TECP), onde pode aparecer como uma oscilação clínica do volume minuto (VE), com duração e amplitudes típicas, podendo ter diversas formas de apresentação, como a análise visual subjetiva através da avaliação de dois ou mais examinadores.  Recentemente foi criada uma medida objetiva e quantificável da OV, o índice de dispersão ventilatória (IDV), baseado num cálculo matemático levando em consideração a dispersão da ventilação ao longo do tempo do teste. OBJETIVO: Avaliar a oscilação ventilatória através do índice de dispersão ventilatória na insuficiência cardíaca durante o TECP. MATERIAL E MÉTODO: Trata-se de um estudo retrospectivo onde foram analisados os prontuários de pacientes com IC encaminhados para o serviço de Reabilitação Cardíaca do Hospital Universitário Onofre Lopes (CORE/HUOL/UFRN) submetidos ao TECP, no período de outubro de 2014 a junho de 2019. Foram incluídos os prontuários para análise os pacientes com IC diagnosticados pelo cardiologista, com classe funcional I, II e III segundo a New York Heart Association (NYHA) e com fração de ejeção reduzida e preservada. Os dados extraídos dos prontuários foram planilhados em tabela do Excel, com informações quanto: antropometria, carga da doença, carga medicamentosa, carga funcional, espirometria, ecocardiograma e dados do TECP. A identificação da OV foi feita por dois pesquisadores independentes e havendo concordância entre os mesmos, através de análise gráfica da VExTempo com filtro de 30 segundos, sendo positiva quando a amplitude da VE no exercício for maior que 15% da amplitude da VE no repouso e apresentar pelo menos 60% do tempo total de teste. Já o cálculo do IDV foi feito através de um cálculo matemático proposto anteriormente. A análise estatística foi feita Software Statistical Package for Social Science (SPSS – versão 20.0), inicialmente testada a normalidade dos dados (Kolmogorov-Smirnov (K-S) ou Shapiro-Wilk (S-W) testes); a estatística descritiva de variáveis paramétricas e não, apresentadas em média, desvio padrão, frequência, e quartis. Foi utilizada a curva ROC para analisar a capacidade do IDV para predizer a OV, por meio da área sob a curva (AUC). O teste de correlação de Pearson foi utilizado para analisar a relação entre o IDV e as variáveis da função pulmonar/TECP/estratificação de risco As hipóteses foram testadas com significância de 5%. RESULTADOS: Foram analisados dados  de 93 pacientes com IC, elegíveis ao estudo. A maioria da amostra foi masculina, não houve diferença significativa entre homens (n=65) e mulheres (n=28) para as variáveis de função ventilatória, FEVE e dispersão ventilatória. A média da idade no grupo foi de 50,8±14,2 anos, normopeso (média de IMC de 26,1±4,6), todos com insuficiência cardíaca e disfunção sistólica com fração ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE)  de 42,4±0,16%). I e II da NYHA foram as classes funcionais mais prevalentes. Na carga de doença, a HAS dominou em 66,3% seguida de diabetes (32,5%) e 12 pacientes apresentaram IAM prévio. Como carga medicamentosa, os pacientes faziam uso, principalmente, de anti-hipertensivos (85,7%) e betabloqueadores (80,5%). Quanto a carga funcional, a maioria dos pacientes eram sedentários (54,1%), e se enquadram com risco moderado (88,5%) após estratificação. A média da percepção de fadiga e dispneia relatada ao final do teste foi 14,2±3,4 e 14,8±3,3. A média do IDV analisada foi de 0,551±0,306. O IDV se associou moderada e positivamente (p<0,001) com volumes e capacidades medidos na espirometria. Observou-se ainda que o IDV associou-se positiva e moderadamente com as variáveis do TECP no repouso e pico de exercício, mostrando que quanto maior esses valores, maior o IDV. A associação da OV medida visualmente com o IDV apontou um cut-off point de 0,601 pelo índice de Younden no VDI, mostrando ter um bom poder discriminatório (p<0,001) para definir a dispersão ventilatória, com AUC de 0,84 (IC 0,75-0,93), especificidade de 63% e uma sensibilidade de 81%. CONCLUSÃO: O IDV é um método quantificável que mostra forte validade preditiva com a OV.


  • Mostrar Abstract
  • BACKGROUND: Heart failure (HF) is a complex clinical syndrome defined by the inability of the heart to generate cardiac output. In addition to cardiac alterations, patients with HF have alterations in ventilatory control, such as hyperventilation at rest, during exercise, or during sleep. Ventilatory oscillation (VO) is described as periodic breathing during exercise characterized by periods of hypopnea and hyperpnea, with no intervening apnea. It is a variable that can be found during cardiopulmonary exercise test (CPET), where it can appear as a clinical oscillation of the minute volume (VE), with typical duration and amplitudes, and may have different forms of presentation, such as subjective visual analysis through the evaluation of two or more examiners. Recently, an objective and quantifiable measure of OV was created, the “ventilatory dispersion index” (VDI), based on a mathematical calculation taking into account the dispersion of ventilation over the test time. OBJECTIVE: To evaluate ventilatory oscillation through the ventilatory dispersion index in heart failure during CPET. MATERIAL AND METHOD: This is a retrospective study that analyzed the medical records of patients with HF referred to the Cardiac Rehabilitation Service of the Hospital Universitário Onofre Lopes (CORE/HUOL/UFRN) submitted to CPET, from October 2014 to June 2019. The medical records were included for analysis of patients with HF diagnosed by the cardiologist, with functional class I, II and III according to the New York Heart Association (NYHA) and with reduced and preserved ejection fraction. The data extracted from the medical records were spreadsheetd in an Excel table, with information regarding: anthropometry, disease burden, drug load, functional load, spirometry, echocardiogram and CPET data. The identification of VO was carried out by two independent researchers and there was agreement between them, through graphic analysis of the VExTime with a 30-second filter, being positive when the LV amplitude during exercise is greater than 15% of the LV amplitude at rest and present at least 60% of the total test time. The IDV calculation was done through a mathematical calculation proposed by latelly. Statistical Package for Social Science Software (SPSS – version 20.0) was used statistical analysis, data normality (used Kolmogorov-Smirnov (K-S) or Shapiro-Wilk (S-W) tests; descriptive to parametric and non with mean and standard deviation and frequency and quartis.  significance level of 5%. The ROC curve was used to analyze the ability of the VDI to predict OV, through the area under the curve (AUC). Pearson's correlation test was used to analyze the relationship between VDI and lung function/CPET/risk stratification variables. Significance level of 5% was proposed to all hypotesis. RESULTS: Were anaysed data of 93 patients with HF eligible to study. The majority patients was male, without significant difference between men (n=65) and women (n=28) for the variables of ventilatory function, EFLV and ventilatory dispersion. Mean age in the group was 50.8±14.2 years, normoweight (mean BMI 26.1±4.6), all with heart failure and systolic dysfunction with EFLV of 42.4±0.16%). I and II were the most prevalent NYHA functional classes. In the burden of disease, SAH dominated in 66.3%, followed by diabetes (32.5%) and 12 patients had previous acute MI. As a drug load, patients used mainly antihypertensive drugs (85.7%) and beta-blockers (80.5%). As for the functional load, most patients were sedentary (54.1%), and were classified as having moderate risk (88.5%) after stratification. The mean perception of fatigue and dyspnea reported at the end of the test was 14.2±3.4 and 14.8±3.3. The analyzed VDI mean was 0.551±0.306. The VDI was moderately and positively associated with volumes and capacities measured in spirometry positively and moderately associated with the CPET variables (rest and peak of exercise) showing that the higher these values, the higher the VDI. The association of visually measured OV with the VDI showed a cut-off point of 0.601 by the Younden index in the VDI, showing good discriminatory power (p<0.001) to define the ventilatory dispersion, with an AUC of 0.84 (IC 0 .75-0.93), a specificity of 63% and a sensitivity of 81%. CONCLUSION: The IDV is a quantifiable method that shows strong predictive validity with the OV.

14
  • HESLI DE SOUSA HOLANDA
  • VALIDAÇÃO DA VERSÃO ELETRÔNICA DO PEDIATRIC ASTHMA CONTROL AND COMMUNICATION INSTRUMENT - PACCI

  • Orientador : KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • KAROLINNE SOUZA MONTEIRO
  • RENATA RAMOS TOMAZ BARBOSA
  • Data: 31/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Estão disponíveis diversos instrumentos validados para avaliar o controle da asma, todos em formato tradicional, com o propósito de auxiliar no cuidado e manejo da doença. Entretanto, instrumentos de medida em formato online e outros disponíveis também para dispositivos móveis estão cada vez mais usuais na prática clínica. Para a população brasileira, ainda não existem disponíveis questionários, em formato eletrônico, para avaliar o controle da asma em crianças e adolescentes. O formato eletrônico permite que de maneira remota e simples seja garantido o cuidado com a doença. Objetivo: Analisar as propriedades psicométricas para validação em formato eletrônico do Pediatric Asthma Control and Communication Instrumente-PACCI. Métodos: Este estudo seguiu as recomendações do Consensus Based Standards for the Selection of Health Measurement Instruments (COSMIN). Foram analizadas medidas de confiabilidade (consistência interna e teste-reteste), testes de correlação para validade de critério (PACCI x e-PACCI) e validade de construto (e-PACCI x Pediatric Quality of Life InventoryTM Asthma Module – PedsQLTM Asthma Module). Foi utilizado o software Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 22.0 para análise dos dados. Resultados: A amostra foi composta de 62 participantes, pais de crianças e adolescentes com asma. Estes responderam os questionários no formato entrevista e eletrônico, cuja sequência foi randomizada, respeitando um intervalo de 14 dias entre as avaliações. As medidas de confiabilidade apontam adequada consistência interna, (α de Cronbach = 0,84) e boa concordância no teste-reteste ICC: 0,87 (0,81-0,91) (p= 0,00). O teste de correlação de Spearman indica correlação moderada para o domínio controle da asma ao correlacionar a versão tradicional com a eletrônica  r= 0,52 (p = 0,00), para a versão eletrônica e o domínio preocupação do PedsQLTM Asthma Module também foi encontrado correlação moderada r= 0,63 (p = 0,00) e fraca correlação com o domínio problemas de tratamento r= 0,28 (p = 0,02). Conclusão: O formato eletrônico do questionário PACCI apresenta propriedades psicométricas confiáveis e válidas para ser aplicado na população de interesse.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Several validated instruments are available to assess asthma control, all in a traditional format, with the purpose of assisting in the care and management of the disease. However, measuring instruments in online format and others also available for mobile devices are becoming more in clinical practice. For the Brazilian population, electronic questionnaires are not yet available to assess asthma control in children and adolescents. The electronic format allows remote and simple care for the disease to be guaranteed. Objective: To analyze the psychometric properties for validation in electronic format of the Pediatric Asthma Control and Communication Instrument – e-PACCI. Methods: This study followed the recommendations of the Consensus Based Standards for the Selection of Health Measurement Instruments (COSMIN). Reliability measures (internal consistency and test-retest), correlation tests for criterion validity (PACCI x e-PACCI) and construct validity (e-PACCI x Pediatric Quality of Life InventoryTM Asthma Module – PedsQLTM Asthma Module) were analyzed. The Statistical Package for the Social Science (SPSS) software, version 22.0 was used for data analysis. Results: The sample consisted of 62 participants, parents of children and adolescents with asthma. They answered the questionnaires in the interview and electronic format, whose sequence was randomized, respecting an interval of 14 days between assessments. Reliability measures indicate adequate internal consistency (Cronbach's α = 0.84) and good agreement in the ICC test-retest: 0.87 (0.81-0.91) (p= 0.00). The Spearman correlation test indicates a moderate correlation for the asthma control domain when correlating the traditional version with the electronic version r= 0.52 (p = 0.00), for the electronic version and the concern domain of the PedsQLTM Asthma Module was also found moderate correlation r= 0.63 (p = 0.00) and weak correlation with the domain treatment problems r= 0.28 (p = 0.02). Conclusion: The electronic format of the PACCI questionnaire has reliable and valid psychometric properties to be applied to the population of interest.

15
  • ESMÍVANY LHARA DE FREITAS CASTRO
  • Avaliação não invasiva dos músculos respiratórios em sujeitos pós COVID-19

  • Orientador : GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MATIAS OTTO-YANES
  • GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • SAINT CLAIR GOMES BERNARDES NETO
  • Data: 15/09/2022

  • Mostrar Resumo
  • Resumo: Danos pulmonares e nas vias aéreas podem ser causados pela COVID-19, com isso, torna-se importate avaliar a musculatura respiratória dos sujeitos infectados pelo vírus. A pesquisa tem como objetivo avaliar de forma não invasiva as propriedades de contração e relaxamento dos músculos inspiratórios, assim como a atividade elétrica deles. Neste estudo transversal, desenvolvido no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL/EBSERH), a avaliação dos músculos respiratórios, quanto às propriedades de contração (TC e MRPD) e relaxamento (MRR, ½ RT e tau), e atividade elétrica pela eletromiografia de superfície (EMGs) dos músculos esternocleidomastoideo (ECOM), escaleno, paraesternal e reto abdominal, foi realizada de forma não invasiva através do teste SNIP, em 39 indivíduos pós COVID-19, (18 mulheres e 21 homens) comparados a 39 saudáveis (18 mulheres e 21 homens). A análise estatística foi realizada no programa GraphPad Prism 8 software, onde é considerado um alfa (a) de 5% como significância estatística e um poder do teste (power) de 80%. Das propriedades de relaxamento obtidas da curva do sniff, ½ RT obteve diminuição significativa no grupo COVID-19 (p<0,05) quando comparado a saudáveis. Em relação as propriedades de contração não houve diferenças significativas, porém foi observado maior valor no TC  nos sujeitos pós COVID-19. Além disso, não houve diferença significativa entre as variáveis eletromiográficas, contudo, percebeu-se auemento da atividade elétrica nos músculos ECOM (139,8 (110 – 167,8 vs 119 (79,2 – 193,6)), escaleno (212,2 (127,8 – 275) vs 135,9 (117,8 – 209)) e paraesternal (40 (32,7 – 54,6) vs 29,9 (11,7 – 63)). Dessa forma, concluímos que as propriedades de contração e relaxamento dos músculos inspiratórios, assim como a atividade elétrica desses músculos, não foram alteradas após a COVID-19. Contudo, mais estudos precisam ser realizados.



  • Mostrar Abstract
  • Abstract: Lung and airway damage can be caused by COVID-19, therefore, it is important to evaluate the respiratory muscles of subjects infected by the virus. The research aims to non-invasively assess the contraction and relaxation properties of inspiratory muscles, as well as their electrical activity. In this cross-sectional study, carried out at the Onofre Lopes University Hospital (HUOL/EBSERH), the assessment of respiratory muscles regarding their contraction (TC and MRPD) and relaxation (MRR, ½ RT and tau) properties, and electrical activity by surface electromyography (EMGs) of the sternocleidomastoid (SCOM), scalene, parasternal and rectus abdominis muscles was performed non-invasively using the SNIP test in 39 post-COVID-19 subjects (18 women and 21 men) compared to 39 healthy subjects (18 women). and 21 men). Statistical analysis was performed using the GraphPad Prism 8 software, where an alpha (a) of 5% is considered as statistical significance and a power of the test (power) of 80%. Of the relaxation properties obtained from the sniff curve, ½ RT obtained a significant decrease in the COVID-19 group (p<0.05) when compared to healthy individuals. Regarding the contraction properties, there were no significant differences, but a higher value was observed in the CT in the post-COVID-19 subjects. In addition, there was no significant difference between the electromyographic variables, however, there was an increase in electrical activity in the ECOM muscles (139.8 (110 - 167.8 vs 119 (79.2 - 193.6)), scalene (212 .2 (127.8 – 275) vs 135.9 (117.8 – 209)) and parasternal (40 (32.7 – 54.6) vs 29.9 (11.7 – 63)). we concluded that the contraction and relaxation properties of the inspiratory muscles, as well as the electrical activity of these muscles, were not altered after COVID-19. However, further studies need to be carried out.

16
  • JÉSSICA FERNANDES DE MEDEIROS
  • Impacto do abuso financeiro na mobilidade do idoso

  • Orientador : RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • DIMITRI TAURINO GUEDES
  • JULIANA FERNANDES DE SOUZA BARBOSA
  • Data: 21/10/2022

  • Mostrar Resumo
  •  

    Introdução: Uma das consequências do envelhecimento é o abuso de idosos. Os tipos de abuso incluem o financeiro, psicológico ou emocional, bem como físico, isto traz graves consequências para os sistemas de saúde pública e um alto risco de mortalidade para a pessoa idosa. Objetivo: Descrever a prevalência do abuso financeiro em pessoas idosas e seu impacto na mobilidade. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo longitudinal multicêntrico de natureza epidemiológica. A amostra será composta por indivíduos de ambos os sexos com idade entre 65 e 74 anos, residentes das cidades pesquisadas. Em Tirana, Manizales e Natal será utilizada uma amostra aleatória de idosos cadastrados nas unidades de atenção primária à saúde; em Kingston e Saint-Hyacinthe serão utilizados dados dos participantes que receberam uma carta de seus médicos de família, convidando-os a entrar em contato com o coordenador de campo da pesquisa. Durante a coleta, os indivíduos são submetidos a avaliação com instrumentos de medidas de violência, situação socioeconômica, condições de saúde e limitações de mobilidade. Os dados serão analisados utilizando a ferramenta Statistical Package for the Social Sciences Software – SPSS versão 20.0 e para todas as análises, será considerado um p≤0,05. Resultados: A prevalência do abuso financeiro varia entre as cidades, sendo mais baixa em Saint-Hyacinthe e Kingston e mais alta nas mulheres em Natal e Tirana. Ajustando para idade, sexo, nível de educação e cidade de pesquisa, aqueles que relataram abuso financeiro apresentaram maior comprometimento da mobilidade (β= 0,08; IC 95%: 0,31; 0,88). Os que residem em Kingston apresentaram melhores scores de mobilidade (β= 0,12; IC 95%: 0,10; 0,28). O efeito do abuso financeiro na mobilidade foi mediado por condições crônicas e sintomas de depressão. Conclusão: O abuso financeiro junto a fatores adversos contribui para desfechos negativos na mobilidade do idoso.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: One of the consequences of aging is elder abuse. The types of abuse include financial, psychological or emotional, as well as physical, this has serious consequences for public health systems and a high risk of mortality for the elderly. Objective: To describe the prevalence of financial abuse in the elderly and its impact on mobility. Materials and methods: This is an epidemiological multicenter longitudinal study. The sample will be composed of individuals of both sexes aged between 65 and 74 years, residents of the cities surveyed. In Tirana, Manizales and Natal, a random sample of elderly people registered in primary health care units will be used; in Kingston and Saint-Hyacinthe, data from participants who received a letter from their family physicians, inviting them to contact the research field coordinator will be used. During data collection, individuals are evaluated using instruments to measure violence, socioeconomic status, health conditions and mobility limitations. Data will be analyzed using the Statistical Package for the Social Sciences Software - SPSS version 20.0 tool and for all analyses, a p≤0.05 will be considered. Results: The prevalence of financial abuse varies between cities, being lowest in Saint-Hyacinthe and Kingston and highest among women in Natal and Tirana. Adjusting for age, sex, education level, and research city, those who reported financial abuse had greater mobility impairment (β= 0.08; 95% CI: 0.31; 0.88). Those residing in Kingston had better mobility scores (β= 0.12; 95% CI: 0.10; 0.28). The effect of financial abuse on mobility was mediated by chronic conditions and symptoms of depression. Conclusion: Financial abuse and adverse factors contributes to negative outcomes in the mobility of the elderly.

Teses
1
  • BARTOLOMEU FAGUNDES DE LIMA FILHO
  • EFEITOS DOS EXERGAMES NO EQUILÍBRIO CORPORAL DE IDOSOS DIABÉTICOS: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
  • Orientador : FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE BRAGA GALVAO SILVEIRA FERNANDES
  • FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • HELOISA MARIA JACOME DE SOUSA BRITTO
  • SILVANA LOANA DE OLIVEIRA SOUZA
  • THAIZA TEIXEIRA XAVIER NOBRE
  • Data: 21/02/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A presença de Diabetes Mellitus tipo 2 se relaciona diretamente com déficit funcional, baixo desempenho físico e até risco de quedas em idosos. Uma das complicações mais importantes para esse público é o desequilíbrio corporal. O exercício físico é um dos tratamentos mais indicados. Dentre as técnicas mais utilizadas, o treinamento baseado no fortalecimento, alongamento, flexibilidade e relaxamento induz melhora no equilíbrio postural do idoso diabético. Outra estratégia é a utilização de exergames, utilizados para recuperação funcional do equilíbrio postural. Objetivo: investigar a influência de um protocolo de exergames no equilíbrio corporal de idosos com Diabetes Mellitus tipo 2. Metodologia: Trata-se de um ensaio clínico randomizado com registro RBR-67y6cz no REBEC. Foram incluídos indivíduos com idade entre 65 e 79 anos, diabéticos, com queixa de desequilíbrio, risco de queda, sem déficit cognitivo e com neuropatia periférica leve ou moderada. As sessões tiveram duração de 40 minutos, 2 vezes por semana, durante 12 semanas. Para ambos os grupos, em todas as seções, foi realizado inicialmente um protocolo de fortalecimento de membros inferiores (10 min). Os indivíduos do grupo controle (GC) realizaram um protocolo de cinesioterapia (40min) com foco no equilíbrio; os do grupo experimental (GE) utilizaram jogos (40min) que simulam o protocolo do GC (free run, soccer heading, pinguim slide, island cycling, tilt table, free steps e balance bubble). Eles foram avaliados antes e após o tratamento e no período de seguimento de 3 meses. Foram avaliados dados funcionais de equilíbrio (MiniBesTest), desempenho funcional (Short Physical Performance Battery), capacidade funcional (Brazilian OARS Multidimensional Functional Assessment Questionaire), força de preensão palmar por dinamômetro manual e confiança no equilíbrio (ABC scale). Foi utilizada uma ANOVA mista 2x3 para comparar os desfechos entre os dois grupos e nos três momentos de avaliação. Resultados: ao total, 34 indivíduos compuseram o estudo, randomizados em 17 no GC e 17 no GE. Para o grupo controle, houve diferença estatística entre T1 e T2 para o SPPB (p=0,001), FPP (p=0,003) e BOMFAQ (p=0,035); entre T1 e T3 apenas para o SPPB (p=0,02) e FPP (p=0,01). Já para o grupo experimental, houve diferença estatística nos 3 tempos para o MBT (p<0,001; p=0,04; p=0,05), entre T1 e T2 para o SPPB (p<0,001) e ABC scale (p=0,04); e entre T2 e T3 para o SPPB (p=0,02). Conclusão: o protocolo de exergames foi eficaz para promover melhora no equilíbrio corporal de idosos diabéticos, porém, o protocolo em questão não foi eficaz para promover melhoria de força de preensão palmar e independência para atividades de vida diária nesse público.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The presence of type 2 Diabetes Mellitus is directly related to functional deficit, low physical performance and even risk of falls in the elderly. One of the most important complications for this audience is body imbalance. Physical exercise is one of the most indicated treatments. Among the most used techniques, training based on strengthening, stretching, flexibility and relaxation induces an improvement in the postural balance of the diabetic elderly. Another strategy is the use of exergames, used for functional recovery of postural balance. Objective: to investigate the influence of an exergames protocol on the body balance of elderly people with type 2 Diabetes Mellitus. Methodology: This is a randomized clinical trial with RBR-67y6cz registration at REBEC. Individuals aged between 65 and 79 years, diabetics, with complaints of imbalance, risk of falling, without cognitive deficit and with mild or moderate peripheral neuropathy were included. The sessions lasted 40 minutes, twice a week, for 12 weeks. For both groups, in all sections, a protocol for strengthening the lower limbs was initially performed (10 min). Individuals in the control group (CG) performed a kinesiotherapy protocol (40min) focused on balance; those in the experimental group (EG) used games (40min) that simulate the GC protocol (free run, soccer heading, penguin slide, island cycling, tilt table, free steps and balance bubble). They were evaluated before and after treatment and at the 3-month follow-up period. Functional balance data (MiniBesTest), functional performance (Short Physical Performance Battery), functional capacity (Brazilian OARS Multidimensional Functional Assessment Questionnaire), hand grip strength by hand dynamometer and balance confidence (ABC scale) were evaluated. A 2x3 mixed ANOVA was used to compare the outcomes between the two groups and in the three evaluation moments. Results: in total, 34 individuals composed the study, randomized into 17 in the CG and 17 in the EG. For the control group, there was a statistical difference between T1 and T2 for SPPB (p=0,001), FPP (p=0,003) and BOMFAQ (p=0,035); between T1 and T3 only for SPPB (p=0,02) and FPP (p=0,01). For the experimental group, there was a statistical difference in the 3 times for the MBT (p<0,001; p=0,04; p=0,05), between T1 and T2 for the SPPB (p<0,001) and ABC scale (p=0,04); and between T2 and T3 for SPPB (p=0,02). Conclusion: the exergames protocol was effective to promote improvement in the body balance of elderly diabetics, however, the protocol in question was not effective to promote improvement in hand grip strength and independence for activities of daily living in this population.

2
  • NICIA FARIAS BRAGA MACIEL
  • Aspectos biomecânicos integrados de ombro, coluna vertebral e quadril em indivíduos com e sem dor no ombro

  • Orientador : CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • GERMANNA DE MEDEIROS BARBOSA
  • LIDIANE LIMA FLORENCIO
  • JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA
  • MICHELE FORGIARINI SACCOL
  • Data: 02/05/2022

  • Mostrar Resumo
  • A dor no ombro é um sintoma de origem multifatorial que pode estar relacionado a estruturas que compõe a cadeia cinética. O objetivo geral dessa tese é analisar as relações entre o ombro e a cadeia cinética referentes à mobilidade articular, resistência muscular e controle neuromuscular de indivíduos com e sem dor no ombro. Participaram do estudo 102 indivíduos (51 com e 51 sem dor no ombro) sedentários ou irregularmente ativos. Foram avaliados a amplitude de movimento (ADM) e o tempo de resistência muscular da coluna cervical, toracolombar e quadril, e o controle neuromuscular dos membros inferiores por meio do teste Star Excursion Balance Test - SEBT. Os resultados desta tese são apresentados em três estudos: 1 - Alterações motoras na cadeia cinética em indivíduos com dor crônica no ombro; 2 - Avaliação da mobilidade articular e da resistência muscular da coluna cervical e sua capacidade discriminativa para dor no ombro; e 3 - Fatores relacionados à resistência dos músculos periescapulares na dor no ombro. O estudo 1 verificou que, de modo geral, os indivíduos com dor no ombro apresentaram uma menor ADM em todos os movimentos avaliados, reduzido tempo de resistência dos músculos da coluna toracolombar e quadril; e menor controle neuromuscular dos membros inferiores nos lados ipsilateral e contralateral à dor. Uma maior percepção dolorosa foi verificada nos indivíduos com dor durante todas as avaliações de ADM e resistência muscular. Além disso, o controle neuromuscular no alcance anterior do membro contralateral ao ombro doloroso apresentou capacidade excelente de discriminar indivíduos com dor no ombro. No estudo 2 foram observadas uma redução da ADM e do tempo de resistência dos músculos da coluna cervical, com aumento da percepção dolorosa das regiões avaliadas. A mobilidade em flexão e rotação cervical contralateral e a resistência dos flexores laterais ipsilaterais demonstram habilidade aceitável para discriminar indivíduos com dor no ombro. No estudo 3, observou-se uma correlação positiva entre a resistência dos músculos periescapulares e os da cadeia cinética (coluna e quadril). A resistência dos extensores cervicais, extensores toracolombares, abdutores do quadril bilaterais e extensores do quadril contralaterais à dor do ombro explicaram a variação da resistência dos músculos periescapulares. A idade, tempo e intensidade da dor, função do ombro e as resistências dos flexores e flexores laterais toracolombares não apresentaram correlações significativas com a resistência dos músculos periescapulares. Nossos resultados mostram a importância de analisar os elementos da cadeia cinética na abordagem fisioterapêutica de indivíduos com dor crônica no ombro, sinalizando que fatores como hipersensibilização central e interdependência regional podem interferir nessas interrelações biomecânicas.


  • Mostrar Abstract
  • Shoulder pain is a multifactorial origin symptom that may be related to structures that are part of the kinetic chain. The general objective of this thesis is to analyze the relationships between the shoulder and the kinetic chain referring to joint mobility, muscular endurance and neuromuscular control of individuals with and without shoulder pain. The study included 102 sedentary or irregularly active individuals (51 with and 51 without shoulder pain). The range of motion (ROM) and the time of muscular resistance of the cervical, thoracolumbar and hip spine, and the neuromuscular control of the lower limbs were evaluated using the Star Excursion Balance Test - SEBT. The results are presented in three studies: 1 - Motor alterations in the kinetic chain in individuals with chronic shoulder pain; 2 - Evaluation of joint mobility and muscle resistance of the cervical spine and its discriminative capacity for shoulder pain; and 3 - Factors related to resistance of periscapular muscles in shoulder pain. Study 1 found that, in general, individuals with shoulder pain presented a lower ROM in all movements evaluated, reduced resistance time of the thoracolumbar and hip spine muscles; and lower neuromuscular control of the lower limbs on the ipsilateral and contralateral sides to pain. A greater pain perception was observed in individuals with pain during all evaluations of ROM and muscle endurance. In addition, neuromuscular control in the anterior range of the limb contralateral to the painful shoulder presented excellent ability to discriminate individuals with shoulder pain. In study 2, a reduction in ROM and resistance time of cervical spine muscles was observed, with increased pain perception of the evaluated regions. Mobility in contralateral cervical flexion and rotation and resistance of ipsilateral lateral flexors demonstrate acceptable ability to discriminate individuals with shoulder pain. In study 3, a positive correlation was observed between the resistance of the periscapular muscles and kinetic chain muscles (spine and hip). The resistance of cervical extensors, thoracolumbar extensors, bilateral hip abductors, and contralateral hip extensors to shoulder pain explained the variation in resistance of the periscapular muscles. Age, time and intensity of pain, shoulder function and resistance of thoracolumbar lateral flexors and flexors did not present significant correlation with resistance of periscapular muscles. Our results show the importance of analyze the elements of the kinetic chain in the physical therapy approach of individuals with chronic shoulder pain, determining that factors such as central sensitization and regional interdependence may interfere in these biomechanical interrelationships.

3
  • RAFAELLA SILVA DOS SANTOS AGUIAR GONÇALVES
  • Aspectos psicométricos e biológicos da fragilidade e massa muscular em idosos comunitários: Resultados do estudo PRO-EVA

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • DANIELE SIRINEU PEREIRA
  • Philipe de Souto Barreto
  • RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
  • Data: 28/06/2022

  • Mostrar Resumo
  • Resumo

    Introdução: Fragilidade é uma síndrome biológica caracterizada pelo aumento da vulnerabilidade física e psicológica e redução da resistência a estressores, reservas fisiológicas e da capacidade intrínseca de um indivíduo. O desenvolvimento dessa condição parece estar, em partes, associado aos mecanismos biológicos envolvidos no processo de envelhecimento, tornando essencial compreender melhor tais mecanismos. A fragilidade é amplamente relacionada à diminuição da massa muscular corporal, que reflete em consequências físicas e sociais para os idosos. O uso de instrumentos e modelos de baixo custo e fácil aplicabilidade para o rastreio da fragilidade e da baixa massa muscular em idosos é factível na atenção primária em saúde, uma vez que os seus diagnósticos são complexos e requerem uso de tecnologias de alto custo. Objetivo: Compreender os aspectos biológicos da fragilidade e da baixa massa muscular, além de possibilitar o rastreio de ambas as condições por meio de medidas psicométricas. Métodos: Essa tese retrata uma revisão narrativa e dois estudos transversais compostos por 786 idosos comunitários residentes em Parnamirim (Rio Grande do Norte), com idade igual ou superior a 60 anos. Foram coletados dados sociodemográficos, antropométricos, de composição corporal e de desempenho físico. Foi avaliada a acurácia diagnóstica do Short Physical Performance Battery (SPPB), um instrumento simples e de baixo custo, para rastrear fragilidade e pré-fragilidade. Para o rastreio da baixa massa muscular, foram realizadas análises com árvore de regressão para identificação de um modelo. Para a revisão narrativa, foram reunidas informações acerca da associação entre biomarcadores do fenótipo de envelhecimento proposto por López-Otín et al. (2013) e fragilidade. Resultados: O SPPB apresentou uma boa acurácia diagnóstica para discriminar idosos não-frágeis de frágeis usando um ponto de corte de 9 pontos no escore total. Para a identificação da pré-fragilidade, o SPPB apresentou medidas de acurácia diagnóstica de baixas a moderadas, porém, foi verificado que esse instrumento pode ajudar no rastreio de idosos pré-frágeis a partir do ponto de corte de 

    ≤11 pontos. Para o rastreio da baixa massa muscular, foi desenvolvido um algoritmo com alta acurácia, baseado nos fatores de Índice de Massa Corporal (IMC) (valores ≤ 22,7 kg/m² para homens e ≤ 24,9 kg/m² para mulheres), sexo (feminino), perímetro de panturrilha (valores ≤ 31,7 cm para mulheres com IMC ≤ 24,9 kg/m²) e uso de psicotrópicos em indivíduos com IMC > 29,4 kg/m². Em relação à revisão narrativa, foram identificados os principais biomarcadores do envelhecimento associados à fragilidade: número de cópias do DNA mitocondrial, tamanho dos telômeros, metilação global do DNA, Hsp70, Hsp72, IGF-1, SIRT1, GDF-15, porcentagem das células CD4+ e CD8+, células progenitoras osteogênicas circulantes, IL-6, CRP e TNF-alfa. Conclusões: A identificação de fragilidade é possível por meio do SPPB, uma vez que este apresenta boa acurácia diagnóstica para discriminar idosos não-frágeis de frágeis usando um ponto de corte de 9 pontos no escore total, sendo melhor para identificar aqueles indivíduos não-frágeis. Apesar da acurácia diagnóstica do SPPB em detectar pré-fragilidade ter sido de moderada à baixa, esse instrumento pode ajudar no rastreio desses idosos, permitindo a implementação de intervenções precoces. O rastreio da baixa massa muscular pode ser realizado por meio do algoritmo desenvolvido neste estudo, o qual apresentou alta acurácia, com base nos fatores de IMC, sexo, perímetro de panturrilha e uso de psicotrópicos. Por fim, dentre os principais biomarcadores do envelhecimento associados à fragilidade, o IGF-1, SIRT1, GDF-15, IL-6, CRP e TNF-alfa apresentaram evidências mais robustas, destacando a importância da inflamação e detecção de nutrientes em fragilidade.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Frailty is a biological syndrome characterized by an increase in physical and psychological vulnerability and reduced resistance to stressors, physiological reserves and intrinsic capacity of an individual. The development of this condition seems to be, in parts, associated with the biological mechanisms involved in the aging process, making it essential to better understand these mechanisms. Frailty is widely associated with decreased body muscle mass, which has physical and social consequences for the older adults. The use of low-cost and easily applicable instruments and models for screening for frailty and low muscle mass in the older adults is feasible in primary health care, since their diagnoses are complex and require the use of high-cost technologies. Aim: To understand the biological aspects of frailty and low muscle mass, in addition to enabling the screening of both conditions through psychometric measures. Methods: This thesis presents a narrative review and two cross-sectional studies composed of 786 community-dwelling older adults residents in Parnamirim (Rio Grande do Norte), aged 60 or over. Sociodemographic, anthropometric, body composition and physical performance data were assessed. Short Physical Performance Battery (SPPB) diagnostic accuracy was evaluated for frailty and pre-frailty screening. For the screening of low muscle mass, analyzes were performed with a regression tree to identify a model. For the narrative review, information was gathered about the association between biomarkers of the aging phenotype proposed by López-Otín et al. (2013) and frailty. Results: SPPB has good diagnostic accuracy to discriminate between non-frail and frail older adults using a cut-off point of ≤9 points. For the identification of pre-frailty, SPPB presented measures of diagnostic accuracy from low to moderate, however, it was verified that this instrument can help in screening pre-frail older adults from the cut-off point of ≤11 points in total SPPB score. For the screening of low muscle mass, an algorithm with high accuracy was developed based on the factors of Body Mass Index (BMI) (values ≤ 22.7 kg/m² for men and ≤ 24.9 kg/m² for women), sex (female), calf circumference (values ≤ 31.7 cm for women with a BMI ≤ 24.9 kg/m²) and use of psychotropic drugs in individuals with a BMI > 29.4 kg/m². Regarding the narrative review, the main biomarkers of aging associated with frailty were identified: mitochondrial DNA (mtDNA) copy number, telomere length, global DNA methylation, Hsp70, Hsp72, IGF-1, SIRT1, GDF-15, CD4+ and CD8+ cell percentages, circulating osteogenic progenitor cells, IL-6, CRP and TNF-alpha. Conclusions: The identification of frailty is possible through the SPPB, since it has good diagnostic accuracy to discriminate between non-frail and frail older people using a cut-off point of 9 points in the total score, being better to identify those non-frail individuals. Although the SPPB's diagnostic accuracy in detecting pre-frailty was moderate to low, this instrument can help in the screening of these older adults, allowing the implementation of early interventions. The screening of low muscle mass can be possible using the developed algorithm in this study, which showed high accuracy, based on the factors of BMI, sex, calf circumference and use of psychotropic drugs. Finally, among the main biomarkers of aging associated with frailty, IGF-1, SIRT1, GDF-15, IL-6, CRP and TNF-alpha presented more robust evidence, highlighting the importance of inflammation and nutrient sensing on frailty.

4
  • DANIEL GERMANO MACIEL
  • Percepção subjetiva de esforço no controle de carga de exercícios resistidos durante a reabilitação de disfunções do joelho

  • Orientador : WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • RODRIGO SCATTONE DA SILVA
  • ARNALDO LUIS MORTATTI
  • FABIO VIADANNA SERRÃO
  • JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA
  • Data: 29/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • A ruptura do ligamento cruzado anterior (LCA) e a osteoartrite do joelho (OAJ) são as desordens musculoesqueléticas mais prevalentes do joelho. A reabilitação com treinamento de resistência progressivo é recomendada para ambos os distúrbios. A avaliação do esforço percebido (RPE) é amplamente utilizada para prescrever, monitorar e controlar a carga de exercício. No entanto, a falta de descrição metodológica detalhada e a variabilidade no uso do PSE podem dificultar sua validade. Esta revisão de escopo resume os aspectos metodológicos do uso do EPR em exercícios resistidos durante a reconstrução do LCA e reabilitação do KOA. Esta revisão de escopo foi desenvolvida seguindo o Joanna Briggs Institute e a extensão Preferred Reporting Items for Systematic Reviews e Meta-Análises Statement para Scoping Reviews. A busca foi realizada nas bases de dados Medline/PubMed, Embase, CINAHL, PEDro, Central e SPORTDiscus. Os termos “reabilitação do ligamento cruzado anterior”, “osteoartrite do joelho” e “exercício resistido” e seus sinônimos serão utilizados isoladamente e combinados (operadores booleanos AND/OR/NOT). Dois revisores conduziram de forma independente a triagem de títulos e resumos e avaliaram textos completos de artigos potencialmente elegíveis. Os dados relacionados ao desenho do estudo, amostra, características da intervenção e resultados do RPE foram extraídos, resumidos e analisados qualitativamente. Os aspectos metodológicos como “tipo de escala”, “termos” e a “intensidade do exercício” são frequentemente reportados (75%-87% dos estudos). Entretanto, “familiarização”, “ancoragem”, “instruções”, “paradigma estimativa x produção”, “PSE local x global” e o “momento de registro” são pouco descritos (máximo de 22% dos estudos). A descrição do uso da PSE nos estudos de reabilitação de LCA-R e OAJ é pobre. Os aspectos metodológicos deveriam ser melhor reportados para garantir uma padronização, melhorar a validade da escala e permitir a reprodução do estudo.


     


  • Mostrar Abstract
  • Anterior cruciate ligament (ACL) rupture and knee osteoarthritis (KOA) are the most prevalent musculoskeletal disorders of the knee. Rehabilitation with progressive training is recommended for both disorders. Rating of perceived effort (RPE) is used to prescribe, assess, and control exercise load. However, the lack of detailed methodological description and the variability in the use of the PSE may hamper its validity. This review summarizes the methodological aspects of using RPE in resistance exercise during ACL maintenance and KOA rehabilitation. This scoping review was developed following the Joanna Briggs Institute and the Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analysis Statement for Scoping Reviews extension. The search was performed in Medline/PubMed, Embase, CINAHL, PEDro, Central and SPORTDiscus databases. The terms “rehabilitation of the anterior cruciate ligament of the knee”, “osteoation of the cruciate ligament arthrosis- Two review reviewers are independent in the selection of titles and evaluation titles and evaluation of independent full-text manuscripts. Data related to study design, sample, intervention characteristics and RPE results were extracted, summarized and qualitatively. Methodological aspects such as “scale type”, “terms” and “exercise intensity” are frequently reported (75%-87% of studies). However, “familiarization”, “anchoring”, “instructions”, “estimate x production paradigm”, “local x global PSE” and the “registration moment” are poorly known (maximum of 22% of the studies). The description of the use of RPE in ACL-R and KOA rehabilitation studies is poor. Methodological aspects should be better reported to ensure standardization, improve the validity of the scale and allow for the reproduction of the study.

5
  • ANDERSON RODRIGUES DE OLIVEIRA
  • Avaliação dos parâmetros eletromiográficos, morfológicos e funcionais da regeneração do nervo isquiático de animais diabéticos submetidos ao tratamento de oxigenoterapia hiperbárica

  • Orientador : WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIO LIMA BRASIL
  • FERNANDO AUGUSTO LAVEZZO DIAS
  • FLAVIO SANTOS DA SILVA
  • NAISANDRA BEZERRA DA SILVA FARIAS
  • WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • Data: 30/07/2022

  • Mostrar Resumo
  • Diabetes Mellitus (DM) é uma doença complexa que exige uma assistência médica contínua para a redução dos fatores de risco, além do controle glicêmico. Entre as principais complicações da DM, destacam-se as desordens micro e macrovasculares relacionadas aos sistemas renal, cardiovascular e nervoso. A oxigenoterapia hiperbárica (OTH) envolve uma administração intermitente de 100% de O2 sob alta pressão, a qual poderia diminuir os danos oriundos de hipoxemia e hipóxia tecidual em lesões nervosas. Objetivo: Analisar os efeitos da OTH na regeneração do nervo isquiático em ratos diabéticos. Métodos: foram utilizados 49 ratos machos da linhagem Wistar, com 60 dias de idade, pesando cerca de 220-300g, divididos em quatro grupos: C (animais normoglicêmicos), C+L (animais normoglicêmicos submetidos a lesão neural compressiva), DM+L (animais diabéticos submetidos lesão neural compressiva), DM+L+OTH (animais diabéticos submetidos lesão neural compressiva e OTH). Inicialmente os animais dos grupos diabéticos foram submetidos a indução da DM por Streptoozotocina (STZ) e os animais dos grupos com lesão, foramo submetidos a indução de lesão no nervo ciático. Para o protocolo de tratamento, os animais foram submetidos à OTH com pressão no interior da câmara de 3 atmosferas absolutas (ATA) num índice de 2 ATA/min e serão mantidos nessa pressão por 60 min. A câmara foi ventilada com 100% de O2 a um fluxo de 20 L/min a fim de minimizar acúmulo de CO2. Foram avaliadas as variáveis morfológicas por meio de técnicas de histologia, eletromiográficas (Amplitude de pico, duração do pulso e a velocidade de condução) e funcionais por meio do sciatic function index (SFI). A análise estatística foi realizada por meiode uma análise de variância (ANOVA), teste de Tukey, Kruskal Wallis e o post hoc de Dunn’s. Resultados: os animais dos grupos DM+L e DM+L+OTH apresentaram aumento significativos nos níveis de glicose em comparação com os grupos controle (p<0,001) e ao final do experimento foi observado redução significativa no peso corporal dos grupos diabéticos em relação ao grupo controle (p<0,001). Houve aumento significativo no numero de axônios no grupo GD+L em comparação aos grupos GC(p<0,05) e GC+L (p<0,05). Com relação as variáveis eletrofisiológicas o grupo GDL+L+OTH apresentou melhora significativa quando comparado aos grupos GC (p<0,01) e GD+L (p<0,01). Na avaliação da funcionalidade por meio do SFI o grupo GD+L+OTH apresentou melhora significativa quando comparado ao grupo GD+L (p<0,001). Conclusão: A OTH promoveu melhora no desempenho funcional e na amplitude do sinal eletrofisiológico de ratos diabéticos submetidos a lesão do nervo ciático. 


  • Mostrar Abstract
  • Diabetes Mellitus (DM) is a complex disease that requires continuous medical care to reduce risk factors, in addition to glycemic control. Among the main complications of DM, micro and macrovascular disorders related to the renal, cardiovascular and nervous systems stand out. Hyperbaric oxygen therapy (THO) involves intermittent administration of 100% O2 under high pressure, which could reduce damage from hypoxemia and tissue hypoxia in nerve injuries. Objective: To analyze the effects of OTH on sciatic nerve regeneration in diabetic rats. Methods: 49 male Wistar rats, 60 days old, weighing about 220-300g, were divided into four groups: C (normoglycemic animals), C+L (normoglycemic animals submitted to compressive neural injury), DM+ L (diabetic animals submitted to compressive neural injury), DM+L+OTH (diabetic animals submitted to compressive neural injury and OTH). Initially, the animals of the diabetic groups were submitted to DM induction by Streptoozotocin (STZ) and the animals of the groups with lesion were submitted to the induction of sciatic nerve lesion. For the treatment protocol, the animals were submitted to OTH with pressure inside the chamber of 3 absolute atmospheres (ATA) at a rate of 2 ATA/min and will be maintained at this pressure for 60 min. The chamber was ventilated with 100% O2 at a flow of 20 L/min to minimize CO2 buildup. Morphological variables were evaluated using histology, electromyographic (peak amplitude, pulse duration and conduction velocity) and functional variables using the sciatic function index (SFI). Statistical analysis was performed using an analysis of variance (ANOVA), Tukey's test, Kruskal Wallis and Dunn's post hoc test. Results: the animals in the DM+L and DM+L+OTH groups showed a significant increase in glucose levels compared to the control groups (p<0.001) and at the end of the experiment a significant reduction in body weight was observed in the diabetic groups in relation to the control group (p<0.001). There was a significant increase in the number of axons in the GD+L group compared to the GC (p<0.05) and GC+L (p<0.05) groups. Regarding the electrophysiological variables, the GDL+L+OTH group showed significant improvement when compared to the GC (p<0.01) and GD+L (p<0.01) groups. In the assessment of functionality through the SFI, the GD+L+OTH group showed a significant improvement when compared to the GD+L group (p<0.001). Conclusion: OTH promoted an improvement in functional performance and in the amplitude of the electrophysiological signal in diabetic rats submitted to sciatic nerve injury. 

6
  • THAYLA AMORIM SANTINO
  • NOVAS FERRAMENTAS PARA AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DO CONTROLE DA ASMA PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES BRASILEIROS


  • Orientador : KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA CARLA CARVALHO COELHO
  • CELSO RICARDO FERNANDES DE CARVALHO
  • JOAO CARLOS ALCHIERI
  • KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • Data: 31/08/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A avaliação e o monitoramento rotineiro do controle da asma são aspectos essenciais para um adequado manejo e tratamento da doença, principalmente na infância e adolescência. Apesar da existência de questionários adaptados para avaliar o controle da asma na população brasileira pediátrica, estes apresentam limitações principalmente relacionadas à falta de adequação estrutural para sua aplicabilidade em faixas etárias distintas da infância à adolescência. Objetivo: Disponibilizar novos instrumentos de avaliação, suporte e monitoramento do controle da asma pediátrica para a população brasileira. Métodos e resultados: Foram realizados três estudos, resultando em 5 artigos (1 publicado, 3 para submissão imediata após a implementação das considerações da banca e 1 manuscrito para posterior finalização). O estudo 1 compreende uma revisão sistemática das propriedades de medida dos instrumentos existentes para avaliação do controle da asma. Os métodos do referido estudo seguiram as recomendações do Consensus-based Standards for the selection of health Measurement Instruments (COSMIN). Esta sumariza 79 estudos, contemplando 39 instrumentos. O estudo 2 compreende o processo de tradução, adaptação transcultural e avaliação das propriedades de medida do instrumento pediátrico Asthma Therapy Assessment Questionnaire (ATAQ) para a população brasileira. Este estudo foi conduzido de acordo com recomendações internacionais propostas. O questionário traduzido, considerando suas instruções, itens e opções de resposta, foi considerado adequado pelo comitê multidisciplinar de especialistas (Kappa de fleiss > 0,70) e pela população-alvo (30 pais/responsáveis por crianças ou adolescentes com asma entre 5 e 17 anos). A versão brasileira do ATAQ apresentou evidências de validade e confiabilidade investigadas a partir de uma amostra de 118 participantes. O estudo 3 compreende o desenvolvimento e validação de conteúdo de um sistema eletrônico de Avaliação, Suporte e Monitoramento da Asma (e-ASMA), que contempla instrumentos de medida em saúde (questionário e diário) em três versões destinadas a crianças, adolescentes e pais/cuidadores e o protótipo de um aplicativo para dispositivos móveis. O desenvolvimento e análise da validade de conteúdo dos instrumentos foram realizados de acordo com o COSMIN. Foram realizados grupos focais com representantes do público-alvo (5 crianças, 5 adolescentes e seus pais/responsáveis) para construção do modelo conceitual teórico e subsidiar a geração dos itens. A revisão sistemática realizada no estudo 1 permitiu a identificação de 229 itens e destes, 36 itens foram inicialmente elencados como relevantes para o questionário e 14 itens para o diário. Etapas seguintes de refinamento, resultaram na geração de 32 itens para o questionário e 5 itens para o diário que posteriormente foram analisados, modificados e aprovados por um painel de especialistas (n=6), resultando na exclusão de 12 itens. Em sequência, estes itens foram administrados por meio de entrevistas em profundidade em uma amostra de 10 crianças (7-11 anos) e 6 adolescentes (12 a 18 anos) e 21 pais/responsáveis, sendo destes 6 pais/responsáveis por crianças de 4-6 anos. Conclusões: A revisão sistemática identificou que diversos instrumentos de medida foram desenvolvidos para avaliar o controle da asma em faixas etárias limitadas. Estes instrumentos utilizam diferentes escalas de resposta que em sua maioria foram desenvolvidos em inglês. A versão brasileira do instrumento pediátrico ATAQ encontra-se culturalmente adaptada e apresenta evidências de validade e confiabilidade para o português do Brasil. As versões do questionário e diário que compõem o sistema e-ASMA demonstraram evidências de validade de conteúdo. Os estudos que compõem esta tese podem nortear pesquisas futuras de relacionadas ao controle da asma pediátrica além de alicerçar a investigação das demais propriedades de medida dos instrumentos propostos para o e-ASMA e o seu protótipo.


  • Mostrar Abstract
  • Background: The assessment and routine monitoring of asthma control are essential aspects for an adequate management and treatment of the disease, especially in childhood and adolescence. Despite the existence of adapted questionnaires to assess asthma control in the Brazilian pediatric population, these have limitations mainly related to the lack of structural adequacy for its applicability in different age groups from childhood to adolescence. Objectives: To provide novel instruments for assessing, supporting, and monitoring pediatric asthma control for Brazilian population. Methods and results: Three studies were carried out, resulting in 5 papers (1 published, 3 for immediate submission after implementing the suggestions provided the committee and 1 manuscript for further finalization). Study 1 comprises a systematic review of measurement properties of existing measures for asthma control assessment. The methods of this study followed the Consensus-based Standards for the selection of health Measurement Instruments (COSMIN). This review summarizes 79 studies, covering 39 instruments. Study 2 comprises the process of translation, cross-cultural adaptation, and evaluation of the measurement properties of the Pediatric Asthma Therapy Assessment Questionnaire (ATAQ) for the Brazilian population. This study was conducted according to international recommendations. The translated questionnaire, considering its instructions, items and response options, was considered adequate by the multidisciplinary committee of experts (Fleiss’ kappa > 0.70) and by the target population (30 parents/caregivers of children or adolescents with asthma between 5 and 17 years). The Brazilian version of the ATAQ presented evidence of validity and reliability investigated in a sample of 118 participants. Study 3 comprises the development and content validation of an electronic system for the Assessment, Support and Monitoring of Asthma (e-ASMA), which includes measurement instruments in health (questionnaire and diary) in three versions to children, adolescents and parents/caregivers and the prototype of a mobile app. The development and analysis of the content validity of these instruments were performed according to COSMIN. Focus groups were held with representatives of the target population (5 children, 5 adolescents and their parents/guardians) to build the theoretical conceptual model and support the generation of items. The systematic review carried out in study 1 allowed the identification of 229 items and of these, 36 items were initially listed as relevant to the questionnaire and 14 items to the diary. Subsequent refinement steps resulted in the generation of 32 items for the questionnaire and 5 items for the diary that were later analyzed, modified, and approved by a panel of experts (n=6), resulting in the exclusion of 12 items. In sequence, these items were administered through in-depth interviews with a sample of 10 children (7-11 years) and 6 adolescents (12-18 years) and 21 parents/guardians, of which 6 parents/guardians for children aged 4-6 years. Conclusions: The systematic review identified that several measurement instruments were developed to assess asthma control in limited age ranges. These instruments use different response scales, and most were mostly developed in English. The Brazilian version of the ATAQ is cross-culturally adapted and presents evidence of validity and reliability for Brazilian Portuguese. The versions of the questionnaire and diary that comprises the e-ASMA system showed evidence of content validity. The studies that comprise this thesis can guide future research related to the control of pediatric asthma, and additionally, support the investigation of others measurement properties of the proposed instruments for the e-ASMA and its prototype.

7
  • PRISCILLA RIQUE FURTADO
  • DOR LOMBAR EM PILOTOS DE CAÇA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA: FATORES ASSOCIADOS E EFEITOS DE UM PROTOCOLO DE EXERCÍCIOS

  • Orientador : JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • DINO LINCOLN FIGUEIROA SANTOS
  • EDGAR RAMOS VIEIRA
  • FRANCISCO LOCKS NETO
  • Data: 09/09/2022

  • Mostrar Resumo
  • introdução: A literatura internacional apresenta dados sobre a incidência ou fatores de risco associados à lombalgia em pilotos de caça, porém, no Brasil essa população ainda precisa ser estudada. Quanto ao tratamento, existem evidências que o treino de estabilização, força e resistência do core contribuem para diminuir a dor lombar na população geral. Contudo, não é do nosso conhecimento qual o efeito desses exercícios em pilotos da aviação de caça.

    Objetivos:

    Estudo I= Investigar os efeitos de um protocolo de exercícios sobre a dor lombar em pilotos de caça da Força Aérea Brasileira.

    Estudo II= Analisar a prevalência das alterações da coluna por meio da Ressonância Magnética (RM) e observar se a Área de Secção Transversa (AST) dos multífidos, a força e a resistência dos músculos de tronco, são fatores preditivos para a dor lombar.

    Materiais e métodos:

    Estudo I= Quatorze pilotos com lombalgia crônica foram randomizados em dois grupos: Grupo exercício de estabilização (GEE - n=7, exercícios duas vezes por semana, durante 12 semanas) e o Grupo exercícios de rotina (GER – n=7). As avaliações foram realizadas antes e após o período de treinamento. O desfecho primário foi a intensidade da dor lombar e os secundários foram dor cervical, incapacidade funcional, amplitude de movimento, força isométrica máxima e resistência dos músculos do tronco. 

    Estudo II= Doze aspirantes da aviação de caça realizaram avaliações clínicas e de RM, no início e no fim do primeiro ano de treinamento. A RM foi utilizada para avaliar alterações musculoesqueléticas da coluna lombar e a AST dos músculos Multífidos esquerdo. Também foram coletados dados antropométricos, sobre o trabalho, rotina de exercício físico, a intensidade da dor lombar crônica e incapacidade.

    Resultados:

    Estudo I = O GEE teve significativa redução na dor lombar em comparação ao GER (diferença de 2.28 pontos, p=0.04) e menor índice de dor cervical (diferença de 2.5 pontos, p=0.01) ao final do protocolo. Também se observou nesse grupo a manutenção da força dos músculos do tronco ao longo do período, enquanto que o grupo controle obteve diminuição da força de flexão à direita (diferença: -3.71%, p=0.04). Não foram observadas diferenças nos índices de incapacidade, amplitude de movimento ou resistência à fadiga entre os grupos.

    Estudo II = Os pilotos com maior AST dos músculos multífidos obtiveram menor dor ao fim do ano de treinamento (r=-0.64, p=0.02). Houve alta prevalência de alterações na coluna pela RM no início do ano, especialmente, edema ligamentar por sobrecarga (83%). Houve queda na força e resistência de tronco para extensão ao final do treinamento, porém, a performance não foi um fator preditivo para lombalgia.

    Conclusão: Estudo I = O protocolo de exercícios específico para estabilização do core mostrou-se efetivo na redução da dor lombar em pilotos da aviação de caça.

    Estudo II = Os resultados sugerem que a AST dos músculos multífidos, é um fator preditivo para dor lombar no primeiro ano de voo de caça e pode ser um importante parâmetro para acompanhamento de saúde dos pilotos.



  • Mostrar Abstract
  • Introduction: International studies present data on the incidence or risk factors for low back pain in fighter pilots, however, in Brazil, this population still needs to be studied. With respect treatment, there is evidence that core stabilization, strength, and endurance training contributes to lowering lower back pain in general population. However, we are not aware of the effect of these exercises on fighter pilots with pain.

    Objectives: Study I= To investigate the effects of an exercise protocol on low back pain in Brazilian Air Force fighter pilots. Study II= To analyze the prevalence of spinal alterations by means of Magnetic Ressonance Imaging (MRI) and to observe if the Cross-Sectional Area (AST) of the multifidus, the strength and resistance of the trunk muscles, are predictive factors for low back pain.

    Materials and methods: Study I=Fourteen pilots with chronic low back pain were randomized into two groups: Stabilization exercise group (GEE-n=7, exercises twice a week for 12 weeks) and the Regular exercise group (GER – n=7). Assessments were performed before and after the training period. The primary outcome was low back pain intensity and the secondary outcomes were neck pain, functional disability, range of motion, maximal isometric strength and trunk muscle endurance. Study II= Twelve fighter aspirants performed clinical and MRI assessments at the beginning and end of the first year of fighter training. MRI was used to assess musculoskeletal changes of the lumbar spine and AST of the left multifidus muscles. Anthropometric data, work hours, physical exercise routine, intensity of chronic low back pain and disability were also collected.

    Results: Study I= GEE had a significant reduction in low back pain compared to GER (2.28 point difference, p=0.01) at the end of the protocol. It was also observed that the strength of the trunk muscles was maintained throughout the period in this group, while the control group had a decrease in flexion strength to the right (difference: -3.71%, p=0.04). No differences were observed in disability level, range of motion or resistance to fatigue between the groups. Study II = Pilots with higher AST of the multifidus muscles at the beginning, had less pain at the end of the training year (r=-0.64, p=0.02). There was a high prevalence of changes in the spine by MRI at the beginning of the year, especially ligament swelling due to overload (83%). There was a decrease in trunk strength and resistance for extension at the end of training, however, performance was not a predictive factor for low back pain.

    Conclusion: Study I= The specific exercise protocol for core stabilization proved to be effective in reducing low back pain in fighter pilots. Study II= Results suggested that multifidus AST is a predictive factor for low back pain in the first year of fighter flight and may be an important parameter for pilots ‘health monitoring.

8
  • CRISTINA MARQUES DE ALMEIDA HOLANDA DINIZ
  • FRAGILIDADE E DESEMPENHO FISICO DE IDOSOS DE INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA: UMA ANÁLISE DE SOBREVIDA EM CINCO ANOS

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • DIMITRI TAURINO GUEDES
  • JOHNNATAS MIKAEL LOPES
  • JULIANA FERNANDES DE SOUZA BARBOSA
  • ZENEWTON ANDRÉ DA SILVA GAMA
  • Data: 29/09/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O crescimento e envelhecimento populacional é um fenômeno global que atinge todos os países do mundo e traz repercussões na assistência e proteção social, além da organização dos sistemas de saúde. O envelhecimento populacional, a transição epidemiológica, a redução nas taxas de mortalidade, principalmente dos idosos acima de 80 anos, as mudanças nas estruturas da família e o aumento de idosos dependentes funcionalmente exigem a necessidade de estabelecimento dos cuidados de longa duração para as pessoas idosas. Neste cenário, observa-se um aumento crescente da demanda por Instituições de Longa Permanência para Idosos – ILPI, as quais apresentam alta prevalência para a fragilidade física e mortalidade. Objetivos: verificar se fragilidade física e desempenho físico são preditores de mortalidade em idosos de ILPI por meio de uma análise de sobrevida em cinco anos. Métodos: trata-se de um estudo longitudinal de cinco anos com a coleta inicial na linha de base de 133 idosos residentes de ILPI no Estado da Paraíba – Brasil. O estudo iniciou em 2014 e a coleta de dados finalizou em 2019. Além dos dados sobre fragilidade física (Síndrome da Fragilidade de Fried) e desempenho físico (Short Physical Performance Battery), foram coletadas informações sociodemográficas e condições de saúde. A relação entre fragilidade física e desempenho físico com mortalidade foram avaliadas por meio das Curvas de Sobrevida de Kaplan Meier e modelos de Regressão de Risco Proporcional de Cox. Foi considerado um intervalo de confiança (IC) de 95% e p < 0,05. Resultados: dos 133 participantes na linha de base, 114 foram avaliados durante o seguimento do estudo. Destes, 41,22% vieram à óbito até o final da coorte. Os principais resultados do Artigo 1, intitulado de “Como o fenótipo de fragilidade física prediz a mortalidade em idosos residentes de instituições de longa permanência? Um estudo de sobrevida de 5 anos” mostrou que a expectativa de vida entre os idosos não frágeis foi significativamente maior, com sobrevida média de 7,5 meses a mais em relação aos idosos frágeis (49,1%) (p = 0,01). Houve um aumento de 36% no risco de morrer (HR ajustado 1.36; 95% IC 1.02 - 1.68; p=0.03) para cada ponto adicional na contagem de fragilidade de Fried, e indivíduos frágeis tiveram um risco 2,1 vezes maior de morrer em comparação com indivíduos não frágeis (HR ajustado 2.01; 95% IC 1.11 - 3.62; p=0.02). Os principais resultados do Artigo 2, intitulado de “Desempenho físico como preditor de mortalidade em residentes de instituições de longa permanência: Uma análise de sobrevida em cinco anos”, encontraram que 61,40% dos participantes apresentaram baixo desempenho físico. Baixo desempenho físico aumentou a chance de morrer em 2,77 vezes (HR ajustado 2,77; 95% IC 1,38 – 4,83; p < 0,001). O baixo desempenho no teste de velocidade da marcha também representou um risco 2,58 vezes maior de morrer (HR ajustado 2,58; IC 95% 1,38 - 4,83; p < 0,01). O tempo de sobrevida dos idosos com baixo desempenho físico foi significativamente menor, com sobrevida média inferior a 12 meses em relação ao tempo médio de sobrevida dos idosos com melhor desempenho físico (p < 0,01).  Conclusão: Os resultados deste estudo mostraram que tanto a fragilidade física quanto o baixo desempenho físico podem predizer a mortalidade de idosos residentes em ILPI ao longo de cinco anos.



  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Population growth and aging is a global phenomenon that affects all countries in the world and has repercussions on social assistance and protection, in addition to the organization of health systems. Population aging, the epidemiological transition, the reduction in mortality rates, especially among the older adults over 80 years of age, changes in family structures and the increase in functionally dependent older adults demand the need to establish long-term care for the elderly. In this scenario, there is a growing demand for Nursing Homes - NHs, which have a high prevalence of physical frailty and mortality. Objectives: to verify whether physical frailty and physical performance are predictors of mortality in the older adults in NHs through a five-year survival analysis. Methods: this is a five-year longitudinal study with the initial baseline collection of 133 elderly residents of ILPI in the State of Paraíba - Brazil. The study started in 2014 and data collection ended in 2019. In addition to data on physical frailty (Fried Frailty Syndrome) and physical performance (Short Physical Performance Battery), sociodemographic information and health conditions were collected. The relationship between physical frailty and physical performance with mortality was evaluated using Kaplan Meier Survival Curves and Cox Proportional Risk Regression models. A confidence interval (CI) of 95% and p < 0.05 was considered. Results: Of the 133 participants at baseline, 114 were evaluated during the follow-up of the study. Of these, 41.22% died by the end of the cohort. The main results of Article 1, entitled “How does the physical frailty phenotype predict mortality in older adults in nursing homes? A 5-year survival study” showed that life expectancy among the non-frail older adults was significantly higher, with a mean survival of 7.5 months longer compared to the frail older adults (49.1%) (p = 0.01). There was a 36% increase in the risk of dying (adjusted HR 1.36; 95% CI 1.02 - 1.68; p=0.03) for each additional point on the Fried frailty count, and frail subjects had a 2.1-fold increased risk of dying. compared with non-frail subjects (adjusted HR 2.01; 95% CI 1.11 - 3.62; p=0.02). The main results of Article 2, entitled “Physical performance as a predictor of mortality in nursing home residents: A five-year survival analysis”, found that 61.40% of the participants had low physical performance. Low physical performance increased the chance of dying by 2.77 times (adjusted HR 2.77; 95% CI 1.38 – 4.83; p < 0.001). Low performance on the gait speed test also represented a 2.58-fold increased risk of dying (adjusted HR 2.58; 95% CI 1.38 - 4.83; p < 0.01). The survival time of the older adults with low physical performance was significantly shorter, with a mean survival of less than 12 months in relation to the mean survival time of the older adults with better physical performance (p < 0.01). Conclusion: The results of this study showed that both physical frailty and low physical performance can predict the mortality of older adults in nursing home residents over five years.

9
  • SILVIA OLIVEIRA RIBEIRO LIRA
  • ANÁLISE DA DOR LOMBOPÉLVICA E NÍVEL DE FUNCIONALIDADE E DEFICIÊNCIA EM MULHERES GRÁVIDAS

  • Orientador : ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
  • MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • ADRIANA GOMES MAGALHAES
  • INGRID FONSECA DAMASCENO BEZERRA
  • PALLOMA RODRIGUES DE ANDRADE
  • Data: 30/09/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: No período gestacional, a mulher passa por uma série de adaptações com o objetivo de criar um ambiente propício para o desenvolvimento do feto. Estas podem resultar no desenvolvimento de sintomatologia dolorosa, como a dor lombopélvica, impactando na funcionalidade dessa população.

    Objetivo: Analisar a dor lombopélvica, e seu impacto na funcionalidade de mulheres grávidas.

    Metodologia: Trata-se de um estudo transversal que seguiu as recomendações do Stregthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (STROBE) e cuja unidade de análise foi a mulher grávida. Adotaram-se como critérios de inclusão, gestantes de risco habitual, entre 18 e 40 anos de idade, com acesso à internet e em qualquer idade gestacional. As voluntárias foram avaliadas pelos instrumentos: Ficha de Avaliação Individual, Oswestry Disability Índex e World Health Organizaton Disability Assessment Schedule 2.0) - WHODAS 2.0. A análise estatística dos dados foi realizada através do Statistical Package for the Social Science (SPSS) versão 20.0. As variáveis selecionadas para este estudo foram: sociodemográficas, obstétricas e hábitos de vida, dor (Intensidade dolorosa e nível de incapacidade gerado pela dor lombopélvica - em %) e funcionalidade e deficiência (escore do questionário específico).

    Resultados:142 mulheres grávidas fizeram parte desse estudo. Os resultados foram apresentados por meio de 04 artigos científicos elaborados a partir do embasamento teórico e dados coletados nesta pesquisa.

    Artigo 1 – protocolo de revisão sistemática cujo objetivo é analisar a evidência do exercício terapêutico versus outras modalidades para prevenir e tratar lombalgia, dor lombopélvica e dor pélvica na gestação.

     

    Artigo 2 - 142 mulheres grávidas foram analisadas. A média da idade cronológica, peso e altura foram, respectivamente, 31,37 ± 4,93 anos de idade,72,08 ±13,22 kg e 1,62 ±5,91 metros. Não apresentar deficiência de acordo com WHODAS 2.0 diminui em 81,7% a chance de ter dor lombopélvica na gestação em comparação com apresentar deficiência de leve a grave. Ao passo que possuir uma renda de 1 a 4 salários-mínimos aumenta em 3,06 vezes a chance de ter dor lombopélvica na gestação em comparação com possuir renda com 5 salários mínimos ou mais.

     

    Artigo 3 - 132 mulheres participaram desse estudo. A mediana da idade cronológica das mulheres do grupo com dor lombopélvica foi de 31,00 (19,00-39,00) e do grupo sem dor, 32,00 (20,00-38,00). Ao comparar as mulheres com e sem dor, observou-se diferença estatisticamente significativa para os domínios cognição (p=0,035) e participação (p=0,012).

    Artigo 4 - Foram incluídas nesse estudo 99 mulheres grávidas com média da idade cronológica de 30,94 (±4,74), das quais 6,1% (n=1) estava no primeiro trimestre gestacional, 54,5% (n=54) no segundo trimestre gestacional e 38,4% (n=38), no terceiro trimestre gestacional. A média do escore do IIO foi de 12,34 (±10,39) e do WHODAS, 102, 62 (±75,85). Observou-se que 63,6% (n=63) das mulheres apresentaram incapacidade mínima pelo IIO e ao ser analisado o WHODAS 2.0, 63,6% (n=63) relataram deficiência leve. Ao analisar a relação entre IIO e WHODAS 2.0, observou-se significância estatística (p =0,002). A maior contribuinte para a associação entre as variáveis foi entre as categorias “deficiência moderada” e “incapacidade moderada”.

    Considerações: A funcionalidade é um conceito multidimensional e, por isso, influenciável por diversos fatores. A identificação de fatores que possam estar relacionados a dor lombopelvica, bem como a compreensão do estado funcional da gestante, pode auxiliar aos profissionais de saúde no gerenciamento adequado das queixas presentes ao longo do ciclo gravídico-puerperal e a elaboração ou adequação de intervenções específicas e adaptadas as necessidades dessa população.


  • Mostrar Abstract
  • Background: In the gestacional period, the woman goes throug a series of changes in order to reate na environment conducive to the development of the fetus. These can result in the devolpment of painful symptoms, such as lumpopelvic pain, impacting the functionality of this population.

     

    Aims: To Analyse lumpopelvic pain and it’s impact on the functionality of pregnant woman.

     

    Methodology: Cross-sectional study whose unit of analysis was the pregnant woman. Adopt as inclusion criteria, pregnant women between 18 and 40 years of age, with internet acess at any gestacional age. As contracted, the following intruments were provided: Individual Assessment Form, Oswestry Disability Index and World Health Organization Disability Assessment Shedule 2.0. Statistical data analysis was performed using the Statistical Package for the Social Science – SPSS  version 20.0. The variables selected for this study were: sociodemographic, obstetric, life habtis, pain (intensity and level of capacity generated by lumbopelvic pain - %) and funcionality and disabilities (specific core score).

     

    Results: 142 pregnant Woman took part in this study. The results were elaborated from 4 articles.

    Article 1 – Protol of sistemactic review of therapeutic exercise versus other modalities to prevent and treat low back pain and pelvic pain during pregnancy

     

    Article 2 – 142 pregnanct women. The chronological mean, weight and height were, respectively, 31.37 ±4.93 years og age, 72.08 ±13.22 kg and 1.62± 5.91 meters. Not having a disability according to WHODAS 2.0 decreases the chance of having lumbopelvic pain in pregnancy by 81.7% compared to having severe disability. Whereas from 1 to 4 minimal income increases the the chance of having a loin pregnancy by 3.06 times having a single income with 5 property or higher income.

     

    Article 3 – 132 women participated in this study. The median chronological age of women in the lumbopelvic group was 31.00 (19.00-39.00) and in the pain without  pain, 32.00 (20.00-38.00). When comparing women with and without pain, a statistically significant difference was observed for the cognition (p=0.0035) and participation (p=0.012) domains.

     

    Article 4 – 99 pregnant women iwth  a mean chronological age of 30.94 ±4.74 were included in this study, of which 6.1% (n=1) were in the firts gestacional trimester, 54.5% (n=54) in the second gestacional trimester and 38.4% (n=38) in the third gestacional trimester. The meand score for the IIO was 12.34 (10.39) and for the WHODAS, 102.62 (75.85). It was observed that 63.6% (n=63) of the women had minimal disability according of the IIo and When analysing the WHODAS 2.0, 63.6% (n=63) reported mild disability. When analysing the relationship between IIO and WHODAS 2.0, statistical significance was observed (p=0.002).

     

    Considerations: Functionality ia a multidimensional concept and, therefore, influenced by several factors. The identification of factors thay may be related to lumbopelvic pain, as well as the understanding of the funcional status of the pregnant women, can help health professionals in the adequate management of the complaints presente throughout the pregnancy-puerperal cycle and the elaboration or adequacy of specif interventions and adapted to the needs of this population.

     

2021
Dissertações
1
  • BEATRIZ SOUZA DE ALBUQUERQUE CACIQUE NEW YORK
  • RELAÇÃO ENTRE HISTÓRICO UROGINECOLÓGICO E OBSTÉTRICO E DESEMPENHO FÍSICO DE MEMBROS INFERIORES EM MULHERES DE MEIA IDADE E IDOSAS: UM ESTUDO TRANSVERSAL

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
  • MAYLE ANDRADE MOREIRA
  • Data: 11/02/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O declínio do desempenho físico de membros inferiores é um dos principais fatores responsáveis pelo aumento de quedas e incapacidades na população idosa. A literatura aponta que existem vários fatores associados ao declínio do desempenho físico, tais como sedentarismo, obesidade e a idade avançada. No entanto, ainda há lacunas acerca das relações entre o histórico uroginecológico e obstétrico das mulheres e sua relação com o desempenho físico de membros inferiores. Objetivo: Analisar a relação entre variáveis de histórico uroginecológico e obstétrico e o desempenho físico de membros inferiores em mulheres de meia idade e idosas. Métodos: Estudo observacional analítico, transversal, realizado no município de Santa Cruz e Parnamirim-RN. A amostra foi composta por mulheres da comunidade, entre 40 a 80 anos de idade. As participantes foram avaliadas quanto aos aspectos socioeconômicos e demográficos, avaliação clínica (IMC e comorbidades), histórico uroginecológico e obstétrico e desempenho físico de membros inferiores (Short Physical Performance Battery (SPPB), força de flexão e extensão de joelho). Na análise estatística, a normalidade dos dados foi verificada utilizando o teste Kolmogorov-Smirnov. Para avaliar a relação entre as variáveis independentes e as variáveis de desempenho físico foram utilizados os testes T de student e Análise de variância, além da correlação de Pearson. As análises de regressão linear foram realizadas para observar a relação entre o histórico uroginecológico e obstétrico e o desempenho físico de membros inferiores, ajustadas pelas covariáveis. Os dados foram analisados no software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 22.0. Resultados: 581 mulheres participaram do estudo, com média etária de 54,8 ± 9,4 anos. A única variável de histórico uroginecológico e obstétrico que foi associada ao desempenho físico de membros inferiores foi o número de partos para as variáveis extensão de joelho (β= -0,41; p= 0,009) e SPPB (β= -0,08; p= 0,002). Conclusão: Os fatores associados ao pior desempenho físico de membros inferiores foram a idade, renda familiar, união estável, atividade física e número de partos, sendo a última, a única variável de saúde pélvica que se associou ao pior desempenho de membros inferiores.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The decline in physical performance of lower limbs is one of the main factors responsible for the increase in falls and disabilities in the elderly population. The literature points out that there are several factors associated with the decline in physical performance, such as physical inactivity, obesity, and advanced age. However, there are still gaps regarding the relationship between women's urogynecological and obstetric history and their relationship with the physical performance of lower limbs. Objective: To analyze the relationship between variables of urogynecological and obstetric history and the physical performance of lower limbs in middle-aged and elderly women. Methods: Analytical, observational, cross-sectional study conducted in the municipality of Santa Cruz and Parnamirim-RN. The sample consisted of women from the community, between 40 and 80 years old. Participants were assessed for socioeconomic and demographic aspects, clinical evaluation (BMI and comorbidities), urogynecological and obstetric history, and physical performance of the lower limbs (Short Physical Performance Battery (SPPB), flexion strength, and knee extension). In the statistical analysis, the normality of the data was verified using the Kolmogorov-Smirnov test. To assess the relationship between the independent variables and the physical performance variables, Student's T-tests and Analysis of variance were used, in addition to Pearson's correlation. Linear regression analyzes were performed to observe the relationship between urogynecological and obstetric history and physical performance of lower limbs, adjusted for covariates. The data were analyzed using the Statistical Package for Social Sciences (SPSS) software, version 22.0. Results: 581 women participated in the study, with a mean age of 54.8 ± 9.4 years. The only variable with a urogynecological and obstetric history that was associated with physical performance of the lower limbs was the number of deliveries for the variables knee extension (β= -0.41; p= 0.009) and SPPB (β= -0.08; p= 0.002). Conclusion: The factors associated with the worse physical performance of lower limbs were age, family income, stable union, physical activity, and a number of deliveries, the latter being the only pelvic health variable that was associated with the worst performance of lower limbs.

2
  • SARAH JOYSI ALMEIDA LEITE
  • Tradução, adaptação transcultural e avaliação psicométrica do Adolescent Asthma Self-Efficacy Questionnaire (AASEQ) para a população brasileira

  • Orientador : KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA
  • JOAO CARLOS ALCHIERI
  • KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • Data: 05/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A autoeficácia é considerada uma importante preditora da adesão terapêutica e promoção da saúde no alcance do controle de doenças crônicas, sendo sua avaliação essencial para o manejo da asma. Até o momento, no Brasil não existem instrumentos específicos para avaliar a autoeficácia de adolescentes com asma. Objetivo: Realizar a tradução, adaptação transcultural e avaliação das propriedades psicométricas do Adolescent Asthma Self-Efficacy Questionnaire (AASEQ) para a população brasileira. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo metodológico exploratório e psicométrico, que envolve a tradução, adaptação transcultural e avaliação psicométrica do AASEQ. O estudo seguiu recomendações internacionais, incluindo o COnsensus-based Standards for the selection of health Measurement INstruments (COSMIN), e envolveu etapas de tradução, síntese das traduções, tradução reversa, síntese das traduções reversas, revisão por pesquisador externo, avaliação e aprovação do autor da versão original, análise por um comitê multiprofissional de especialistas e pré-teste. Semelhantemente ao estudo original, foram testadas a consistência interna; a validade de conteúdo; validade convergente; validade discriminante, e a validade de construto, verificada pela Análise Fatorial Confirmatória (AFC). Resultados: O instrumento adaptado para a língua portuguesa falada no Brasil demonstrou ter um conteúdo equivalente ao original, no qual foram obtidos índices de compreensibilidade adequados para a população brasileira. Foram considerados elegíveis para participar do estudo148 adolescentes com asma, na faixa etária de 12 a 18 anos. O AASEQ apresentou valor adequado de consistência interna (α de Cronbach=0,91). A validade de construto mostrou um ajuste regular aos dados (x2=786,625, df=308, χ2/df=3,92, GFI=0,735, CFI=0,830 e RMSEA=0,104). As validades convergente e discriminante foram confirmadas por meio de correlações com General Self-Efficacy Scale (GSES), Escala de Conhecimento Asma e com o número de internações por asma no último ano. Conclusão: O AASEQ demonstrou ser um questionário apropriado para avaliar a autoeficácia relacionada à asma em adolescentes brasileiros.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Self-efficacy is considered an important predictor of therapeutic adherence and health promotion in achieving the control of chronic diseases, and its evaluation is essential for the management of asthma. So far, in Brazil, there are no specific instruments to assess the self-efficacy of adolescents with asthma. Objective: To provide the translation, cross-cultural adaptation, and evaluation of the psychometric properties of the Adolescent Asthma Self-Efficacy Questionnaire (AASEQ) for the Brazilian population. Methods: This is an exploratory and psychometric methodological study, which involves the translation, cross-cultural adaptation, and psychometric assessment of the AASEQ. The study followed international recommendations, including the COnsensus-based Standards for the selection of health Measurement INstruments (COSMIN), and involved translation steps, synthesis of translations, reverse translation, synthesis of reverse translations, review by an external researcher, evaluation and approval of the author of the original version, analysis by a multidisciplinary committee of experts and pretest. Similar to the original study, internal consistency was tested; contentvalidity; convergent validity; discriminant validity, and construct validity, verified by the Confirmatory Factor Analysis (AFC). Results: The instrument adapted for the Portuguese spoken in Brazil proved to have a content equivalent to the original, in which adequate comprehensibility indexes were obtained for the Brazilian population. They were considered eligible to participate in the study 148 adolescents with asthma, aged 12 to 18 years. The AASEQ showed an adequate value for internal consistency (Cronbach's α = 0.91). The construct validity showed a regular adjustment to the data (x2 = 786.625, df = 308, χ2 / df = 3.92, GFI = 0.735, CFI = 0.830 and RMSEA = 0.104). The convergent and discriminant validities were confirmed through correlations with the General Self-Efficacy Scale (GSES), Asthma Knowledge Scale, and the number of hospitalizations for asthma in the last year. Conclusion: The AASEQ proved to be an appropriate questionnaire to assess asthma self-efficacy in Brazilian adolescents.

3
  • INGRID MARTINS DE FRANÇA
  • Efeitos da restrição de fluxo sanguíneo passiva realizada antes ou após o exercício na atenuação do dano muscular: uma revisão sistemática

  • Orientador : WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GABRIEL RODRIGUES NETO
  • RAFAEL PEREIRA DE PAULA
  • WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • Data: 12/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • : O dano muscular induzido pelo exercício (DMIE) ocorre quando o indivíduo realiza atividades físicas não habituais ou muito intensas, sendo caracterizado por perda de força e amplitude de movimento, dor muscular tardia, edema e aumento nas concentrações de creatina quinase, podendo gerar redução de desempenho. Dentre as técnicas utilizadas para reduzir os efeitos do dano muscular, a restrição de fluxo sanguíneo (RFS) tem sido utilizada tanto antes do DMIE, como isquemia pré-condicionante (IPC), como após. Entretanto, os efeitos da RFS na atenuação do dano muscular ainda são controversos na literatura, tendo estudos que apontam melhoras na atenuação do dano e no processo de recovery, enquanto que outros demonstram que não há diferença se comparado ao controle ou ao grupo sham. Objetivo: O objetivo desta revisão foi analisar sistematicamente as evidências sobre os efeitos da restrição de fluxo sanguíneo passiva realizada antes ou após o exercício na atenuação do dano muscular. Métodos: Esta revisão sistemática foi conduzida de acordo com as recomendações PRISMA. Dois pesquisadores realizaram de forma independente e cega buscas nas bases de dados eletrônicas: National Library of Medicine (PubMed), Scopus, Web of Science, SPORTdicus, Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL), CINAHL, Pedro e Clinicaltrias.gov Foram incluídos ensaios clínicos randomizados, publicados em língua inglesa até janeiro de 2021, com amostras compostas por seres humanos e que avaliaram os efeitos da restrição de fluxo sanguíneo passiva realizada antes ou após o exercício em medidas de DMIE. A avaliação do risco de viés foi realizada através da ferramenta RoB2. Resultados: Após leitura de títulos, resumos e textos completos, um total de 12 artigos (4 artigos com utilização da RFS antes do DMIE e 8 com utilização após) publicados entre 2012 a 2021 foram elegíveis para essa revisão, englobando 221 indivíduos (213 homens e 8 mulheres). A dor muscular tardia, a percepção de esforço e percepção de recovery e níveis séricos de creatina quinase foram as variáveis mais utilizadas para medir o DMIE. Os protocolos de dano eram bastante variados, como também as variáveis utilizadas para verificar os efeitos da RFS sobre o DMIE e os protocolos utilizados na RFS e sham. Além disso, a maioria dos estudos apresentava qualidade metodológica com algumas preocupações, indicando que os estudos apresentavam vieses metodológicos consideráveis. Conclusão: Os estudos apresentam muitas diferenças metodológicas, especialmente do tipo de exercício utilizado no dano, marcadores do DMIE e protocolos utilizados para aplicação da RFS, alguns apresentando que a RFS pode ser uma técnica eficaz para amenizar o DMIE, enquanto que outros não mostram diferença da RFS comparada ao controle ou sham. É sugerido que se façam novos artigos sobre a temática utilizando melhores qualidades metodológicas e protocolos para gerar DMIE com maiores magnitudes de dano


  • Mostrar Abstract
  • Exercise-induced muscle damage (DMIE) occurs when the individual performs unusual or very intense physical activities, being characterized by loss of strength and range of motion, delayed muscle soreness, swelling and increased creatine kinase concentrations, which can generate performance reduction. Among the techniques used to reduce the effects of muscle damage, blood flow restriction (BFR) has been used both before DMIE, as ischemic preconditioning (IPC), and after. However, the effects of BFR in the attenuation of muscle damage are still controversial in the literature, with studies showing improvements in the attenuation of the damage and in the recovery process, while others demonstrate that there is no difference compared to the control or the sham group. Objective: The objective of this review was to systematically analyze the evidence on the effects of passive blood flow restriction performed before or after exercise in the attenuation of muscle damage. Methods: This systematic review was conducted in accordance with the PRISMA recommendations. Two researchers independently and blindly searched the electronic databases: National Library of Medicine (PubMed), Scopus, Web of Science, SPORTdicus, Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL), CINAHL, Pedro and Clinicaltrias.gov. Randomized clinical trials, published in English until January 2021, with samples composed by humans and that evaluated the effects of passive blood flow restriction performed before or after exercise on DMIE measurements. The risk of bias assessment was performed using the RoB2 tool. Results: After reading titles, abstracts and full texts, a total of 12 papers (4 papers using the RFS before DMIE and 8 with use after) published between 2012 to 2021 were eligible for this review, comprising 221 individuals (213 men and 8 women). Delayed muscle soreness, perceived exertion and perceived recovery and serum creatine kinase levels were the most used variables to measure DMIE. The damage protocols were quite varied, as were the variables used to verify the effects of the RFS on the DMIE and the protocols used in the RFS and sham. In addition, most studies had methodological quality with some concerns, indicating that the studies had considerable methodological bias. Conclusion: The studies present many methodological differences, especially the type of exercise used in the damage, DMIE markers and protocols used to apply the RFS, some showing that the RFS can be an effective technique to mitigate the DMIE, while others show no difference of RFS compared to control or sham. It is suggested that new articles be made on the subject using better methodological qualities and protocols to generate DMIE with greater damage magnitudes.

4
  • ALEF CAVALCANTI MATIAS DE BARROS
  • “Efeitos da Crioimersão em diferentes volumes de exercício na recuperação de marcadores indiretos do dano muscular em praticantes de Crossfit®: estudo piloto”

  • Orientador : WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA
  • RAFAEL PEREIRA DE PAULA
  • Data: 12/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Crossfit® é uma modalidade esportiva que vem ganhando espaço no cenário mundial. Ele exige alta demanda física, expondo indivíduo à maiores danos musculares. O controle dos marcadores de dano muscular pode melhorar o desempenho dos atletas. A Crioimersão (CI) é bastante utilizada na recuperação esportiva, porém, seus efeitos ainda são controversos e podem depender da magnitude do dano muscular. Objetivo: Analisar os efeitos da CI na recuperação de marcadores clínicos, bioquímicos, funcionais e neuromusculares do dano muscular induzido por exercício em praticantes de Crossfit®. Métodos: Trata-se de um ensaio clínico controlado, randomizado e cego, no qual 16 praticantes de Crossfit® foram aleatoriamente divididos, após protocolo de dano induzido, em 4 grupos: grupo controle baixo volume (gCBV), grupo controle alto volume (gCAV), grupo crioimersão baixo volume (gCIBV) e grupo crioimersão alto volume (gCIAV). Foram avaliados: percepção subjetiva da dor (EVA), Escala de Qualidade Total de Recuperação (TQR), marcadores bioquímicos e desempenho muscular nos momentos: pré, pós-exercício e após intervenção (imediatamente após, 24h e 48h). Utilizando o SPSS foi realizado o teste de Shapiro-Wilk, ANOVA mista two-way considerando significância de 5% e intervalo de confiança de 95%. Resultados: houve diferença entre grupos apenas para a TQR, onde os grupos CI apresentaram melhores médias imediatamente após intervenção (p<0,05). Conclusão: crioimersão parece interferir apenas na percepção de recuperação dos atletas


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Crossfit® is a sport that is gaining space on the world stage. It requires high physical demand, exposing the individual to greater muscle damage. Controlling muscle damage markers can improve athletes' performance. Cryo-immersion (CI) is widely used in sports recovery, however, its effects are still controversial and may depend on the magnitude of muscle damage. Objective: To analyze the effects of IC on the recovery of clinical, biochemical, functional and neuromuscular markers of exercise-induced muscle damage in Crossfit® practitioners. Methods: This is a controlled, randomized, blinded clinical trial, in which 16 Crossfit® practitioners were randomly divided, after an induced damage protocol, into 4 groups: low volume control group (gCBV), high volume control group (gCAV ), low volume cryimersion group (gCIBV) and high volume cryimersion group (gCIAV). Were evaluated: subjective perception of pain (VAS), Total Quality Recovery Scale (TQR), biochemical markers and muscle performance in the moments: pre, post-exercise and after intervention (immediately after, 24h and 48h). Using the SPSS, the Shapiro-Wilk test, mixed two-way ANOVA was performed considering a significance level of 5% and a confidence interval of 95%. Results: there was a difference between groups only for the TQR, where the CI groups presented better averages immediately after the intervention (p <0.05). Conclusion: Cryo-immersion seems to interfere only in the athletes' perception of recovery.

5
  • MARIANNE TRAJANO DA SILVA
  • FISIOTERAPIA NAS DISFUNÇÕES TEMPOROMANDIBULARES ASSOCIADAS AO ZUMBIDO: 
    UM PROTOCOLO DE REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • KAROLINNE SOUZA MONTEIRO
  • CARINA ANDREA COSTA BEZERRA ROCHA
  • Data: 25/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • A disfunção temporomandibular (DTM) é um termo amplo que envolve diferentes condições 
    clínicas as quais afetam a articulação temporomandibular (ATM), musculatura mastigatória e estruturas a
    djacentes. O principal sintoma desta disfunção é a dor orofacial localizada ou difusa, entretanto sintomas 
    otológicos também podem estar presentes. Dentre os sintomas otológicos, o mais comumente associado à 
    DTM é o zumbido. Objetivo: avaliar a efetividade das modalidades fisioterapêuticas em indivíduos com 
    diagnóstico de DTM associada ao zumbido, comparada com outras intervenções, nenhum tratamento ou 
    placebo, na intensidade e impacto do zumbido; na intensidade da dor dos músculos mastigatórios e 
    cervicais; na incapacidade e na qualidade de vida. Métodos: esse estudo seguirá as recomendações do 
    Preferred Reporting Items for Systematic Review and Meta-Analysis Protocols (PRISMA-p). Serão incluídos 
    ensaios clínicos controlados e randomizados que realizaram alguma intervenção fisioterapêutica com indivíduos 
    acima de 18 anos que apresentem DTM associada ao zumbido. A busca eletrônica sistemática será realizada
     nas seguintes bases de dados: MEDLINE, EMBASE, WEB OF SCIENCE, SCOPUS, PEDro e CENTRAL. Não 
    haverá restrições de idiomas ou data de publicação. Como desfecho primário serão avaliados a intensidade e
     impacto do zumbido. As etapas de seleção dos estudos, extração dos dados e avaliação do risco de viés serão
     realizadas por pares. A avaliação do risco de viés seguirá a ferramenta Cochrane Risk of Bias Tool e o nível de
     evidência será determinado utilizando o Grading of Recommendations, Assessment, Development and 
    Evaluations (GRADE). Resultados esperados: pretende-se por meio desta revisão sistemática, identificar, 
    avaliar e sumarizar as evidências atuais sobre a efetividade das modalidades fisioterapêuticas em indivíduos
     com diagnóstico de DTM associada ao zumbido. Favorecendo assim, o entendimento e a aplicabilidade 
    dessas intervenções aos clínicos, além de embasar pesquisas futuras sobre o assunto.

  • Mostrar Abstract
  • Temporomandibular disorder (TMD) is a broad term that involves different clinical conditions that affect the 
    temporomandibular joint (TMJ), masticatory muscles and adjacent structures. The main symptom of this 
    dysfunction is local or diffuse orofacial pain, however, otological symptoms may also be present. Among 
    otological symptoms, the most commonly associated with TMD is tinnitus. Objective: to evaluate the 
    effectiveness of physical therapy modalities in individuals diagnosed with TMD associated with tinnitus, 
    compared to other interventions, no treatment or placebo, in the intensity and impact of tinnitus; the 
    intensity of pain in the masticatory and cervical muscles; disability and quality of life. Methods: this study 
    will follow the recommendations of the Preferred Reporting Items for Systematic Review and Meta-Analysis 
    Protocols (PRISMA-p). Controlled and randomized clinical trials that performed some physical therapy 
    intervention with individuals over 18 years of age who have TMD associated with tinnitus will be included. 
    The systematic electronic search will be carried out in the following electronic databases: MEDLINE, EMBASE, 
    WEB OF SCIENCE, SCOPUS, PEDro and CENTRAL. There will be no restriction of language restrictions or 
    publication date. As a primary outcome, the intensity and impact of tinnitus will be assessed. The stages 
    of study selection, data extraction and risk of bias assessment will be carried out in pairs. The risk of bias
     assessment will follow the Cochrane Risk of Bias Tool and the level of evidence will be determined using 
    the Grading of Recommendations, Assessment, Development and Evaluations (GRADE). Expected results: 
    this systematic review is intended to identify, evaluate and summarize the current evidence on the
     effectiveness of physical therapy modalities in individuals with TMD associated with tinnitus. 
    Thus, favoring the understanding and applicability of these interventions to clinicians, in addition to 
    support future research on this matter.
     
6
  • EDMILSON GOMES DA SILVA JUNIOR
  • DOR E DESEMPENHO FÍSICO EM IDOSOS COMUNITÁRIOS – RESULTADOS DO INTERNATIONAL MOBILITY IN AGING STUDY (IMIAS).

     

  • Orientador : RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • JULIANA FERNANDES DE SOUZA BARBOSA
  • Data: 13/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o processo de envelhecimento populacional repercute no aumento
    da prevalência de condições incapacitantes para indivíduos idosos. A dor crônica em idosos é considerado um problema de saúde pública, acarretando alta demanda de serviços de saúde, e estar associada à incapacidade física e funcional. A prevalência da sintomatologia dolorosa e déficits na mobilidade variam nas populações idosas de contextos sociais diferentes. Existem, no entanto, lacunas do conhecimento sobre os fatores intervenientes da associação da dor com a funcionalidade em idosos. Objetivos: estimar a prevalência da sintomatologia dolorosa em uma amostra populacional de países de diferentes perfis de envelhecimento; e identificar os fatores associados à dor em relação ao desempenho físico considerando os potenciais fatores de confusão. Metodologia: estudo observacional analítico de caráter transversal derivado do estudo multicêntrico The International Mobility in Aging Study (IMIAS), realizado nas cidades de Saint-Hyacinthe (Quebec, Canadá), Kingston (Ontário Canadá), Manizales (Colombia), Tirana (Albânia) e em Natal (Brasil). Foram analisados 2000 idosos de 65 a 74 anos de ambos sexos, com dados socioeconômicos, saúde e medidas antropométricas. O desempenho físico foi avaliado por meio da Short Physical Performance Battery (SPPB), e sintomatologia dolorosa, pelo auto relato da presença de dor nas costas e em membros inferiores. Resultados: os homens apresentaram menor prevalência de dor quando comparado às mulheres, sendo mais acometida a região dos membros inferiores (p<0.001). Na avaliação do desempenho físico, os homens obtiveram melhor média do escore total do SPPB em relação às mulheres (p<0.001). O relato de dor e a sintomatologia dolorosa estão associados do baixo desempenho físico nos idosos em ambos os sexos (p<0.001). A presença de sintomatologia depressiva, índice de massa corporal e dor estiveram associados ao baixo desempenho físico nas mulheres (p<0.001), o mesmo observado em relação às condições socioeconômicas (p<0.001). Conclusão: A dor se mostrou ser um fator limitante para o desempenho físico da população de idosos estudada, mesmo quando ajustado por condições de saúde e socioeconômicas. Os resultados sinalizam a importância de priorizar a avaliação de sintomatologia dolorosa em pessoas idosas, no sentido de criar estratégias de prevenção e cuidados, que possam minimizar o impacto da dor na funcionalidade e qualidade de vida desta população.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Populational aging process affects the increase of disabling conditions prevalence for elderly. Chronic pain in elderly is considered a public health issue, causing a high demand for health services, and is associated with physical and functional disability. The prevalence of painful symptoms and mobility deficits varies in elderly populations from different social contexts. However, there are knowledge gaps about the factors involved in the association of pain with functionality in older adults. Objectives: to estimate the prevalence of painful symptoms in a population sample from countries with different aging profiles; and to identify factors associated with pain in relation to physical performance considering potential confounders. Methods: This is an analytical cross-sectional study derived from the multicenter study The International Mobility in Aging Study (IMIAS), carried out in the cities of Saint-Hyacinthe (Quebec, Canada), Kingston (Ontario Canada), Manizales (Colombia), Tirana (Albania) and in Natal (Brazil). 2000 subjects aged 65 to 74 years of both sexes were analyzed, with socioeconomic, health and anthropometric measures. Physical performance was assessed using the Short Physical Performance Battery (SPPB), and painful symptoms, by self-report of the presence of back or lower limbs pain. Results: men had a lower prevalence of pain when compared to women, with the lower limbs being more affected (p<0.001). In the assessment of physical performance, men had a better total SPPB score mean compared to women (p<0.001). Reports of pain and painful symptoms are associated with poor physical performance in the elderly of both sexes (p<0.001). The presence of depressive symptoms, body mass index, pain and worse socioeconomic conditions were associated with poor physical performance in women (p<0.001). Conclusion: Pain is a limiting factor for physical performance of the elderly population studied, even when adjusted by health and socioeconomic conditions. The results indicate the importance of prioritizing the evaluation of painful symptoms in elderly population, in order to create prevention and care strategies that can minimize the impact of pain on the functionality and quality of life of this population.

7
  • OZANA DE FATIMA COSTA BRITO
  • Progressão clínica e funcional de indivíduos com Esclerose Lateral Amiotrófica durante a pandemia de Covid-19: série de casos

  • Orientador : VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RENCIO BENTO FLORENCIO
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • Data: 27/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma doença neuromuscular marcada pelas perdas motoras progressivas e consequente declínio funcional. Além da debilidade funcional, esses pacientes apresentam uma maior suscetibilidade a infecções respiratórias devido ao comprometimento dos músculos respiratórios. Por estes fatores, esses pacientes necessitam de avaliações e acompanhamento de uma equipe multidisciplinar de maneira regular. Com a pandemia de Covid-19 no Brasil, essa rotina de cuidados foi certamente interrompida levando a possíveis perdas clínicas e funcionais nestes pacientes. Objetivos: Observar a funcionalidade, a taxa de progressão da doença, o estadiamento da doença além da evolução respiratória em pacientes com ELA por telemedicina durante a pandemia de COVID-19 no Brasil, comparando-a aos momentos prévios. Métodos: Este é um estudo longitudinal do tipo série de casos que acompanhou 11 pacientes com diagnóstico de ELA de Janeiro de 2019 a Junho de 2021. Neste período foram realizadas 5 avaliações: A1, A2, A3, A4 e A5, sendo A1 e A2 de Janeiro de 2019 a Março de 2020 de forma presencial pré pandemia e A3, A4 e A5 de Abril de 2020 a Junho de 2021 por telemedicina. As avaliações A1 e A2 contaram com a prova de função pulmonar, força dos músculos respiratórios, funcionalidade pela escala ALS Functional Rating Scale-Revised (ALSFRS-R/BR) e estadiamento da doença de acordo com os estágios do sistema King’s College, onde o estágio 1 reflete envolvimento de uma área do Sistema Nervoso Central (SNC), o estágio 2 o envolvimento de 2 áreas do SNC, estágio 3 o envolvimento de 3 áreas do SNC, o estágio 4 é quando o paciente está com suporte ventilatório e/ou gastrostomia e o estágio 5 corresponde a morte do paciente. As avaliações A3, A4 e A5 foram realizadas de forma remota com avaliação clínica, questionário sobre uso da Ventilação Não Invasiva (VNI), além da escala ALSFRS-R e o estadiamento da doença (King´s College). Utilizamos a taxa de progressão da doença para quantificar a diferença entre o score total da ALSFRS-R entre as avaliações dividido pelo tempo (em meses) entre as avaliações e consideramos 0,77 como ponto de corte para caracterizar a velocidade da progressão, onde valores acima deste ponto refletem uma velocidade de progressão rápida. Resultados: Os onze pacientes acompanhados eram 8 homens (72,7%), com mediana de idade de 51 (43-55) anos, Capacidade Vital Forçada (CVF%predito) de 69,6 (56,5-96,7) e Volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1%predito) de 74 (55,8- 89,2) Observou-se na funcionalidade uma redução significativa na pontuação total da escala ALSFRS-R [X2 (4)= 22,01; p≤ 0,001], onde as avaliações A4 e A5 se diferem das avaliações pré pandemia (A1 e A2). Um comportamento semelhante também foi observado no domínio motor da escala [X2 (4)= 21,68; p≤ 0,001], sem modificação no domínio respiratório. Além disso, a taxa de progressão evidenciou um declínio lento em 90,9% dos pacientes, menor que 0,77, e ao final dos 14 meses, 81,8% dos pacientes apresentavam essa característica. Quanto a evolução respiratória, 54,4% dos pacientes apresentavam suporte ventilatório em A1 (estágio 4 de King’s College) e na avaliação final (A5) 72,7% dos pacientes estavam em suporte ventilatório (estágio 4 de King’s College). Dos pacientes que não tinham prescrição de VNI no início do estudo, 40% deles iniciaram o suporte ventilatório por decisão clínica após a avaliação A4. Além disso, ao final do estudo foram realizados o ajuste de 7 equipamentos de VNI de forma remota. Conclusão: A telemedicina se mostrou uma ferramenta auxiliar, capaz de acompanhar de forma remota a evolução funcional, a taxa de progressão e ajustes no suporte ventilatório em pacientes com ELA. Além disso, possibilitou um controle adequado em momento de limitação com o isolamento social devido a pandemia de COVID-19. Sugerimos que esse modelo pode ser adotado sempre e quando não prejudicar as avaliações presenciais dos pacientes.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Amyotrophic lateral sclerosis (ALS) is a neuromuscular disease marked by progressive motor losses and consequent functional decline. In addition to functional weakness, these patients have a greater susceptibility to respiratory infections due to the UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA Av. Campus Universitário – Lagoa Nova - Natal-RN, CEP 59078-970 Telefax: (84) 3342-2003 E-mail: ppgfis@ufrn.br impairment of respiratory muscles. Because of these factors, these patients require evaluation and follow-up by a multidisciplinary team on a regular basis. With the Covid-19 pandemic in Brazil, this care routine was certainly interrupted leading to possible clinical and functional losses in these patients. Objectives: To observe functionality, disease progression rate, disease staging in addition to respiratory evolution in ALS patients by telemedicine during the Covid-19 pandemic in Brazil, comparing it to previous times. Methods: This is a case series type longitudinal study that followed 11 patients diagnosed with ALS from January 2019 to June 2021. During this period, 5 evaluations were performed: A1, A2, A3, A4 and A5, being A1 and A2 from January 2019 to March 2020 in a face-to-face manner pre-pandemic and A3, A4 and A5 from April 2020 to June 2021 by telemedicine. The A1 and A2 assessments relied on pulmonary function testing, respiratory muscle strength, functionality by ALS Functional Rating Scale-Revised (ALSFRS-R/BR) and disease staging according to the stages of the King's College system, where stage 1 reflects involvement of one area of the Central Nervous System (CNS), stage 2 the involvement of 2 CNS areas, stage 3 the involvement of 3 CNS areas, stage 4 is when the patient is on ventilatory support and/or gastrostomy and stage 5 corresponds to the patient's death. Assessments A3, A4 and A5 were performed remotely with clinical evaluation, questionnaire on the use of non-invasive ventilation (NIV), in addition to the ALSFRS-R scale and disease staging (King's College). We used the rate of disease progression to quantify the difference between the total ALSFRS-R score between assessments divided by the time (in months) between assessments and considered 0.77 as the cut-off point to characterize the speed of progression, where values above this point reflect a rapid speed of progression. Results: The eleven followed patients were 8 men (72.7%), with a median age of 51 (43-55) years, Forced Vital Capacity (FVC%predicted) of 69.6 (56.5-96.7) and Forced expiratory volume in the first second (FEV1%predicted) of 74 (55.8-89.2) A significant reduction in the total score of the ALSFRS-R scale was observed in functionality [X2 (4)= 22.01; p≤ 0.001], where assessments A4 and A5 differed from the pre-pandemic assessments (A1 and A2). A similar behavior was also observed in the motor domain of the scale [X2 (4)= 21.68; p≤ 0.001], with no modification in the respiratory domain. Moreover, the rate of progression showed a slow decline in 90.9% of patients, less than 0.77, and at the end of 14 months, 81.8% of patients presented this characteristic. As for respiratory evolution, 54.4% of the patients presented ventilatory support in A1 (King's College stage 4) and in the final evaluation (A5) 72.7% of the patients were on ventilatory support (King's College stage 4). Of the patients who did not have a prescription for NIV at the beginning of the study, 40% of them started ventilatory support by clinical decision after the A4 assessment. In addition, at the end of the study, 7 NIV devices were adjusted remotely. Conclusion: Telemedicine proved to be an auxiliary tool, able to remotely follow the functional evolution, the progression rate and adjustments in ventilatory support in patients with ALS. Moreover, it enabled an adequate control in a moment of limitation with social isolation due to the COVID-19 pandemic. We suggest that this model can be adopted whenever it does not impair the on-site evaluation of patients.

8
  • JORGE LUIZ DANTAS DE MEDEIROS
  • Aumento da resposta cardiovascular ao teste de caminhada de 6 minutos e sua associação com o índice tornozelo-braço na lipodistrofia generalizada congênita

  • Orientador : GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • JESSICA DANIELLE MEDEIROS DA FONSECA
  • JULLIANE TAMARA ARAUJO DE MELO CAMPOS
  • Data: 30/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Lipodistrofia Congênita Generalizada (LGC) é uma doença rara caracterizada por desfechos metabólicos como hipertrigliceridemia, hiperinsulinemia, hipoleptinemia, hipoadiponectinemia e diabetes mellitus. Distúrbios cardiovasculares e respiratórios foram observados anteriormente. Por outro lado, não existem estudos sobre a ocorrência de doença arterial periférica (DAP) e a resposta cardiovascular ao exercício funcional submáximo. Este estudo avaliou a ocorrência de Doença Arterial Periférica e a resposta cardiovascular ao exercício submáximo em indivíduos com LGC. Metodologia: Foram incluídos 12 indivíduos com LGC e 12 indivíduos saudáveis pareados por idade e sexo. A DAP e a capacidade de exercício foram mensuradas por meio do índice tornozelo-braço (ITB) e do teste de caminhada de seis minutos (TC6), respectivamente. Foram obtidos os diagnósticos genéticos, dados sociodemográficos e antropométricos. Correlações entre parâmetros metabólicos, ITB e TC6 também foram realizadas. Resultados: Verificamos que a maioria dos indivíduos com LGC apresentou valor de ITB normal (1,0 ≤ ITB ≤ 1,4). Apenas 25% (n = 3) apresentaram ITB 0,9. No início do estudo, os indivíduos com LGC apresentaram redução da distância percorrida prevista (DTC6) (p = 0,009) e aumento da frequência cardíaca (FC), pressão arterial sistólica (PAS) e diastólica (PAD) após o TC6 em comparação com indivíduos saudáveis (p <0,05). Os indivíduos com LGC não apresentaram alterações no ITB e na pressão arterial 12 meses após a reposição da metreleptina (MLP), mas caminharam uma DTC6 maior em comparação com o valor basal (p = 0,04). Além disso, as medidas de DTC6 e ITB direito foram positivamente correlacionadas em indivíduos com LGC (p = 0,03). O ITB direito se correlacionou negativamente com glicose, triglicerídeos e VLDL-c (p <0,05). Conclusão: Nossos dados sugerem que indivíduos com LGC tinham menor capacidade funcional e precisavam de maior esforço cardíaco para desempenho semelhante no TC6. Também houve associação entre ITB e DTC6 em indivíduos com LGC


  • Mostrar Abstract
  • Background: Congenital Generalized Lipodystrophy (LGC) is a rare disease characterized by metabolic outcomes such as hypertriglyceridemia, hyperinsulinemia, hypoleptinemia, hypoadiponectinemia, and diabetes mellitus. Cardiovascular and respiratory disturbances have been previously observed. Conversely, there are no studies regarding the peripheral arterial disease (PAD) occurrence and the cardiovascular (CV) response to submaximal functional exercise. This study assessed the PAD occurrence and the CV response to submaximal exercise in LGC subjects. Methods: Twelve LGC individuals and 12 healthy subjects matched for age and gender were included. The PAD and the exercise capacity were measured using the ankle-brachial index (ABI) and the sixminute walk test (6MWT), respectively. The genetic diagnosis sociodemographic, and anthropometric data were obtained. Correlations among metabolic parameters, ABI, and 6MWT were also performed. Results: We found that most LGC subjects presented normal ABI value (1.0 ≤ ABI ≤ 1.4). Only 25% (n=3) had ABI≤0.9. At baseline, LGC subjects showed reduced predicted walked distance (6MWD) (p=0.009), and increased heart rate (HR), systolic (SBP) and diastolic (DBP) blood pressures after the 6MWT compared to healthy subjects (p<0.05). LGC subjects did not present changes in ABI and blood pressure 12 months after metreleptin (MLP) replacement, but they walked a greater 6MWD in comparison to baseline (p=0.04). Further, the measurements of 6MWD and right ABI were positively correlated in LGC subjects (p=0.03). Right ABI negatively correlated with glucose, triglycerides, and VLDL-c (p<0.05). Conclusions: Our data suggest that LGC subjects had lower functional capacity and needed higher cardiac effort for similar performance of the 6MWT. There was also an association between ABI and 6MWD

9
  • PAULA TAYSA DA ROCHA BEZERRA
  • Treino com Imagética Motora Modifica Parâmetros de Equilíbrio e Congelamento da Marcha em Indivíduos com Doença de Parkinson? Ensaio Clínico Controlado Randomizado

  • Orientador : ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • LORENNA MARQUES DE MELO SANTIAGO
  • Data: 27/10/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O uso combinado da Observação da Ação (OA) e da Imagética Motora (IM) parece ser capaz de gerar um maior engajamento de áreas cerebrais comumente envolvidas na doença de Parkinson (DP) e, consequentemente, efeitos comportamentais e neurofisiológicos mais intensos do que se utilizadas de forma isolada. Objetivo: Verificar os efeitos do treinamento de OA, IM e prática física da marcha sobre o equilíbrio e congelamento da marcha de indivíduos com DP. Metodologia: Foi realizado um ensaio clínico controlado randomizado com 39 pacientes com DP, que foram divididos em grupo experimental (GE=21) e controle (GC=18). O GE realizou 12 sessões de OA, IM e prática física da marcha, enquanto o GC assistiu a vídeos educativos relacionados à DP e realizou 12 sessões de prática física da marcha. Os sujeitos foram reavaliados 1 dia após o término das intervenções quanto ao equilíbrio (através do MiniBESTest) e ao congelamento da marcha (através do Freezing of Gait Questionnaire). Resultados: Não foi observada diferença significativa intra e intergrupos em relação aos sintomas de congelamento da marcha. Na análise por domínio do MiniBESTest, observou-se diferença significativa intragrupo experimental nos domínios Orientação Sensorial (F=4,5; P=0,04) e Marcha Dinâmica (F=3,6; P=0,03) refletidos também em diferença no escore total do instrumento para este grupo (F=5,2; P=0,02). Não houve diferença intergrupos para nenhum domínio do MiniBESTest. Conclusão: Os resultados deste estudo revelaram que a intervenção baseada na combinação de OA, IM e prática física não foi mais efetiva do que somente a prática física nos sintomas de congelamento da marcha e equilíbrio em indivíduos com DP.


  • Mostrar Abstract
  • Background: Combining action observation (AO) and motor imagery (MI) training may induce greater brain activity in areas usually involved in Parkinson’s disease (PD) and lead to greater behavioral and neurophysiological effects than when used separately. Aim: To determine the effects of combining AO, MI, and gait training on balance and freezing of gait in individuals with PD. Methods: This randomized controlled clinical trial was conducted with 39 individuals with PD, divided into experimental (EG = 21) and control groups (CG = 18). EG performed 12 sessions of AO, MI, and gait training, whereas CG watched PD-related educational videos and performed 12 sessions of gait training. Balance (measured using the Mini Balance Evaluation Systems Test [MiniBESTest]) and freezing of gait (measured using the Freezing of Gait Questionnaire) were reassessed one day after the end of the intervention. Results: We did not observe significant intra- and intergroup differences in freezing of gait. For the EG, we observed a significant intragroup difference in the total score of MiniBESTest (F = 5.2; p = 0.02), and sensory orientation (F = 4.5; p = 0.04) and dynamic gait (F = 3.6; p = 0.03) domains. MiniBESTest domains were not different between groups. Conclusion: Combining AO, MI, and gait training was not more effective than isolated gait training for balance and freezing of gait in individuals with PD.

     

Teses
1
  • JOSE DIEGO SALES DO NASCIMENTO
  • Aspectos Clínicos e Funcionais da Síndrome Dolorosa Miofascial em Indivíduos com
    Dor no Ombro

  • Orientador : CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA
  • MELINA NEVOEIRO HAIK GUILHERME
  • RINALDO ROBERTO DE JESUS GUIRRO
  • RODRIGO SCATTONE DA SILVA
  • Data: 22/02/2021

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral desta Tese de Doutorado foi avaliar as relações entre Pontos-gatilhos
    Miofasciais (PGMs) e característica físicas, psicológicas e clínicas de dor, mobilidade
    e força em indivíduos com sintomatologia de Síndrome do Impacto Subacromial (SIS)
    unilateral. Foram realizados dois estudos: 1) Efeitos imediatos da terapia de
    compressão isquêmica nos pontos-gatilho miofasciais do ombro; e 2) Relação entre
    pontos-gatilho miofasciais e características físicas, clínicas e psicológicas em
    indivíduos com dor no ombro. O estudo 1 trata-se de um estudo clínico de braço
    único, que avaliou 15 indivíduos (9 homens e 6 mulheres, idade entre de 34,4±10,4 e
    IMC de 24,20±2,18 kg/m²). Todos os indivíduos foram avaliados quanto à quantidade
    de PGMs nos músculos trapézio superior, trapézio inferior, supraespinhal,
    infraespinal, peitoral menor e deltóide médio; limiar de dor à pressão (LDP) nos
    músculos trapézio superior, trapézio inferior, infraespinhal e deltóide médio; amplitude
    de movimento (ADM) do ombro; e força isométrica dos músculos do ombro. Foi usado
    o teste de Wilcoxon para comparação de números de PGMs entre a linha de base, pré
    tratamento, como também pré e pós tratamento. Houve redução da quantidade total
    de PMGs (p<0,01) e aumento do LDP no músculo deltóide médio (p 0,03) nas
    comparações entre pré e pós-tratamento, enquanto não houve diferença nas ADMs
    (p>0,05) e medidas de força (p>0,24); entretanto, a dor foi menor durante a ADM de
    elevação sagital (p<0,01) e rotação interna (p=0,04), e durante a realização de força
    em elevação do braço e rotação externa (p=0,01). Em geral, não houve diferença nas
    variáveis avaliadas entre a linha de base e o pré-tratamento (p>0,06). A TCI reduziu
    imediatamente a quantidade de PGMs e a dor durante a mobilidade e força, mas não
    alterou as variáveis LDP, ADM ou força. A avaliação da mobilidade e força não
    interferiu negativamente nas variáveis avaliadas. O estudo 2 trata-se de uma pesquisa
    observacional, do tipo transversal, que avaliou 58 indivíduos (36 homens e 22
    mulheres, idade entre de 31±10,91 e IMC de 71±12,55 kg/m²). Todos os indivíduos
    foram avaliados bilateralmente para presença de PGMs (trapézio superior e inferior,
    infraespinal e supraespinal), ADM (flexão no plano sagital e escapular, rotação interna
    e externa), força isométrica (flexão escapular, rotação interna e externa) e dor durante
    a ADM e a força. O teste de correlação de Spearman (rs) foi usado para a avaliação
    das relações entre a quantidade de PGM com ADM, dor durante a ADM, força e dor
    durante a força, adotando um valor de significância de p<0,05. Houve correlação entre
    PGMs do trapézio inferior, infraespinal e supraespinal com o domínio da função do
    PSS (rs=-0,29, p=<0,01). Quanto a dor durante a ADM, houve correção entre PGMs
    do trapézio superior com ADM de rotação interna e rotação externa, PGMs do
    trapézio inferior com a ADM de flexão sagital e rotação interna (r¬s-=0,30 0.40;
    p<0,05). As correlações com a ADM foram observadas entre PGMs no supraespinal e
    ADM de flexão sagital, flexão escapular e rotação externa (rs= -0,30 -0,42; p<0,01),
    PMGs trapézio inferior e ADM de rotação externa (rs= -0,29; p<0,05). PGMs do
    trapézio inferior apresentaram correlação com a dor durante a força de rotação interna
    e rotação externa (rs=0,29 0,38; p<0,05), assim como a força de flexão e de rotação
    externa (rs= 0,29 0,34; p<0,05). Assim, há correlação entre quantidade PGMs ativos
    e dor durante ADM e força do ombro, realização da ADM e força, como também com
    o autorrelato de função. A TCI é efetiva para a reduzir imediatamente a quantidade de
    PGMs e a dor durante a mobilidade e força, entretanto, não teve efeito sobre LDP,
    ADM ou força.


  • Mostrar Abstract
  • The general objective of the PhD Dissertation was to evaluate the relationship of
    Myofascial Trigger Points (MTrPs) with physical, psychological and clinical
    characteristics of pain, mobility and strength of individuals with symptomatology of
    unilateral subacromial impingement syndrome. Two studies were carried out: 1)
    Immediate effects of ischemic compression therapy on myofascial trigger points in the
    shoulder; and 2) Relationship between myofascial trigger points and physical, clinical
    and psychological characteristics in individuals with shoulder pain. Study 1 is a singlearm
    clinical study, which evaluated 15 individuals (9 men and 6 women, age between
    34.4 ± 10.4 and BMI of 24.20 ± 2.18 kg / m²). The individuals were evaluated for the
    amount of MTrPs in the upper trapezius, lower trapezius, supraspinatus, infraspinatus,
    pectoralis minor and medium deltoid muscles; pressure pain threshold (PPT) in the
    upper trapezius, lower trapezius, infraspinatus and middle deltoid muscles; range of
    motion (ROM) of the shoulder; and isometric strength of the shoulder muscles. The
    Wilcoxon test was used to compare the numbers of MTrPs between the baseline, pretreatment,
    as well as pre- and post-treatment. There was a reduction in the total
    amount of MTrPs (p <0.01) and an increase in LDP in the middle deltoid muscle (p
    0.03) in the comparisons between pre and post-treatment, while there was no
    difference in ADMs (p> 0.05) and strength measurements (p> 0.24). However, the pain
    was less during the sagittal elevation ROM (p <0.01) and internal rotation (p = 0.04), 

    and during the performance of arm elevation and external rotation strength (p =
    0.01).In general, there was no difference in the variables assessed between the
    baseline and pre-treatment (p> 0.06). The ICT immediately reduced the amount of
    MTPs and pain during mobility and strength, but did not change the PPT, ROM or
    strength variables. The evaluation of mobility and strength did not have a negative
    effect on the evaluated variables. Study 2 is an observational, cross-sectional study
    that evaluated 58 individuals (36 men and 22 women, age between 31 ± 10.91 and
    BMI of 71 ± 12.55 kg / m²). The individuals were assessed bilaterally for the presence
    of TrPs (upper and lower trapezius, infraspinatus and supraspinatus), ROM (sagittal
    and scapular flexion, internal and external rotation), isometric strength (scapular
    flexion, internal and external rotation) and pain during ADM and strength. The
    Spearman correlation test (rs) was used to assess the relationships between the
    amount of MTrPs with ROM, pain during ROM, strength and pain during strength,
    adopting a significance value of p <0.05. There was a correlation (rs = -0.29, p =
    <0.01) between MTrPs of the lower, trapezoid and supraspinatus with the domain of
    PSS function, as well as MTrPs of the upper trapezius with pain during ROM of
    internal rotation and rotation external. The number of MTrPs of the lower trapezius
    correlated with pain during ROM of sagittal flexion and internal rotation (rs= 0.30 -
    0.40; p <0.05). There was a correlation between the number of MTrPs of the upper
    trapezius and pain during the internal rotation force, MTrPs in the supraspinatus and
    sagittal flexion ROM (rs = -0.36; p <0.01), scapular flexion (rs = -0 , 42; p <0.01) and
    external rotation (rs = -0.30; p <0.01). Lower trapezius PGMs correlated with pain
    during internal rotation and external rotation strength (rs = 0.29 - 0.38; p <0.05), as
    well as external rotation ROM (rs = -0.29 ; p <0.05), the flexion and external rotation
    force (rs = 0.29 - 0.34; p <0.05 was found between the number of PGMs in the lower
    trapezius. Therefore, there is a correlation between quantity of active PGMs and pain
    during ROM and shoulder strength, performance of ROM and strength, as well as with
    the self-report of function. The ICT was effective to immediately reduce the amount of
    MTPs and pain during mobility and strength, however, it did not have any effect on
    PPT, ROM or strength.

2
  • LEONILDO SANTOS DO NASCIMENTO JUNIOR
  • Lesões musculoesqueléticas em trabalhadores da indústria: análise dos fatores relacionados à concessão de auxílio-doença e efetividade de intervenções ergonômicas para controle da dor

  • Orientador : CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PAULA MACHADO DE SOUSA CARNEIRO
  • CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • DIMITRI TAURINO GUEDES
  • FRANCISCO LOCKS NETO
  • ROBSON DA FONSECA NEVES
  • Data: 11/03/2021

  • Mostrar Resumo
  • Os trabalhadores da indústria são afetados, com elevada frequência, por doenças musculoesqueléticas que podem estar relacionadas ao trabalho e que tem a dor como principal sintoma. Essas doenças podem conduzir a incapacidade laboral e ao afastamento do trabalho que, em combinação com a concessão de benefícios sociais, levam a um aumento das despesas públicas com seguridade social e saúde. Frente ao exposto, intervenções ergonômicas tem sido desenvolvidas no ambiente de trabalho com o intuito de controlar os sinais e sintomas das lesões que englobam os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Para esta tese de Doutorado foram realizados dois estudos, cujos objetivos foram: 1) Analisar os fatores que se relacionam à concessão de diferentes tipos de benefícios a trabalhadores afastados por DORT; 2) Investigar os efeitos de intervenções ergonômicas no ambiente de trabalho com o objetivo de reduzir os efeitos da dor sobre os trabalhadores da indústria. O estudo 1 trata-se de um estudo retrospectivo transversal com abordagem quantitativa. Foram usados os dados das fichas de avaliação dos trabalhadores da indústria admitidos em um Centro de Referência em Saúde do Trabalhador afastados por terem o diagnóstico de DORT. Foi conduzida análise estatística descritiva e a regressão logística foi utilizada para estimar os fatores que se relacionam ao tipo de auxilio concedido ao trabalhador. Foram avaliados 108 prontuários de trabalhadores da indústria, onde 56,5% receberam o auxílio doença acidentário (B-91). A maioria na amostra são mulheres (72,2%) oriundas da indústria com demanda leve de trabalho (95,4%) e o ombro foi o segmento acometido com maior frequência (85,2%). Os fatores relacionados à concessão de auxílio-doença previdenciário foram a realização de exame demissional (OR = 0.22) e trabalho anterior com exposição a risco químico (OR = 0.21) e para a concessão de auxílio-doença acidentário foram o tempo na ocupação atual (OR=1.01), o trabalho com flexão da coluna cervical (OR = 4.68), a participação no programa de reabilitação do Instituto Nacional de Seguridade Social (OR = 31.27) e encaminhamento para interconsulta com especialistas (OR = 3.10). O estudo 2 trata-se de uma revisão sistemática de estudos controlados e randomizados com metanálise. Foram incluídos 15 estudos envolvendo 4.286 trabalhadores da indústria. Evidenciou-se uma maior prevalência da inclusão de exercícios físicos no ambiente laboral que permitiram moderada evidência para controle da dor na cervical (-0.66; -1.12 a -0.20; p=0,005) e forte evidência para controle da dor no ombro (-0.84; -1.26 a -0.41; p=0,0001) em trabalhadores da indústria com demanda leve de trabalho submetidos a esta intervenção. Foi verificada muito baixa evidência para o controle da dor na cervical, lombar e nos ombros para a inclusão de exercícios físicos na indústria pesada. Não foram verificados resultados positivos nos estudos que utilizaram treinamentos ou capacitações em ergonomia, no entanto houve resultados positivos em estudos que modificaram a estrutura física do posto de trabalho. A inserção de exercícios físicos no ambiente de trabalho industrial pode reduzir a dor no ombro e na cervical em trabalhadores da indústria leve. Há a necessidade da criação de programas institucionais na indústria e a implementação de políticas públicas de saúde e de previdência social como medidas de controle dos fatores relacionados ao adoecimento e à concessão dos benefícios.


  • Mostrar Abstract
  • Industry workers are affected, with high frequency, by musculoskeletal diseases that can be related to work and that have pain as the main symptom. These diseases can lead to incapacity for work and absenteeism, which, in combination with the granting of social benefits, lead to an increase in public expenditure on social security and health. In this context, ergonomic interventions have been developed in the work environment in order to control the signs and symptoms of injuries that include Work-related Musculoskeletal Disorders (WMSD). For this Doctoral Thesis, two studies were carried out, whose objectives were: 1) To analyze the factors related to the granting of different types of benefits to workers impeded from working due to WMSD; 2) Investigate the effects of ergonomic interventions in the workplace to reduce the effects of pain on workers in the industry. Study 1 is a cross-sectional retrospective study with a quantitative approach. The data from the evaluation forms of the workers of the industry admitted to a Reference Center in Occupational Health because they were diagnosed with WMSD. Descriptive statistical analysis was conducted and logistic regression was used to estimate the factors related to the type of assistance granted to the worker. Were evaluated 108 medical records of industrial workers, where 56.5% received the aid for accidental illness (B-91). The majority in the sample are women (72.2%) from the industry with a light demand for work (95.4%) and the shoulder was the segment most frequently affected (85.2%). The factors related to the granting of social security sickness benefits: have undergone a dismissal exam (OR = 0.22) and previous work with exposure to chemical risk (OR = 0.21). For the granting of accidental sickness benefits: the time in the current occupation (OR = 1.01), work with flexion of the cervical spine (OR = 4.68), participation in the rehabilitation program of the National Institute of Social Security (OR = 31.27) and referral for consultation with specialists (OR = 3.10). Study 2 is a systematic review of controlled and randomized studies with meta-analysis. 15 studies involving 4,286 industry workers were included. There was a greater prevalence of the inclusion of physical exercises in the work environment that allowed moderate evidence for cervical pain control (-0.66; -1.12 to -0.20; p = 0.005) and strong evidence for control of shoulder pain (-0.84; -1.26 to -0.41; p = 0.0001) in industry workers with a light demand for work after this intervention. There was very poor evidence for cervical, lumbar and shoulder pain control for the inclusion of physical exercises in heavy industry. No positive results were finding in studies with ergonomic training, however, there were positive results in studies that modified the physical structure of the workplace. The insertion of physical exercises in the industrial work environment can reduce shoulder and neck pain in light industry workers. Is necessary to create institutional programs at industry and to implement public health and social security politics as strategy to control factors related to illness and the granting of benefits.

3
  • ISABELLY CRISTINA RODRIGUES REGALADO MOURA
  •  

    IMPLEMENTAÇÃO DO DOMÍNIO PARTICIPAÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DA FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE NA PRÁTICA CLÍNICA DE FISIOTERAPEUTAS ESPECIALIZADOS EM SAÚDE DA CRIANÇA: uma abordagem baseada na Tradução do Conhecimento


  • Orientador : ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • MEMBROS DA BANCA :
  • HÉRCULES RIBEIRO LEITE
  • ANA CAROLINA DE CAMPOS
  • ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • DENISE KEIKO SHIKAKO THOMAS
  • EGMAR LONGO HULL
  • Data: 07/05/2021

  • Mostrar Resumo
  •  

    Introdução: O domínio Participação da CIF é definido como o envolvimento em situações de vida e é considerada um direito humano. Envolve elementos relacionados a frequência ou diversidade de participação, envolvimento, e preferências das crianças. Esses elementos funcionam como indicadores críticos de qualidade de vida para crianças com deficiência mas são pouco utilizados na prática clínica de profissionais da reabilitação. Pensando em ampliar o olhar para os aspectos relacionados a participação surge a necessidade de identificar as barreiras e facilitadores para a implementação, em seguida desenvolver uma estratégia de intervenção através de Knowledge Translation (KT) para capacitar profissionais da reabilitação. Justificativa: A implementação do domínio Participação da CIF fornecerá a identificação de barreiras e facilitadores para a implementação e do nível de propensão a mudança dos profissionais da reabilitação, estimulando a modificação na dinâmica terapêuticas dos profissionais e melhor atendimento as famílias e crianças com deficiência motora. Metodologia: Durante este estudo com abordagem mixed methods, 27 fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais participaram de seis sessões de aprendizagem facilitadas por um corretor de conhecimento. Antes da intervenção os profissionais foram entrevistados através de grupos focais e pela ferramenta Organizational Funcioning and Readness for Change (ORC) para análise do nível de propensão para a mudança. Após a intervenção, os profissionais foram entrevistados novamente através de grupos focais, para avaliar a possível mudança na prática. Dois pesquisadores realizaram independentemente a análise temática dos dados. O design do estudo combina elementos de um ensaio pragmático e modelo mixed-methods. Resultados: Através dos grupos focais e análise quantitativa da ferramenta ORC foi possível identificar as barreiras e facilitadores individuais e organizacionais para a implementação e o nível de propensão a mudança após a capacitação com estratégias de KT. Antes da capacitação os profissionais demonstraram ter bom conhecimento da CIF mas apresentaram baixos índices de utilização da classificação na prática clínica. Entre as barreiras individuais e organizacionais que poderiam dificultar a implementação do domínio participação foram identificadas as crenças negativas da família e contexto, dificuldade de ampliar o olhar, e barreiras do serviço. Como facilitadores para a implementação foram citados a padronização das ações, trabalho em equipe e estímulo do uso da CIF por outras categorias. Após a capacitação os profissionais demonstraram um aumento nos níveis de propensão a mudança, e satisfação com o treinamento, inserindo na prática clínica o domínio participação da CIF. Durante a implementação os profissionais enfrentaram barreiras de tempo, rotina e sobrecarga de trabalho; e facilitadores relacionados ao bom treinamento da equipe e valorização pessoal. Conclusão: Esta estratégia foi eficaz em redirecionar o olhar de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais para a noção de participação em atividades de lazer de crianças com deficiência e estabelecer prontidão para a mudança. Essa mudança pode potencialmente facilitar novas implementações baseadas na participação.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: The ICF Participation domain is defined as involvement in life situations and is considered a human right. It involves elements related to the frequency or diversity of children's participation, involvement, and preferences. These elements work as critical quality of life indicators for children with disabilities but are little used in the clinical practice of rehabilitation professionals. Thinking about expanding the look at aspects related to participation, there is a need to identify barriers and facilitators for implementation, then develop an intervention strategy through Knowledge Translation (KT) to train rehabilitation professionals. Justification: The implementation of the ICF Participation domain will provide the identification of barriers and facilitators for the implementation and the level of propensity to change rehabilitation professionals, stimulating changes in the therapeutic dynamics of professionals and better care for families and children with motor disabilities. Methodology: During this study with a mixed methods approach, 27 physical therapists and occupational therapists participated in six learning sessions facilitated by a knowledge broker. Before the intervention, the professionals were interviewed through focus groups and by the Organizational Functioning and Readness for Change (ORC) tool to analyze the level of propensity for change. After the intervention, the professionals were interviewed again through focus groups, to assess the possible change in practice. Two researchers independently carried out thematic analysis of the data. The study design combines elements of a pragmatic essay and mixed-methods model. Results: Through the focus groups and quantitative analysis of the ORC tool, it was possible to identify the barriers and individual and organizational facilitators for the implementation and the level of propensity to change after training with KT strategies. Before the training, the professionals demonstrated to have a good knowledge of the ICF but had low rates of use of the classification in clinical practice. Among the individual and organizational barriers that could hinder the implementation of the participation domain, the negative beliefs of the family and context, difficulty in expanding the view, and service barriers were identified. As facilitators for the implementation, the standardization of actions, teamwork and encouragement of the use of the ICF by other categories were mentioned. After the training, the professionals showed an increase in the levels of propensity to change, and satisfaction with the training, inserting the ICF participation domain in clinical practice. During the implementation, professionals faced barriers of time, routine and work overload; and facilitators related to good team training and personal enhancement. Conclusion: This strategy was effective in redirecting the gaze of physical therapists and occupational therapists to the notion of participation in leisure activities for children with disabilities and to establish readiness for change. This change can potentially facilitate new participation-based implementations.

4
  • RENATA JANAÍNA PEREIRA DE SOUZA
  • REPERCUSSÕES DA FACILITAÇÃO NEUROMUSCULAR PROPRIOCEPTIVA ASSOCIADA AO TREINO CARDIORRESPIRATÓRIO EM INDIVÍDUOS PÓS ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO CONTROLADO


  • Orientador : ARMELE DE FATIMA DORNELAS DE ANDRADE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANTONIO JOSÉ SARMENTO DA NÓBREGA
  • ARMELE DE FATIMA DORNELAS DE ANDRADE
  • ETIENE OLIVEIRA DA SILVA FITTIPALDI
  • RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • SELMA SOUSA BRUNO
  • Data: 27/05/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Indivíduos pós Acidente Vascular Encefálico (AVE) apresentam alterações em vários sistemas fisiológicos como o sistema musculoesquelético e cardiopulmonar. Essas alterações sistêmicas trazem repercussões importantes como redução significativa da distância percorrida no teste de caminhada de 6 minutos, função respiratória e na distribuição de volumes pulmonares. Esses pacientes apresentam ainda redução no seu nível de atividade física que por sua vez leva a um impacto negativo na mobilidade, incapacidade na realização das atividades de vida diária e qualidade de vida. O Treino Cardiorrespiratório (TCR) é apontado como um dos meios de melhorar a capacidade cardiorrespiratória nesta população, contudo por ser uma população que apresenta alterações importantes na mecânica respiratória, a utilização isolada do TCR pode ser insuficiente. Assim, a adição da técnica da Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP), que enfatiza um alongamento nos vários diâmetros do tronco  implicaria na maior conscientização e  harmonia das funções executadas pelo tronco, com foco para a musculatura respiratória desse indivíduo, promovendo assim uma melhora na função respiratória global destes pacientes e auxiliando no aumento da capacidade cardiorrespiratória destes indivíduos.

    Objetivos:

    a) Elaborar  um protocolo de ensaio clínico randomizado destinado a verificar os efeitos da adição da FNP a um TCR na função respiratória de indivíduos pós AVE;

    b) Investigar se as alterações de volume da caixa torácica (repouso e durante manobra inspiratória) em pacientes pós AVE estão relacionadas as mudanças funcionais na distância percorrida no teste de caminhada de 6 minutos, força muscular respiratória e função pulmonar. 

    c) Avaliar os efeitos dos padrões respiratórios e de tronco da Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva associado ao treinamento cardiorrespiratório na qualidade de vida, marcha, distância percorrida, pico de consumo de oxigênio, força muscular respiratória, volumes da caixa torácica, de indivíduos com pós Acidente Vascular Encefálico.

    Materiais e métodos: Primeiramente foi desenvolvido um protocolo para o ensaio clínico, com as avaliações e intervenções a serem realizadas pelo voluntários. Nele também foram estabelecidos os critérios de elegibilidade para os estudos subsequentes. Indivíduos com diagnóstico de AVE, primário, há mais de 6 meses e com hemiparesia, de ambos os sexos e com idade entre 21-65 anos foram avaliados acerca de medidas de desfecho medidas por: Escala Específica de Qualidade de Vida – Acidente Vascular Encefálico (EEQV-AVE); Volume máximo de Oxigênio; Teste de caminhada de 6 minutos(TC6M); Escala de Equilíbrio de Berg(EEB); espirometria e manovacuometria; volumes compartimentais da caixa torácica com pletismografia opto eletrônica. A partir das avaliações iniciais foi realizado o estudo observacional transversal e um ensaio clínico, randomizado, cego e com sigilo de alocação, todos desenvolvidos no Laboratório de Fisioterapia Cardiopulmonar Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). No ensaio clinico, indivíduos pós-AVE foram randomizados em quatro grupos: Experimental MMII (submetido ao TCR de Membros inferiores associado à FNP); Grupo Controle MMII (submetido TCR de MMII associado à respiração). Experimental MMSS (submetido ao TCR de Membros superiores associado à FNP) e Grupo Controle MMSS (submetido TCR de MMSS associado à respiração). Os indivíduos foram avaliados antes e imediatamente após 20 sessões do programa de tratamento e um mês após do fim do tratamento. Para os quatro grupos, o programa de tratamento era composto de realização dos padrões respiratórios de FNP ou respiração, seguido de 30 minutos de tratamento aeróbico e repetição da parte respiratória, sendo realizadas em 20 sessões, três vezes por semana. A determinação de encaminhamento para as técnicas foi feita por meio de sorteio, sendo mantida até o final do período de intervenção. Para a terapia com o TCR utilizado o cicloergômetro para membros inferiores ou superiores, baseado nos critérios da American College of Sports Medicine e monitorização constante de pressão arterial, saturação de oxigênio, frequência cardíaca  e percepção de esforço. Os padrões de FNP foram realizados em posições sentado, decúbito dorsal, ventral e lateral. Os exercícios de respiração foram realizados pelo mesmo tempo e nas mesmas posições da FNP.

    Resultados:

    Protocolo de ensaio clínico: Addition of proprioceptive neuromuscular facilitation to cardiorespiratory training in patients poststroke: study protocol for a randomized controlled trial(https://doi.org/10.1186/s13063-019-3923-1)[R1] 

    No estudo transversal foram avaliados 17 voluntários, com 55(7,5)anos, 22(17) meses pós AVE, 207(119) metros percorridos no TC6M, e volumes correntes em respiração tranquila e capacidade inspiratória de 460(160) e 1.790(460)ml respectivamente. Não foi encontrada correlação entre a distância no TC6M e a distribuição de volume da caixa torácica em repouso. Durante a manobra de capacidade inspiratória, um volume abdominal aumentado esteve relacionado a uma menor distância percorrida.

    Dezesseis indivíduos realizaram o treinamento no piloto do ensaio clínico. As análises foram realizadas utilizando ANOVA de medidas repetidas, com comparações que se deram entre MMSS com e sem FNP e MMII com e sem FNP. Não houve diferença significativa entre os grupos de diferentes intervenções, exceto para volumes compartimentais de caixa torácica abdominal e abdômen nos grupos de MMII, no grupo controle. os valores de Volume Expiratório Forçado no 1º segundo(VEF1) e VEF1/Capacidade Vital Forçada nos grupos de MMSS foram significativamente maiores no grupo controle.

    Conclusão – Os indivíduos pós AVE apresentam redução na distância percorrida no TC6M quando há aumento do volume do compartimento abdominal.

    Os grupos FNP e controle apresentaram comportamentos similares em relação a variáveis funcionais, respiratórias, e de qualidade de vida dos indivíduos da amostra.


     [R1]aguardo


  • Mostrar Abstract
  • Background:

    Individuals after a stroke present alterations in several physiological systems such as the musculoskeletal and cardiopulmonary systems. These systemic changes have important repercussions such as a significant reduction in the distance covered in the 6-minute walk test, respiratory function and in the distribution of lung volumes. These patients also show a reduction in their level of physical activity, which in turn leads to a negative impact on mobility, inability to perform activities of daily living and quality of life.

    Cardiorespiratory training (CRT) is considered one of the means of improving cardiorespiratory capacity in this population, however, as it is a population that presents important changes in respiratory mechanics, the isolated use of CRT may be insufficient. Thus, the addition of the Proprioceptive Neuromuscular Facilitation (PNF) technique, which emphasizes stretching in the various diameters of the trunk would imply greater awareness and harmony of the functions performed by the trunk, focusing on the respiratory muscles of that individual, thus promoting an improvement in function respiratory capacity of these patients and helping to increase the cardiorespiratory capacity of these individuals.

    Objectives:

    a) Develop a randomized clinical trial protocol designed to verify the effects of adding PNF to a TCR on the respiratory function of post-stroke individuals;

    b) To investigate whether changes in the volume of the rib cage (at rest and during inspiratory maneuver) in post-stroke patients are related to functional changes in the distance covered in the 6-minute walk test, respiratory muscle strength and lung function.

    c) Evaluate the effects of the breathing and trunk patterns of Proprioceptive Neuromuscular Facilitation associated with cardiorespiratory training on quality of life, gait, distance covered, peak oxygen consumption, respiratory muscle strength, chest volumes, of individuals with post-stroke.

    Materials and methods: Firstly, a protocol for the clinical trial was developed, with the evaluations and interventions to be carried out by the volunteers. It also established the eligibility criteria for subsequent studies. Individuals diagnosed with primary stroke for more than 6 months and with hemiparesis, of both sexes and aged between 21-65 years were evaluated regarding outcome measures measured by: Specific Quality of Life Scale - Stroke ( SSQoL); Maximum volume of Oxygen; 6-minute walk test (6MWT); Berg's Balance Scale (BBS); spirometry and manovacuometry; compartmental volumes of the rib cage with optoelectronic plethysmography. From the initial evaluations, a cross-sectional observational study and a clinical trial, randomized, blinded and with allocation confidentiality, were carried out, all developed at the Laboratory of Cardiopulmonary Physiotherapy Department of Physiotherapy at the Federal University of Pernambuco (UFPE). In the clinical trial, post-stroke individuals were randomized into four groups: Experimental LLLL (subjected to lower limb CRT associated with PNF); LLLL Control Group (submitted to LL CRT associated with breathing). Experimental UULL (submitted to upper limb CRT associated with PNF) and UULL Control Group (submitted to UULL CRT associated with breathing). The subjects were evaluated before and immediately after 20 sessions of the treatment program and one month after the end of treatment. For the four groups, the treatment program consisted of performing PNF breathing patterns or breathing, followed by 30 minutes of aerobic treatment and repetition of the respiratory part, being performed in 20 sessions, three times a week. The determination of the referral for the techniques was made by means random form, being maintained until the end of the intervention period. For therapy with the CRT, a cycle ergometer for lower or upper limbs was used, based on the criteria of the American College of Sports Medicine and constant monitoring of blood pressure, oxygen saturation, heart rate and perceived exertion. PNF patterns were performed in the sitting, supine, ventral and lateral positions. Breathing exercises were performed for the same time and in the same positions as the PNF.

    Results:

    Clinical trial protocol: Addition of proprioceptive neuromuscular facilitation to cardiorespiratory training in patients poststroke: study protocol for a randomized controlled trial (https://doi.org/10.1186/s13063-019-3923-1)

    In the cross-sectional study, 17 volunteers were evaluated, aged 55 (7.5) years, 22 (17) months after stroke, 207 (119) meters covered in the 6MWT, and tidal volumes in quiet breathing and inspiratory capacity of 460 (160) and 1,790 (460) ml respectively. No correlation was found between the distance in the 6MWT and the volume distribution of chest wall at rest. During the inspiratory capacity maneuver, an increased abdominal volume was related to a shorter distance covered.

    Sixteen individuals underwent training in the pilot of the clinical trial. The analyzes were performed using ANOVA of repeated measure LLLL with and without PNF. There was no significant difference between the groups of different interventions, except for compartmental volumes of abdominal and abdominal ribs in the lower limbs groups, in the control group. The values of Forced Expiratory Volume in the 1st second (FEV1) and FEV1 / Forced Vital Capacity in the upper limbs groups were significantly higher in the control group.

    Conclusion - Individuals after stroke show a reduction in the distance covered on the 6MWT when there is an increase in the volume of the abdominal compartment.

    The FNP and control groups showed similar behaviors in relation to functional, respiratory, and quality of life variables of the individuals in the sample.

5
  • VANESSA DA NÓBREGA DIAS
  • EQUILÍBRIO CORPORAL E FUNCIONALIDADE EM IDOSOS DIABÉTICOS E NÃO DIABÉTICOS: UMA ANÁLISE COMPARATIVA

  • Orientador : JULIANA MARIA GAZZOLA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • FLÁVIA DONÁ SIMONE
  • JULIANA FERNANDES DE SOUZA BARBOSA
  • JULIANA MARIA GAZZOLA
  • RICARDO OLIVEIRA GUERRA
  • Data: 17/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • OBJETIVO: Comparar os idosos com e sem DM tipo 2 quanto aos fatores sociodemográficos, clínicos, funcionais e psico-cognitivos, relacionados ao equilíbrio postural e a funcionalidade. MÉTODO: Trata-se de um estudo observacional analítico de caráter transversal, cuja amostra foi selecionada por conveniência e constituída por idosos com 60 anos ou mais, com e sem diagnóstico de Diabetes Mellitus tipo 2, segundo os critérios da American Diabetes Association (ADA), de ambos os sexos, dividida em dois grupos: grupo 1 (G1) – idosos com diagnóstico de DM tipo 2 e grupo 2 (G2) - idosos sem DM tipo 2. A variável “diagnóstico de DM 2” foi analisado em relação às demais variáveis do estudo, por meio da aplicação dos testes estatísticos:  Mann-Whitney, Kruskall-Wallis, com o pos hoc de Dunn. As correlações foram feitas por meio da Correlação de Spearman (r) e modelos de regressão linear múltipla foram construídos para avaliar os preditores de WHODAS e TUG.Também foram feitas análises de regressão tipo stepwise e anáilise de Curva Roc. Para todas as análises estatísticas foi adotado um nível de significância de 5% (p<0,05).  RESULTADOS: Foi observada significância nas variáveis: IMC (p=0,048), número de doenças (p<0,001), número de medicamentos (p= 0,001), escala depressão geriátrica (p=0,011), alterações nos pés (p<0,001), alteração sensitiva (p<0,001), medo de quedas (p=0,012). As variáveis que entraram no modelo após uma bateria de correlações foram: Mini BESTest total, tempo de diagnóstico, número de medicamentos, escala de depressão geriátrica, MiniMental, diminuição da velocidade da marcha e tontura. CONCLUSÃO: Os idosos com DM2 apresentam fatores de risco para déficit no equilíbrio postural e funcionalidade, como diminuição da força de preensão palmar, da mobilidade funcional, presença de sintomas depressivos, maior número doenças diagnosticadas e de medicamentos em uso, medo de cair.


  • Mostrar Abstract
  • Background: The DM can make the elderly bearers more susceptible to imbalance and falls because it affects the sensory systems that influence non-postural balance, associated with the process of senescence that decreases the functional reserve of the elderly and a presence of other diseases that affect these individuals. Objective: To evaluate the effectiveness of a Therapeutic Physical Exercise Program in improving body balance and the functionality of the elderly with type 2 diabetes mellitus. Methods: A blind, parallel, randomized, controlled feasibility trial will be conducted with a sample of elderly diagnosed Diabetes Mellitus type 2, attended at the Geriatrics and Endocrinology outpatient clinics of the University Hospital Onofre Lopes (HUOL) of the Federal University of Rio Grande do Norte. The Elderly Both Groups will undergo a Previously Scheduled Assessment, performed by trained evaluators, conducted at the Advanced Nucleus of Research and Technological Innovation in Health (NAPS), Laboratory of Technological Innovations (LAIS) to do HUOL. This recording in three moments: previous parties of randomization (T1), post-therapy after randomization - T2 and follow (three months after term term for operation - T3). The data are analyzed using statistical software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), version 23.0. Expected Results: Hope, specific exercise program for the elderly with associated DM 2 as guidelines, is effective in improving the body balance and in the functionality of these individuals.

6
  • MIKHAIL SANTOS CERQUEIRA
  •  

    APLICAÇÕES DAS MODALIDADES DE RESTRIÇÃO DE FLUXO SANGUÍNEO EM DIFERENTES DESORDENS MUSCULOESQUELÉTICAS: ASPECTOS FISIOLÓGICOS, METODOLÓGICOS E CLÍNICOS


  • Orientador : WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLEITON AUGUSTO LIBARDI
  • GABRIEL PEIXOTO LEÃO ALMEIDA
  • HAMILTON AUGUSTO ROSCHEL DA SILVA
  • RODRIGO SCATTONE DA SILVA
  • WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • Data: 18/06/2021

  • Mostrar Resumo
  • CONTEXTUALIZAÇÃO: Desordens musculoesqueléticas são comuns e podem comprometer o desempenho físico, a função física e a qualidade de vida. Dentre as intervenções que podem ser utilizadas no manejo das desordens musculoesqueléticas, as modalidades de restrição de fluxo sanguíneo (RFS) vêm ganhando espaço na literatura científica. OBJETIVOS: O objetivo geral desta tese de doutorado foi investigar os aspectos fisiológicos, os métodos de prescrição e as aplicações clínicas de diferentes modalidades de RFS. MÉTODOS E RESULTADOS: As modalidades de RFS consideradas foram a RFS sem exercício concomitante (RFS passiva), a RFS pré-exercício (pré-condicionamento isquêmico - PCI) e a RFS combinada com exercício. Como desordens musculoesqueléticas foram consideradas condições que causassem algum tipo prejuízo funcional, tais como perda de força e massa muscular, dano muscular induzido por exercício, fadiga muscular e dores crônicas no joelho. A presente tese de doutorado é composta por cinco capítulos. Os capítulos 1 e 5 são, respectivamente a contextualização  e  as  considerações  finais  da  tese. Os capítulos 2, 3 e 4 são compostos de nove artigos científicos envolvendo quatro tipos de estudo: revisões sistemáticas (com e sem meta-análise), cartas ao editor, revisão narrativa e ensaios clínicos aleatorizados. O capítulo 2 é uma revisão sistemática (artigo 1) sobre os efeitos da RFS passiva para minimizar perdas de força e de massa muscular (hipotrofia por desuso) em indivíduos submetidos a restrições na descarga de peso em membros inferiores. No capítulo 2 observamos que embora potencialmente útil, o alto risco de viés apresentado nos estudos originais limita a indicação de RFS passiva como uma modalidade eficaz contra a redução da força e atrofia induzida por imobilização. O capítulo 3 é um ensaio clínico controlado e aleatorizado (artigo 2) que investigou os efeitos do PCI na proteção contra o dano muscular induzido por exercício em pessoas saudáveis. O artigo 2 apontou que o PCI não foi superior ao sham para proteger contra o dano muscular induzido por exercício. O capítulo 4 aborda aspectos fisiológicos, metodológicos e clínicos da RFS combinada ao exercício físico. O primeiro manuscrito do capítulo 4 (artigo 3) é uma revisão sistemática com meta-análise que analisou a excitação muscular (por eletromiografia de superfície) durante exercício resistido com RFS levado ou não até a falha muscular. O artigo 3 indicou que a excitação muscular durante o exercício de baixa carga com RFS foi maior que o exercício de carga pareada sem RFS somente quando a falha muscular não é alcançada. Adicionalmente, exercício de baixa carga com RFS apresentou menor excitação muscular que exercício de alta carga, independentemente de alcançar ou não a falha voluntária. O segundo manuscrito do capítulo 4 (artigo 4) é uma revisão sistemática com meta-análise que investigou se o nível da pressão de RFS influencia no tempo para alcançar a falha muscular voluntária durante uma tarefa fatigante. Neste artigo, nós mostramos que a falha muscular é antecipada durante exercícios de baixa carga com altas pressões de RFS, mas não baixas pressões. O terceiro manuscrito do capítulo 4 (artigo 5) é uma revisão narrativa que discute a possível necessidade de ajustar a pressão de RFS ao longo das semanas de treinamento. No artigo 5 observamos que a literatura é contraditória e dificulta recomendar se tais ajustes na pressão de RFS são necessários. Os quatro últimos artigos do capítulo 4 versam sobre o treinamento combinado á RFS no tratamento das dores crônicas de joelho. Os artigos 6 e 7 são cartas ao editor sobre recentes revisões sistemáticas com meta-análise e apontam a necessidade de maior rigor metodológico nas revisões sistemáticas sobre RFS para tratar dores crônicas de joelho. O artigo 8 é um protocolo de ensaio clínico aleatorizado proposto para investigar os efeitos do exercício de baixa carga e volume total reduzido com RFS versus treinamento de alta carga sem RFS no tratamento da osteoartrite de joelho. O artigo 9 é o ensaio clínico aleatorizado que apresenta os resultados do artigo 8 e mostra que o treinamento de baixa carga com volume total reduzido e com RFS teve efeito similar ao treinamento de alta carga sem RFS na dor no joelho, desempenho muscular, função física e qualidade de vida de pacientes com osteoartrite de joelho, embora a magnitude dos ganhos de força tenha sido maior após treino de alta carga. CONCLUSÕES: De forma geral, com exceção do PCI para proteger contra o dano muscular induzido por exercício, as modalidades de restrição de fluxo sanguíneo são potencialmente úteis no manejo da disfunções musculoesqueléticas aqui estudadas. Adicionalmente, concluímos que é necessário avançar no entendimento dos mecanismos fisiológicos e no estudo dos métodos de prescrição das diferentes modalidades de restrição de fluxo sanguíneo.


  • Mostrar Abstract
  • BACKGROUND: Musculoskeletal disorders are common and can impair physical performance, physical function and quality of life. Among interventions that can be used in the management of musculoskeletal disorders, blood flow restriction (BFR) modalities have been gaining space in the scientific literature. AIMS: In general, the objective of this doctoral thesis is to investigate physiological aspects, prescription methods and clinical applications of different BFR modalities. METHODS AND RESULTS: BFR modalities considered were the BFR without concomitant exercise (passive BFR), pre-exercise BFR (ischemic preconditioning - IPC) and BFR combined with exercise. As musculoskeletal disorders, conditions that caused some type of functional impairment were considered. The present doctoral thesis consists of five chapters. Chapters 1 and 5 are, respectively, the background and final considerations of the thesis. Chapters 2, 3 and 4 consist of nine scientific articles involving four study models: systematic reviews (with and without meta-analysis), letters to the editor, narrative review and randomized clinical trials. Chapter 2 is a systematic review (article 1) on the effects of passive BFR to minimize losses of strength and muscle mass (disuse atrophy) in individuals subjected to unloading in the lower limbs. In chapter 2 we observed that although potentially useful, the high risk of bias presented in the original studies limits the indication of passive BFR as an effective modality against the atrophy following immobilization. Chapter 3 is a randomized and controlled clinical trial (article 2) that investigated the effects of IPC on protection against exercise-induced muscle damage in healthy people. Article 2 pointed out that PCI was not superior to sham to protect against exercise-induced muscle damage. Chapter 4 deals with physiological, methodological and clinical aspects of BFR combined with physical exercise. The first manuscript of chapter 4 (article 3) is a systematic review with meta-analysis that analyzed muscle excitation (by surface electromyography) during resistance exercise with BFR taken until. Article 3 indicated that muscle excitation during low load exercise with BFR was greater than low-load exercise without BFR only when muscle failure is not achieved. Additionally, low-load exercise with BFR showed less muscle excitation than high-load exercise, regardless of whether muscle failure was achieved or not. The second manuscript of chapter 4 (article 4) is a systematic review with meta-analysis that investigated whether the BFR pressure level influences the time to achieve voluntary muscle failure during a fatiguing task. In article 4 we showed that muscle failure is anticipated during low-load exercises with high-, but not low-BFR pressures. The third manuscript of chapter 4 (article 5) is a narrative review that discusses the possible need to adjust the BFR pressure over weeks of training. In article 5 we observed that the literature is contradictory and makes it difficult to recommend whether such adjustments in the BFR pressure are necessary. The last four articles of chapter 4 deal with resistance training combined with BFR in the chronic knee pain treatment. Articles 6 and 7 are letters to the editor about recent systematic reviews with meta-analysis and point out the need for greater methodological rigor in systematic reviews on BFR to treat chronic knee pain. Article 8 is a protocol for a randomized clinical trial proposed to investigate the effects of low-load and reduced total volume exercise with BFR versus high-load training without BFR in the treatment of knee osteoarthritis. Article 9 is the randomized clinical trial that presents the results of article 8 and shows that low-load training with reduced total volume and with BFR had an effect similar to high-load training without BFR on knee pain, muscle performance, physical function and quality of life of patients with knee osteoarthritis, although the magnitude of strength gains was greater after high-load training. CONCLUSIONS: Overall, with the exception of IPC to protect against muscle damage induced by exercise, blood flow restriction modalities are potentially useful in the management of musculoskeletal disorders studied herein. Additionally, we conclude that it is necessary to advance in the understanding of the physiological mechanisms and in the study of the prescription methods of the different modalities of blood flow restriction.

7
  • SAMARA ALENCAR MELO
  • Efeitos da estimulação elétrica neuromuscular na dor femoropatelar: ensaio controlado randomizado

  • Orientador : JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • NAYRA DAYSE DOS ANJOS RABELO
  • CAIO ALANO DE ALMEIDA LINS
  • FABIO VIADANNA SERRÃO
  • JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA
  • Data: 13/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Dor Femoropatelar (DFP) é uma disfunção musculoesquelética debilitante e bastante frequente, que afeta a funcionalidade e pode comprometer a realização das atividades de vida diária. Essa condição acomete sobretudo, a população feminina e o tratamento apresenta-se controverso. Objetivo: comparar os efeitos da adição da estimulação elétrica neuromuscular (EENM) a um programa de exercícios terapêuticos com ênfase nos grupos extensores do joelho e abdutores do quadril, em mulheres com DFP. Métodos: Trata-se de um ensaio controlado randomizado, no qual 34 mulheres com DFP, com média de idade 23,8 (DP 4,1), foram distribuídas aleatoriamente em 2 grupos: exercícios associados a EENM (GEE) e exercícios (GEx). O GEx realizou um protocolo de exercícios voltados para o treinamento dos extensores do joelho e abdutores de quadril, enquanto o GEE realizou os mesmos exercícios, porém associados à EENM. As intervenções foram realizadas em ambos os grupos, duas vezes por semana, durante oito semanas, totalizando 16 sessões de tratamento. A medida de desfecho primário foi a intensidade da dor. As medidas de desfecho secundário incluem limitações funcionais, atividade eletromiográfica do vasto medial oblíquo (VMO), vasto lateral (VL), glúteo médio (GM) e desempenho muscular isocinético dos extensores do joelho e abdutores do quadril. Esses parâmetros foram mensurados 72h antes do início da intervenção (linha de base), após 4 semanas (avaliação 4 semanas), após 8 (avaliação 8 semanas) e após 16 (avaliação 16 semanas- follow-up). Resultados: Não observamos diferença significativa entre os grupos avaliados com relação as variáveis de intensidade da dor, limitações funcionais, atividade eletromiográfica, desempenho isocinético dos extensores do joelho e desempenho isocinético dos abdutores do quadril (p>0,05). Evidenciamos diferença significativa na comparação intragrupo para a intensidade da dor (p<0,01; F=42,9; ηp2=0,57) e limitações funcionais (p<0,01; F=43,0; ηp2=0,57), em ambos os grupos. Conclusão: A EENM não demonstrou efeitos adicionais significativos que justifiquem a sua associação a exercícios no tratamento da DFP. Contudo, os exercícios terapêuticos propostos foram eficazes na redução da dor e melhora das limitações funcionais, com efeito residual que se manteve após oito semanas do término do tratamento.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Patellofemoral Pain (PFP) is a very frequent and debilitating musculoskeletal disorder that affects functionality and can compromise the performance of activities of daily living. This condition mainly affects the female population and the treatment is controversial. Objective: To compare the effects of additional neuromuscular electrical stimulation (NMES) to a therapeutic exercise program with emphasis on the knee extensor and hip abductor groups in women with PFP. Methods: This is a randomized controlled trial, in which 34 women with PFP, mean age 23.8 (SD 4.1), were randomly distributed into 2 groups: exercises associated with NMES (ESG) and exercises (ExG). The ExG performed an exercise protocol aimed at training the knee extensors and hip abductors, while the ESG performed the same exercises, but associated with the NMES. Interventions were carried out in both groups, twice a week, for eight weeks, totaling 16 treatment sessions. The primary outcome measure was pain intensity. Secondary outcome measures include functional limitations, vastus medialis oblique (VMO), vastus lateralis (VL), gluteus medius (GM) electromyographic activity, and isokinetic muscle performance of the knee extensors and hip abductors. These parameters were measured 72h before the beggining of the intervention (baseline), after 4 weeks (4 weeks evaluation), after 8 weeks (8 weeks evaluation) and after 16 weeks (16 weeks follow-up evaluation). Results: We did not observe any significant difference between the evaluated groups regarding pain intensity variables, functional limitations, electromyographic activity, isokinetic performance of the knee extensors and isokinetic performance of the hip abductors (p>0.05). We evidenced a significant difference in the intragroup comparison for pain intensity (p<0.01; F=42.9; ηp2=0.57) and functional limitations (p<0.01; F=43.0; ηp2=0, 57), in both groups. Conclusion: NMES did not demonstrate significant additional effects that justify its association with exercise in the treatment of PFP. However, the proposed therapeutic exercises were effective in reducing pain and improving functional limitations, with a residual effect that remained eight weeks after the end of treatment.

8
  • ADA CRISTINA JÁCOME SARMENTO SILVA
  • Postura e Biomecânica da coluna vertebral de crianças com asma


     

  • Orientador : KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • KAROLINNE SOUZA MONTEIRO
  • SANDRA CRISTINA DE ANDRADE
  • DIANA AMÉLIA DE FREITAS
  • RAQUEL EMANUELE DE FRANCA MENDES ALVES
  • Data: 31/08/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Doenças que cursam com obstrução de vias aéreas, como a asma, podem acarretar uma sobrecarga da musculatura respiratória com o uso excessivo de músculos acessórios, resultando em mudanças no comprimento muscular e consequentes alterações funcionais. Objetivo: Avaliar a postura e biomecânica (amplitude de movimento e força muscular) da coluna vertebral de crianças com asma. Métodos: Trata-se de um estudo exploratório comparativo, que avaliou crianças de 7 a 12 anos com diagnóstico clínico de asma e crianças saudáveis, pareadas por idade, sexo, altura. Foram realizadas avaliações antropométricas, da postura, da amplitude de movimento, da força muscular da coluna cervical e toracolombar, espirometria, avaliação do controle clínico e severidade da asma. Resultados: O estudo foi composto por 41 crianças com asma e  21 escolares saudáveis. Não foi observada diferença (p>0,05) na postura (ângulo sagital da cabeça, ângulo cervical, ângulo do ombro e cifose torácica) entre os grupos. As variáveis, amplitude de movimento de extensão da coluna cervical e amplitude de movimento de extensão da coluna toracolombar foram estatisticamente significativas (p <0,05). Conclusões: As variáveis de postura da coluna cervical e toracolombar não se diferem entre crianças com asma e escolares saudáveis. Crianças com asma controlada/parcialmente controlada e não controlada apresentam menor amplitude de movimento de extensão da coluna cervical quando comparadas com os saudáveis e crianças com asma não controlada apresentam menor amplitude de movimento da coluna toracolombar comparada com crianças com asma controlada/parcialmente controlada e escolares saudáveis.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Obstructive conditions, such as asthma, can cause respiratory muscle overload due to excessive use of accessory muscles, resulting in functional impact and muscle length changes. Objective: Assess posture and biomechanics (range of motion and muscle strength) of the spine of children with asthma. Methods: This is an exploratory comparative study that evaluated children aged 7 to 12 years with a clinical diagnosis of asthma and healthy children, matched for age, sex, and height. Anthropometric, posture, range of motion, cervical and thoracolumbar muscle strength, spirometry, assessment of clinical control and asthma severity were performed. Results: The study consisted of 41 children with asthma and 21 healthy schoolchildren. There was no difference (p>0.05) in posture (sagittal head angle, cervical angle, shoulder angle and thoracic kyphosis) between groups. Variables, cervical spine extension range of motion and thoracolumbar spine extension range of motion were statistically significant (p < 0.05). Conclusions: The variables of posture of the cervical and thoracolumbar spine did not differ between children with asthma and healthy schoolchildren. Children with controlled/partially controlled and uncontrolled asthma have a lower range of motion of cervical spine extension when compared to healthy children and children with uncontrolled asthma have a lower range of motion of the thoracolumbar spine compared to children with controlled/partially controlled asthma and schoolchildren healthy.

     

     

9
  • GENTIL GOMES DA FONSECA FILHO
  •  

    AMAR  - Aplicativo de Monitoramento, Acompanhamento e Rastreio do desenvolvimento infantil - Um estudo de desenvolvimento e validade do conteúdo.


  • Orientador : ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ABNER CARDOSO RODRIGUES NETO
  • ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • ANNA GISELLE CAMARA DANTAS RIBEIRO RODRIGUES
  • CAMILA ROCHA SIMÃO
  • CLAUDIA RODRIGUES SOUZA MAIA
  • RICARDO ALEXSANDRO DE MEDEIROS VALENTIM
  • Data: 24/09/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: No Brasil o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento é uma das estratégias preconizadas, pelo Ministério da Saúde,  para garantir o desenvolvimento infantil de forma adequada para todas as crianças brasileiras, no entanto, muitas vezes este processo não é realizado de maneira eficaz.Em alguns países, estratégias de inovações tecnológicas estão sendo uma alternativa para favorecer o cuidado destas crianças de forma colaborativa entre a família e os profissionais de saúde. Objetivo: Desenvolver um sofware versão web e mobile e testar a sua validade conteúdo para acompanhar o crescimento e desenvolvimento infantil. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório, utilizando métodos mistos com abordagem quantitativa e qualitativa de desenvolvimento de software baseando-se no processo metodológico chamado design de interação participativo composto por 4 etapas.  Identificação das necessidades do usuário; projeto de design da solução; Construção de um protótipo funcional e a avaliação. Para avaliação foi realizado o teste de validade de conteúdo por profissionais da saúde que realizam o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil e por familiares.Através do preenchimento de um formulário com perguntas quantitativas e qualitativas após analisarem as telas do software na versão mobile e na versão web. O projeto foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Instituto de Ensino e Pesquisa Alberto Santos Dumont sob CAAE 48108021000000129, conforme a resolução 466/12.Resultados: Na 1° etapa foram identificadas as necessidades apontadas na literatura e discutidas em equipe composta por design, desenvolvedores de sistemas e fisioterapeutas. Em seguida, o AMAR- Aplicativo de monitoramento, avaliação e rastreio para o desenvolvimento passou a ser desenvolvido através de reuniões para refinamento do sistema, até chegar ao modelo para avaliação dos usuários. O sistema foi desenvolvido através de um front end com um design responsivo e o back end escrito em JavaScript sendo o responsável pela comunicação das duas aplicações: Mobile e Web. Para o armazenamento e gerenciamento dos dados foi utilizado o PostgreSQL na versão 12.5. Também foi criada uma Application Programming Interface (API) utilizando o Django Rest Framework versão 3.12.4 para permitir a comunicação entre todas as partes do sistema. Ao ser avaliado por 10 profissionais de saúde e por 10 famílias, a validade de conteúdo obteve um Ìndice de Validade de Contéudo maior do que 80% em todas as questões. Conclusão: O AMAR se mostrou com boa confiabilidade para o seu objetivo que é favorecer o acompanhamento entre famílias e profissionais de saúde no acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil. O próximo passo é implementá-lo para que possamos compreender se esta prática colaborativa irá favorecer o rastreio de alterações no desenvolvimento.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: In Brazil, monitoring growth and development is one of the strategies recommended by the Ministry of Health to ensure child development in an appropriate way for all Brazilian children, however, often this process is not carried out effectively. In some countries, strategies of technological innovations are being an alternative to favor the care of these children collaboratively between the family and health professionals. Objective: Develop a sofware web and mobile version and test its content validity to track growth and child development. Methodology: This is an exploratory study, using mixed methods with quantitative and qualitative approach to software development based on the methodological process called participatory interaction design composed of 4 stages. Identification of the user's needs; solution design design; Construction of a functional prototype and evaluation. For evaluation, the content validity test was performed by health professionals who monitor child growth and development and family members. By completing a form with quantitative and qualitative questions after analyzing the screens of the software in the mobile version and in the web version. The project was submitted and approved by the Ethics and Research Committee of the Alberto Santos Dumont Institute of Teaching and Research under CAAE 48108021000000129, according to resolution 466/12.Results: In the 1st stage, the needs identified in the literature were identified and discussed in a team composed of design, system developers and physiotherapists. Then, amar- application monitoring, evaluation and screening for development began to be developed through meetings to refine the system, until reaching the model for evaluation of users. The system was developed through a front end with a responsive design and the back end written in JavaScript being responsible for the communication of the two applications: Mobile and Web. For data storage and management, PostgreSQL was used in version 12.5. An Application Programming Interface (API) was also created using the Django Rest Framework version 3.12.4 to enable communication between all parts of the system. When evaluated by 10 health professionals and 10 families, the content validity obtained a Content Validity Index greater than 80% in all questions. Conclusion: AMAR proved to be well-reliability for its objective, which is to favor follow-up among families and health professionals in the monitoring of child growth and development. The next step is to implement it so that we can understand whether this collaborative practice will favor tracking development changes.

10
  • MARIA CLARA EUGENIA DE OLIVEIRA
  • Avaliação da satisfação do treinamento da musculatura do assoalho pélvico isolado e associado à estimulação do nervo tibial em mulheres com incontinência urinária mista.

  • Orientador : MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • ADRIANA GOMES MAGALHAES
  • ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
  • GABRIELA MARINI PRATA
  • PALLOMA RODRIGUES DE ANDRADE
  • Data: 11/11/2021

  • Mostrar Resumo
  • Objetivos: Comparar a eficácia e o grau de satisfação após o treinamento muscular do assoalho pélvico isolado e associado à estimulação transcutânea do nervo tibial (ETNTP) em mulheres com incontinência urinária mista (IUM). Desenho do estudo: Um ensaio clínico randomizado simples-cego foi conduzido. 24 mulheres com diagnóstico de IUM foram igualmente divididas em dois grupos: treinamento muscular do assoalho pélvico (TMAP) isolado e associado a ETNTP. O estudo ocorreu em quatro etapas: 1) avaliação: informações gerais, manometria do assoalho pélvico, aplicação do International Consultation on Incontinence Questionnaire – Urinary Incontinence - Short Form (ICIQ-UI-SF) e International Consultation on Incontinence Questionnaire – Overactive Bladder (OAB) ; 2) intervenção: realizada ao longo de 2 meses, duas vezes por semana; 3) avaliação pós-intervenção: manometria vaginal, reaplicação dos questionários e aplicação do Paciente Global Impression (PGI) ao final da intervenção de 2 meses; e, 4) acompanhamento: avaliação após 1 mês do término da intervenção. O desfecho primário foi o ICIQ-UI-SF e os desfechos secundários foram ICIQ-OAB, manometria vaginal e IGP. A ANOVA de medidas repetidas foi usada para avaliar a interação do tempo no grupo, atribuindo um nível de significância de 5%. Resultados: Não houve interação entre tempo e grupo para ICIQ-UI-SF (p = 0,17) e manometria (p = 0,56). Houve interação para ICIQ-OAB (p <0,01). PGI foi relatado como "muito melhor" com 41,67% no grupo TMAP + ETNTP e 16,67% no grupo TMAP após a intervenção (p = 0,04). Conclusões: Os resultados mostraram evidências fracas de que ETNTP, em combinação com TMAP, pode ser uma intervenção que pode ser usada para tratar IUM. O grau de satisfação foi melhor com intervenção associada.


  • Mostrar Abstract
  • Objectives: To compare the efficacy and degree of satisfaction after isolated pelvic floor muscle training and associated transcutaneous tibial nerve stimulation (TTNS) in women with mixed urinary incontinence (MUI). Study Design: A randomized, single-blinded clinical trial was conducted. 24 women diagnosed with MUI were equally divided into two groups: pelvic floor muscle training isolated and associated to TTNS. The study occurred in four stages: 1) evaluation: general information, pelvic floor manometry, the International Consultation on Incontinence Questionnaire – Urinary Incontinence - Short Form (ICIQ-UI-SF) and International Consultation on Incontinence Questionnaire – Overactive Bladder (OAB) application; 2) intervention: carried out over 2 months twice a week; 3) post-intervention evaluation: vaginal manometry, reapplication of the questionnaires and the Patient Global Impression (PGI) application at the end of the 2-month intervention; and, 4) follow-up: evaluation after 1 month of the end of the intervention. The primary outcome was the ICIQ-UI-SF and the secondary outcomes were ICIQ-OAB, vaginal manometry, and PGI. The repeated measures ANOVA was used to assess the time-to-group interaction by assigning a significance level of 5%. Results: There was no interaction between time and group for ICIQ-UI-SF (p = 0.17) and manometry (p = 0.56). There was interaction for ICIQ-OAB (p < 0.01). PGI was reported as ‘‘much better” with 41.67% in the PFMTG + TTNS and 16.67% in the PFMTG after the intervention (p = 0.04). Conclusions: The results showed weak evidence that TTNS, in combination with PFMT, may be an intervention that can be used to treat MUI. The satisfaction degree was better with associated intervention.

11
  • LAYANA MARQUES DE OLIVEIRA
  • Alterações nos Músculos respiratórios na Distrofia Muscular de Duchenne: suas consequências na apresentação clínica da doença

  • Orientador : VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANTONIO JOSÉ SARMENTO DA NÓBREGA
  • FERNANDO AUGUSTO LAVEZZO DIAS
  • ILLIA NADINNE DANTAS FLORENTINO LIMA
  • LUCIEN PERONI GUALDI
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • Data: 19/11/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A distrofia muscular de Duchenne (DMD) resulta em fraqueza progressiva e perda de todos os músculos estriados, incluindo os músculos respiratórios, com consequências na deambulação, além de dificuldades respiratórias, como principal causa de morte. Nas últimas décadas, a sobrevida dos pacientes com DMD tem aumentado graças a uma abordagem terapêutica mais abrangente, principalmente com medidas de avaliação e manejo precoce das complicações pulmonares. Entretanto, ainda existem lacunas na compreensão de como as alterações nos músculos respiratórios e as posturas corporais podem influenciar o movimento toracoabdominal e as pressões respiratórias máximas nasais nessa população e como a introdução de novas medidas clinicas não invasivas podem auxiliar no manejo desses pacientes. Objetivos: Essa tese tem como objetivo principal compreender melhor as alterações dos músculos respiratórios na Distrofia Muscular de Duchenne e suas consequências na evolução clínica da doença. Para isso, três objetivos foram traçados: 1) Avaliar como o posicionamento corporal influencia na assincronia toracoabdominal e o movimento inspiratório paradoxal durante a respiração tranquila e a tosse na DMD; 2) Avaliar como a mudança de posicionamento corporal durante a avaliação das pressões máximas nasais podem afetar os valores pressóricos, as taxas de relaxamento, as propriedades contráteis musculares, como também, modificar a ativação muscular eletromiográfica na DMD; 3) Acompanhar a evolução clínica da função respiratória e motora, além das taxas de relaxamento e propriedades contráteis dos músculos inspiratórios na DMD em um seguimento de 6 meses. Métodos: Para o estudo 1, avaliamos 14 indivíduos com DMD e 12 saudáveis usando pletismografia optoeletrônica (POE) durante a respiração basal e tosse espontânea em 3 posições: supino, supino com apoio de cabeça elevado a 45° (45°) e sentado com apoio para as costas a 80° (80°). A assincronia toracoabdominal foi avaliado através do ângulo de fase (PhAng) entre a caixa torácica pulmonar (CTp) e a caixa torácica abdominal (CTa) e abdômen (AB), bem como a porcentagem do tempo inspiratório paradoxal da CTp (IPCTp), CTa (IPCTa) e AB (IPAB). No estudo 2, as taxas de relaxamento e propriedades de contração dos músculos inspiratórios e expiratórios foram extraídas das curvas da pressão inspiratória nasal (SNIP) e pressão expiratória nasal (SNEP), realizadas de forma não invasiva em 9 pacientes com DMD em diferentes posições, associado a avaliação da ativação dos músculos respiratórios através da eletromiografia de superfície. O estudo 3, trata-se de um estudo longitudinal pareado de 6 meses onde as taxas de relaxamento e propriedades de contração dos músculos inspiratórios extraídos da curva do SNIP foram avaliadas em 22 indivíduos com DMD versus grupo saudável pareado. Resultados: Como resultado do estudo 1, durante a tosse, o grupo DMD apresentou maior PhAng da CTp e CTa (p<0,05), PhAng da CTp e AB (p<0,05) na posição supina e em 45°, e maior PhAng da CTp e CTa (p=0,006) apenas na posição supina em comparação com os saudáveis. Em relação à análise intragrupo, durante a tosse, o grupo DMD apresentou maior PhAng da CTp e AB (p=0,02) e PhAng da CTa e AB (p=0,002) em supino e maior PhAng da CTa e AB (p=0,002) em 45° quando comparado a 80°. A análise da curva ROC foi capaz de discriminar entre os indivíduos saudáveis e o grupo com DMD na posição supina no PhAng da CTa e AB [AUC: 0,81, sensibilidade: 78,6% e especificidade: 91,7%, p=0,001]. No estudo 2, durante as medidas de SNIP e SNEP, não foi observado diferenças nos valores de pressão, taxa de relaxamento e propriedades de contração dos músculos inspiratório e expiratório nas posições avaliadas. No entanto, os indivíduos com DMD exibiram maior ativação no intercostal externo apenas durante o SNIP. No estudo 3, quando comparados a indivíduos saudáveis, os pacientes com DMD apresentam uma menor taxa de relaxamento máxima (MRR) (p <0,005) e um maior tau (τ) e tempo da metade da curva de relaxamento (½ TR) na avaliação inicial e após 6 meses. Os resultados da curva ROC mostraram que os parâmetros MRR, τ, ½ TR e SNIP (% pred) foram e capazes de discriminar entre indivíduos saudáveis e com DMD na avaliação inicial e após 6 meses. Conclusões: Durante a tosse, indivíduos com DMD possuem assincronia toracoabdominal com esvaziamento insuficiente e distorção dos compartimentos da parede torácica, através da avaliação não invasiva da POE. Além disso, foi observado que a posição não afeta as pressões respiratórias máximas nasais e as taxas de relaxamento e propriedades de contração das curvas de pressões em diferentes posições. Ainda, é possível discriminar parâmetros alterados das taxas de relaxamento e do SNIP após 6 meses nos indivíduos com DMD em relação a sujeitos saudáveis. Essas novas técnicas de mensuração não invasiva, como a avaliação da assincronia toracoabdominal, e da fraqueza dos músculos inspiratórios e expiratórios apresentadas nesse estudo poderão nos auxiliar no manejo clinico precoce dessa população.


  • Mostrar Abstract
  • Abstract Introduction: Duchenne muscular dystrophy (DMD) results in progressive weakness and loss of all striated muscles, including the respiratory muscles, with consequences for walking, in addition to breathing difficulties, as the main cause of death. In the last decades, the survival of patients with DMD has increased thanks to a more comprehensive therapeutic approach, mainly with measures for the assessment and early management of pulmonary complications. However, there are still gaps in the understanding of how changes in respiratory muscles and body postures can influence thoracoabdominal synchrony and maximum nasal respiratory pressures in this population and how the introduction of new non-invasive clinical measures can assist in the management of these patients. Objective: The main objective of this thesis is to better understand the changes in respiratory muscle strength in Duchenne Muscular Dystrophy and its consequences on the clinical course of the disease. For this, three objectives were set: 1) Assess how body position influences thoracoabdominal asynchrony and paradoxical inspiratory movement during quiet breathing and cough in DMD; 2) Assess how the change in body positioning during the assessment of maximum nasal pressures can affect blood pressure values, relaxation rates, muscle contractile properties, as well as modify electromyographic muscle activation in DMD; 3) Monitor the clinical evolution of respiratory and motor function, in addition to the relaxation rates and contractile properties of inspiratory muscles in DMD over a 6-month follow-up. Methods: For study 1, assessed 14 DMD subjects and 12 controls using Optoelectronic Plethysmography (OEP) during quite breathing (QB) and spontaneous cough in 3 positions: supine, supine with headrest raised at 45° (45°), and sitting with back support at 80° (80°). The TAA was assessed using phase angle (θ) between upper (RCp) and lower rib cage (RCa) and abdomen (AB), as well as the percentage of inspiratory time the RCp (IPRCp), RCa (IPRCa) and AB (IPAB) moved in opposite directions. In study 2, the relaxation rates and contraction properties of the inspiratory and expiratory muscles were extracted from the sniff nasal inspiratory pressure (SNIP) and reverse sniff nasal expiratory pressure (RSNEP) curves, performed non-invasively in 9 patients with DMD in different positions. Study 3 is a 6-month study of relaxation rates and contraction properties of the inspiratory muscles were extracted from SNIP in 22 DMD subjects. Results: 1) During cough, DMD group showed higher RCp and RCa θ (p<.05), RCp and AB θ (p<.05) in supine and 45° positions, and higher RCp and Rca θ (p=.006) only in supine position compared with controls. Regarding the intragroup analysis, during cough, DMD group presented higher RCp and AB θ (p=.02) and RCa and AB θ (p=.002) in supine and higher RCa and AB θ (p=.002) in 45° position when compared to 80°. ROC curve analyzes were able to discriminate TAA between controls and DMD in RCa and AB θ in supine position [AUC: 0.81, sensibility: 78.6% and specificity: 91.7%, p=0.001]. 2) During SNIP and RSNEP, there is no difference in pressure, relaxation rates, and contraction properties in different positions. However, subjects with DMD exhibited higher activation in EI just during the SNIP test. 3) When compared to healthy subjects, patients with DMD present a lower (p<.005) maximum relaxation rate (MRR) and a greater tau (τ) and half‐relaxation time (½ RT) in baseline and after 6 months. The results of the ROC curves showed that MRR, τ, ½ RT and SNIP (%pred) parameters were significantly able to discriminate between DMD and controls in baseline and after 6 months. Conclusions: During cough, subjects with DMD yields TAA with insufficient deflation of chest wall compartments and rib cage distortion, by non-invasive assessment. In addition, the position no affects the SNIP, RSNEP, and either relaxation rates and contraction properties of SNIP and RSNEP curve in different positions. Still, it is possible to discriminate altered parameters of relaxation rates and SNIP after 6 months in individuals with DMD concerning healthy subjects. These new non-invasive measurement techniques, such as the assessment of thoracoabdominal asynchrony, and the weakness of inspiratory and expiratory muscles presented in this study may help us in the early clinical management of this population. Key words: Duchenne muscular dystrophy, thoracoabdominal asynchrony, respiratory muscles.

12
  • ZÊNIA TRINDADE DE SOUTO ARAÚJO
  • Reabilitação pulmonar na DPOC: Overview das revisões Cochrane e validação de um instrumento de avaliação do nível de atividade física.


     

  • Orientador : PATRICIA ANGELICA DE MIRANDA SILVA NOGUEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • BRENDA NAZARÉ GOMES ANDRIOLO
  • IVANIZIA SOARES DA SILVA
  • KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
  • KAROLINNE SOUZA MONTEIRO
  • PATRICIA ANGELICA DE MIRANDA SILVA NOGUEIRA
  • Data: 30/11/2021

  • Mostrar Resumo
  • A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é um grande problema de saúde pública que é causada por exposição a gases nocivos, alterações genéticas ou no desenvolvimento pulmonar, além do processo de envelhecimento acelerado. Desta forma, pode estar associada a doenças crônicas aumentando a morbidade e contribuindo para a incapacidade e mortalidade destes indivíduos. Para esta tese de Doutorado foram realizados dois estudos, cujos objetivos foram: 1) Avaliar sistematicamente as evidências das revisões de ensaios clínicos da Cochrane para resumir as evidências sobre a eficácia e segurança das intervenções de reabilitação para pessoas com DPOC e destacar as lacunas atuais no conhecimento; 2) Traduzir, fazer a adaptação transcultural e avaliar as propriedades psicométricas do instrumento Rapid Assessment of Physical Activity (RAPA). O estudo 1 trata-se de uma Overview das revisões sistemáticas de ensaios clínicos randomizados publicadas no banco de dados Cochrane de Revisões Sistemáticas. Pesquisamos o referido banco de dados até agosto de 2020 para identificar as revisões que avaliaram a eficácia das intervenções de reabilitação pulmonar (RP) na DPOC. O risco de viés foi avaliado utilizando a ferramenta de risco de viés nas revisões sistemáticas (ROBIS). A qualidade metodológica foi analisada por meio da Avaliação de Múltiplas Revisões Sistemáticas Revisada (R-AMSTAR), e a qualidade das evidências incluídas nas revisões foi avaliada através da estrutura GRADE. No geral, incluímos 13 revisões publicadas na Biblioteca Cochrane, compreendendo 245 ensaios clínicos randomizados, com um total de 19.148 participantes. As revisões incluídas avaliaram uma ampla gama de intervenções de RP sozinha ou associada a outra intervenção na doença estável e na agudização, incluindo: RP/treinamento físico; aconselhamento de atividade física; auto manejo; tratamento farmacológico; suplementação nutricional; oxigenioterapia; ventilação não invasiva; treinamento muscular inspiratório; telerreabilitação; terapias ativas de movimento mente-corpo (AMBMT); estimulação elétrica neuromuscular (NMES) e Tai Chi. Avaliamos todas as revisões como de alta a moderada qualidade metodológica, com base nos critérios R-AMSTAR. Evidências de alta qualidade sugeriram que RP após exacerbação melhoraram qualidade de vida e capacidade funcional. Evidências de moderada a alta qualidade sugeriram que intervenções de gerenciamento integrado da doença (IDM), exercício aquático comparado a nenhum exercício melhoraram respectivamente, a qualidade de vida e capacidade funcional. Evidências de qualidade moderada sugeriram que após o treinamento de exercício intervalado de alta intensidade, IDM melhoraram capacidade funcional. Evidências de baixa qualidade sugeriram que há pouca ou nenhuma diferença com a telerreabilitação, nenhuma diferença na comparação entre treinamento físico aquático e terrestre, na suplementação de oxigênio durante o exercício, comparação entre treinamento contínuo e intervalado para o desfecho de qualidade de vida. As evidências não mostram diferença de risco para a mortalidade com as intervenções: NMES, IDM, RP após uma exacerbação da DPOC. Pequena melhora nas dispnéia foi relatada no grupo treinamento MMSS quando comparado a nenhum treinamento ou treinamento simulado. Nenhuma revisão reportou custo-efetividade como desfecho. Nenhum evento adverso foi observado nas seguintes intervenções: telerreabilitação, NMES, IDM, VNI durante o exercício, Tai Chi e exercício. Sumarizamos uma ampla gama de intervenções de RP, principalmente em estudos individuais. Estudos futuros devem concentrar-se em determinar quais componentes da reabilitação pulmonar são ideais, o tipo e a intensidade das intervenções associadas e a relação custo-efetividade são necessários para preencher as lacunas atuais do conhecimento. O estudo 2 envolve o processo de tradução e adaptação transcultural, por meio da tradução, tradução reversa, revisão por um comitê multiprofissional de 5 especialistas e 2 membros da população alvo. A análise das propriedades psicométricas de validade e confiabilidade estão sendo desenvolvidas por nosso grupo de pesquisa e será apresentada como dissertação de mestrado.



  • Mostrar Abstract
  • Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) is a major public health problem that is caused by exposure to harmful gases, genetic changes or changes in lung development, in addition to the accelerated aging process. Thus, it may be associated with chronic diseases, increasing morbidity and contributing to the incapacity and mortality of these associates. For this Doctoral thesis two studies were carried out, objectives were: 1) Systematically assess as evidence from the Cochrane trial reviews to summarize the evidence on the effectiveness and safety of rehabilitation capacities for people with COPD and highlight current gaps in knowledge; 2) Translate, cross-culturally adapt and assess the psychometric properties of the Rapid Assessment of Physical Activity (RAPA) instrument. Study 1 is an overview of systematic reviews of randomized clinical trials published in the Cochrane Database of Systematic Reviews. We searched that database until August 2020 to identify how reviews assess the effectiveness of pulmonary rehabilitation (PR) actions in COPD. The risk of bias was assessed using the risk of bias tool in systematic reviews (ROBIS). Methodological quality was analyzed using the Multiple Systematic Review Assessment (R-AMSTAR), and a quality of evidence included in the analyzes was assessed using the GRADE framework. Overall, we included 13 publications published in the Cochrane Library, comprising 245 randomized controlled trials, with a total of 19,148 participants. Included reviews evaluated a wide range of RP interventions alone or associated with another intervention in stable disease and acuteness, including: RP / exercise training; physical activity counseling; self-management; pharmacological treatment; nutritional supplementation; oxygen therapy; Non-invasive conditions; inspiratory muscle training; telerehabilitation; active mind-body movement therapies (AMBMT); neuromuscular electrical stimulation (NMES) and Tai Chi. We assessed all reviews as being of high to moderate methodological quality, based on the R-AMSTAR criteria. High-quality evidence suggested that PR after exacerbation improved quality of life and functional capacity. Moderate to high quality evidence suggested that integrated disease management (IDM) functions, aquatic exercise compared to no exercise improved quality of life and functional capacity, respectively. Moderate-quality evidence suggested that after high-intensity interval exercise training, IDM improved functional capacity. Poor quality evidence suggested that there is little or no difference with telerehabilitation, no difference when comparing aquatic and terrestrial physical training, oxygen supplementation during exercise, comparing continuous and interval training for the quality of life outcome. Evidence does not show the difference in risk for mortality with the techniques: NMES, IDM, RP after a COPD exacerbation. A small improvement in dyspnea was reported in the MMSS training group when compared to no training or sham training. No review reported cost-effectiveness as an outcome. No adverse events were observed in the following procedures: telerehabilitation, NMES, IDM, NIV during exercise, Tai Chi and exercise. We have summarized a wide range of PR interventions, mostly in individual studies. Future studies should focus on determining which components of lung recovery are optimal, the type and intensity of associated actions, and cost-effectiveness are needed to fill current knowledge gaps. Study 2 involves the process of cross-cultural adaptation and adaptation, through translation, reverse translation, review by a multidisciplinary committee of 5 experts and 2 members of the target population. The analysis of the psychometric properties of validity and reliability is being developed by our research group and will be exhibited as a master's dissertation.

13
  • JÉSSICA COSTA LEITE
  • Eficácia do treinamento muscular inspiratório associado a um programa de reabilitação cardíaca na atividade simpática e na capacidade funcional em pacientes com insuficiência cardíaca

  • Orientador : ARMELE DE FATIMA DORNELAS DE ANDRADE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • APARECIDA MARIA CATAI
  • ARMELE DE FATIMA DORNELAS DE ANDRADE
  • DANIELLA CUNHA BRANDÃO
  • SELMA SOUSA BRUNO
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • Data: 01/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Insuficiência cardíaca (IC) é considerada uma síndrome clínica marcada por sinais e sintomas típicos como, dispneia, baixa tolerância ao exercício, fadiga e disautonomia. Ocorre por alterações cardíacas estruturais e/ou funcionais que, geralmente, resultam em diminuição do débito cardíaco e/ou elevação das pressões intracardíacas, tendo como resultado a disfunção sistólica e/ou diastólica. Diferentes abordagens de tratamento são investigadas de modo a melhorar o manejo terapêutico desses pacientes. Dentre as modalidades de tratamento, a inclusão do TMI dentro dos programas de Reabilitação cardíaca vem sendo cada vez mais difundida como uma boa estratégia para melhora dos achados clínico-funcionais em pacientes com IC. Objetivos - Estudo 1: Avaliar a eficácia do Treinamento Muscular Inspiratório associado a um programa de reabilitação cardíaca na capacidade funcional, tolerância ao esforço, espessura e mobilidade do músculo diafragma, força muscular respiratória, qualidade de vida e satisfação de pacientes com Insuficiência cardíaca. Estudo 2: Avaliar a eficácia do Treinamento Muscular Inspiratório associado a um programa de reabilitação cardíaca na modulação da atividade simpática do miocárdio de pacientes com Insuficiência cardíaca. Estudo 3: Determinar o ponto de corte do Glittre ADL-Test que prediz uma melhor capacidade funcional de indivíduos com IC e fração de ejeção (FE) reduzida, comparado ao teste padrão ouro, o Teste cardiopulmonar de exercício (TCPE). Além disso, determinar sua concordância e confiabilidade, e por fim estimar a mudança mínima detectável. Métodos – Estudo 1: Ensaio clínico, controlado, randomizado e triplo cego, com 19 indivíduos adultos sedentários na faixa etária de 21 - 60 anos, de ambos os sexos, diagnosticados como IC sistólica, com fração de ejeção do ventrículo esquerdo menor que 45% e fraqueza da musculatura inspiratória. Antes e após o programa de reabilitação os indivíduos eram submetidos a avaliação com teste cardiopulmonar de exercício, teste AVD Glittre, manovacuometria, teste de função pulmonar, ultrassonografia diafragmática, questionários de qualidade de vida e capacidade funcional e de satisfação. O programa consistia em 36 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA Av. Campus Universitário – Lagoa Nova - Natal-RN, CEP 59078-970 Telefax: (84) 3342-2003 E-mail: ppgfis@ufrn.br sessões, divididas em 12 semanas, com três sessões semanais de exercício aeróbico, aptidão muscular periférica e treinamento muscular inspiratório (TMI). O TMI era realizado sete dias por semana, no domicílio do paciente, utilizando o dispositivo POWERBreathe®, que no grupo experimental era calibrado em 30% da pressão inspiratória máxima e no grupo controle em 10 cmH2O. Estudo 2: Série de casos com 11 pacientes divididos em dois grupos: 06 pacientes - experimental e 05 pacientes - controle (o mesmo protocolo do estudo 1). Avaliou-se a atividade simpática cardíaca pela cintilografia com metaiodobenzilguanidina ligada ao Iodo-123 (123I-mIBG) através da relação de captação do 123I-mIBG entre coração e mediastino (RC/M) precoce e tardia e da taxa de clareamento. RC/M 19% caracterizam hiperatividade simpática cardíaca e pior prognóstico cardiovascular. Estudo 3: Estudo transversal realizado com 77 adultos de 21 - 65 anos, com Insuficiência cardíaca e fração de ejeção reduzida, NYHA II-III. Foi realizada análise do Glittre ADL-Test em comparação com o TCPE. Para comparação entre os dois testes, foi utilizado o Tempo Total do Glittre ADL-Test e o VO2pico do TCPE, o ponto de corte utilizado para o VO2 foi de 16 ml/Kg/min-1, segundo a classificação de Weber, a baixo desse valor era considerado baixa capacidade funcional e pior prognóstico. Através de uma curva ROC foi determinado o ponto de corte com melhor sensibilidade e especificidade, também foi definido a confiabilidade teste-reteste, a confiabilidade absoluta e a mudança mínima detectável. Resultados - Estudo 1: Em ambos os grupos foi observado aumento da capacidade funcional, tolerância ao exercício, força da musculatura respiratória, mecânica diafragmática e qualidade de vida, tendo o grupo experimental apresentado um desempenho discretamente maior, porém sem significância estatística. Estudo 2: Após a intervenção, a média da RC/M precoce foi 2,47 (1,94-2,72) versus 2,02 (1,60-2,36) e a RC/M tardia foi 2,02 (1,86-2,32) versus 1,64 (1,52-2,33), experimental e controle, respectivamente. A média da taxa de clareamento foi 27,82% (22,10-30,65) no grupo experimental e 34,49% (26,89-38,10) no grupo controle. Embora sem significância estatística, após intervenção, percebe-se um melhor controle da atividade simpática cardíaca, com maiores RC/M e menor taxa de UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA Av. Campus Universitário – Lagoa Nova - Natal-RN, CEP 59078-970 Telefax: (84) 3342-2003 E-mail: ppgfis@ufrn.br clareamento cardíaco de 123I-mIBG no grupo experimental. Estudo 3: O ponto de corte definido foi de 255 segundos com sensibilidade de 75,76% (IC 95%, 57,7-88,9) e especificidade de 72,09% (IC 95%, 56,3- 84,7), com área sob a curva de 0,773 (IC 95% 0,663-0,861 e p< 0.001) e Confiabilidade absoluta (variabilidade intra-sujeito) de 3,17%, a mudança mínima detectável (MDC95), é de 23.07 segundos ou 8,78%. Conclusão: De forma geral, os resultados encontrados apontam que cargas muito baixas de TMI já tem potencial de conceder benefícios adicionais a reabilitação de pacientes com IC, FEVE reduzida e fraqueza da musculatura inspiratória. Além disso, o Glittre ADL-Test mostrou-se como um teste de tolerância ao esforço submáximo capaz de predizer o prognóstico de pacientes com IC, além de ser reprodutível e com boa estabilidade em testes repetidos. O ponto de corte determinado pode ser utilizado na prática clínica para identificar pacientes mais graves quando houver dificuldade em realizar o TCPE. Devido ao efeito aprendizado, dois testes são recomendados na prática clínica.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Heart failure (HF) is considered a clinical syndrome with typical signs and symptoms such as dyspnea, low exercise tolerance, fatigue and dysautonomia. It occurs due to structural and functional cardiac changes that generally cause decreased cardiac output and/or increased intracardiac pressures, resulting in systolic and/or diastolic dysfunction. Different treatment approaches are investigated in order to improve the therapeutic management of these patients. Among the treatment modalities, the inclusion of IMT in cardiac Rehabilitation programs has been largely considered a good strategy for clinical improvement of additional findings in patients with (HF). Objectives - Study 1: Evaluate the effectiveness of Inspiratory Muscle Training associated with a cardiac rehabilitation program in functional capacity, exercise tolerance, thickness and mobility of the diaphragm muscle, respiratory muscle strength, quality of life and satisfaction of patients with Heart Failure. Study 2: Evaluate the effectiveness of Inspiratory Muscle Training associated with a cardiac rehabilitation program in the UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA Av. Campus Universitário – Lagoa Nova - Natal-RN, CEP 59078-970 Telefax: (84) 3342-2003 E-mail: ppgfis@ufrn.br modulation of myocardial sympathetic activity in patients with Heart failure. Study 3: To determine the cutoff point of Glittre ADL-Test that indicates a better functional capacity of individuals with CI and reduced ejection fraction (EF), compared to the cardiopulmonary exercise test (CPX), considered the gold standard test. Also, determine their agreement and reliability, and finally estimate the minimum detectable change. Methods - Study 1: Controlled, randomized, triple blind clinical trial, with 19 sedentary adult individuals aged from 21 to 60 years old, of both genders, diagnosed with systolic CI, with left ventricular ejection fraction less than 45% and inspiratory muscles weakness. Before and after the rehabilitation program, individuals were submitted to evaluation with cardiopulmonary exercise test, ADL-Glittre test, manovacuometry, pulmonary function test, diaphragmatic ultrasound, quality of life and functional capacity and satisfaction questionnaires. The program consisted of 36 sessions, divided into 12 weeks, with three weekly sessions of aerobic exercise, peripheral muscle fitness and inspiratory muscle training (IMT). The IMT was performed seven days a week, at the patient's home, using the POWERBreathe® device, which in the experimental group was calibrated at 30% of the maximum inspiratory pressure and in the control group at 10 cmH2O. Study 2: Series of cases with 11 patients divided into two groups: 06 patients – experimental group and 05 patients – control group (the same protocol as in study 1). Cardiac sympathetic activity was evaluated by scintigraphy with metaiodobenzylguanidine bound to 123 Iodine (123I-mIBG) through the ratio of 123I-mIBG uptake of heart and mediastinum (H/M) early and late and the washout rate. H/M <1.9 and cardiac washout rate of 123I- mIBG >19% characterize cardiac sympathetic hyperactivity and worse cardiovascular prognosis. Study 3: Cross-sectional study conducted with 77 adults aged from 21 to 65 years old, with heart failure and reduced ejection fraction, NYHA II-III. An analysis of Glittre ADL-Test was made and compared to CPX was performed. For comparison between the two tests, Total Time of Glittre ADL-Test and VO2peak of the CPX were used, and cutoff point used for VO2 was 16 ml/Kg/min-1, and according to the Weber classification, results below this value mean low functional capacity and worse prognosis. Through a ROC curve, it was possible to UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA Av. Campus Universitário – Lagoa Nova - Natal-RN, CEP 59078-970 Telefax: (84) 3342-2003 E-mail: ppgfis@ufrn.br determine the cutoff point with the best sensitivity and specificity, a test-retest reliability, an absolute reliability and a minimum detectable change. Results - Study 1: In both groups, it was possible to verify an increase in functional capacity, exercise tolerance, respiratory muscle strength, diaphragmatic mechanics and quality of life, with the experimental group showing a slightly higher performance, but without statistical significance. Study 2: After the intervention, the average of early H/M was 2.47 (1.94-2.72) versus 2.02 (1.60-2.36) and the late H/M was 2.02 (1.86-2.32) versus 1.64 (1.52-2.33), experimental and control, respectively. The average of washout rate was 27.82% (22.10- 30.65) in the experimental group and 34.49% (26.89-38.10) in the control group. Despite being not statistically significant, results after intervention show better control of cardiac sympathetic activity, with higher H/M and lower washout rate of 123I-mIBG in the experimental group. Study 3: The defined cutoff point was 255 seconds with a sensitivity of 75.76% (95% CI, 57.7-88.9) and specificity of 72.09% (95% CI, 56.3-84, 7), with an area under the curve of 0.773 (95% CI 0.663-0.861 and p<0.0001). The correlation between the tests was 0.83 with an effect size (R2) of 0.69 and p<0.001. The intraclass correlation coefficient between the two tests was 0.841 (95%CI: 0.454 – 0.936, p < 0.001) and Absolute Reliability (intra-subject variability) of 3.17%, the minimum detectable change (MDC95), is 23.07 seconds or 8.78%. Conclusion: Overall, the results found indicate that very low amount of IMT already have the potential to provide additional benefits to the rehabilitation of patients with CI, reduced LVEF and inspiratory muscle weakness. Furthermore, Glittre ADL-Test used as a test of tolerance to submaximal exertion proved to be capable of predicting the prognosis of patients with CI, besides the fact it is easily reproducible and with good stability in repeated tests. The determined cutoff point can be used in clinical practice to identify more severe patients when there is difficulty in performing CPX. Due to the learning effect, two tests are recommended in clinical practice.

14
  • ANA ALINE MARCELINO DA SILVA
  • FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA, VALORES DE REFERÊNCIA, CARACTERÍSTICAS PSICOMÉTRICAS E APLICABILIDADE CLÍNICA EM CRIANÇAS SAUDÁVEIS

  • Orientador : VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • SELMA SOUSA BRUNO
  • CATHARINNE ANGELICA CARVALHO DE FARIAS
  • JESSICA DANIELLE MEDEIROS DA FONSECA
  • LUCIANA MARIA MALOSA SAMPAIO JORGE
  • Data: 03/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os músculos respiratórios desempenham como principal função a ventilação pulmonar, dividindo-se funcionalmente em três grupos: o diafragma, os músculos da caixa torácica e os músculos abdominais. Na prática clínica, essa força da musculatura é medida pelas pressões geradas principalmente nas manobras voluntárias e não invasivas, como por meio das pressões inspiratórias e expiratórias máximas (PImáx e PEmáx, respectivamente) e da pressão inspiratória nasal sniff (SNIP). Objetivos: 1) Analisar a confiabilidade da manobra SNIP em uma única avaliação e determinar o número de manobras necessárias para atingir o pico máximo de SNIP em crianças saudáveis de 6-11 anos de idade; 2) Determine os valores de referência para as pressões respiratórias máximas em crianças saudáveis da mesma faixa etária anterior e 3) Comparar os valores de referência das pressões respiratórias máximas entre dois estudos brasileiros nessa população. Materiais e Métodos: 1) Estudo transversal que incluiu 121 crianças saudáveis com função pulmonar normal, que realizaram de 12 a 20 manobras SNIP, com 30 segundos de descanso entre cada. A confiabilidade foi testada usando o coeficiente de correlação intraclasse (CCI), erro padrão de mensuração (EPM), mínima diferença detectável (MDD) e análise de Bland-Altman para concordância. 2) Foram realizadas no mínimo 3 testes de cada pressão respiratória máxima, PImáx e PEmáx, em 121 crianças saudáveis, com um tempo mínimo de duração da manobra de 1,5 segundos com platô de 1 segundo e descanso de 1 minuto entre os testes. Foi aplicada uma análise de regressão linear múltipla stepwise para PImáx e PEmáx levando em consideração as correlações observadas com as variáveis independentes: idade, peso e sexo. 3) A comparação de dois valores de referencia, sendo a metodologia de Marcelino et al. a do estudo 2, versus Lanza et al. com equações de referência de um estudo multicêntrico, em 318 crianças de 6 a 11 anos de idade. Para comparação de ambos estudos, utilizamos as diferenças médias das pressões e observamos as diferenças entre sexos e grupos de idade atarvés do p valor e tamanho de efeito. Resultados: 1) O CCI e o intervalo de confiança (IC) correspondente entre a medida mais alta e a primeira manobra reprodutível foram 0,752 (0,656 – 0,824), EPM = 10,37 cmH2O e MDD = 28,74 cmH2O. Para crianças de 6 a 7 anos, o CCI foi de 0,669 (0,427 – 0,822), EPM = 10,76 cmH2O e MDD = 29,82 cmH2O; para crianças de 8 a 11 anos, o CCI foi de 0,774 (0,662 – 0,852), EPM = 9,74 cmH2O e MDD = 26,05 cmH2O. Para as meninas, o CCI foi de 0,817 (0,706 – 0,889), EPM = 9,40 cmH2O e MDD = 26,05 cmH2O; para meninos, o CCI foi de 0,671 (0,487 – 0,798), EPM = 11,51 cmH2O e MDD = 31,90 cmH2O. Aproximadamente 80% do total da amostra atingiu o SNIP mais alto antes da 10ª manobra. 2) Meninos alcançaram valores superiores de pressões respiratórias máximas em relação as meninas e nas comparações das pressões entre as idades evidenciou-se um aumento das pressões de acordo com as faixas etárias estudadas (6-7, 8-9 e 19-11 anos) com tamanho de efeito moderado para ambas. A equação gerada foi: PImáx = 24,630 + 7,044 * idade (anos) + 13,161 * sexo (0 para meninas e 1 para meninos) e  PEmáx com equação nas meninas = 55,623 + 4,698 * idade (anos) e meninos = 82,617 + 0,612 * peso (kg)]. 3) Foram encontradas diferenças médias  próximas entre dados absolutos de cada estudo e os valores encontrados pelas equações desenvolvidas. Além disso, nas comparações entre sexos e faixas etárias nos estudos, foram identificados tamanhos de efeito de médio a largo. Lanza et al.  apresentou menores intervalos de confiança 95% em ambos os sexos. Conclusões: 1) A SNIP demonstrou confiabilidade moderada entre as manobras em crianças de 6 a 11 anos; crianças mais velhas e meninas alcançaram o pico da SNIP mais rápido e nossos resultados indicaram que 12 manobras foram suficientes para crianças saudáveis atingirem o pico máximo da SNIP.  2) Novas equações de referência para pressões respiratórias máximas em crianças saudáveis de 6-11 anos foram determinadas, incluindo variáveis como idade, sexo e peso, utilizando a metodologia específica recomendada pela ATS/ERS e SBPT. 3) Os estudos analisados apresentaram valores de referência semelhantes em crianças saudáveis brasileiras, apesar das diferentes metodologias adotadas. Assim, podemos concluir que essa tese apresenta estudos com importante significância clínica em crianças saudáveis para que possamos realizar a avaliação da força muscular respiratória nesta população de maneira confiável utilizando metodologias confiáveis.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Respiratory muscles play as the main function pulmonary ventilation, functionally dividing into three groups: the diaphragm, the rib cage muscles, and the abdominal muscles. In clinical practice, this musculature strength is measured by the pressures generated mainly in voluntary and non-invasive maneuvers, such as through the maximum inspiratory and expiratory pressures (PImax and PEmax, respectively) and sniff nasal inspiratory pressure (SNIP). Aims: 1) To analyze the reliability of the SNIP maneuver in a single evaluation and determine the number of maneuvers necessary to reach the maximum SNIP peak in healthy children 6-11 years old; 2) Determine reference values for maximum respiratory pressures in healthy children of the same previous age group; and 3) To compare the reference values of maximal respiratory pressures between two Brazilian studies in this population. Materials and Methods: 1) This cross-sectional study included 121 healthy children with normal lung function who performed 12 to 20 SNIP maneuvers, with 30 seconds of rest between them. Reliability was tested using the intraclass correlation coefficient (ICC), standard error of measurement (SEM), minimum detectable change (MDC) and Bland-Altman analysis for concordance. 2) At least three tests of each maximum respiratory pressure, PImax and PEmax, were performed on 121 healthy children, with a minimum duration of 1.5 seconds, plateau of one second and one minute rest between tests. Was applied a stepwise multiple linear regression analysis for PImax and PEmax taking into account the correlations observed with the independent variables: age, weight and sex. 3) The methodology used by Marcelino et al. is the same methodology as in study 2. While Lanza et al. developed the reference equations through a multicenter study, with a sample of 318 children aged 6 to 11 years. Maximum respiratory pressures were measured with an aneroid manometer. To compare both methodologies, the mean differences in pressures between the studies were compared and differences between genders and age groups were observed through p value and effect size. Results: 1) ICC and the corresponding confidence interval (CI) between the highest measure and the first reproducible maneuver were 0.752 (0.656 - 0.824), SEM = 10.37 cmH2O and MDC = 28.74 cmH2O. For children aged 6-7 years, the ICC was 0.699 (0.427 - 0.822), SEM = 10.76 cmH2O and MDC = 29.82 cmH2O; for children aged 8-11 years, the ICC was 0.774 (0.662 - 0.852), SEM = 9.74 cmH2O and MDC = 26.05 cmH2O.  For girls, the ICC was 0.817 (0.706 - 0.889), SEM = 9.40 cmH2O and MDC = 26.05 cmH2O; for boys, the ICC was 0.671 (0.477 - 0.798), SEM = 11.51 cmH2O and MDC = 31.90 cmH2O. Approximately 80% of the total sample reached the highest SNIP before the 10th maneuver. 2) Boys achieved higher values of maximum respiratory pressures about girls. Associations of pressures between ages showed an increase according to the age groups studied (6-7, 8-9 and 19-11 years) with a moderate effect size for both. Independent variables height, weight, age and sex were positively correlated with PImax, but age and sex persisted in the equation (PImax = 24.630 + 7.044 * age (years) + 13.161 * sex (0 for girls and 1 for boys)). PEmax was positively correlated with height, weight and age, making the equation the variables age in girls and weight in boys [PEmax (girls) = 55.623 + 4.698 * age (years) and PEmax (boys) = 82.617 + 0.612 * weight (kg)]. 3) Close mean differences were found between absolute data from each study and the values found by the developed equations. Furthermore, in the comparisons between sexes and age groups in the studies, medium to wide effect sizes were identified. Lanza et al. had lower 95% confidence intervals for both sexes. Conclusions: 1) SNIP demonstrated moderate reliability between the maneuvers in children aged 6-11 years; older children and girls reached SNIP peak faster. Therefore, the results indicated that 12 maneuvers were sufficient for healthy children to reach the maximum SNIP peak. 2) This study determined new reference equations for maximum respiratory pressures in healthy children aged 6-11 years, including variables such as age, sex and weight, using the specific methodology recommended by ATS/ERS and BSPT. 3) Studies analyzed presented similar reference values in healthy Brazilian children, despite the different methodologies adopted. Thus, we can conclude that this thesis presents studies with important clinical significance in healthy children so that we can reliably assess respiratory muscle strength in this population using reliable methodologies.

15
  • JESSICA DINIZ CAVALCANTI
  • Atividade elétrica e fadiga de músculos respiratórios e locomotor em doenças respiratórias obstrutivas durante teste de campo de caminhada.

  • Orientador : VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • ARMELE DE FATIMA DORNELAS DE ANDRADE
  • ILLIA NADINNE DANTAS FLORENTINO LIMA
  • JESSICA DANIELLE MEDEIROS DA FONSECA
  • VERÔNICA FRANCO PARREIRA
  • Data: 06/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Nos sujeitos com doenças respiratórias obstrutivas vários fatores mecânicos ventilatórios provoca um desequilíbrio entre a carga e a capacidade do sistema respiratório, na qual piora com o aumento da demanda ventilatória no exercício. Como resultando, o aumento do trabalho respiratório pode disparar um maior recrutamento e fadiga de músculos respiratórios. Associado a essas alterações, as disfunções musculares de membros inferiores nesses indivíduos e a competição pelo fluxo sanguíneo entre músculos respiratórios e locomotores, contribui ainda mais para a sintomatologia relatada e intolerância ao exercício. A eletromiografia de superfície (EMGs), mede as manifestações elétricas das fibras musculares e pode determinar o status funcional de um músculo. A EMGs permite o monitoramento contínuo e não-invasivo dos níveis de ativações e fadiga muscular em tempo real, por meio de diferentes métodos de processamento de sinal. Objetivo: Avaliar os níveis de ativação e fadiga muscular de dois músculos respiratórios e um músculo locomotor, durante Incremental Shuttle Walking Test (ISWT) em sujeitos com doenças respiratórias obstrutivas, e compará-los aos saudáveis. Métodos: Trata-se de um estudo caso-controle. Participaram indivíduos asmáticos (grupo-Asma) e com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) (grupo-DPOC), e foram pareados com sujeitos saudáveis de acordo com a idade, sexo e índice de massa corporal (grupo-controle Asma e grupo-controle DPOC). Foi realizado a avaliação do sinais elétricos dos músculos esternocleidomatoide (SCM), escaleno (ESC) e reto femoral (RF) pela EMGs durante o ISWT. Os sinais elétricos foram analisados nos domínios de tempo e frequência, para extrair, respectivamente, os dados de amplitude do sinal, no basal e em três momentos do teste (33%, 66% e 100% do tempo total do ISWT), e a densidade de espectro de potência (incluindo frequencia mediana (FM), conteúdos high-frequency (H) e low-frequency  (L), e razão H/L do sinal elétrico) ao longo do ISWT. Resultados: Foram incluídos 17 indivíduos com Asma, (idade: 34.76 ± 11.18 anos; CVF: 3.37 ± 0.72 L; VEF1: 77.20 ± 17.23%) e 15 indivíduos com DPOC (idade: 65.6 ± 7.84 anos; CVF: 1.88 ± 0.44 L; VEF1: 48.72 ± 15.81%). O grupo-Asma apresentou menor distância percorrida comparado grupo controle (445.1± 126 m vs 607.8±127 m (p = 0.0007), sem diferenças entre o grupo-DPOC e controle. Em relação a amplitude do sinal na EMGs, houve um aumento da ativação dos músculos avaliados, nos momentos iniciais do ISWT no grupo-Asma (SCM [33%: p= 0.0005 e 66%: p= 0.004], ESC [33%: p= 0.001 e 66%: p= 0.033], e RF [33%: p= 0.02 e 66%: p= 0.004]) comparado ao controle. No grupo-DPOC  a ativação dos músculos respiratórios foi consideravelmente maior, e mantendo-se até final do teste (SCM [33%: p=0.009, 66%: p=0.023 e 100%: p=0.023] e ESC [33%: p= 0.006, 66%: p= 0.008 e 100%: p= 0.016]), comparado ao controle. O músculo RF teve uma maior ativação no momentos iniciais do ISWT ([33%: p= 0.032 e 66%: p= 0.039) no grupo-DPOC versus controle. Houve uma queda da FM no músculo ESC e RF no grupo-Asma (p = 0.016 e p < 0.0001, respectivamente), comparado ao grupo controle. No grupo-DPOC a FM diminuiu, para ECOM e RF, com valores significativos para ECOM (p < 0.0001), comparado ao grupo-controle. A razão H/L do músculo RF diminuiu (p = 0.002) no grupo-DPOC, comparado controle. Conclusão: O baixo desempenho no ISWT é acompanhado pelo aumento da atividade eletromiográfica do SCM e ESC, e ativação do RF em indivíduos com doenças respiratórias obstrutivas. A partir da análise do espectro de potência, nossos dados sugerem que pacientes asmáticos e com DPOC exibem um desenvolvimento inicial de fadiga muscular respiratória e periférica comparada ao saudáveis durante o exercício.   


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: In subjects with obstructive respiratory diseases, several mechanical ventilatory factors cause an imbalance between the load and capacity of the respiratory system, which worsens with the increase in ventilatory demand during exercise. As increased work of breathing can trigger greater recruitment and fatigue of respiratory muscles. Associated with these changes, lower limb muscle dysfunctions in these individuals, and competition for blood flow between respiratory and locomotor muscles, further contribute to the reported symptomatology and exercise intolerance. Surface electromyography (EMGs) measures the electrical manifestations of muscle fibers and can determine the functional state of a muscle. EMGs allow continuous and non-invasive monitoring of activation levels and muscle fatigue in real-time, through different signal processing methods. Aim: To assess muscle activity and fatigue of two respiratory and one locomotor muscle during Incremental Shuttle Walking Test (ISWT) in individuals with obstructive respiratory diseases and compare with healthy individuals. Methods: This is a case-control study. Subjects with asthma (group-Asthma) and with Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) (group-COPD) participated and were matched with subjects according to age, sex, and body mass index (Asthma control group and COPD control group). The electrical signals of the sternocleidomastoid (SCM), scalene (ESC), and rectus femoris (RF) muscles were evaluated by EMGs during the ISWT. The electrical signals were analyzed in the time and frequency domains, to extract, respectively, the signal amplitude data, at baseline and at three test times (33%, 66%, and 100% of the total time of the ISWT), and the power spectrum density (including median frequency (FM), high frequency (H) and low frequency (L) content, and H/L ratio of an electrical signal) over the ISWT. Results: Results: 17 subjects with asthma were included, (age: 34.76 ± 11.18 years; FVC: 3.37 ± 0.72 L; FEV1: 77.20 ± 17.23%) and 15  with COPD (age : 65.6 ± 7.84 years; FVC: 1.88 ± 0.44 L; FEV1: 48.72 ± 15.81%). The asthma group had a shorter distance walked compared to the control group (445.1 ± 126 m vs 607.8 ± 127 m (p = 0.0007), with no differences between the COPD and control group. Regarding the EMGs signal amplitude, there was an increase in the activation of the muscles evaluated, in the initial moments of the ISWT in the asthma group (SCM [33%: p = 0.0005 and 66%: p = 0.004], ESC [33%: p = 0.001 and 66%: p = 0.033], and RF [33%: p = 0.02 and 66%: p = 0.004]) compared to the control. In the COPD group there was an increase of respiratory muscles and remained until the end of the test (SCM [33%: p = 0.009, 66%: p = 0.023 and 100%: p = 0.023] and ESC [33%: p = 0.006, 66%: p = 0.008 and 100%: p = 0.016]) compared to the control. The RF muscle had a greater activation at the start of the ISWT ([33%: p = 0.032 and 66%: p = 0.039) in the COPD versus the control group. There was a decrease in FM in the ESC and RF muscle in the Asthma group (p = 0.016 and p < 0.0001, respectively), compared to the control group. In the COPD group, FM decreased, for ECOM and RF, with significant values for ECOM (p<0.0001), compared to the control. The H/L ratio of the RF muscle decreased (p = 0.002) in the COPD group compared to control. Conclusion: The reduced performance in the ISWT is accompanied by increased electromyographic activity of SCM and ESC and activation of RF in individuals with obstructive respiratory diseases during ISWT.

16
  • LUIZ EDUARDO LIMA DE ANDRADE
  • Mapeamento e comparação de instrumentos para rastreio e estratificação do idoso comunitário frágil


     

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • DANIELE SIRINEU PEREIRA
  • DIEGO DE SOUSA DANTAS
  • DIMITRI TAURINO GUEDES
  • SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
  • Data: 17/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A fragilidade em idosos representa um estado de vulnerabilidade fisiológica relacionada à idade, produzida pela diminuição da reserva homeostática e da capacidade do organismo de enfrentar um número variado de desfechos negativos de saúde. Reconhecer precocemente essa síndrome é importante, uma vez que identifica idosos com maior risco de desfechos desfavoráveis. Objetivo: Mapear na literatura instrumentos válidos para rastreio e estratificação do idoso comunitário frágil, além de compará-los para saber qual a melhor opção Metodos: Artigo 1 - Trata-se de uma revisão de escopo realizado por meio da busca de instrumentos disponíveis na literatura para avaliação e estratificação da fragilidade em idosos comunitários. As pesquisas foram realizadas em 5 bases de dados Medline, LILACS, Scopus, Web of Science e CINAHL, com a seguinte estratégia de busca: frail OR frailty AND “independent living” OR “community dwelling” AND aging OR elderly AND “Observational Study”. Também foi realizada uma busca na literatura cinzenta a fim de identificar estudos adicionais relevantes. Os dados foram apresentados e analisados de forma descritiva. Artigo 2 – Trata-se de um estudo metodológico para avaliar a validade discriminativa dos instrumentos Vulnerable Elderly Survey-13 (VES-13) e Índice de Vulnerabilidade Clínico Funcional-20 (IVCF-20) comparado ao Fenótipo de Fragilidade. Foi realizado com idosos comunitários com idade a partir de 60 anos, de ambos os sexos, residentes em Parnamirim, na região nordeste do Brasil. A comparação dos grupos frágil e não-frágil, identificados por meio do Fenótipo de Fragilidade, foi analisada pelo teste t de Student e tamanho do efeito para cada escore dos instrumentos. Para averiguar a correlação entre os três instrumentos foi realizada a correlação de Pearson. A validade discriminativa foi testada por meio da análise da curva ROC, além do cálculo da acurácia dos instrumentos. Resultados: Artigo 1 - 55 estudos foram selecionados para análise final desta pesquisa. Foram analisados 17 instrumentos, sendo os critérios de fragilidade de Fried o método mais utilizado, estando presente em 25 estudos (45,5%). Em relação aos domínios de avaliação, 6 instrumentos avaliam apenas questões físicas, quatro avaliam questões físicas, psicológicas e sociais, e os demais instrumentos possuem mais de três domínios de avaliação da fragilidade. Artigo 2 - Foram avaliados 732 idosos, dentre os quais 17,1% apresentavam-se como frágeis segundo o Fenótipo de Fragilidade. A correlação de Pearson encontrada entre o Fenótipo de Fragilidade e o IVCF-20 foi 0,53 (p<0,001), já para o VES-13, esse valor foi de 0,42 (p-valor<0,001). A diferença das médias dos grupos frágil e não-frágil nos escores do VES-13 e IVCF-20 com o Fenótipo foram significativas (p<0,001), com tamanho do efeito de 0,95 e 1,26 respectivamente. Os instrumentos se mostraram válidos para discriminar idosos frágeis de não-frágeis (p<0.001), o IVFC-20 apresentou uma AUC de 0,81 e o VES-13 de 0,75. Conclusões: A avaliação da fragilidade em idosos comunitários pode ser realizada por diversos instrumentos. A revisão de escopo serve como guia norteador para os profissionais da área de geriatria, demonstrando 17 instrumentos aplicáveis ao contexto dos idosos comunitários, apontando vantagens e desvantagens na decisão sobre o instrumento a ser utilizado. Os instrumentos VES-13 e IVCF-20 apresentam boa validade discriminativa para avaliação da fragilidade em idosos comunitários, sendo melhores para identificar idosos frágeis do que não frágeis. Na comparação destas ferramentas, o IVCF-20 demonstrou ser melhor que o VES-13.



  • Mostrar Abstract
  • Introdution: Frailty in the older people represents a state of physiological vulnerability related to age, produced by the reduction of homeostatic reserve and the body's ability to face a varied number of negative health outcomes. Early recognition of this syndrome is important, as it identifies older people at higher risk of unfavorable outcomes. Objective: Map valid instruments in the literature for screening and stratification of frailty in community-dwelling older people, in addition to comparing them to find the best option. Methods: Article 1 - This is a scoping review carried out through the search for instruments available in the literature for assessment and frailty stratification in community-dwelling older people. The searches were carried out in 5 Medline, LILACS, Scopus, Web of Science and CINAHL databases, with the following search strategy: frail OR frailty AND “independent living” OR “community dwelling” AND aging OR elderly AND “Observational Study”. A search of the gray literature was also performed in order to identify additional relevant studies. Data were presented and analyzed descriptively. Article 2 – This is a methodological study to assess the discriminative validity of the Vulnerable Elderly Survey-13 (VES-13) and Clinical Functional Vulnerability Index-20 (CFVI-20) instruments compared to the Frailty Phenotype. It was carried out with community elderly aged 60 years and over, of both genders, residing in Parnamirim, in the northeast region of Brazil. The comparison of frail and non-frail groups, identified through the Frailty Phenotype, was analyzed using Student's t test and effect size for each instrument score. To investigate the correlation between the three instruments, Pearson's correlation was performed. Discriminative validity was tested by analyzing the ROC curve, in addition to calculating the accuracy of the instruments. Results: Article 1 - 55 studies were selected for the final analysis of this research. Seventeen instruments were analyzed, with Fried's frailty criteria being the most used method, being present in 25 studies (45.5%). Regarding the assessment domains, 6 instruments assess only physical issues, four assess physical, psychological and social issues, and the other instruments have more than three domains for assessing frailty. Article 2 - A total of 732 elderly people were evaluated, among which 17.1% presented themselves as frail according to the Frailty Phenotype. The Pearson correlation found between Frailty Phenotype and CFVI-20 was 0.53 (p<0.001), whereas for VES-13 this value was 0.42 (p-value<0.001). The difference between the means of the frail and non-frail groups in the VES-13 and CFVI-20 scores with the Phenotype were significant (p<0.001), with an effect size of 0.95 and 1.26, respectively. The instruments proved to be valid to discriminate frail from non-frail elderly (p<0.001), the FCVI-20 had an AUC of 0.81 and the VES-13 of 0.75. Conclusions: The assessment of frailty in community-dwelling older people can be performed using several instruments. The scope review serves as a guiding guide for professionals in the field of geriatrics, demonstrating 17 instruments applicable to the context of community-dwelling older people, pointing out advantages and disadvantages in deciding on the instrument to be used. The instruments VES-13 and CFVI-20 have good discriminative validity for assessing frailty in community-dwelling older people, being better for identifying frail than non-frail elderly. When comparing these tools, the CFVI-20 proved to be better than the VES-13.


17
  • NATHALIA PRISCILLA OLIVEIRA SILVA BESSA
  • ESTUDO COMPARATIVO ENTRE UM PROTOCOLO COM REALIDADE VIRTUAL NÃO IMERSIVA E A CINESIOTERAPIA NO EQUILÍBRIO POSTURAL  EM INDIVÍDUOS COM AVC

  • Orientador : FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ALINE BRAGA GALVAO SILVEIRA FERNANDES
  • FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • HELOISA MARIA JACOME DE SOUSA BRITTO
  • LUCIANA PROTASIO DE MELO
  • SILVANA LOANA DE OLIVEIRA SOUZA
  • Data: 20/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a principal causa de incapacidades em adultos, levando a alterações funcionais, como déficit de equilíbrio e dificuldade para realizar as atividades de vida diária. As sequelas apresentadas são resultantes das mudanças plásticas no tecido neural destes indivíduos, como resultado da excitabilidade diminuída e do não uso dos membros afetados após a injúria, culminando na redução da representação cortical destas áreas. No campo da reabilitação, a Realidade Virtual (RV) tem se mostrado um grande aliado na recuperação destes pacientes. Objetivo: Comparar os efeitos de um protocolo com realidade virtual não imersiva com um protocolo de cinesioterapia no equilíbrio postural de indivíduos com AVC crônico. Metodologia: Trata-se de um estudo comparativo com 7 indivíduos, de ambos os sexos, com diagnóstico clínico de AVC, lesão cerebral unilateral, no mínimo 6 meses de lesão, idade entre 20-75 anos. Os indivíduos foram avaliados inicialmente por uma ficha para caracterização sociodemográfica e em seguida foi realizada a avaliação clínica: cognição (Mini-Exame do Estado Mental - MEEM), espasticidade (Escala Modificada de Ashworth), habilidade de deambular (Categoria de Deambulação Funcional), comprometimento neurológico (National Institute Health Stroke Scale – NIHSS), qualidade de vida (Escala de Qualidade de Vida Específica para AVE - EQVE-AVE), funcionalidade (Medida De Independência Funcional- MIF), equilíbrio e marcha: Escala de Equilíbrio de BERG (EEB); Teste de Alcance Funcional (TAF); Timed Up and Go Test (TUG); Teste de Caminhada de 6m (TC6m), e variáveis do Centro de pressão pela Plataforma de Força (PF). Esses indivíduos foram divididos em dois grupos de acordo com o protocolo de intervenção proposto. O grupo da Cinesioterapia (GC) (n=4) realizou fortalecimento de membros inferiores (10 minutos) e cinesioterapia com foco no equilíbrio com demanda sensório-motora similar aos exercícios de realidade virtual (30 minutos) e o Grupo da Realidade Virtual (GRV) (n=3) realizou o mesmo fortalecimento citado (10 minutos) além de um protocolo de realidade virtual baseado no equilíbrio corporal (30 minutos). Foram realizadas 2 sessões por semana, durante 8 semanas, totalizando 16 sessões. Após o término de toda terapia, os pacientes foram reavaliados nos mesmos padrões da avaliação inicial. Para os desfechos estudados foi realizado teste t pareado para análise intragrupos e test t para comparação intergrupos das diferenças entre os valores pré e pós intervenção (delta) observadas em cada grupo. Resultados: Ambos os grupos obtiveram melhora em todos os desfechos analisado. No entanto, na análise intragrupo, apenas EEB (p = 0,006), deslocamento total do centro de pressão no teste de apoio unipodal olhos abertos sobre membro parético (UOAP_D) (p = 0,017), velocidade média no teste de apoio unipodal olhos abertos sobre membro parético (UOAP_VM) (p = 0,007) e unipodal olhos fechados sobre o membro saudável (UOFS_VM) (p = 0,047) foram significativos no grupo controle. No experimental EEB (p = 0,026) e deslocamento total do centro de pressão no teste de apoio unipodal olhos abertos sobre membro saudável (UOAS_D) (p = 0,035) foram significativos. Na análise inergrupos, verificou-se uma diferença estatística significativa para EEB (p = 0,033), e TC6m (p = 0,021) e o apoio unipodal olhos abertos sobre membro parético (UOAP_VM) (p = 0,044).  Conclusão: Ao comparar os efeitos de um protocolo com realidade virtual não imersiva com um protocolo de cinesioterapia no equilíbrio postural de indivíduos com AVC crônico, observou-se que ambos foram benéficos e provocaram melhorias nos desfechos analisados, com significância no equilíbrio avaliado pela escala de equilíbrio de Berg. No entanto, devidos as limitações quanto ao tamanho amostral e número de sessões sugere-se que sejam realizados estudos com população mais robusta e maior tempo total de terapia.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Stroke is the leading cause of disability in adults, resulting in functional changes such as deficit of balance and difficulty in performing activities of daily living. The sequelae result from the plastic changes in the neural tissue of these individuals, as a result of decreased excitability and non-use of the affected limbs after the injury, culminating in the reduction of the cortical representation of these areas. In the field of rehabilitation, Virtual Reality (VR) has been a great ally in the recovery of these patients. Objective: To compare the effects of a non-immersive virtual reality protocol with a kinesiotherapy protocol on the postural balance of patientes with chronic stroke. Methodology: It is a comparative study with 7 individuals, of both sexes, with a clinical diagnosis of stroke, unilateral brain injury, at least 6 months of injury, aged between 20-75 years. The individuals were initially assessed using a sociodemographic characterization form and then clinical assessment was performed: cognition (Mini Mental State Examination - MMSE), spasticity (Modified Ashworth Scale), ability to walk (Functional Walking Category), neurological impairment (National Institute Health Stroke Scale – NIHSS), quality of life (AVE Specific Quality of Life Scale), functionality (Functional Independence Measure - FIM), motivation (Intrinsic Motivation Inventory), balance and gait: BERG Balance Scale (BBS); Functional Range Test (FRT); Timed Up and Go Test (TUG); 6m Walk Test (6mWT), and Center of pressure variables by Force Platform (FP). These patientes were divided into two groups according to the proposed intervention protocol. The Kinesiotherapy group (KG) (n=4) performed lower limb strengthening (10 minutes) and kinesiotherapy focusing on balance with sensorimotor demand similar to virtual reality exercises (30 minutes) and the Virtual Reality Group (VRG) (n=3) performed the same strengthening mentioned (10 minutes) in addition to a virtual reality protocol based on body balance (30 minutes). There were 2 sessions per week, for 8 weeks, totaling 16 sessions. After completion of all therapy, patients were reassessed to the same standards as in the initial assessment. For the studied outcomes, a paired t-test was performed for intragroup analysis and t-test for intergroup comparison of the differences between pre- and post-intervention (delta) values observed in each group. Results: Both groups improved in all analyzed outcomes. However, in the intragroup analysis, only BBS (p = 0.006), total displacement of the center of pressure in the one-legged stance test with eyes open on paretic limb (p = 0.017), mean velocity in the one-legged stance test with eyes open on paretic limb (p = 0.007) and unipedal eyes closed on the healthy limb (p = 0.047) were significant in the control group. In the experimental BBS (p = 0.026) and total displacement of the center of pressure in the one-legged support test with eyes open on healthy limb (p = 0.035) were significant. In the intergroup analysis, there was a statistically significant difference for BBS (p = 0.033), and 6MWT (p = 0.021) and unipodal support with eyes open on paretic limb (p = 0.044). Conclusion: When comparing the effects of a non-immersive virtual reality protocol with a kinesiotherapy protocol on the postural balance of individuals with chronic stroke, it was observed that both were beneficial and caused improvements in the analyzed outcomes, with significance in the balance assessed by the scale of Berg balance. However, due to limitations in terms of sample size and number of sessions, it is suggested that studies be carried out with a more robust population and a longer total duration of therapy.

18
  • ARAKEN KLEBER AZEVEDO DE OLIVEIRA
  • COMPARANDO EXERCÍCIOS COM E SEM BIOFEEDBACK POR ELETROMIOGRAFIA NA SÍNDROME DA DOR SUBACROMIAL: ESTUDO RANDOMIZADO E CEGO.


  • Orientador : JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CAIO ALANO DE ALMEIDA LINS
  • FRANCISCO LOCKS NETO
  • GERMANNA DE MEDEIROS BARBOSA
  • JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • JOSE DIEGO SALES DO NASCIMENTO
  • Data: 21/12/2021

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: mudanças no movimento e na ativação muscular da articulação escapulo-umeral podem estar relacionadas à Síndrome da Dor Subacromial. O biofeedback eletromiográfico durante o exercício pode aumentar essa ativação e coordenação muscular e, consequentemente, melhorar a dor e a função do ombro.

    Métodos: este estudo comparou os efeitos de um protocolo de exercícios com e sem o uso de biofeedback eletromiográfico sobre as variáveis dor, função e movimento do complexo do ombro, em indivíduos com Síndrome da Dor Subacromial. Um total de 24 voluntários de ambos os sexos foram randomizados nos grupos Exercícios Terapêuticos e Biofeedback (os mesmos exercícios terapêuticos utilizando biofeedback eletromiográfico nos músculos trapézio e serrátil). Dor e função do ombro foram avaliadas como desfechos primários e amplitude de movimento, força muscular, atividade eletromiográfica e cinemática escapuloumeral como desfechos secundários. Os indivíduos foram submetidos a oito semanas de intervenção e as comparações foram realizadas entre os grupos no início do estudo, após quatro e oito semanas de tratamento, e quatro semanas após finalizada a intervenção.

    Achados: Não houve diferenças entre os grupos para a dor, função do ombro, força muscular, amplitude de movimento ou para as variáveis de atividade eletromiográfica. A rotação externa escapular foi maior em 90 ° de elevação do braço (P = 0,007, diferença entre os grupos = 5,9 °) após quatro semanas no Grupo Exercício. Já a rotação superior da escapula foi maior em 60 ° de elevação do braço (P = 0,001, diferença entre os grupos = 13,9 °) quatro semanas após a intervenção no Grupo Biofeedback.

    Interpretação: Os exercícios terapêuticos mostraram-se efetivos na redução da dor e melhora da função em pacientes com SPS. A adição do EMG-biofeedback aos protocolos de exercícios não influenciou nas variáveis analisadas.


  • Mostrar Abstract
  • Background: Changes in movement and muscle activation of scapulohumeral joint are related to Subacromial Pain Syndrome.  Electromyography biofeedback during exercise may enhance muscle activation and coordination, and consequently improve pain and shoulder function.

    Methods: This study compared the effects of an exercise protocol with and without using electromyographic biofeedback on pain, function and movement of the shoulder complex in subjects with Subacromial Pain Syndrome. A total of 24 volunteers of both genders were randomized into the therapeutic exercises and Biofeedback groups in the trapezius and serratus muscles. Pain and shoulder function were evaluated as the primary outcome and range of motion, muscle strength, electromyographic activity and scapulohumeral kinematics as secondary outcomes. The subjects underwent eight weeks of intervention and comparisons were made between groups in baseline, at 4 weeks, 8 weeks, and at 4 weeks post intervention.

    Findings: There were no differences between groups for pain (p= 0.11; CI: -1.57 to 0.41) and shoulder function (p = 0.33; CI: - 6.89 to 11.33), muscle strength, range of motion, and electromyographic variables. Significant differences were observed in upward scapular rotation at 60° of arm elevation (P = 0.006; CI: 0.9 to 9.3) in the Biofeedback group. There was no difference for the other variables of scapular kinematics.

    Interpretation: Therapeutic exercises have been shown to be effective in reducing pain and improving function in patients with SPS. The addition of EMG-biofeedback to exercise protocols did not influence the analyzed variables.

2020
Dissertações
1
  • GLEIDSON FRANCIEL RIBEIRO DE MEDEIROS
  • ESTIMULAÇÃO CEREBRAL VIBROACÚSTICA BINAURAL NA REABILITAÇÃO DA MARCHA DE PACIENTES COM PARKINSON

  • Orientador : FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CLECIO DE OLIVEIRA GODEIRO JUNIOR
  • FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • LUCIANA PROTASIO DE MELO
  • Data: 07/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

    A Doença de Parkinson é uma patologia do sistema nervoso central crônica, degenerativa, progressiva que acomete os gânglios da base, destruindo os neurônios da substância negra e reduzindo a dopamina no cérebro, suscitando um quadro de bradicinesia, tremor ao repouso, rigidez, alterações posturais, do equilíbrio e da marcha. Dentre os principais protocolos de reabilitação motora para a marcha do Parkinson destaca-se o treino na esteira. Além deste, destaca-se atualmente a modulação cerebral com corrente contínua. A estimulação cerebral vibro-acústica binaural (ECVAB) é um tipo de modulação cerebral, de menor custo, com poucos estudos na área da reabilitação motora, motivos pelos quais se justifica este trabalho. O objetivo desse estudo, foi investigar os efeitos da ECVAB na  marcha de idosos com Parkinson. Participaram deste estudo 18 pessoas com Parkinson graus 2 a 4, na escala de Hoehn Yahr com idades entre 55 e 75 anos. Foram alocados em Grupo experimental (GE), tratados com ECVAB e Treino de Marcha na Esteira (TM); e Grupo Controle (GC), tratados com Estimulação Cerebral Placebo (ECP) e TM. Inicialmente, os sujeitos foram avaliados pelo protocolo de estadiamento Hoehn e Yahr; pelo Functional Gait Assessment e pelo Freezing Of Gait Questionnaire; em seguida, aleatorizados nos grupos correspondentes para a intervenção, sendo o GE, tratado com 20 minutos de ECVAB seguido de 30 minutos de TM, e o GC com 20 minutos de ECP, seguido de 30 minutos de TM. Foram realizadas 16 sessões, durante 8 semanas. Após 48hs da última sessão, os pacientes foram reavaliados. A análise estatística foi feita atribuindo-se o nível de significância de 5%. Foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis com Post Hok para comparação dos valores do grupo controle e experimental antes e após a intervenção.

    Como resultado, no grupo controle foi observada melhoria na FGA apenas no critério de marcha com olhos fechados (X2: 4,07; P:0,043). Não foram observados resultados significativos quanto aos critérios da FOG-Q.

    Já para o grupo experimental, observou-se melhoria tanto para a FGA:  velocidade da marcha (X2: 3,92; P: 0,048) e capacidade de transpor obstáculos (X2: 4,13; P: 0,042), quanto para a FOG-Q: congelamento durante a marcha (X2: 3,92; P:0,048), congelamento e as AVD’s (X2: 6,97; P:0,008), pés colados (X2: 4,98; P:0,026), e tempo de permanência do congelamento (X2: 6,12; P:0,013). Diante do exposto, pode-se sugerir que o protocolo de intervenção com ECVAB associada a esteira (grupo experimental) foi melhor para o tratamento da fluência da marcha quando comparado ao protocolo de esteira isolado (grupo controle).

     


  • Mostrar Abstract
  • Parkinson's disease is a chronic, degenerative, progressive pathology of the central nervous system that affects the basal ganglia, destroying the neurons of the substantia nigra and reducing dopamine in the brain, causing bradykinesia, tremor at rest, stiffness, postural changes , balance and gait. Among the main motor rehabilitation protocols for Parkinson's gait, treadmill training stands out. In addition to this, there is currently cerebral modulation with direct current. Binaural vibro-acoustic brain stimulation (ECVAB) is a less expensive type of brain modulation, with few studies in the area of motor rehabilitation, reasons for which this work is justified. The aim of this study was to investigate the effects of ECVAB on the gait of elderly people with Parkinson's. Eighteen people with Parkinson's grades 2 to 4, on the Hoehn Yahr scale aged between 55 and 75 years, participated in this study. They were allocated to an Experimental Group (GE), treated with ECVAB and Walking Training on the Track (TM); and Control Group (CG), treated with Placebo Cerebral Stimulation (ECP) and TM. Initially, the subjects were evaluated using the Hoehn and Yahr staging protocol; the Functional Gait Assessment and the Freezing Of Gait Questionnaire; then, they were randomized in the corresponding groups for the intervention, with the EG being treated with 20 minutes of ECVAB followed by 30 minutes of TM, and the CG with 20 minutes of ECP, followed by 30 minutes of TM. 16 sessions were carried out, during 8 weeks. 48 hours after the last session, the patients were reassessed. Statistical analysis was performed by assigning a significance level of 5%. The Kruskal-Wallis test with Post Hok was used to compare the values of the control and experimental groups before and after the intervention. As a result, in the control group, an improvement in FGA was observed only in the gait criterion with eyes closed (X2: 4.07; P: 0.043). There were no significant results regarding the FOG-Q criteria. As for the experimental group, there was an improvement for both the FGA: gait speed (X2: 3.92; P: 0.048) and the ability to overcome obstacles (X2: 4.13; P: 0.042), and for the FOG -Q: freezing during gait (X2: 3.92; P: 0.048), freezing and the ADLs (X2: 6.97; P: 0.008), glued feet (X2: 4.98; P: 0.026), and freezing time (X2: 6.12; P: 0.013). Given the above, it can be suggested that the intervention protocol with ECVAB associated with the treadmill (experimental group) was better for the treatment of gait fluency when compared to the isolated treadmill protocol (control group).

2
  • LUIZ FELIPE TAVARES
  • DOR, CONTROLE NEUROMOTOR E POSTURA EM INDIVÍDUOS PORTADORES DE DISFUNÇÃO TÊMPOROMANDIBULAR COM E SEM QUEIXAS OTOLÓGICAS: UM ESTUDO TRANSVERSAL

     

  • Orientador : KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARINA ANDREA COSTA BEZERRA ROCHA
  • ERIKA OLIVEIRA DE ALMEIDA FREITAS
  • KARYNA MYRELLY OLIVEIRA BEZERRA DE FIGUEIREDO RIBEIRO
  • Data: 14/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: as disfunções temporomandibulares (DTM) são alterações nas estruturas articulares e/ou musculares do sistema mastigatório que comumente apresentam dor nos músculos da mastigação e regiões adjacentes, sons articulares, dores de cabeça, otalgia e desvios da mandíbula. Estudos sugerem associações diretas entre DTM e alterações na coluna cervical, sendo a dor cervical um dos principais sintomas detectados em tais disfunções, que relaciona-se principalmente à diminuição da força e resistência dos músculos cervicais. Além disso, dor no ouvido, zumbido e vertigem são apontados como queixas de origem otológica comumente presentes em indivíduos com DTM. Objetivo: avaliar a dor, controle neuromotor e a postura da cabeça e pescoço em indivíduos portadores de DTM com sem queixas otológicas. Métodos: trata-se de um estudo transversal no qual indivíduos com DTM de ambos os sexos, na faixa etária dos 18 a 59 anos foram avaliados. Os indivíduos com DTM foram divididos em dois grupos: um grupo com queixas otológicas (GCQ) e um grupo sem queixas otológicas (GSQ). Como queixas otológicas foram consideradas a tontura, vertigem, zumbido, otalgia, sensação de pressão, plenitude auricular e hipoacusia. Os indivíduos foram submetidos à avaliação do autorrelato da dor pela escala visual analógica, limiar de dor à pressão dos músculos cervicais e mastigatórios pelo algômetro digital, postura da cabeça e pescoço pelo ângulo crâniovertebral, incapacidade cervical pelo questionário índice de incapacidade cervical e controle neuromotor dos músculos flexores profundos pelo biofeedback de pressão (ativação e endurance). Foram realizadas análises descritivas e inferenciais pelo programa estatístico SPSS 23.0 e adotado um intervalo de confiança de 95% e um p < 0,05 como diferença significativa. Resultados: o grupo de DTM com queixas otológicas apresentou menor ativação muscular (GCQ 24 mmHg [24 – 26]; GSQ 26 mmHg [24 – 28]), endurance (GCQ 44 [28 – 78] pontos; GSQ 105 [46 – 140] pontos) e maior incapacidade cervical (GCQ 13,32 ± 6,36 pontos; GSQ 8,15 ± 5,89 pontos) (p<0,05) quando comparados com o grupo de DTM sem queixas otológicas. Não houve diferenças estatisticamente significativas com relação aos limiares de pressão à dor, autorrelato de dor e postura da cabeça e pescoço entre os grupos. Conclusão: indivíduos com DTM com queixas otógicas apresentam menor controle neuromotor dos músculos flexores profundos cervicais, maior incapacidade cervical e mesmo níveis de dor e postura da cabeça e pescoço comparados a indivíduos com DTM sem queixas otológicas


  • Mostrar Abstract
  • Background: Temporomandibular disorders (TMD) are conditions that affect the temporomandibular joint (TMJ), the masticatory muscles and associated structures. Common signs and symptoms include TMJ and muscle pain, limited mouth opening, joint noises, headaches, earache, and altered jaw movement. In addition, studies suggest direct associations between TMD and alterations of the cervical spine. The coexistence of neck pain and TMD is common and it can be associated with weakness and lack of endurance of the neck muscles. Earache, tinnitus and vertigo are also reported as commom complaints of otological origin in patients with TMD. Objective: The aim of this study was to evaluate pain, neuromotor control and head and neck posture in individuals with TMD with and without otological complaints. Methods: In this cross-sectional study, individuals with TMD between 18 and 59 years of age and both genders were evaluated. Subjects with TMD were divided into two groups: a group with otological complaints (GCQ) and a group without otological complaints (GSQ). Otological complaints considered symptoms of dizziness, vertigo, tinnitus, earache or hearing loss. Self reported pain, masticatory and neck muscles pain threshold, head and neck posture, neck disability and neuromotor control and muscular endurance of deep neck flexors (DNF) were evaluated in both groups. All descriptive and inferential analyzes were performed using the statistical software SPSS 22.0 for Windows. A 95% confidence interval and significant level of p<0.05 was adopted. Results: The TMD group with otological complaints presented less muscle activation scores (GCQ 24 mmHg [24 - 26]; GSQ 26 mmHg [24 - 28]), endurance (GCQ 44 [28 - 78]; GSQ 105 [46 - 140]) and greater neck disability (GCQ 13.32 ± 6.36 points; GSQ 8.15 ± 5.89 points) (p<0.05) when compared to the group of TMD without otological complaints. There were no significant differences in pressure pain thresholds, self-reported pain and head posture between groups. Conclusion: Individuals with TMD with otologic complaints present diminished neuromotor control of the deep neck flexors, greater neck disability and same pain levels and head and neck posture compared to individuals with TMD without otological complaints.

3
  • BIANCA RODRIGUES DA SILVA BARROS
  • Análise dos aspectos funcionais do complexo do ombro, core e quadril em atletas de arremesso com e sem dor no ombro


  • Orientador : CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • MICHELE FORGIARINI SACCOL
  • RODRIGO SCATTONE DA SILVA
  • Data: 19/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os esportes de arremesso impõem grande sobrecarga ao complexo do ombro principalmente pela repetição desse movimento a uma alta velocidade, o podem gerar adaptações no ombro do atleta e aumentar o risco para o desenvolvimento de dor no ombro. Além disso, tem-se considerado atualmente a influência das alterações da cadeia cinética como fator de risco para lesão no complexo do ombro. Objetivo: Comparar os aspectos osteomioarticulares e funcionais do complexo do ombro, core e quadril em atletas de arremesso com e sem dor no ombro. Métodos: Trata-se de um estudo observacional no qual 41atletas de handebol e voleibol foram avaliados. Os atletas foram alocados em dois grupos de acordo com a sintomatologia dolorosa: grupo sem dor (GSD) (n: 20, idade: 21,2 e IMC: 23,3) e grupo com dor (GCD) (n: 21; idade: 23,6 e IMC: 25,02), baseado no autorrelato da dor e função através dos questionários Penn Shoulder Score (PSS) e Disabilities of the arm, shoulder,and hand (DASH). Os indivíduos foram submetidos à avaliação de amplitude de movimento (ADM) do ombro (rotações, adução horizontal, low flexion e retroversão umeral), quadril (rotações) e do tronco (flexão, extensão e flexão lateral), força de musculatura glenoumeral (rotadores), periescapular (trapézio inferior e serrátil anterior), de quadril (abdutores e extensores) e tronco (rotadores, extensores e flexores laterais), bem como resistência da musculatura de tronco (flexores, extensores e flexores laterais), e desempenho funcional de membros inferiores (MMII) e membros superiores (MMSS), por meio do teste de equilíbrio Y. Os dados foram analisados de maneira descritiva e inferencial através do SPSS 20.0, sendo adotado um intervalo de confiança de 95% e um p<0,05 para caracterizar uma diferença estatística. Resultados: Os atletas do GCD apresentaram menor ADM de rotação lateral (RL) (p<0,01) e total (p<0,01) no ombro dominante, menor adução horizontal (p<0,01) no ombro não dominante, menor rotação medial (RM) de quadril dominante e não dominante (p<0,01) e menor flexão de tronco (p=0,05). O GCD ainda apresentou menor força de extensores de tronco (p=0,01), menor resistência de extensores (p=0,02) e flexores (p<0,01) de tronco, além de menor desempenho funcional no alcance na direção anterior em ambos MMII (p<0,05), menor alcance na direção póstero-medial (p=0,04) no membro inferior não dominante e menor valor composto em ambos MMII (p<0,05). Além disso, na comparação entre membros, o membro dominante do GCD apresentou menores ADMs de RM (p<0,01) e total (p<0,01) de ombro, de adução horizontal (p=0,04) e Low Flexion (p=0,01), além de menor alcance súpero-lateral (p=0,04) no teste Y de MMSS. Já no GSD, o membro dominante apresentou maior valor de ADM de RL (p=0,03) de ombro e menores ADMs de RM (p=0,02) de ombro, adução horizontal (p=0,01) e Low Flexion(p<0,01). Conclusão: Atletas de arremesso com dor no ombro apresentam alterações de ADM ao longo da cadeia cinética, além de menor resistência de core e diminuição no desempenho funcional em MMII.


     


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Overhead sports overload the shoulder complex mainly due to the repetition of throwing movements at high speeds, which may cause some adaptations in the athlete’s shoulder, and might increase the risk of developing shoulder pain. Moreover, it has been considered nowadays the influence of alterations throughout the kinetic chain as risk factor to injuries in the shoulder complex. Objective: to compare alterations in osseous, muscular and joint system and the function of shoulder complex, core and hip in overhead athletes with and without shoulder pain. Methods: This is an observational study, in which 41 handball and volleyball athletes were assessed. The athletes were assigned to two groups according to their shoulder pain: no pain group (NPG) (n: 20, age: 21,2 e BMI: 23,3) and pain group (PG) (n: 21; age: 23,6 e BMI: 25,02), based on pain and function self-reported through the Penn Shoulder Score (PSS) and Disabilities of the arm, shoulder, and hand (DASH) questionnaires. The individuals underwent an assessment of range of motion (ROM) of shoulder (rotation, horizontal adduction, low flexion, and humeral retroversion), hip (rotation) and trunk (flexion, extension, and lateral flexion), strength of glenohumeral (rotators), scapular (lower trapezius and serratus anterior), hip (abductors and extensors) and trunk (rotators, extensors and lateral flexors) muscles, besides endurance of the trunk (flexors, extensors and lateral flexors) and functional performance of lower and upper limbs through the Y balance test. Data were analyzed in a descriptive and inferential manner through SPSS 20.0, with a 95% confidence interval and a p<0,05 was considered statistically different. Results: Athletes from the pain group showed smaller external rotation (ER) (p<0,01) and total rotation (p<0,01) ROM in the dominant shoulder, smaller horizontal adduction (p<0,01) in non dominant shoulder, smaller hip internal rotation (IR) in dominant and non dominant hips (p<0,01), and less trunk flexion ROM (p<0,01). PG also showed less strength of trunk extension (p=0,01), short endurance time for trunk extensors (p=0,02) and flexors (p<0,01), decreased reach distance for both lower limbs in the anterior direction (p<0,05), decreased reach distance in the posteromedial direction(p=0,04) for the dominant lower limb, as well as smaller composite score for both limbs (p<0,05).Moreover, for limbs comparison, the dominant limb of the PG showed smaller ROMs of shoulder IR(p<0,01) and total ROM (p<0,01), of horizontal adduction (p=0,04) andlow flexion(p=0,01), besides decreased reach distance in the superolateral direction in the upper quarter Y balance test. As for the NPG the dominant limb showed higher shoulder ER ROM (p=0,03), and smaller values for shoulder IR ROM (p=0,02), horizontal adduction (p=0,01) and low flexion (p<0,01). Conclusion: Overhead athletes with shoulder pain show changes in ROM throughout the kinetic chain, besides lower core endurance, and decreased functional performance in the lower limbs.

4
  • THIAGO BEZERRA WANDERLEY E LIMA
  • COMPORTAMENTO FISIOLÓGICO DE MÚSCULOS RESPIRATÓRIOS DURANTE DIFERENTES TESTES DE ENDURANCE RESPIRATÓRIA EM SUJEITOS SAUDÁVEIS

  • Orientador : GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GUILHERME AUGUSTO DE FREITAS FREGONEZI
  • BRUNO LOBAO SOARES
  • ANTONIO JOSÉ SARMENTO DA NÓBREGA
  • Data: 21/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO:A fadiga, de uma forma geral, se caracteriza quando o músculo apresenta uma diminuição na sua capacidade de gerar força e/ ou velocidade, sendo esse fenômeno decorrente de uma atividade muscular sob carga e que é reversível pelo repouso. A fadiga muscular inspiratória (FMI) tem sido classificada como fadiga central, quando é induzida por alterações no drive neural, ou fadiga periférica que é caracterizada por mudanças das propriedades contráteis da musculatura inspiratória oriundas da imposição de altas cargas.OBJETIVO: Avaliar e comparar as propriedades de contração e relaxamento dos músculos inspiratórios em sujeitos saudáveis após a indução de fadiga respiratória através de dois testes: hiperpneia normocápnica (HN) e carga de limiar de pressão inspiratória (CLPI). METODOLOGIA: A pesquisa trata-se de um estudo do tipo crossover com abordagem quantitativa, em que foram estudados indivíduos saudáveis de ambos os gêneros.Os sujeitos foram submetidos inicalmente a prova de função pulmonar e avaliação da força dos músculos respiratórios. Em seguida foram realizados dois testes de endurance respiratória. O protocolo consistia na realização de 10 manobras de sniff pré, realização do teste de endurance e realização de 10 manobras sniff pós. O teste foi realizado com a válvula Powerbreathe a 80% da Pressão inspiratória máxima e com o Spirotiger a 70% do teste de ventilação voluntária máxima, respeitando um tempo de 7 dias entre a realização de cada teste. Durante o protocolo o sujeito era monitorado pela pletismografia optoeletronica, eletromiografia de superficie e pelo NIRS para aval iação da oxigenação tecidual do músculo esternocleidomastoideo. RESULTADOS: Participaram do estudo um total de 18 sujeitos, sendo 9 homens e 9 mulheres, com uma média de idade 23.94±1,70 anos, IMC 22,63±1,95 kg/m². Para o teste CLPI, a carga utilizada foi em torno de 85,64±15,78 CmH2O e obteve-se uma média de tempo de duração do teste de 157s, enquanto que para o teste de HN os sujeitos apresentaram volume minuto de 105,1± 19,91 L/s e um tempo de 197s. Na comparação intragrupo, quanto a escala de esforço BORG, observou-se um aumento do valor pós em relação ao pré para ambos os grupos (p<0,0001), enquanto na comparação intergrupo não houve diferença (p>0,05). Em relação as variáveis de relaxamento obtidas a partir da curva de sniff , na comparação intragrupo em relação aos valores pré, houve um aumento estatisticamente significativo apenas na constate de tempo (τ) na primeira e terceira manobra pós teste com HN, (p=0,0067 e p=0,0049), respectivamente. Ja no teste com CLPI, houve um aumento também na constante de tempo (τ) nas quatro primeiras manobras pós teste (p<0,005). Em relação as demais variáveis de relaxamento (MRR e 1/2RT) não houve diferença estatisticamente signicativa na comparação intragrupo em ambas as modalidades de teste. As variáveis de contração, também obtidas a partir do sniff teste, não apresentaram diferença estatistica na comparação intragrupo das manobras pós em relação a pré (P>0,05). Em relação as comparações intergrupo, nenhuma variável apresentou diferença. Durante o teste com CLPI houve uma queda da frequência mediana, obtida a partir da eletromiografia de superfície dos músculos inspiratórios, com um slope de -0,013 e r2 =0,055. Já no teste com HN houve tambem uma queda dessa variável com slope de -0,035 e r2=0,025. CONCLUSÃO: A partir dos resultado encontrados, pode-se afirmar que os músculo inspiratórios se comportam de maneira semelhante em relação a essas diferentes modalidades de teste de endurance. Adicionalmente, a fadiga de músculo inspiratórios causa alterações nas variáveis de relaxamento, principalmente na constante de tempo, e não nas variáveis de contração. Av.

     


  • Mostrar Abstract
  • INTRODUCTION: Fatigue is generally characterized when the muscle has a decrease in its ability to generate force and / or speed, this phenomenon is due to a muscle activity under load and is reversible upon rest. Inspiratory muscle fatigue (IMF) has been classified as central fatigue when it is induced by changes in neural drive, or peripheral fatigue that is characterized by changes in inspiratory muscle contractile properties from the imposition of high loads. OBJECTIVE: To evaluate and compare the physiological behavior of respiratory muscles during two respiratory endurance tests, normocapnic hyperpnea and inspiratory pressure threshold load in healthy subjects. METHODOLOGY: The research is a crossover study with a quantitative approach, in which healthy individuals of both genders were studied. The subjects were initially submitted to pulmonary function test and respiratory muscle strength evaluation. Then two respiratory endurance tests were performed. The protocol consisted of 10 pre sniff maneuvers, endurance test and 10 post sniff maneuvers. The test was performed with the Powerbreathe valve at 80% of maximal inspiratory pressure and Spirotiger at 70% of the maximum voluntary ventilation test, respecting a time period of 7 days between each test. During the protocol the subject was monitored by optoelectronic plethysmography, surface electromyography and NIRS for evaluation of tissue oxygenation of the sternocleidomastoid muscle. RESULTS: A total of 18 subjects participated in the study, 9 men and 9 women, with a mean age 23.94 ± 1.70 years, BMI 22.63 ± 1.95 kg / m². For the CLPI test, the load used was around 85.64 ± 15.78 CmH2O and a mean duration of the test was 157s, while for the HN test the subjects had a minute volume of 105, 1 ± 19.91 L / s and a time of 197s. In the intragroup comparison, regarding the BORG effort scale, there was an increase in the post value compared to the pre for both groups (p <0.0001), while in the intergroup comparison there was no difference (p> 0.05). Regarding the relaxation variables obtained from the sniff curve, in the intragroup comparison in relation to the pre values, there was a statistically significant increase only in the time finding (τ) in the first and third maneuver post test with NH, (p = 0 , 0067 and p = 0.0049), respectively. In the CLPI test, there was also an increase in the time constant (τ) in the first four post-test maneuvers (p <0.005). Regarding the other relaxation variables (MRR and 1 / 2RT) there was no statistically significant difference in the intragroup comparison in both test modalities. The contraction variables, also obtained from the sniff test, showed no statistical difference in the intragroup comparison of post-pre (P> 0.05) maneuvers. Regarding intergroup comparisons, no variable showed any difference. During the CLPI test there was a decrease in the median frequency, obtained from the surface electromyography of the inspiratory muscles, with a slope of -0.013 and r2 = 0.055. In the HN test there was also a fall of this variable with slope of -0.035 and r2 = 0.025. CONCLUSION: From the results found, it can be stated that inspiratory muscles behave similarly in relation to these different endurance test modalities. Additionally, inspiratory muscle fatigue causes changes in the relaxation variables, especially in the time constant rather than in the contraction variables.

5
  • SABRINNE SUELEN SANTOS SAMPAIO
  • Avaliação do neurodesenvolvimento em prematuros submetidos ao método canguru - um estudo de coorte

  • Orientador : ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ADRIANA NEVES DOS SANTOS
  • MARTINA ESTEVAM BROM VIEIRA
  • ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • Data: 27/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O nascimento prematuro é uma das principais causas de mortalidade infantil no Brasil e configura-se um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Estudos abordam que, mesmo diante de todas as complicações causadas pela prematuridade, as intervenções precoces e os estímulos fornecidos pelas famílias provêm um efeito positivo no desenvolvimento motor e cognitivo. E uma estratégia positiva de engajamento entre família, ambiente e recém-nascido é o Método Canguru (MC). Objetivo: Avaliar o desenvolvimento motor do recém-nascido prematuro submetidos ao MC, desde a internação na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) até ambulatório de seguimento e identificar os fatores relacionados ao desenvolvimento típico e atípico. Metodologia: Trata-se de um estudo de coorte realizado na Maternidade Escola Januário Cicco. Participaram do acompanhamento recém-nascidos pré-termo (RNPT), com idade gestacional menor de 37 semanas, peso abaixo de 2500g.. Foram coletadas informações clínicas sobre o RNPT e a gestação da mãe e durante a internação; o tempo de posição canguru, durante a segunda etapa do MC. Os movimentos generalizados (MG) dos bebês foram avaliados nas três etapas do MC e o desenvolvimento dos RNPT foram avaliados na segunda e terceira etapas do MG. As avaliações com o instrumento test of infant motor performance (TIMP) foram realizadas na segunda etapa do método e no ambulatório de seguimento aos 3 – 4 meses de idade gestacional corrigida (IGC). Para análise estatística, atribuiu-se o nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95% para todas as análises. A análise descritiva foi apresentada em média e desvio padrão (DP). A normalidade das variáveis do estudo foi verificada através do teste Shapiro Wilk. Para comparar as médias entre os grupos foi usado o Mann-Whitney e para as variáveis categóricas foi utilizado o teste exato de Fisher. Resultados: A amostra foi composta por 22 bebês. As análises do MG mostraram uma melhora gradual do repertório motor. Já para avaliação com o TIMP 63,3% apresentaram desenvolvimento atípico, ao analisar os fatores clínicos associados observou-se que apenas o número de consultas pré-natais, sexo, o apgar 1º minuto, dias de O2, os dias de fototerapia e a IG e peso de admissão na enfermaria apresentaram diferenças significativamente estatísticas. Já na segunda avaliação no ambulatório os instrumentos apresentaram nível de concordância (kappa) de 1,000 aos 3 – 4 meses e apenas 13,6% da amostra permaneceu com o desenvolvimento motor atípico ao avaliar. Ao comparar as médias entre os grupos dos bebês com o repertório motor típico e atípico não houve diferença significativa entre as amostras ao tempo de posição canguru. Conclusão: Ressalta-se a importância da investigação precoce do neurodesenvolvimento ainda em ambiente hospitalar e isso pode ser associado ao método canguru o qual se torna elemento chave no empoderamento e engajamento familiar, tornando o ambiente domiciliar enriquecido e com potencial para promover e mudar o padrão do desenvolvimento motor.



  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Premature birth is one of the main causes of infant mortality in Brazil and is one of the main public health problems in the world. Studies address that, despite all the complications caused by prematurity, early interventions and stimuli provided by families provide a positive effect on motor and cognitive development. And a positive engagement strategy between family, environment and newborn is the Kangaroo Method (KM). Objective: To assess the motor development of the premature newborn (PTNB) undergoing KM, from admission to the Neonatal Intensive Care Unit (NICU) to the follow-up clinic and to identify factors related to typical and atypical development. Methodology: This is a cohort study conducted at the Maternidade Escola Januário Cicco. Pre-term newborns (PTNB), with gestational age less than 37 weeks, weight below 2500g, participated in the follow-up. Clinical information about PTNB and the mother's pregnancy and during hospitalization was collected; the time of kangaroo position, during the second stage of the KM. The generalized movements (GM) of babies were evaluated in the three stages of KM and the development of PTNBs were evaluated in the second and third stages of GM. The evaluations with the test of infant motor performance (TIMP) instrument were performed in the second stage of the method and in the follow-up clinic at 3 - 4 months of corrected gestational age. For statistical analysis, a significance level of 5% and a 95% confidence interval were assigned to all analyzes. Descriptive analysis was presented as mean and standard deviation (SD). The normality of the study variables was verified using the Shapiro Wilk test. To compare means between groups, Mann-Whitney was used and for categorical variables, Fisher's exact test was used. Results: The sample consisted of 22 babies. GM analyzes showed a gradual improvement in the motor repertoire. As for the evaluation with TIMP, 63.3% showed atypical development, when analyzing the associated clinical factors, it was observed that only the number of prenatal consultations, sex, first minute apgar, O2 days, phototherapy days and IG and weight of admission to the ward showed statistically significant differences. In the second evaluation at the outpatient clinic, the instruments showed an agreement level (kappa) of 1,000 at 3 - 4 months and only 13.6% of the sample remained with the atypical motor development when evaluating. When comparing the means between the groups of babies with the typical and atypical motor repertoire, there was no significant difference between the samples at the time of the kangaroo position. Conclusion: The importance of early investigation of neurodevelopment in a hospital environment is emphasized and this can be associated with the kangaroo method which becomes a key element in family empowerment and engagement, making the home environment enriched and with the potential to promote and change the pattern motor development.

6
  • CAROLINE FERREIRA SCHON
  • MAGNITUDE DAS MUDANÇAS NA APTIDÃO CARDIORRESPIRATÓRIA EM LONGO PRAZO APÓS REABILITAÇÃO CARDÍACA E SEUS FATORES CORRELACIONADOS

  • Orientador : SELMA SOUSA BRUNO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SELMA SOUSA BRUNO
  • JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
  • ANTONIO JOSÉ SARMENTO DA NÓBREGA
  • Data: 27/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • A reabilitação cardíaca (RC) promove em curto prazo incremento substancial na aptidão cardiorrespiratória (ACR) associada à redução nas taxas de morbi-mortalidade. Porém avaliação da ACR através do MET em seguimento de longo prazo da RC é escassa na literatura. Objetivo: O objetivo deste estudo foi verificar a magnitude da aptidão cardiorrespiratória por meio de medida do taxa metabólica da tarefa (MET) em longo prazo de pacientes que realizaram a reabilitação cardíaca (RC) e analisar os fatores correlacionados a tais mudanças.  Materiais e métodos: Trata-se de um estudo longitudinal do tipo coorte retrospectiva e transversal realizado entre os anos de 2015 a 2019 no setor de reabilitação cardíaca (CORE-HUOL). A avaliação da aptidão cardiorrespiratória foi coletada por revisão de prontuário com dados de pré e pós reabilitação cardíaca e  mensurada em um follow-up de 12 a 24  meses após RC através do teste ergométrico (TE)  para avaliar o equivalente metabólico da tarefa (MET) de pico, além disso, através do questionário DASI foi estimado o MET de pico com base nas atividades de vida diárias. Estes dados foram correlacionados com covariáveis da ficha clínica. Resultados: A magnitude de modificação da ACR em METs após RC foi de 3,43, enquanto que o acompanhamento de follow-up após a RC mostrou redução de 1,87 no MET de pico porém sem significância estatística. O MET estimado pela escala DASI apresentou correlação moderada e positiva (r=0,63, p=0,003) com o MET verificado no TE. As variáveis que apresentaram correlação moderada e positiva ao MET do teste de follow-up foram o MET pré-RC (r=0,67, p=0,004) e a dose de treino aeróbico semanal final (r= 0,66, p=0,009). O modelo de regressão realizado foi válido apenas para dose de treino aeróbico com r quadrado ajustado de 0,43 (p=0,006). Conclusão: Neste estudo a verificou-se um incremento acima do habitual na ACR através do MET de pico e uma redução não significante porém clinicamente relevante do MET follow-up de longo prazo pós reabilitação cardíaca, levantando a importância do acompanhamento da ACR que pode ser realizada mesmo com simples ferramentas de predição como a escala DASI e a para a necessidade de estratégias para sua manutenção da ACR após RC.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Cardiac rehabilitation (CR) promotes a substantial increase in cardiorespiratory fitness (RCA) in the short term associated with a reduction in morbidity and mortality rates. However, evaluation of ACR through MET in long-term follow-up of CR is scarce in the literature. Objective: The objective of this study was to verify the magnitude of cardiorespiratory fitness by measuring the long-term metabolic rate of the task (MET) of patients who underwent cardiac rehabilitation (CR) and to analyze the factors correlated to such changes. Materials and methods: This is a longitudinal retrospective and cross-sectional cohort study carried out between 2015 and 2019 in the cardiac rehabilitation sector (CORE-HUOL). The assessment of cardiorespiratory fitness was collected by reviewing medical records with data from pre and post cardiac rehabilitation and measured in a follow-up of 12 to 24 months after CR through the exercise test (ET) to assess the metabolic equivalent of the task (MET) peak, in addition, through the DASI questionnaire, the peak MET was estimated based on daily life activities. These data were correlated with covariables in the clinical record. Results: The magnitude of ACR modification in METs after CR was 3.43, while the follow-up follow-up after CR showed a reduction of 1.87 in the peak MET, but without statistical significance. The MET estimated by the DASI scale showed a moderate and positive correlation (r = 0.63, p = 0.003) with the MET verified in the ET. The variables that showed a moderate and positive correlation to the MET of the follow-up test were the pre-RC MET (r = 0.67, p = 0.004) and the final weekly aerobic training dose (r = 0.66, p = 0.009). The regression model performed was valid only for dose of aerobic training with adjusted r square of 0.43 (p = 0.006). Conclusion: In this study, there was a higher than usual increase in ACR through peak MET and a non-significant but clinically relevant reduction in long-term follow-up MET after cardiac rehabilitation, raising the importance of monitoring ACR that can be performed even with simple prediction tools such as the DASI scale and the need for strategies for maintaining the ACR after CR.

7
  • RAIFF SIMPLICIO DA SILVA
  • Efeitos do treino em esteira inclinada sobre os parâmetros funcionais e cardiovasculares de indivíduos com Acidente Vascular Cerebral: ensaio clínico randomizado

  • Orientador : TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • ROBERTA DE OLIVEIRA CACHO
  • LARISSA COUTINHO DE LUCENA
  • Data: 28/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Contextualização:Diante das repercussões ocasionadas por um Acidente Vascular Cerebral (AVC), tem sido posta a importância do treino aeróbico, em especial o treino em esteira, na melhora das variáveis funcionais e cardiovasculares e da qualidade de vida dos indivíduos acometidos pela doença. Contudo, poucos estudos têm comparado os efeitos de diferentes protocolos de inclinação da esteira na melhora dessas variáveis.Objetivos:Avaliar os efeitos de um protocolo de treinamento de marcha em esteira em diferentes inclinações sobre variáveis funcionais, cardiovasculares e qualidade de vida de indivíduos com AVC crônico.Métodos:Trata-se de um ensaio clínico randomizado e cego, do qual participaram 26 indivíduos de ambos os sexos, com idade entre 20 e 70 anos e sequela de AVC há mais de 6 meses. Estes foram randomizados em 3 grupos: grupo controle (GC, n=8), que realizaram treinamento em esteira sem inclinação; grupo experimental 1 (GE1, n=8), que realizaram treinamento com esteira inclinada à 5%; e grupo experimental 2 (GE2, n=10), que realizaram treinamento em esteira inclinada à 10%. A intervenção constou de 3 sessões semanais durante umperíodo de 6 semanas. Os indivíduos foram avaliados em 3 momentos (pré-treino, pós-treino e seguimento) quanto as medidas de desfecho (velocidade da marcha, capacidade funcional [distância percorrida], torque neuromuscular, parâmetros cardiovasculares [pressão arterial sistêmica PA e frequência cardíaca-FC] e qualidade de vida). Na análise estatística utilizou-se o teste de Shapiro-wilk, para verificação da normalidade dos dados; além disso, utilizou-se a Análise de Variância (ANOVA)two-way de medidas repetidas para verificação do efeito das intervenções considerando as medidas temporais (pré-treino, pós-treino e seguimento) e a variável “grupo” como fator entre os sujeitos.Resultados:A Análise de Variância não demonstrou haver interação tempo*grupo em nenhum dos desfechos de FC e PA, bem como para as variáveis funcionais e qualidade de vida. Contudo, alguns valores de PA média e os valores da velocidade da marcha foram diferentes ao longo do tempo (PA média: F=3,604; P=0,036; Velocidade da marcha: F=4,963; P=0,014), indicando melhora dessas variáveis ao longo das avaliações realizadas. Em relação à capacidade funcional, o GE2 apresentou no pós-treinamento, emcomparação com o GC e com o GE1, um tamanho de efeito de 20,6 e 28,2 metros, respectivamente.Conclusão:De maneira geral, o treinamento em esteira inclinada não se mostrou mais efetivo que o treino sem inclinação na melhora dos parâmetros do estudo. Contudo, é possível que um maior tempo de treinamento seja necessário para expressão de melhoras relativas ao treino aeróbico. Além disso, os resultados da velocidade de marcha e capacidade funcional sugerem que, com o alcance do tamanho da amostra pretendido, melhoras sejam observáveis, em especial no GE2 para distância percorrida, que apresentou diferenças clinicamente relevantes quando comparado aos demais.


  • Mostrar Abstract
  • Contextualization:In view of the repercussions caused by a stroke, has been placed the importance of aerobic training, especiallythetreadmill training, in improving functional and cardiovascular variables and the quality of life of individuals affected by the disease. However, few studies have compared the effects of different inclination protocols on the improvement of these variables.Objectives: To evaluate the effects of a treadmill training protocol withdifferent inclinations on functional, cardiovascular variables and quality of life of individuals with chronic stroke.Methods:This is a randomized, blinded clinical trial, in which participated 26 individuals of both genders, aged between 20 and 70 years old, and time post-strokefor more than 6 months. Participantswere randomized into 3 groups: control group (CG, n = 8), who performed treadmill training without inclination; experimental group 1 (EG1, n = 8), who performed training with a 5% inclined treadmill; and experimental group 2 (EG2, n = 10), who performed training on a 10% inclined treadmill. Interventionsconsisted of 3 weekly sessions over a period of 6 weeks. Participantswere evaluated in 3 moments (pre-training, post-training and follow-up) regardingoutcome measures (gait speed, functional capacity [distance covered], neuromuscular torque, cardiovascular parameters [systemic blood pressure -BP and heart rate-FC] and quality of life). In the statistical analysis, the Shapiro-Wilk test was used to verify the normality of the data; in addition, the two-way Analysis of Variance (ANOVA)withrepeated measures was used to verify the effect of the interventions considering the temporal measures (pre-training, post-training and follow-up) and the “group” variable as a factor betweensubjects.Results:The ANOVAdid not demonstrate any time * group interaction in any of the HR and BP outcomes, as well as for the functional variables and quality of life. However, some mean BP values and gait speed values were different over time (mean BP: F = 3.604; P= 0.036; Gait speed: F = 4.963; P= 0.014), indicating improvement of these variables over time. Regarding functionalcapacity, the EG2 presented in the post-training, in comparison with theCG and with the EG1, an effect size of 20.6 and 28.2 meters, respectively.Conclusion: In general, training on aninclined treadmill was not more effective than training without inclination in improving the study parameters. However, it is possible that a longer training time is necessary to express improvements related to aerobic training. In addition, the results of walking speed and functional capacity suggest that, with the reach of the estimatedsample size, improvements will befound, especially in theexperimental group 2 for distance covered, which showed clinically relevant differences when compared toothergroups.

8
  • LILIANE SANTOS DE VASCONCELLOS
  • Efeitos de um programa de exercícios domiciliares sobre sintomas motores e não-motores de indivíduos com doença de Parkinson: ensaio clínico randomizado

  • Orientador : TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
  • LARISSA COUTINHO DE LUCENA
  • Data: 28/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As alterações presentes na região do tronco parecem relacionar-se com sintomas de natureza motora e não motora, tais como, equilíbrio postural, marcha e constipação intestinal (CI) em indivíduos com doença de Parkinson (DP); entretanto, poucos estudos têm utilizado exercícios físicos direcionados a essa região. Objetivo: Avaliar os efeitos de um programa de exercícios domiciliares sobre sintomas motores e não-motores de indivíduos com DP. Metodologia: Ensaio clínico controlado e randomizado, com amostra de 28 indivíduos com DP que apresentaram sintomas de CI, déficits de equilíbrio postural e marcha. A amostra foi distribuída aleatoriamente em Grupo Experimental (GE, n= 14) e Grupo Controle (GC, n= 14) Os participantes foram avaliados quanto às medidas de desfecho: função intestinal - The Bowel Function in the Community e Escala de Bristol; variáveis da marcha - Qualisys Motion Capture System®; variáveis do equilíbrio postural, através da plataforma de força, e qualidade de vida - Parkinson Disease Questionnaire-39 - PDQ-39. O protocolo foi efetuado por três semanas consecutivas, diariamente. O GC realizou atividades simples: respiração diafragmática; alongamentos dos principais grupos musculares de membros superiores e inferiores; exercícios miolinfocinéticos nos pés; e exercícios ativos livres de membros superiores. O GE realizou o protocolo de exercícios focados na região do tronco: fortalecimento abdominal; fortalecimento dos músculos eretores da coluna; exercícios de inclinação pélvica; e contração dos músculos do assoalho pélvico. A análise dos dados foi realizada utilizando Análise de variância (ANOVA) mista com medidas repetidas para comparar as medidas de desfecho entre os grupos e entre a avaliação inicial, a reavaliação e o follow-up. Testes de correlação foram aplicados entre a variável não motora “CI” e motoras “equilíbrio postural” e “marcha”. O nível de significância adotado foi de 5%. Resultados: Artigo 1 – Os dados do questionário The Bowel Function in the Community não demonstraram interação significativa tempo*grupo (F= 0,235; P= 0,746), havendo diferença no desfecho ao longo do tempo (F= 6,576; P= 0,005), com redução dos escores em ambos os grupos, indicando melhora no desfecho CI. Para o Hábito Intestinal Geral, não houve interação tempo*grupo (F= 0,396; P= 0,668), e os dados mostraram-se sem alterações do desfecho ao longo do tempo (F= 0,526; P= 0,588). Na Escala de Bristol, não houve interação tempo*grupo (F= 0,611; P= 0,538), sem alterações no desfecho ao longo do tempo (F= 0,440; P= 0,635), demonstrando a manutenção da consistência das fezes. No PDQ-39, não houve interação tempo*grupo para este desfecho (F= 0,452; P= 0,621), e não houve alteração na qualidade de vida ao longo do tempo (F= 0,376; P= 0,669). Houve uma correlação moderada entre o questionário The Bowel Function in the Community e Mobilidade autorreferida (P= 0,032, r= 0,407). Artigo 2 - Para velocidade da marcha, os dados demonstraram que não houve interação significativa entre tempo e grupo (F= 1,820; P= 0,179), sem alterações do desfecho ao longo do tempo (F= 0,207; P= 0,778). O mesmo ocorreu para os desfechos: comprimento da passada (tempo*grupo: F= 0,179; P= 0,799; tempo: F= 0,694; P= 0,482); tempo de duplo apoio (tempo*grupo: F= 2,483; P= 0,120; tempo: F= 0,612; P= 0,468); extensão do quadril (tempo*grupo: F= 0,207; P= 0,800; tempo: F= 0,527; P= 0,583); amplitude do movimento do joelho(tempo*grupo: F= 1,810; P= 0,183; tempo: F= 2,243; P= 0,130); amplitude do movimento do tornozelo (tempo*grupo: F= 4,153; P= 0,045; tempo: F= 0,037 P= 0,880). Os dados de equilíbrio não puderam ser finalizados até o presente momento, e por isso, não serão apresentados. Conclusão: Pode-se inferir que o protocolo de exercícios composto por alongamentos, exercícios miolinfocinéticos, e exercícios ativos livres (grupo controle) apresenta influência similar ao protocolo de exercícios de fortalecimento do tronco e assoalho pélvico (grupo experimental) sobre o desfecho de CI. E, apesar de as variáveis cinemáticas de marcha não terem demonstrado diferenças significativas, a correlação encontrada entre a variável de CI e a mobilidade autorreferida dos pacientes demonstra a interação existente entre os sintomas motores e não-motores desses indivíduos.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Alterations present in trunk region seem to be related to symptoms of motor and non-motor nature, such as postural balance, gait and intestinal constipation (IC) in individuals with Parkinson's disease (PD); however, few studies have used physical exercises directed at this region. Objective: To evaluate the effects of a home-based exercise program on motor and non-motor symptoms of individuals with PD. Methodology: randomized controlled clinical trial, with a sample of 28 individuals with PD who presented symptoms of IC, deficits in postural balance and gait. Sample was randomly distributed into Experimental Group (EG, n = 14) and Control Group (CG, n = 14). Participants were assessed for outcome measures: bowel function - The Bowel Function in the Community and Bristol Scale; gait variables - Qualisys Motion Capture System®; variables of postural balance, through a force platform, and quality of life - Parkinson Disease Questionnaire-39 - PDQ-39. The protocol was carried out daily for three consecutive weeks. Control group performed simple activities: diaphragmatic breathing; stretching of the main muscle groups of the upper and lower limbs; myolymphokinetic exercises on the feet; and active exercises free of upper limbs. The EG performed the exercise protocol focused on the trunk region: abdominal strengthening; strengthening of the erector muscles of the spine; pelvic tilt exercises; and contraction of the pelvic floor muscles. Data analysis was performed using Analysis of Variance (ANOVA) mixed with repeated measures to compare outcome measures between groups and between initial assessment, reassessment and follow-up. Correlation tests were applied between the non-motor variable “IC” and motor variables “postural balance” and “gait”. The level of significance adopted was 5%. Results: Article 1 - Data from the The Bowel Function in the Community questionnaire did not show significant interaction time * group (F = 0.235; P = 0.746), with a difference in the outcome over time (F = 6.576; P = 0.005), with reduced scores in both groups, indicating improvement in the IC outcome. For the General Intestinal Habit, there was no time * group interaction (F = 0.396; P = 0.688), and the data showed no change in the outcome over time (F = 0.526; P = 0.588). In the Bristol Scale, there was no time * group interaction (F = 0.611; P = 0.538), with no change in the outcome over time (F = 0.440; P = 0.635), demonstrating the maintenance of the feces consistency. In PDQ-39, there was no time * group interaction for this outcome (F = 0.452; P = 0.621), and there was no change in quality of life over time (F = 0.376; P = 0.699). There was a moderate correlation between the questionnaire The Bowel Function in the Community and self-reported mobility (P = 0.032, r = 0.407). Article 2 - For gait speed, data showed that there was no significant interaction between time and group (F = 1.820; P = 0.179), with no change in the outcome over time (F = 0.207; P = 0.778). The same occurred for the outcomes: stride length (time * group: F = 0.179; P = 0.799; time: F = 0.694; P = 0.482); double support time (time * group: F = 2.483; P = 0.120; time: F = 0.612; P = 0.468); hip extension (time * group: F = 0.207; P = 0.800; time: F = 0.527; P = 0.583); knee range of motion (time * group: F = 1.810; P = 0.183; time: F = 2.243; P = 0.130); ankle range of motion (time * group: F = 4.153; P = 0.045; time: F =0.037; P = 0.880). Balance data could not be finalized, and therefore will not be presented. Conclusion: It can be inferred that the exercise protocol composed of stretches, myolymphokinetic exercises, and free active exercises (control group) has a similar influence to the protocol of exercises to strengthen the trunk and pelvic floor (experimental group) on the outcome of IC. And, although the kinematic gait variables did not show significant differences, the correlation found between the IC and the patients' self-reported mobility demonstrates the existing interaction between the motor and non-motor symptoms of these individuals.

9
  • MONAYANE GRAZIELLY LEITE MATIAS
  • Efeito de um programa de exercício funcional em grupo associado a ETCC na dor, desempenho funcional e qualidade de vida de pacientes com Fibromialgia: Estudo clínico randomizado, placebo-controlado e duplo-cego

  • Orientador : WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
  • SANDRA CRISTINA DE ANDRADE
  • ALEXANDRE HIDEKI OKANO
  • Data: 02/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • A fibromialgia (FM) é uma síndrome reumática caracterizada por dor corporal difusa e crônica, de aspecto multifatorial, associada a fadiga muscular, distúrbios de sono, alterações depressivas e de ansiedade. A FM exige um tratamento multidisciplinar, e devido a isso há estudos associando intervenções na tentativa de ter os efeitos potencializados. Recentemente foi investigado o efeito da associação de exercício aeróbio com a eletroestimulação trancraniana por corrente continua (ETCC) com efeitos positivos dessa associação. Entretanto, não tem sido investigada a associação da ETCC com o exercício funcional, o qual tem proporcionado redução de dor e melhora na funcionalidade nesses pacientes. Objetivo: Verificar o efeito do exercício funcional associado a ETCC na dor, desempenho funcional e qualidade de vida de pacientes com FM. Métodos: Trata-se de um ensaio clínico randomizado, placebo-controlado e duplo-cego composto por mulheres com diagnóstico clínico de FM divididas em dois grupos de forma aleatória em blocos: Grupo exercício com estimulação ativo (GEA) será submetido a exercício funcional e ETCC ativa e grupo exercício com estimulação placebo (GEP) que realizará exercício funcional e ETCC placebo. O programa de exercícios será realizado três vezes por semana durante oito semanas. A ETCC será realizada somente na primeira semana de exercício por 5 dias consecutivos (2mA, 20min, rampa On/0ff 30s, com anôdo na área M1 e cátodo na DLPFC). Serão realizadas avaliações pré (T1), durante a primeira semana (T2), imediatamente após a primeira semana (T3),  e após programa de exercício (T4) para: dor (Escala Visual Analógica-EVA e algometria), desempenho funcional (TC6M, teste sentar e levantar e avaliação isocinética) e qualidade de vida (FIQ, escala de depressão e de ansiedade) além da percepção global do efeito (GPE) e sensação prazer/desprazer. A análise estatística será realizada no programa SPPS 20.0. Será considerado um alfa (a) de 5% como significância estatística e um poder do teste (power) de 80%. Resultados e impactos esperados: Espera-se que a associação do exercício funcional com a ETCC ativa proporcione maior remissão da dor e consequentemente melhores índices de desempenho funcional e qualidade de vida quando comparado ao exercício e ETCC placebo. É possível ainda que a ETCC ativa possa potencializar os efeitos do exercício nos índices de depressão e ansiedade. Isso por sua vez, contribuiria positivamente no tratamento da FM no que se refere a aplicação de novas estratégias no controle dos sintomas.


  • Mostrar Abstract
  • Fibromyalgia (FM) is a rheumatic syndrome characterized by diffuse and chronic body pain, with a multifactorial aspect, associated with muscular fatigue, sleep disorders, depressive and anxiety disorders. FM requires multidisciplinary treatment, and because of this there are studies associating interventions in the attempt to have the effects potentiated. Recently, the effect of the association of aerobic exercise with direct current transcranial electrostimulation (tDCS) with positive effects of this association was investigated.  However, the association of tDCS with functional exercise has not been investigated, which has provided reduction of pain and improvement in the functionality in these patients. Objective: To verify the effect of functional exercise associated with CTEF on pain, functional performance and quality of life of patients with FM. Methods: This is a randomized, placebo-controlled, double-blind clinical trial of women with clinical diagnosis of FM divided into two groups in randomized blocks: Exercise group with active stimulation (GEA)  will undergo functional exercise and active tDCS and exercise group with placebo stimulation (GEP) who will perform functional exercise and placebo tDCS. The exercise program will be held three times a week for eight weeks. The tDCS will be performed only in the first week of exercise for 5 consecutive days (2mA, 20min, ramp On / 0ff 30s, with anode in the M1 area and cathode in the DLPFC). Evaluations will be pre-assessment (T1) will be performed during the first week (T2), immediately after the first week (T3), and after exercise program (T4) of: pain (EVA and algometry), functional performance (6MWT, sit and stand test and isokinetic evaluation) and quality of life (FIQ, depression and anxiety scale) as well as the overall perception of effect (GPE) and pleasure sensation / displeasure. Statistical analysis will be performed in the SPPS 20.0 program. It will be considered an alpha (a) of 5% as statistical significance and a power of the test (power) of 80%. Expected Results and Impacts: The association of functional exercise with active tDCS is expected to provide greater remission of pain and consequently better indices of functional performance and quality of life when compared to exercise and placebo tDCS. It is also possible that the active tDCS may potentiate the effects of exercise on the rates of depression and anxiety. This, in turn, would contribute positively to the treatment of FM in the application of new strategies in the control of symptoms.

10
  • SÂMARA RAQUEL ALVES GOMES
  • FATORES ASSOCIADOS À DOR LOMBAR EM PILOTOS DE AVIÕES DE CAÇA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA.

  • Orientador : JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANIEL TEZONI BORGES
  • EDGAR RAMOS VIEIRA
  • JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • Data: 05/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a dor lombar apresenta-se globalmente como uma sintomatologia de alta prevalência, incidência e recorrência, sendo considerado um problema de saúde pública. Em aviadores militares é uma condição comum e relaciona-se primariamente à atuação das altas forças de aceleração sobre a coluna e posicionamento inadequado na cabine de pilotagem. Como consequência, são frequentes as ausências no trabalho, diminuição da concentração e do desempenho durante o voo, mudanças na função no trabalho e receio nos aviadores quanto ao surgimento de patologias futuras. Objetivo: analisar os fatores associados à lombalgia em aviadores militares de caça da Força Aérea Brasileira (FAB). Métodos: trata-se de um estudo analítico observacional transversal composto por 30 pilotos de caça da FAB que serão submetidos à avalição composta pelos testes de força e resistência, mobilidade do tronco, avaliação postural, exame de ressonância magnética da coluna lombar e aplicação de questionários para a identificação de fatores clínicos associados. Os dados serão analisados no software SPSS 20.0, atribuindo-se nível de significância de 5%. A normalidade e homogeneidade das variâncias serão verificadas por meio dos testes de Kolmogorov-Smirnov e Levene, respectivamente e em seguida serão aplicados os testes estatísticos correspondentes para analisar a correlação e comparação dos dados.

     


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: low back pain is globally presented as a symptomatology of high prevalence, incidence and recurrence and is considered a public health problem. In military aviators, this is common condition and relates primarily to the high acceleration forces on the spinal  column and inadequate positioning in the cockpit. As a consequence, there are frequent absences at work, decreased concentration and performance during flight, changes in work function, and fear of aviators in the emergence of future pathologies. Objective: to analyze the risk factors associated with low back pain in fighter pilots of Air Brazilian Force (FAB). Methods: This is an observational, cross-sectional study of 30 FAB fighter pilots, who will be submitted to an evaluation consisting of strength and resistance tests and trunk mobility, postural evaluation, lumbar spine magnetic resonance imaging and questionnaires for the identification of clinical risk factors. The data will be analyzed in the software SPSS 20.0, with a level of significance of 5%. The normality and homogeneity of the variances will be verified by the Kolmogorov-Smirnov and Levene tests, respectively, and then the corresponding statistical tests will be applied to analyze the correlation and comparison of the data.

11
  • GIULIANA DE SOUZA SENA
  • Estratificação de risco prognóstico e fatores associados em pacientes encaminhados para a reabilitação cardíaca.

  • Orientador : SELMA SOUSA BRUNO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
  • NICOLE SOARES OLIVER CRUZ
  • SELMA SOUSA BRUNO
  • Data: 05/11/2020

  • Mostrar Resumo
  • As doenças cardiovasculares (DCV) alteram a capacidade física dos pacientes, além de contribuírem para o aumento de despesas com saúde. A reabilitação cardíaca (RC) é reconhecida como instrumento importante desse processo. No entanto, durante essa prática, os cardiopatas podem apresentar eventos adversos associados ao exercício. Diante disso, é indispensável realizar a estratificação de risco desses pacientes antes de iniciar o programa de RC. O objetivo do nosso estudo foi analisar o risco prognóstico e de eventos adversos de pacientes que foram tratados em programa de RC na Unidade de Reabilitação Cardíaca do Hospital Universitário Onofre Lopes – CORE/HUOL. Trata-se de um estudo retrospectivo com relação a estratificação de risco de pacientes encaminhados para RC no Setor de Reabilitação Cardíaca do Hospital Universitário Onofre Lopes – CORE HUOL. O risco cardiovascular foi analisado de acordo com a recomendação para TECP publicada pela AHA (2012), que estratifica as variáveis do TECP através de cores: verde (melhor prognóstico), amarelo, laranja e vermelho (pior prognóstico). Para essa classificação, utilizamos as variáveis dos testes de esforço pré e pós RC dos nossos pacientes. A análise estatística foi realizada através do software (IBM SPSS versão 22.0). A maioria da amostra foi classificada de forma didática como moderado risco pré-RC (78,6%) e pós-RC (64,3%), pois apresentaram uma maior quantidade de variáveis dos testes nas cores amarelo, laranja e vermelho. A média do VE/VCO2 slope foi 35,2±9,4, sendo estratificada na cor laranja. E esse valor reduziu significativamente para 33,6±6,8 após o período de RC (p<0,05), o que alterou a classificação para amarelo. O VO2 pico teve média maior que 20.0ml.kg-1.min-1, sendo classificado na cor verde. E apresentou correlação moderada e positiva com o tempo de teste tanto pré-RC (0,53/p=0,00) quanto pós-RC (0,60/p=0,01). Identificamos uma associação entre a estratificação da recuperação da FC e a presença de diabetes mellitus (p<0,05). Portanto, observamos que a maioria das variáveis classificadas nas cores amarelo, laranja e vermelho indica que nossos pacientes apresentam um risco progressivamente maior nos próximos anos. Além disso, a melhora na estratificação das variáveis após o período de RC indica a importância do nosso programa de exercício. E ao observarmos variáveis relacionadas com as métricas da estratificação utilizada, mostramos que outras variáveis devem ser consideradas durante a avaliação do risco do paciente cardiopata.


  • Mostrar Abstract
  • Cardiovascular diseases (CVD) alter the physical capacity of patients, besides contributing to increased health expenses. Cardiac rehabilitation (CR) is recognized as an important instrument of this process. However, during this practice, cardiac patients may present adverse events associated with exercise. Therefore, it is essential to perform the risk stratification of these patients before starting the CR program. The aim of our study was to analyze the prognostic risk and adverse events of patients who were treated in a CR program at the Cardiac Rehabilitation Unit of the Onofre Lopes University Hospital - CORE/HUOL. This is a retrospective study regarding risk stratification of patients referred for CR in the Cardiac Rehabilitation Unit of the Onofre Lopes University Hospital - CORE HUOL. Cardiovascular risk was analyzed according to the recommendation for CPET published by the AHA (2012), which stratified the variables of  CPET through colors: green (better prognosis), yellow, orange and red (worst prognosis). For this classification, we used the variables of the pre and post CR stress tests of our patients. Statistical analysis was performed using the software (IBM SPSS version 22.0). Most of the sample was didactically classified as moderate pre CR risk (78.6%) and post CR 

    (64.3%), because they presented a higher number of test variables in yellow, orange and red. The mean VE/VCO2 slope was 35.2±9.4, being stratified in orange. And this value significantly reduced to 33.6±6.8 after the CR period (p<0.05), which changed the classification to yellow. Peak VO2 had a mean higher than 20.0ml.kg-1.min-1, being classified as green. And it showed a moderate and positive correlation with the test time pre CR (0.53/p=0.00) and post CR (0.60/p=0.01). We identified an association between heart rate recovery stratification and the presence of diabetes mellitus (p<0.05). Therefore, we observed that most variables classified in yellow, orange and red indicate that our patients present a progressively higher risk in the coming years. In addition, the improvement in the stratification of variables after the CR period indicates the importance of our exercise program. And when we observed variables related to the stratification metrics used, we show that other variables should be considered during the risk assessment of the cardiopathic patient.

12
  • MARINA LYRA LIMA CABRAL FAGUNDES
  • Avaliação dos efeitos de dispositivos de reexpansão pulmonar em sujeitos com sequelas de AVC

  • Orientador : VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GERSON FONSECA DE SOUZA
  • JESSICA DANIELLE MEDEIROS DA FONSECA
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • Data: 18/11/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A espirometria de incentivo a volume (EIv) e a pressão expiratória positiva (PEP) são dois recursos fisioterapêuticos de baixo custo, fácil transporte e utilização e que promovem a expansão pulmonar nos sujeitos com sequela de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Ambos são utilizados para promover a reexpansão pulmonar, entretanto, ainda não foram estabelecidos os efeitos de um em relação ao outro e a utilização de ambos combinados nesse publico. Objetivo: Avaliar os efeitos de 3 protocolos de reexpansão pulmonar em pacintes com AVC submetidos a três protocolos de expansão pulmonar: a) Espirometria de Incentivo a Volume (EIv), b) Pressão Expiratória Positiva (PEP) e c) ambos dispositivos (PEP+EIv). Metodologia: Trata-se de um estudo observacional analítico onde foram incluídos indivíduos acometidos por episódio de Acidente Vascular Cerebral (AVC), há pelo menos três meses, de ambos os sexos, com idade superior a 18 anos. As avaliações ocorreram em dois dias, com um intervalo mínimo de uma semana. No primeiro dia, os participantes foram avaliados quanto à força da musculatura respiratória (PImáx e PEmáx) e função pulmonar (espirometria) bem como responderam o Mini Exame de Estado Mental (MEEM) e  a  National Institutes of Health Stroke Scale (NIHSS). A avaliação da variação dos volumes da parede torácica e seus compartimentos (caixa torácica pulmonar (CTp); caixa torácica abdominal (CTa) e abdome (AB)) foi realizada pela pletismografia optoeletrônica (POE) no segundo dia. A avaliação ocorreu em 3 etapas consecutivas: 2 minutos de repouso (respiração espontânea - QB), 2 minutos da técnica de intervenção randomizada (protocolo) e 2 minutos de recuperação. O tempo de descanso entre os dispositivos foi definido através da estabilização dos sinais vitais. O cálculo amostral foi realizado em um estudo piloto de 5 indivíduos, pelo volume corrente na parede torácica, com tamanho do efeito 1.09 e power de 0,90, totalizando 15 sujeitos para o estudo. Resultados: Foram analisados 18 indivíduos (12H), idade 56,11±12,28 anos. Apesar da variação de volume na parede torácica ter sido maior durante a utilização de PEP+EIv em comparação com os dispositivos isolados, não houve diferença significativa entre as válvulas para essas variáveis. Quando dividimos a caixa torácica em lados hemiparético e normoparético, existiu uma diferença significativa (p<0,05) analisando os lados hemipatáticos no compartimento caixa torácica pulmonar (CTp) entre PEP 0,24 [0,15-0,32] e EIv 0,37 [0,25-0,43]. A porcentagem de contribuição foi maior, comparando os hemitórax, no lado normoparético sendo estatisticamente significativo em PEP (19%) quando comparado ao lado hemiparético (14%). Além disso, na comparação apenas entre os lados acometidos, houve uma diferença estatística em CTp maior em EIv (22%) quando comparado aos outros dois dispositivos (PEP – 19%) e PEP+EIv – 20%) e em abdómen (AB), sendo maior na PEP (26%) quando comparado ao EIv (20%) e na PEP+EIv (24%) quando comparado ao EIv (20%). Na análise de assincronia, o estudo mostrou que existe um aumento no ângulo de fase <0.05 com a utilização dos protocolos PEP e PEP+EIv entre os momentos QB, válvula e válvula, recuperação, sem alteração no uso do EIv isolado. Além disso, foi obtido valores significativamento maiores em PEP+EIv comparados ao EIv na caixa torácica abdominal versus abdómen (θCTAxAB) e em PEP quando comparado a EIv em caixa torácica pulmonar versus abdómen (θCTPxAB). Conclusão: O uso da espirometria de incentivo a volume isolada apresentou efeitos superiores na reexpansão pulmonar e menor assincronia quando comparada ao uso associado com pressão expiratória positiva e uso da PEP isolada em pacientes Pós-AVC.



  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Volume incentive spirometry (VIs) and positive expiratory pressure (PEP) are two low-cost physiotherapeutic resources that are easy to transport and use and that promote pulmonary expansion in subjects after a stroke. Objective: To evaluate the effects of 3 pulmonary reexpansion protocols in stroke patients submitted to three pulmonary expansion protocols: a) Volume Incentive Spirometry (VIs), b) Positive Expiratory Pressure (PEP) and c) both devices (PEP + VIs ). Methodology: This is an observational analytical study that included individuals affected by an episode of stroke, for at least three months, of both sexes, aged over 18 years. The evaluations took place over two days, with a minimum interval of one week. On the first day, participants were assessed for respiratory muscle strength (MIP and MEP) and lung function (spirometry) as well as completing the Mini Mental State Examination (MMSE) and the National Institutes of Health Stroke Scale (NIHSS). The evaluation of the variation in the volumes of the chest wall and its compartments (ribcage pulmonary (RCp); ribcage abdominal (RCa) and abdomen (AB)) was performed by optoelectronic plethysmography (OEP) on the second day. The evaluation took place in 3 consecutive steps: 2 minutes of rest (spontaneous breathing - QB), 2 minutes of the randomized intervention technique (protocol) and 2 minutes of recovery. The rest time between the devices was defined by stabilizing vital signs. The sample calculation was performed in a pilot study of 5 individuals, by the tidal volume in the chest wall, with effect size 1.09 and power of 0.90, totaling 15 subjects for the study. Results: 18 individuals (12M), age 56.11 ± 12.28 years, were analyzed. Although the volume variation in the chest wall was greater when using PEP + VIs compared to isolated devices, there was no significant difference between the valves for these variables. When we divided the rib cage into hemiparetic and normoparetic sides, there was a significant difference (p <0.05) when analyzing the hemipathic sides in the ribcage pulmonary compartment (RCp) between PEP 0.24 [0.15-0.32] and VIs 0.37 [0.25-0.43]. The percentage of contribution was higher, comparing the hemithorax, on the normoparetic side, being statistically significant in PEP (19%) when compared to the hemiparetic side (14%). In addition, when comparing only the affected sides, there was a statistical difference in RCp greater in VIs (22%) when compared to the other two devices (PEP - 19%) and PEP + VIs - 20%) and in the abdomen (AB) , being higher in PEP (26%) when compared to VIs (20%) and in PEP + VIs (24%) when compared to VIs (20%). In the analysis of asynchrony, the study showed that there is an increase in the phase angle <0.05 with the use of the PEP and PEP + VIs protocols between the QB-valve and valve-recovery, with no change in the use of the isolated VIs. In addition, significantly higher values were obtained in PEP + VIs compared to VIs in the abdominal ribcage versus abdomen (θCTAxAB) and in PEP when compared to VIs in the pulmonary ribcage versus abdomen (θCTPxAB). Conclusion: The use of isolated volume incentive spirometry had superior effects on pulmonary reexpansion and less asynchrony when compared to the use associated with positive expiratory pressure and the use of isolated PEP in post-stroke patients.

Teses
1
  • LORENNA RAQUEL DANTAS DE MACEDO BORGES
  • ATIVIDADE CORTICAL E DESEMPENHO MOTOR DURANTE A APRENDIZAGEM DE UM JOGO VIRTUAL EM PACIENTES COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL

  • Orientador : TANIA FERNANDES CAMPOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TANIA FERNANDES CAMPOS
  • SILVANA ALVES PEREIRA
  • LUCIANA PROTASIO DE MELO
  • PEDRO JOSE MADALENO PASSOS
  • SUELLEN MARY MARINHO DOS SANTOS ANDRADE
  • Data: 19/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • As sequelas decorrentes do Acidente Vascular Cerebral (AVC) indicam a necessidade de intervenções que favoreçam a recuperação funcional desses pacientes. Objetivo: Este estudo teve como objetivo avaliar a atividade cortical e o desempenho motor durante a aprendizagem de um jogo de realidade virtual em pacientes com AVC. Método: Participaram do estudo 12 pacientes, sendo 6 com lesão cerebral esquerda (PE), com idade média de 54,1 anos (± 9,4) e 6 com lesão à direita (PD), com idade média ± 50,6 anos (± 5,8) e 12 indivíduos saudáveis que ativaram o hemisfério cerebral esquerdo (SE) e o direito (SD). Os participantes foram submetidos a uma avaliação eletroencefalográfica ao realizar um treino com 3 blocos de 5 tentativas do jogo de dardos virtual (XBOX Kinect). O desempenho no jogo foi registrado através das medidas de erro absoluto (EA), constante (EC) e variável (EV). Os dados foram analisados através da ANOVA com teste post hoc de Tukey. Resultados: O grupo PE teve menor potência de alfa em AF3 (córtex pré-frontal esquerdo) (p=0,031) e o grupo PD em T8 (córtex temporal direito) (p=0,038). Quanto à onda beta, evidenciou-se menor potência em FC5 (córtex pré-frontal esquerdo) (p=0,001), e maior potência em P7 (área sensorial esquerda) (p=0,010) para o grupo PE. Os pacientes mostraram maiores valores de EA e EC do que os saudáveis (p=0,015). Conclusão: O comportamento da ativação cortical e do desempenho motor sugerem benefícios do jogo com realidade virtual ao estimular a aprendizagem motora, principalmente nos pacientes com lesão cerebral direita.  É possível que os pacientes com lesão cerebral esquerda  precisem de mais tempo de terapia de exposição à realidade virtual para intensificar a plasticidade cerebral e a aprendizagem motora.


  • Mostrar Abstract
  • Post-stroke sequelae indicate the need for interventions that favor the functional recovery of these patients. Objective: This study aimed to assess cortical activity and motor performance during the learning of a virtual reality game in stroke patients. Method: 12 patients participated in the study, 6 with left brain injury (LP), mean age 54.1 years (± 9.4) and 6 with right injury (RD), mean age ± 50.6 years (± 5.8) and 12 healthy individuals who activated the left (LH) and right (RH) hemispheres. Participants underwent an electroencephalographic evaluation when performing training with 3 blocks of 5 attempts of the virtual darts game (XBOX Kinect). Game performance was recorded using absolute (AE), constant (CE) and variable (VE) error measures. Data were analyzed using ANOVA with Tukey's post hoc test. Results: LP group had lower alpha potency in AF3 (left prefrontal cortex) (p = 0.031) and RP group in T8 (right temporal cortex) (p = 0.038). As for beta wave, there was less power in FC5 (left prefrontal cortex) (p = 0.001), and more power in P7 (left sensory area) (p = 0.010) for LP group. Patients showed higher AE and CE values than healthy ones (p = 0.015). Conclusion: The behavior of cortical activation and motor performance suggest the benefits of playing with virtual reality in stimulating motor learning, especially in patients with right brain injury. Perhaps patients with left brain injury need more time of exposure to virtual reality therapy to intensify brain plasticity and motor learning.


2
  • JACILDA OLIVEIRA DOS PASSOS
  • ANÁLISE DA COERÊNCIA DE ATIVAÇÃO CORTICAL DE PACIENTES COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL SUBMETIDOS A UM JOGO DE REALIDADE VIRTUAL


  • Orientador : TANIA FERNANDES CAMPOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TANIA FERNANDES CAMPOS
  • ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
  • JULIO CESAR PAULINO DE MELO
  • ANA AMÁLIA TORRES SOUZA GANDOUR DANTAS
  • SUELLEN MARY MARINHO DOS SANTOS ANDRADE
  • Data: 19/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • As disfunções motoras decorrentes do Acidente Vascular Cerebral (AVC), sobretudo as que envolvem o membro superior (MS), comprometem a independência dos pacientes. Em virtude disso, o uso da Realidade Virtual (RV) pode ser uma intervenção importante para a recuperação desses indivíduos. Objetivo: Analisar a coerência da ativação cortical de pacientes com AVC submetidos à um jogo de realidade virtual. Método: Participaram do estudo 12 pacientes, sendo 6 com lesão cerebral esquerda (PE), com idade média de 54,1 anos (± 9,4) e 6 com lesão à direita (PD), com idade média ± 50,6 anos (± 5,8) e 12 indivíduos saudáveis que ativaram o hemisfério cerebral esquerdo (SE)  e o direito (SD). Todos os participantes realizaram 15 tentativas do jogo de dardos do Kinect Sports no Xbox 360º Kinect. Foram registrados sinais de EEG pelo Emotiv EPOC e o desempenho motor pela pontuação do jogo. O sinal bruto do EEG foi processado no Matlab, através da análise de coerência dos canais frontais (FC5, FC6) e parietais (P7, P8), nos ritmos alfa e beta e foi calculado o erro absoluto para o desempenho motor. A análise estatística foi realizada através da ANOVA, com teste post hoc de Tukey. Resultados: Analisando o ritmo alfa, não houve diferença significativa entre pacientes e saudáveis na coerência das áreas motoras primárias (FC5-FC6), motora primária e parietal esquerda (FC5-P7) e motora primária esquerda e parietal direita (FC5-P8). Quanto à coerência na área motora primária direita e parietal esquerda (FC6-P7) o grupo PD apresentou valores menores do que o grupo SD (p=0,002). Em FC6-P8, o grupo PE teve maior coerência do que o grupo SE (p=0,035) e em P7-P8 os valores de coerência do grupo PE foram maiores do que SE (p=0,0001) e do grupo PD menores que SD (p=0,0001). No ritmo beta, os canais FC5-FC6, FC5-P7, FC5-P8, FC6-P7 e FC6-P8 não apresentaram diferença significativa na coerência de ativação cortical entre pacientes e saudáveis. Por outro lado, o canal P7-P8 demonstrou diferença entre os grupos, em que PD apresenta menor coerência que o SD (p=0,0001). Quanto ao desempenho motor, os pacientes não diferiram entre si, nem dos saudáveis do grupo SE. Conclusão: De acordo com os resultados, a lateralidade do hemisfério cerebral ativado interferiu no padrão de acoplamento neural dos pacientes. O aumento da coerência entre as áreas parietais foi um padrão de comportamento promovido pela realidade virtual, em todos os indivíduos submetidos ao jogo, porém o padrão de acoplamento neural distinto de cada grupo refletiu o potencial de reorganização das áreas corticais durante a exposição à jogos de realidade virtual.


  • Mostrar Abstract
  •  

    RESUMO

    As disfunções motoras decorrentes do Acidente Vascular Cerebral (AVC), sobretudo as que envolvem o membro superior (MS), comprometem a independência dos pacientes. Em virtude disso, o uso da Realidade Virtual (RV) pode ser uma intervenção importante para a recuperação desses indivíduos. Objetivo: Analisar a coerência da ativação cortical de pacientes com AVC submetidos à um jogo de realidade virtual. Método: Participaram do estudo 12 pacientes, sendo 6 com lesão cerebral esquerda (PE), com idade média de 54,1 anos (± 9,4) e 6 com lesão à direita (PD), com idade média ± 50,6 anos (± 5,8) e 12 indivíduos saudáveis que ativaram o hemisfério cerebral esquerdo (SE)  e o direito (SD). Todos os participantes realizaram 15 tentativas do jogo de dardos do Kinect Sports no Xbox 360º Kinect. Foram registrados sinais de EEG pelo Emotiv EPOC e o desempenho motor pela pontuação do jogo. O sinal bruto do EEG foi processado no Matlab, através da análise de coerência dos canais frontais (FC5, FC6) e parietais (P7, P8), nos ritmos alfa e beta e foi calculado o erro absoluto para o desempenho motor. A análise estatística foi realizada através da ANOVA, com teste post hoc de Tukey. Resultados: Analisando o ritmo alfa, não houve diferença significativa entre pacientes e saudáveis na coerência das áreas motoras primárias (FC5-FC6), motora primária e parietal esquerda (FC5-P7) e motora primária esquerda e parietal direita (FC5-P8). Quanto à coerência na área motora primária direita e parietal esquerda (FC6-P7) o grupo PD apresentou valores menores do que o grupo SD (p=0,002). Em FC6-P8, o grupo PE teve maior coerência do que o grupo SE (p=0,035) e em P7-P8 os valores de coerência do grupo PE foram maiores do que SE (p=0,0001) e do grupo PD menores que SD (p=0,0001). No ritmo beta, os canais FC5-FC6, FC5-P7, FC5-P8, FC6-P7 e FC6-P8 não apresentaram diferença significativa na coerência de ativação cortical entre pacientes e saudáveis. Por outro lado, o canal P7-P8 demonstrou diferença entre os grupos, em que PD apresenta menor coerência que o SD (p=0,0001). Quanto ao desempenho motor, os pacientes não diferiram entre si, nem dos saudáveis do grupo SE. Conclusão: De acordo com os resultados, a lateralidade do hemisfério cerebral ativado interferiu no padrão de acoplamento neural dos pacientes. O aumento da coerência entre as áreas parietais foi um padrão de comportamento promovido pela realidade virtual, em todos os indivíduos submetidos ao jogo, porém o padrão de acoplamento neural distinto de cada grupo refletiu o potencial de reorganização das áreas corticais durante a exposição à jogos de realidade virtual.

     

    Background: Motor dysfunctions resulting from stroke, especially those involving the upper limb (MS), compromise patients' independence. Because of that, the use of Virtual Reality (VR) can be an important intervention for the recovery of these individuals. We analyzed the coherence of the cortical activation of stroke patients submitted to a virtual reality game. Methods: Twelve patients participated in the study, 6 with left brain injury (PE), with an average age of 54.1 years (± 9.4) and 6 with right injury (PD), with an average age of ± 50.6 years (± 5.8) and 12 healthy individuals who activated the left brain hemisphere (SE) and the right (SD). All participants made 15 attempts at the Kinect Sports darts game on the Xbox 360 Kinect. EEG signals were recorded by Emotiv EPOC and motor performance by the game score. The raw EEG signal was processed in Matlab, through the coherence analysis of the frontal (FC5, FC6) and parietal (P7, P8) channels, in alpha and beta rhythms and the absolute error for motor performance was calculated. Statistical analysis was performed using ANOVA, with Tukey's post hoc test. Results: Analyzing the alpha rhythm, there was no significant difference between patients and healthy individuals in the coherence of the primary motor areas (FC5-FC6), left primary motor and parietal (FC5-P7) and left primary motor and right parietal motor (FC5-P8). As for consistency in the right primary motor area and left parietal area (FC6-P7), the PD group showed lower values than the SD group (p = 0.002). In FC6-P8, the PE group had greater coherence than the SE group (p = 0.035) and in P7-P8 the coherence values of the PE group were higher than SE (p = 0.0001) and the PD group were lower than SD (p = 0.0001). In the beta rhythm, the channels FC5-FC6, FC5-P7, FC5-P8, FC6-P7 and FC6-P8 did not present a significant difference in the cortical activation coherence between patients and healthy individuals. On the other hand, the P7-P8 channel showed a difference between the groups, in which PD presents less coherence than SD (p = 0.0001). As for motor performance, the patients did not differ from each other, nor from the healthy ones in the SE group. Conclusion: According to the results, the laterality of the activated cerebral hemisphere interfered in the patients' neural coupling pattern. The increase in coherence between the parietal areas was a pattern of behavior promoted by virtual reality, in all individuals submitted to the game, however the distinctive neural coupling pattern of each group reflected the potential for reorganization of the cortical areas during exposure to games virtual reality.

     

3
  • MARIANA CARMEM APOLINÁRIO VIEIRA
  • RELAÇÃO ENTRE HISTÓRIA REPRODUTIVA, DESEMPENHO FÍSICO E RISCO CARDIOVASCULAR EM MULHERES DE MEIA-IDADE E IDOSAS: UM ESTUDO TRANSVERSAL

     

  • Orientador : ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SILVIA LANZIOTTI AZEVEDO DA SILVA
  • ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
  • ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
  • MAYLE ANDRADE MOREIRA
  • SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
  • Data: 27/02/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução:  Durante o envelhecimento populacional tem-se o aumento do número de problemas de saúde associados a este evento, os quais podem estar relacionados com eventos do curso da vida, como a história reprodutiva.  Dentre eles, destaca-se o aumento da prevalência das doenças cardiovasculares e a diminuição do desempenho físico, as quais podem ser responsáveis pela redução da qualidade de vida e pelo aumento dos gastos com saúde. Objetivos: Analisar a relação entre história reprodutiva, risco cardiovascular e desempenho físico em mulheres de meia-idade e idosas. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo observacional, analítico, de caráter transversal e natureza epidemiológica. A população foi constituída por mulheres com idade entre 40 e 80 anos, residentes nos municípios de Parnamirim e Santa Cruz, Rio Grande do Norte. As variáveis de história reprodutiva (idade da menarca, idade materna no primeiro filho, paridade e situação menopausal) foram coletadas por meio do autorrelato. O desempenho físico foi mensurado pela Short Physical Performance Battery, teste de sentar e levantar e teste de equilíbrio unipodal de olhos abertos. O risco cardiovascular foi analisado por meio do Escore de Risco Cardiovascular de Framingham. Além disso, foram coletados dados sociodemográficos, socioeconômicos, índice de massa corporal, parâmetros bioquímicos e informações sobre a prática de atividade física das participantes. Em relação as análises estatísticas, no primeiro artigo foi realizada análise de regressão linear múltipla entre as variáveis que apresentaram p < 0,20 na análise bivariada e o Escore de Risco Cardiovascular Framingham. Para o segundo artigo foi realizada a análise de Regressão Linear Múltipla pra estimar a relação das variáveis do desempenho físico com o Escore de Risco Cardiovascular de Framingham, ajustada pelas covariáveis idade, anos de estudo e atividade física. Resultados: Quanto aos resultados do primeiro artigo, a cada acréscimo no número de filhos as mulheres aumentaram o Escore de Risco Cardiovascular de Framingham em 0,19 pontos (β = 0,199, p = 0,01). Além disso, aquelas que estavam na pós-menopausa apresentaram um aumento de 1,6 (β = -1,601, p = 0,002) no Escore de Risco Cardiovascular de Framingham. No segundo artigo, o risco cardiovascular permaneceu significativo para todas as variáveis de desempenho, nos quais as mulheres classificadas em alto risco cardiovascular apresentaram piores escores na SPPB (β = -0,325, IC 95% -0,643 : - 0,007), no teste de sentar e levantar (β= 0,697, IC 95% 0,030 : 1,364) e no equilíbrio de olhos abertos (β= -2,986, IC 95% -5,525 : -0,446), em relação aquelas classificadas em baixo risco cardiovascular. Conclusão: O presente estudo observou que as mulheres com maior paridade e que estavam na pós-menopausa apresentaram escores mais altos de risco cardiovascular. E aquelas com alto risco cardiovascular apresentaram pior função física. Dessa forma, a investigação destes fatores poderá servir para a implementação de novas estratégias para prevenção e reversão dos mesmos e, com isso, poderá reduzir o comprometimento físico e incapacidade em mulheres de meia-idade e idosas.


  • Mostrar Abstract
  •  

    Introduction: During population aging, there is an increase in the number of health problems associated with this event, which may be related to life-course events, such as reproductive history. Among them, there is an increase in the prevalence of cardiovascular diseases and a decrease in physical performance, which may be responsible for reducing the quality of life and increasing health costs. Objectives: To analyze the relationship between reproductive history, cardiovascular risk and physical performance in middle-aged and elderly women. Materials and Methods: This is an observational, analytical, cross-sectional study with an epidemiological nature. The population consisted of women aged between 40 and 80 years, living in the municipalities of Parnamirim and Santa Cruz, Rio Grande do Norte. The variables of reproductive history (age at menarche, age at first birth, parity and menopausal status) were collected through self-report.

    Physical performance was measured by the Short Physical Performance Battery, chair stand test and unipodal balance test with eyes open. Cardiovascular risk was analyzed using the Framingham Cardiovascular Risk Score. In addition, sociodemographic, socioeconomic data, body mass index, biochemical parameters and information on the participants' physical activity were collected. Regarding the statistical analyzes, in the first article, multiple linear regression analysis was performed between the variables that presented p <0.20 in the bivariate analysis and the Framingham Cardiovascular Risk Score. For the second article, the Multiple Linear Regression analysis was performed to estimate the relationship between the physical performance variables and the Framingham Cardiovascular Risk Score, adjusted by the covariables age, years of study and physical activity. Results: Regarding the results of the first article, with each increase in the number of children, women increased the Framingham Cardiovascular Risk Score by 0.19 points (β = 0.199, p = 0.01). In addition, those who were postmenopausal had an increase of 1.6 (β = -1.601, p = 0.002) in the Framingham Cardiovascular Risk Score. In the second article, cardiovascular risk remained significant for all performance variables, in which women classified as high cardiovascular risk had worse SPPB scores (β = -0.325, 95% CI -0.643: - 0.007), in the sit test and getting up (β = 0.697, 95% CI 0.030: 1.364) and in open eyes balance (β = -2.986, 95% CI -5.525: -0.446), in relation to those classified as low cardiovascular risk. Conclusion: The present study observed that women with high parity and who were in the post-menopause had higher scores for cardiovascular risk. And those with high cardiovascular risk had worse physical function. Thus, the investigation of these factors may serve to implement new strategies for their prevention and reversion and, with that, it may reduce physical impairment and disability in middle-aged and elderly women.

4
  • AMANDA SOARES FELISMINO SILVEIRA
  • EFEITOS DE UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO CARDÍACA NAS VARIÁVEIS INDEPENDENTES DO ESFORÇO MÁXIMO EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CRÔNICA.

  • Orientador : SELMA SOUSA BRUNO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANTONIO JOSÉ SARMENTO DA NÓBREGA
  • JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
  • NICOLE SOARES OLIVER CRUZ
  • SELMA SOUSA BRUNO
  • VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
  • Data: 02/03/2020

  • Mostrar Resumo
  • Os efeitos da Reabilitação Cardíaca (RC) em pacientes com insuficiência cardíaca (IC) crônica são avaliados por mudanças na captação de oxigênio no pico do esforço (VO2pico). No entanto, apresenta limitações, como a necessidade de exercício máximo, o que não é possível em pacientes severamente limitados. Dessa forma, outras variáveis por serem empregadas independentes do esforço máximo tem sido estudadas como o Liminar Anaeróbico - LA, relação entre o ventilação minuto e a produção de dióxido de carbono -VE/VCO2Slope, eficácia de consumo de oxigênio – OUES e Oscilação ventilatória – OV e para avaliar os efeitos do exercício físico, além do emprego dessas variáveis somadas a outras variáveis do TECP que possam ser usadas em conjunto e fornecer dados clínicos importantes sobre o paciente como a estratificação de risco. Objetivo: Avaliar os efeitos da RC nas variáveis independentes do esforço máximo (LA, VE/VCO2slope, OUES e a OV), estratificação de risco e do equivalente metabólico da tarefa em pacientes com IC crônica. . Materiais e métodos: Trata-se de uma análise retrospectiva composto por pacientes com IC crônica. Os indivíduos foram submetidos a uma avaliação clínica, espirométrica de cardiopulmonar. Em seguida foram submetidos a um protocolo de exercícios (aeróbicos e resistidos), 3 vezes/semana, por 12 semanas, sendo reavaliados ao final do período de RC. Resultados: Foram avaliados 45 pacientes com IC crônica com média de idade de 49,8±12,97 anos e Fração de Ejeção de 39,0±15,8%. Foi identificado um aumento de 2 min e 4 segundo (p<0,001) na sua média e 24,1% no MET. Quanto a análise metabólica tivemos crescimento de 18,3% no VO2pico após a RC, bem como aumento de 12,9 % VO2 no momento do LA e de 20,14% no OUES75%, além da redução da média do VE/VCO2slope e da presença de OV, o que gerou melhoria de estratificação de risco de 4 pacientes. Além disso, os resultados das curvas ROC mostraram que o OUES é capaz de identificar pacientes com IC crônica grave com diferentes capacidades aeróbicas (<ou>70% VO2predito) como o LA (ASC=0,865,p=<0.0001;ASC= 0,800, p= 0.002 respectivamente), além de não haver diferença significativa na comparação entre as curvas  de característica de operação do receptor (ROC). A análise da regressão identificou fatores cardiovasculares e pulmonares relacionados a ambas variáveis. Conclusão: Conclui-se que a RC com uma dose de exercício individualizada e reajustada sempre que necessário foi eficiente em melhorar a capacidade aeróbica e estratificação de risco do paciente com IC crônica e que as variáveis independentes do esforço máximo foram eficazes em identificar esses resultados. Logo, são uma alternativa para aqueles em que a avaliação do VO2pico pode estar prejudicada pela sua condição clínica. Dentre as variáveis independentes do esforço o OUES foi tão eficaz quanto o VO2LA para identificar pacientes com capacidades aeróbicas distintas.  Logo, as variáveis independentes do esforço são uma alternativa para aqueles em que a avaliação do VO2pico pode estar prejudicada pela sua condição clínica.

     


  • Mostrar Abstract
  • The effects of Cardiac Rehabilitation (CR) in patients with chronic heart failure (HF) are assessed by changes in oxygen uptake at peak effort (VO2peak). However, it has limitations, such as the need for maximum exercise, which is not possible in severely limited patients. In this way, other variables, since they are employed independent of the maximum effort, have been studied, such as the Anaerobic Limit - LA, relationship between minute ventilation and carbon dioxide production -VE / VCO2Slope, oxygen consumption efficiency - OUES and ventilatory oscillation - OV and to assess the effects of physical exercise, in addition to the use of these variables in addition to other TECP variables that can be used together and provide important clinical data about the patient such as risk stratification. Objective: To evaluate the effects of CR in the independent variables of maximum effort (LA, VE / VCO2slope, OUES and OV), risk stratification and the metabolic equivalent of the task in patients with chronic HF. . Materials and methods: This is a retrospective analysis composed of patients with chronic HF. The individuals underwent a clinical, spirometric cardiopulmonary evaluation. Then they were submitted to an exercise protocol (aerobic and resistance), 3 times / week, for 12 weeks, being reassessed at the end of the CR period. Results: 45 patients with chronic HF with a mean age of 49.8 ± 12.97 years and an Ejection Fraction of 39.0 ± 15.8% were evaluated. An increase of 2 min and 4 seconds (p <0.001) in its mean and 24.1% in MET was identified. Regarding the metabolic analysis, we had an increase of 18.3% in VO2peak after CR, as well as an increase of 12.9% VO2 at the time of LA and 20.14% in OUES75%, in addition to the reduction in the mean VE / VCO2slope and the presence of OV, which led to an improvement in the risk stratification of 4 patients. In addition, the results of the ROC curves showed that OUES is able to identify patients with severe chronic HF with different aerobic capacities (<or> 70% predicted VO2) such as LA (ASC = 0.865, p = <0.0001; ASC = 0.800, p = 0.002 respectively), and there is no significant difference in the comparison between the receiver operating characteristic (ROC) curves. The regression analysis identified cardiovascular and pulmonary factors related to both variables. Conclusion: It is concluded that the CR with an individualized dose of exercise and readjusted whenever necessary was efficient in improving the aerobic capacity and risk stratification of the patient with chronic HF and that the independent variables of the maximum effort were effective in identifying these results. Therefore, they are an alternative for those in whom the VO2peak assessment may be impaired by their clinical condition. Among the independent variables of effort, OUES was as effective as VO2LA to identify patients with different aerobic capacities. Therefore, effort-independent variables are an alternative for those in which VO2peak assessment may be impaired by their clinical condition.
5
  • THAIANA BARBOSA FERREIRA PACHECO
  • DESENVOLVIMENTO E USABILIDADE DE UM JOGO DIGITAL PARA REABILITAÇÃO DO EQUILÍBRIO POSTURAL DE IDOSOS

  • Orientador : FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
  • HELOISA MARIA JACOME DE SOUSA BRITTO
  • LUCIANA PROTASIO DE MELO
  • RUMMENIGGE RUDSON DANTAS
  • TANIA FERNANDES CAMPOS
  • Data: 20/04/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O processo de envelhecimento causa alterações fisiológicas que podem culminar em restrições na independência funcional devido, dentre outros fatores, a dificuldade em manter o equilíbrio postural e adaptar-se às demandas que lhes são impostas. Inúmeras abordagens terapêuticas têm priorizado a restauração ou manutenção do equilíbrio, destacando-se a terapia baseada na Realidade Virtual (RV). Nesse sentido, jogos sérios digitais vêm sendo desenvolvidos com o intuito de adequar o ambiente virtual às demandas terapêuticas e necessidades do paciente, refletindo positivamente na efetividade e usabilidade deste tipo de recurso. Objetivo: 1) Desenvolver uma revisão sistemática a fim de sumarizar as evidências do uso de jogos virtuais sérios e comerciais no treinamento de equilíbrio de idosos. 2) Desenvolver um jogo sério para treinamento de equilíbrio de idosos utilizando um sistema de captura de movimento de baixo custo. 3) Validar o conteúdo do jogo. 4) Testar, a partir de um estudo piloto, a aplicabilidade e o efeito do jogo sobre o equilíbrio e desempenho físico de idosos. Metodologia: Trata-se de um estudo que envolveu três tipos de modalidades metodológicas: 1) Revisão Sistemática; 2) Criação e validação de um modelo de utilidade (jogo digital) voltado para reabilitação do equilíbrio e 3) Estudo piloto do tipo experimental que envolveu 50 idosos. Os participantes do estudo piloto foram submetidos a avaliação do equilíbrio pela Escala de Equilíbrio de Berg (BBS) e do desempenho físico pela Short Physical Performance Battery (SPPB). A alocação dos participantes ocorreu de forma randomizada em grupo experimental ou grupo controle. O grupo experimental realizou um protocolo de intervenção utilizando o jogo digital desenvolvido pelos pesquisadores deste estudo, denominado VirtualTer (Virtual Therapy), 3 vezes por semana por duas semanas e duração de 20 minutos cada sessão.  O grupo controle recebeu uma cartilha com 5 exercícios baseados no protocolo Otago para serem realizados em casa com mesma duração e frequência que o grupo experimental. Ao final do período de intervenção, os participantes foram reavaliados, utilizando os mesmos procedimentos da avaliação inicial. Resultados: 1) Revisão Sistemática: 12 estudos comparando exergames com nenhuma intervenção foram incluídos. Um total de 1520 idosos participaram dos estudos, com média de idade de 76±6 nos grupos experimentais e 76±5 nos grupos controles. 03 estudos encontraram melhoras significativas no equilíbrio dos participantes considerando a BBS e oscilação do centro de pressão. 03 estudos encontraram melhoras na mobilidade, considerando o teste Timed up and Go, 30-second chair stand e o alternate step test. 2) Desenvolvimento do jogo: VirtualTer foi desenvolvido por uma equipe de fisioterapeutas e cientistas da computação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. O objetivo principal deste jogo sério foi promover treinamento do equilíbrio de idosos em um ambiente motivador e representativo. O VirtualTer utiliza o Kinect para captura de movimento em tarefas de marcha estacionária, alcance lateral e subida/descida de degrau, distribuídas em 03 fases com níveis de dificuldade distintos. 3) Validação: O conteúdo do jogo foi validado por onze especialistas (45,5% fisioterapeutas e 54,5% profissionais da área de ciência e tecnologia). O IVC total do jogo foi de 0,8 e o coeficiente de alpha de Cronbach foi de 0,92. 4) Estudo Piloto: Participaram do estudo piloto 50 idosos acima de 60 anos. O grupo que executou o VirtualTer apresentou diferenças significativas na análise intra-grupo para velocidade (p = 0,04) e trajetória total (p = 0,03) do CoP com olhos fechados. E ambos os grupos apresentaram melhora na pontuação da EEB e SPPB. Não houve diferenças significativas na comparação entre-grupos. Virtualter apresentou índice de satisfação de 71%, de acordo com a System Usability Scale. Conclusion: Embora melhorias significativas tenham sido observadas no grupo VirtualTer em análises intra-grupo, em duas semanas de intervenção, o VirtualTer não provocou mudanças significativas nos parâmetros relacionados ao equilíbrio postural e ao SPPB em comparação ao controle. Estudos futuros devem investigar se um período mais longo de intervenção pode ser eficaz.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Aging causes physiological changes that may compromise the adaptation to daily living demands, leading to restrictions on postural balance and their functional independence. A variety of therapeutic approaches have prioritized postural balance restoration or maintenance, highlighting the Virtual Reality-based therapies (VR). In this sense, serious games have been developed in order to adapt the virtual environment to the patient's therapeutic demands and needs, reflecting positively on the effectiveness and usability of this type of tool. Objectives: 1) To develop a systematic review aiming to summarize the evidence of the use of serious and commercial digital games on postural balance of the older adults; 2) Develop a serious game for balance training of older adults using a low cost motion capture system. 3) To perform a content validity of the game. 4) To test, in a pilot study, the applicability and the effect of the game on the balance and physical performance of older adults.  Methodology: This study involved three types of methodological modalities: 1) Systematic Review; 2) Development and validation of a utility model (digital game) for postural balance rehabilitation and 3) Pilot study with an experimental design with 50 older adults. The participants of the pilot study were subjected to a balance assessment by using a Force Plate and the Berg Balance Scale (BBS) and a physical performance assessment with the Short Physical Performance Battery (SPPB). Participants’ were ramdomly allocated in experimental or control group. The experimental group performed an intervention protocol using the digital game developed by the researchers of this study - called VirtualTer (Virtual Therapy), 3 times a week for two weeks and duration of 20 minutes each session. The control group received a booklet with 5 exercises based on the Otago protocol to be performed at home with the same duration and frequency as the experimental group. At the end of the intervention period, participants were reevaluated, using the same procedures as the initial assessment. Results: 1) Systematic Review - 12 studies comparing exergames with no intervention were included. A total of 1520 older adults were included in the studies, with a mean age of 76±6 in the experimental groups and 76±5 in control groups. 03 studies found significant improvements in balance considering the BBS and center of pressure oscillation. 03 studies found improvements in mobility, considering the Timed up and Go test, 30-second sit-to-stand test and the alternate step test. 2) Game development: VirtualTer was developed by a team of physiotherapists and computer scientists from Federal University of Rio Grande do Norte. The main objective of this serious game was to promote balance training for older adults in a motivating and representative environment. VirtualTer uses Kinect for motion capture in tasks involving stationary walk, lateral reaching, and go up and down steps, divided in 03 phases with different levels of difficulty. 3) Content Validity: The content of the game was validated by 11 specialists (45.5% physiotherapists and 54.5% science and technology professionals). The total CVI of the game was 0.8 and Cronbach's alpha coefficient was 0.924. 4) Pilot Study: Fifty older adults participated in the pilot study.  VirtualTer group showed statistically significant within-group differences for eyes close test on CoP velocity (p = 0,04) and CoP total trajectory (p = 0,03) and both groups showed significant increase in BBS and SPPB. No between-group difference was observed. Virtualter had 77.1% of satisfaction according to SUS. Conclusion: Although signifant improvments were observed in VirtualTer group in within-group analyses, in a 2-week intervention protocol VirtualTer does not significantly improve parameters related to postural balance and SPPB in comparison to control. Future studies should investigate whether longer period of intervention can be effective.

6
  • VICTOR HUGO BRITO DE OLIVEIRA
  • Fibrose cística: uma análise realizada sob diferentes aspectos

  • Orientador : PATRICIA ANGELICA DE MIRANDA SILVA NOGUEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GARDENIA MARIA HOLANDA FERREIRA
  • IVAN DANIEL BEZERRA NOGUEIRA
  • IVANIZIA SOARES DA SILVA
  • JOAO CARLOS ALCHIERI
  • PATRICIA ANGELICA DE MIRANDA SILVA NOGUEIRA
  • Data: 31/07/2020

  • Mostrar Resumo
  • Estudo 1: Efetividade e segurança do treinamento muscular inspiratório domiciliar em indivíduos com fibrose cística. Introdução: A fibrose cística é uma doença multissistêmica, porém com o comprometimento pulmonar como a principal causa de óbito. Objetivo: Investigar as repercussões de um treinamento muscular inspiratório domiciliar na postura, qualidade de vida e os possíveis efeitos adversos relatados pelos indivíduos com fibrose cística. Metodologia: Em um ensaio clínico controlado randomizado duplo cego (NCT03737630), pacientes de ambos os sexos com diagnóstico de fibrose cística confirmado pelo teste do suor foram submetidos à teste de função pulmonar, força muscular respiratória, avaliação postural, qualidade de vida e teste do degrau de três minutos. Depois disso, eles foram divididos em dois grupos (G40% e G20%). Para o protocolo de treinamento todos receberam um POWERBREATHE© e o grupo G40% treinou com 40% da carga da PImáx, com progressão de carga a cada semana e o G20% com 20% da carga da PImáx sem progressão de carga durante 4 semanas, 2x ao dia, 30 respirações. Depois de quatro semanas os indivíduos foram reavaliados. Os dados foram analisados através do SPSS 20.0, com nível de significância de 5%. O teste de Shapiro-Wilk foi utilizado e, de acordo com a distribuição dos dados, utilizou-se o teste t’ não pareado para comparar as médias entre os grupos. Resultados: Dez pacientes (6 homens e 4 mulheres) com média de idade de 19±3,2 anos foram avaliados. Houve uma redução significativa de 6,8 cm do ângulo T1/T2 da avaliação postural com intervalo de confiança de IC95%: 8,2 (0,01 – 16,3) e ganhos clínicos de CVF para ambos os grupos e VEF1 para o grupo G20%, considerando as respectivas diferenças clínicas minimamente importante (DCMIs). Nenhum efeito adverso importante foi relatado. As demais variáveis não apresentaram alterações clínicas e/ou significativas. Conclusão: O protocolo proposto por esse estudo não foi suficiente para gerar efeitos positivos em todas as variáveis, porém em razão da ausência dos efeitos adversos ele pode ser considerado seguro para ser executado a nível domiciliar.

     

    Estudo 2: Tradução, adaptação transcultural e avaliação das propriedades psicométricas do CF Stigma Scale Introdução: A experiência do estigma está presente em todas as fases da vida do indivíduo com fibrose cística, sendo necessário a disponibilidade de instrumentos que avaliem esse aspecto psicossocial. Entretanto, existem poucos desses instrumentos validados e adaptados para a língua portuguesa. Objetivo: Traduzir, fazer a adaptação transcultural e avaliar as propriedades psicométricas do instrumento Cystic Fibrosis (CF) stigma scale. Materiais e métodos: Estudo metodológico exploratório que envolveu o processo de tradução e adaptação transcultural por meio da da tradução, retrotradução, revisão por um comitê multiprofissional composto por 10 especialistas e 30 indivíduos com fibrose cística na fase pré-teste. Posteriormente, foram analisadas as propriedades psicométricas por meio da aplicação do instrumento adaptado em uma amostra de 52 indivíduos brasileiros acima de 18 anos e com fibrose cística. Foi feita uma avaliação do estigma por meio do CF stigma scale adaptado ao português, qualidade de vida genérico pelo The Short Form 12v2, ansiedade pelo The Generalized Anxiety Disorder Questionnaire e qualidade de vida específico para a fibrose cística pelo questionário de qualidade de de vida em fibrose cística e uma reavaliação 3 semanas depois. Os dados foram analisados por meio do software SPSS26.0, com nível de significância de 5%. A normalidade dos dados foi verificada pelo teste de Kolmogorov-smirnov. Dois tipos de confiabilidade foram contemplados no escore total e nas sub-escalas: a consistência interna utilizando o alpha de Cronbach e a confiabilidade testereteste utilizando teste t pareado e correlação de Pearson. Resultados: O processo de tradução e adaptação transcultural obteve índices kappa superiores à 0,61 na fase do comitê multiprofissional e variou entre 0,48 e 0,72 no pré-teste. A versão brasileira do CF Stigma Scale apresentou ótimas propriedades psicométricas: 1) Consistência interna: α=0.836 2) Testereteste: r=0.886, p<0.0001 3) Validade convergente de p=0.3. O escore do CF Stigma Scale correlacionou positivamente com a escala de ansiedade (r=0.384, p=0.005) e negativamente com os escores de qualidade de vida geral (r=-0.430, p=0.001) e específico para a fibrose cística (r=-0.484, p<0.001). Conclusão: O questionário CF Stigma Scale foi devidamente traduzido e adaptado para a realidade brasileira, que apresenta boas propriedades psicométricas, podendo ser utilizada no território brasileiro para futuros estudos envolvendo a experiência do estigma em pacientes com fibrose cística.


  • Mostrar Abstract
  • Abstract Estudo 1 Introduction: Cystic fibrosis is a multisystem disease, but with pulmonary
    involvement as the main cause of death. Objective: To investigate the repercussions of home
    inspiratory muscle training on posture, quality of life and the possible adverse effects reported by
    individuals with cystic fibrosis. Materials and methods: In a double-blind randomized controlled clinical
    trial (NCT03737630), patients of both sexes with a diagnosis of cystic fibrosis confirmed by the
    sweat test underwent pulmonary function test, respiratory muscle strength, postural assessment,
    quality of life and 3-minute step test. After that, they were divided into two groups (G40% and G20%).
    For the training protocol, everyone received a POWERBREATHE © and the G40% group trained with 40%
    of the MIP load, with load progression every week and the G20% with 20% of the MIP load without load
    progression for 4 weeks, 2x a day, 30 breaths. After four weeks, the individuals were reevaluated.
    The data were analyzed using SPSS 20.0, with a 5% significance level. The Shapiro-Wilk test was used
    and, according to the data distribution, the unpaired t ’test was used to compare the means between
    the groups. Results: Ten patients (6 men and 4 women) with a mean age of 19 ± 3.2 years were
    evaluated. There was a significant reduction of 6.8 cm in the T1 / T2 angle of postural assessment with
    a 95% confidence interval: 8.2 (0.01 - 16.3) and clinical FVC gains for both groups and FEV1 for the
    group G20%, considering the respective minimally important clinical differences (MCID). No major
    adverse effects have been reported. The other variables did not present clinical and / or significant
    changes. Conclusion: The protocol proposed by this study was not sufficient to generate positive
    effects on all variables, however due to the absence of adverse effects, it can be considered safe to
    be performed at home.


    Abstract estudo 2 Introduction: The experience of stigma is present in all stages of an individual's
    life with cystic fibrosis, requiring the availability of instruments to assess this psychosocial aspect.
    However, there are few of these instruments validated and adapted to the Portuguese language.
    Objective: Translate, make the cross-cultural adaptation and evaluate the psychometric properties
    of the Cystic Fibrosis (CF) stigma scale. Materials and methods: Exploratory methodological study
    that involved the process of translation and crosscultural adaptation through translation,
    back-translation, revision by a multiprofessional committee composed of 10 specialists and 30
    individuals with cystic fibrosis in the pre-test phase. Subsequently, the psychometric properties
    were analyzed through the application of the adapted instrument in a sample of 52 Brazilian
    individuals over 18 years old and with cystic fibrosis. A stigma assessment was carried out using
    the CF stigma scale adapted to Portuguese, generic quality of life by The Short Form 12v2, anxiety
    by The Generalized Anxiety Disorder Questionnaire and specific quality of life for cystic fibrosis by
    the quality of life questionnaire in cystic fibrosis and a reevaluation 3 weeks later. The data were
    analyzed using the SPSS26.0 software, with a significance level of 5%. The normality of the data
     was verified by the Kolmogorov-smirnov test. Two types of reliability were considered in the total
     score and in the subscales: internal consistency using Cronbach's alpha and test-retest reliability
     using paired t-test and Pearson's correlation. Results: The process of translation and cross-cultural
     adaptation obtained kappa indexes higher than 0.61 in the multiprofessional committee phase and
     varied between 0.48 and 0.72 in the pre-test. The Brazilian version of the CF Stigma Scale showed
     excellent psychometric properties: 1) Internal consistency: α = 0.836 2) Test-retest: r = 0.886,
    p <0.0001 3) Convergent validity of p = 0.3. The CF Stigma Scale score correlated positively with
     the anxiety scale (r = 0.384, p = 0.005) and negatively with the scores for general quality of life
     (r = -0.430, p = 0.001) and specific for cystic fibrosis (r = -0.484, p <0.001). Conclusion: The CF
     Stigma Scale questionnaire was properly translated and adapted to the Brazilian reality, which has
     good psychometric properties and can be used in the Brazilian territory for future studies involving
     the experience of stigma in patients with cystic fibrosis.






7
  • LARISSA RAMALHO DANTAS VARELLA
  • EFEITOS DA ELETROESTIMULAÇÃO TRANSCRANIANA POR CORRENTE CONTÍNUA SOBRE A DOR, CAPACIDADE FUNCIONAL SUBMÁXIMA E ESTADO DE HUMOR EM MULHERES COM DISMENORREIA PRIMÁRIA

  • Orientador : MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LICIA PAZZOTO CACCIARI
  • CLECIO GABRIEL DE SOUZA
  • ELIZABEL DE SOUZA RAMALHO VIANA
  • KÁTIA KARINA DO MONTE SILVA
  • MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • Data: 10/08/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A dismenorreia primária é uma condição crônica que afeta negativamente a vida da mulher em muitos aspectos sociais, emocionais e físicos. Até o momento a terapia medicamentosa e a termoterapia têm sido os meios mais eficazes para tratamento da dismenorreia, porém estes apresentam reações adversas indesejadas ou efeito local de pequena duração. A eletroestimulação transcraniana por corrente contínua é uma técnica de estimulação cortical não invasiva que promove  mudanças no funcionamento cerebral, e, parece ter bons efeitos sobre a dor e funcionalidade. Até o momento não há estudos dessa terapia em região de córtex pré frontal dorsolateral em pacientes com dismenorreia primária. Objetivos: Investigar o efeito da eletroestimulação por corrente contínua em região de córtex pré frontal dorsolateral (ETCCCPDL) sobre a dor, funcionalidade, humor e ansiedade em pacientes com dismenorreia primária. Como objetivos específicos destacam-se identificar, através de uma revisão sistemática, os recursos não farmacológicos utilizados para o tratamento da dismenorreia primaria e estabelecer protocolo de aplicação da ETCC para tratamento da dismenorreia primária. Métodos: Foram desenvolvidos dois estudos com métodos distintos, uma revisão sistemática e um ensaio clínico controlado, randomizado e cego. Para revisão sistemática foram realizadas buscas nas bases de dados, PubMed, LILACS, Ovid EMBASE, Scielo, CAPES,  IBECS, SCOPUS, SCIENCE DIRECT, entre os períodos de março a outubro de 2018 e foram considerados os estudos publicados nos últimos 10 anos. Utilizando as seguintes as combinações: “primary dysmenorrhea AND treatment” e “dysmenorrhea AND treatment”. Os critérios de inclusão foram: ensaios clínicos, apresentar no título e resumo abordagem de intervenção terapêutica conservadora não farmacológica para dismenorreia primária, ter dor como desfecho primário, limitar ou evitar o uso do fármaco durante a intervenção, amostras em humanos, apresentar análise quantitativa da dor. Foram excluídos estudos que: o texto não fosse escrito em língua inglesa, espanhola ou portuguesa, estivessem em duplicidade nas bases de dados e que abordassem a dismenorreia secundária. As buscas foram realizadas por dois pesquisadores independentes e os artigos foram avaliados e identificados inicialmente pelo título e posteriormente pelo resumo. Os estudos selecionados passaram por uma análise metodológica através da escala PEDro, realizada pelos dois autores, individualmente. Para o ensaio clínico, 26 voluntárias com dismenorreia primária foram randomizadas em dois grupos. O grupo ETCCCPDL recebeu a terapia por 5 dias consecutivos, enquanto o grupo Sham realizou o mesmo protocolo, porém a corrente foi ligada por um período de 30 segundos e em seguida desligada. A ETCC foi realizada em região de córtex pré-frontal dorsolateral, com intensidade de 2mA. As participantes dos dois grupos foram avaliadas em dois momentos: nas primeiras 24 horas do ciclo menstrual inicial (AV1), nas primeiras 24 horas do ciclo menstrual seguinte e após intervenção (AV2). Para avaliação dos desfechos primários dor e funcionalidade foram utilizados, respectivamente a escala numérica da dor e para funcionalidade foi usado o teste de caminhada de 6 minutos. Para os desfechos secundários afetividade e ansiedade foram usados, respectivamente, a escala de afeto positivo e negativo, a escala de avaliação de ansiedade de Hamilton. Resultados: Na revisão sistemática, foram identificados 14 artigos elegíveis, os quais abordavam técnicas de eletroacupuntura, acupuntura, acupressão, auriculoterapia, estimulação elétrica nervosa transcutânea, Yoga, exercícios isométricos, alongamentos, relaxamentos com respiração diafragmática, exercícios de assoalho pélvico e massagem tissular para o alívio da dor. No ensaio clínico não foi encontrada interação significativa entre intervenção e tempo no NRS [F(2,44) = 1,358, p = 0,26] e foi percebido um efeito significativo do tempo [F (2,44) = 4,446, p = 0,01] foi encontrado. O grupo ativo apresentou redução significativa da ansiedade (p = 0,03) com diferença média de 5,12 (IC95% 0,79 a 11,05). Não houve diferenças significativas entre afeto positivo e negativo (p = 0,95 ep = 0,15, respectivamente). Desempenho aeróbico submáximo foi significativamente maior no grupo ativo [F (2,21) = 5,591, p = 0,02], com média diferença de 70,87 (IC95% 8,53 a 133,21). Conclusão: Até o momento as técnicas utilizadas para tratamento da dismenorreia primária apresentam efeitos positivos na analgesia, sem aparente diferença entre elas. Elas parecem ser complementares entre si, no tratamento da dismenorreia primária e apresentam efeitos de pouca durabilidade. A ETCC em região de córtex pré-frontal dorsolateral aparece neste estudo como um recurso de efeito satisfatório sore a funcionalidade. Esta é eficaz na redução da ansiedade, melhora de humor e funcionalidade. Contudo, não apresenta efeito direto significativo sobre a dor. A aplicação de 2mA de corrente contínua, por 20 minutos durante 5 sessões consecutivas apresenta bom resultado. Porém, sugere-se analisar a possibilidade de alternância das sessões para melhorar a viabilidade clínica da terapia.


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Primary dysmenorrhea is a chronic condition that negatively affects women's lives in many social, emotional and physical aspects. So far, drug therapy and thermotherapy have been the most effective means of treating dysmenorrhea, but these have undesirable adverse reactions or short-term local effects. Transcranial direct current electrical stimulation (tDCS) is a non-invasive cortical stimulation technique that promotes changes in brain functioning, and seems to have good effects on pain and functionality. To date, there are no studies of this therapy on the dorsolateral prefrontal cortex in patients with primary dysmenorrhea. Objectives: The main objective is to investigate the effect of tDCS on the dorsolateral prefrontal cortex on pain, functionality, mood and anxiety in patients with primary dysmenorrhea. Secondary objectives include identifying, through a systematic review, the non-pharmacological resources used for the treatment of primary dysmenorrhea and establishing a protocol for the application of tDCS for the treatment of primary dysmenorrhea. Methods: Two studies were developed with different methods, a systematic review and a controlled, randomized, blinded clinical trial. For systematic review, searches were carried out in the databases, PubMed, LILACS, Ovid EMBASE, Scielo, CAPES, IBECS, SCOPUS, SCIENCE DIRECT, from March to October 2018. The studies published in the last 10 years were considered. Using the following combinations: “primary dysmenorrhea AND treatment” and “dysmenorrhea AND treatment”. Inclusion criteria were: clinical trials, presenting in the title and summary a non-pharmacological conservative therapeutic intervention approach for primary dysmenorrhea, having pain as the primary outcome, limiting or avoiding the use of the drug during the intervention, samples in humans, presenting quantitative analysis of ache. Studies were excluded if: the text was not written in English, Spanish or Portuguese, were duplicated in the databases and addressed secondary dysmenorrhea. The searches were carried out by two independent researchers and the articles were evaluated and identified initially by the title and later by the abstract. The selected studies underwent a methodological analysis using the PEDro scale, carried out by the two authors, individually. For the clinical trial, 26 volunteers with primary dysmenorrhea were randomized into two groups. The tDCS group received therapy for 5 consecutive days, while the Sham group performed the same protocol, but the current was turned on for a period of 30 seconds and then turned off. tDCS was performed in the dorsolateral prefrontal cortex, with an intensity of 2mA. Participants in both groups were assessed at two times: in the first 24 hours of the initial menstrual cycle (AV1), in the first 24 hours of the next menstrual cycle and after intervention (AV2). To evaluate the primary outcomes of pain and functionality, the numerical pain scale was used, respectively, and the 6-minute walk test was used for functionality. For the secondary outcomes, affectivity and anxiety, the positive and negative affect scale, the Hamilton anxiety rating scale, respectively. Results: In the systematic review, 14 eligible articles were identified, which addressed techniques of electroacupuncture, acupuncture, acupressure, auriculotherapy, transcutaneous electrical nerve stimulation, Yoga, isometric exercises, stretching, relaxation with diaphragmatic breathing, pelvic floor exercises and tissue massage for pain relief. In the clinical trial, no significant interaction between intervention and time was found in the NRS [F (2.44) = 1.358, p = 0.26] and a significant effect of time was noted [F (2.44) = 4.446, p = 0.01] was found. The active group showed a significant reduction in anxiety (p = 0.03) with a mean difference of 5.12 (95% CI 0.79 to 11.05). There were no significant differences between positive and negative affect (p = 0.95 and p = 0.15, respectively). Submaximal aerobic performance was significantly higher in the active group [F (2.21) = 5.591, p = 0.02], with a mean difference of 70.87 (95% CI 8.53 to 133.21). Conclusion: Until now, the techniques used to treat primary dysmenorrhea have positive effects on analgesia, with no apparent difference between them. They seem to be complementary to each other in the treatment of primary dysmenorrhea and have effects of little durability. tDCS in the dorsolateral prefrontal cortex region appears in this study as a resource with satisfactory effect on functionality. This is effective in reducing anxiety, improving mood and functionality. However, it has no significant direct effect on pain. The application of 2mA of direct current, for 20 minutes for 5 consecutive day sessions, presents a good result. However, it is suggested to analyze the possibility of alternating sessions to improve the clinical viability of the therapy.

     

8
  • KARINNA SONÁLYA AIRES DA COSTA OLIVEIRA
  • COMPARAÇÃO ENTRE TREINAMENTO SENSÓRIO MOTOR E DE FORTALECIMENTO MUSCULAR PARA INDIVÍDUOS COM SÍNDROME DA DOR SUBACROMIAL: ESTUDO RANDOMIZADO E CEGO

  • Orientador : JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANAMARIA SIRIANI DE OLIVEIRA
  • CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
  • JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • JOSÉ JAMACY DE ALMEIDA FERREIRA
  • MARCELO CARDOSO DE SOUZA
  • Data: 15/09/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a síndrome da dor subacromial é conhecida como uma compressão dos tecidos subacromiais, ocorrida sobretudo, pelo estreitamento deste espaço. Sua etiologia é ampla, entretanto, os desequilíbrios nas relações musculares e no tempo de ativação desses músculos podem influenciar no prognóstico funcional desses pacientes. Objetivo: comparar um protocolo de treinamento sensório motor com um de fortalecimento muscular em pacientes com síndrome da dor subacromial. Métodos: trata-se de um ensaio randomizado e cego, composto por 22 voluntários de ambos os gêneros, com idade média 48,9 ± 7,9 anos. Todos os voluntários foram submetidos a uma avaliação prévia (Av1) onde foram mensurados: dor, função (SPADI), amplitude de movimento, força muscular, relações das atividades eletromiográficas e cinemática do complexo do ombro. Após a avaliação inicial, os voluntários foram aleatoriamente divididos em dois grupos para a realização das intervenções: grupo fortalecimento muscular (GFM – exercícios de fortalecimento muscular, n=11) e grupo sensório motor (GSM – treino de controle motor, n=11). Os protocolos de intervenção foram realizados durante 8 semanas. Após quatro semanas de intervenção, foi realizado a segunda avaliação (AV2), idêntica a AV1, acrescentando-se, porém, o questionário de percepção de mudança global nesta e nas avaliações seguintes. Ao final dos protocolos de intervenção foi realizado a terceira avaliação (AV3) e por fim, um follow-up foi realizado após 4 semanas do final dos protocolos de intervenção. Análise Estatística: foi realizada por meio do software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 20.0 para Windows, seguindo os princípios da análise por intenção por tratar. Na análise descritiva utilizamos a média como medida de tendência central e o desvio padrão como medida de dispersão. Uma ANOVA de modelo misto foi realizada para as comparações intra e intergrupos. Resultados: ambos os grupos tiveram redução na sensação dolorosa. Ainda em relação a dor, no follow up, há diferença intergrupo para o grupo sensório motor, quando comparado ao grupo fortalecimento muscular. Para as variáveis SAPDI, amplitude de movimento articular, força muscular a relação da atividade eletromiográfica entre os músculos avaliados, não houve diferença entre os grupos. Na avaliação cinemática da rotação superior da escapula, os resultados mostraram diferenças intergrupo em 30 e 60 graus, com aumento dos escores para o grupo sensório motor. Conclusão: ambos os protocolos de intervenção produziram respostas clinicamente importantes para os pacientes com SIS, contudo, observou-se que no GSM os ganhos perduram por um maior tempo, quando comparado ao GE.



  • Mostrar Abstract
  • Introduction: the subacromial pain syndrome is known as a compression of the subacromial tissues, mainly due to the narrowing of this space. Its etiology is wide, however, imbalances in muscle relationships and in the time of activation of these muscles can influence the functional prognosis of these patients. Objective: The aim of this study was to compare a sensory motor training protocol with a muscle strengthening protocol in patients with subacromial pain syndrome. Methods: this is a randomized, blinded trial, composed of 22 volunteers of both genders, with a mean age of 48.9 ± 7.9 years. All volunteers are submitted to a previous evaluation (Av1) where they were measured: pain, function (SPADI), range of motion, muscle strength, relationship between electromyographic activities and kinematics of the shoulder complex. After the initial evaluation, the volunteers were randomly divided into two groups to perform the interventions: exercise group (GE - muscle strengthening exercises, n = 11) and motor sensory group (GSM - motor control training, n = 11). The intervention protocols were perfomed for 8 weeks. After four weeks of intervention, the second evaluation (AV2) was perfomed, identical to AV1, adding, however, the global change perception questionnaire in this and in the following evaluations. At the end of the intervention protocols, the third evaluations (AV3) was performed and, finally, a follow-up was performed 4 weeks after the end of the intervention protocols. Statistical Analysis: was performed using the Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) version 20.0 for Windows, following the principles of analysis by intention to treat. In the descriptive analysis we used the mean as a measure of central tendency and the standard deviation as a measure of dispersion. A mixed model ANOVA was performed for intra and intergroup comparisons. Results: both groups had a reduction in painful sensation. Still in relation to pain, at follow-up, there is an intergroup difference for the sensory motor group, when compared to the muscle strengthening group. For the SAPDI variables, range of motion, joint strength, muscle strength and the relationship between electromyographic activity between the evalueted muscles, there was no difference between the groups. In the kinematic evaluation of the upper scapular rotation, the results showed intergroup differences in 30 and 60 degrees, with increased scores for the sensory motor group. Conclusion: both intervention protocols produced clinically important responses for patients with SIS, however, it was observed that gains in GSM last for a longer time, when compared to GE.

9
  • RAFAEL LIMEIRA CAVALCANTI
  • EFEITOS DA TENS ASSOCIADA À CRIOTERAPIA NA DOR LOMBAR CRÔNICA NÃO ESPECÍFICA: ENSAIO CLÍNICO, RANDOMIZADO

  • Orientador : JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JAMILSON SIMOES BRASILEIRO
  • LIANE DE BRITO MACEDO
  • TULIO OLIVEIRA DE SOUZA
  • CIRO FRANCO DE MEDEIROS NETO
  • MARIANA ARIAS AVILA VERA
  • Data: 27/10/2020

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a Dor Lombar Crônica (DLC) não específica é um problema recorrente na população mundial. A associação entre a Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea (TENS) e a Crioterapia surge como uma opção no tratamento da sintomatologia dolorosa decorrente dessa disfunção. Objetivo: avaliar os efeitos da TENS Convencional e Burst, associadas ou não à crioterapia, na DLC não específica. Metodologia: ensaio clínico randomizado, realizado com 120 voluntários portadores de DLC não específica. Os sujeitos foram submetidos às avaliações da intensidade da dor e do limiar de dor à pressão na região lombar, na área paravertebral, ao nível das vértebras L3 e L5. Depois, foram aleatoriamente alocados em seis grupos (n=20 cada), com aplicação dos recursos durante 25 minutos: TENS placebo (PCB); TENS Burst (TB); TENS Convencional (TC); Crioterapia (CRIO); Crioterapia + TENS Convencional (CRIOTC); e 

    Crioterapia + TENS Burst (CRIOTB). As avaliações foram repetidas imediatamente e 25 minutos após as intervenções. Resultados: os grupos CRIOTC e CRIOTB apresentaram uma maior redução imediata na intensidade da dor lombar, em comparação aos demais grupos, sendo esse efeito mantido somente no grupo CRIOTB, após 25 minutos (p<0,05). Também verificou-se um aumento imediato no limiar de dor à pressão (L3 e L5) nos grupos TB, CRIOTC e CRIOTB, nas comparações intergrupos (p<0,05). Após 25 minutos, resultados semelhantes foram observados nos grupos TB e CRIOTB, em relação aos outros grupos (p<0,05). Conclusão: a associação da TENS Burst com a crioterapia mostrou-se mais efetiva e duradoura na redução da intensidade da dor e no aumento do limiar de dor à pressão na região lombar afetada, em indivíduos com DLC não específica.

     

     


  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Chronic Low Back Pain (CLBP) is a recurrent problem in the world population. The association between Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation (TENS) and Cryotherapy appears as an option in the treatment of painful symptoms caused by this dysfunction. Purpose: to evaluate the effects of Conventional and Burst TENS, associated or not with cryotherapy, on non-specific CLBP. Methods: this is a randomized clinical trial, where 120 volunteers with nonspecific CLBP were recruited. The subjects were submitted to pain intensity and pressure pain threshold evaluations on the lumbar region, in the paravertebral area, at L3 and L5 vertebrae levels. Then, they were randomly allocated to six groups (n = 20 each), with application of resources for 25 minutes: placebo TENS (PCB); Burst TENS (BT); Conventional TENS (CT); Cryotherapy (CRYO); Cryotherapy + Conventional TENS (CRYOCT); and Cryotherapy + TENS Burst (CRYOBT). The evaluations were repeated immediately and 25 minutes after the interventions. Results: the CRIOCT and CRIOBT groups showed a greater immediate reduction in the intensity of low back pain, compared to the other groups, and this effect was maintained only in the CRIOBT group, after 25 minutes (p <0.05). There was also an immediate increase in the pressure pain threshold (L3 and L5) in the BT, CRIOCT and CRIOBT groups, considering intergroup comparisons (p<0.05). After 25 minutes, similar results were found in the BT and CRIOBT groups, compared to the other groups (p<0.05). Conclusion: the association of Burst TENS with cryotherapy seemed to be more effective and lasting in reducing pain intensity and increasing the pain pressure threshold, in individuals with non-specific CLBP.

2019
Dissertações
1
  • SUSANN KELLY DAMIÃO DO REGO E SILVA ANDRADE
  •  Capacidade funcional de idosos com DOENÇA de Alzheimer

  • Orientador : JULIANA MARIA GAZZOLA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JULIANA MARIA GAZZOLA
  • TATIANA SOUZA RIBEIRO
  • FÁBIO HENRIQUE DE GOBBI PORTO
  • Data: 15/02/2019

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Doença de Alzheimer (DA) é a mais comum entre os idosos e representa 60% das demências diagnosticadas. Muitas investigações foram conduzidas sobre as sequelas cognitivas da DA, mas poucas se concentraram na extensão em que as deficiências nas habilidades cognitivas se traduzem em dificuldades na realização de atividades diárias. Objetivo: Verificar os fatores relacionados ao prejuízo da capacidade funcional e suas influências em relação aos dados sócio demográficos, clínicos, de estadiamento, mobilidade, equilíbrio postural e cognitivos de idosos com Doença de Alzheimer (DA). Métodos: Trata-se de um estudo observacional, analítico, de caráter transversal realizado em Natal-/RN. Participaram 40 idosos com idade igual ou superior a 60 anos com Doença de Alzheimer na fase Leve (CDR1) ou moderada (CDR2), com deambulação independente. Foram utlizados os instrumentos: questionário para avaliação de dados sociodemográficos e antropométricos; Mini-Exame de Estado de Saúde Mental (MEEM); Teste do desenho do Relógio (TDR);  Teste de Fluência Verbal (TFV) Timed Up and Go Test (TUG) e Clinical Test of Sensory Organization and Balance (CTSIB). Foram realizadas análises descritivas simples, teste de Man Witney, teste de Correlação de Spearman, modelo de regressão linear e equação de predição (p<0,05 e IC de 95%). Resultados: A mediana etária da amostra caracterizou-se por 80 anos; destacou-se a maioria feminina (77,5%), A capacidade funcional apresentou mediana de 22,5 e a maioria apresentou desequilíbrio postural (62,5%), segundo o CTSIBForam gerados oito modelos de regressão linear e foi escolhido o último para a análise, pelo método “retroceder” e elaborada a equação de predição e possíveis interpretações. As variáveis assumidas nesse modelo citado foram: CDR, Fluência verbal e CTSIB. Estas variáveis explicam 60,1% do desfecho. Conclusão: O prejuízo da capacidade funcional de idosos com DA é fortemente influenciado pelo avançar da doença, pelas alterações de linguagem e funções executivas e o déficit do equilíbrio postural.


  • Mostrar Abstract
  •  

    Introduction: Alzheimer's disease (DA) is the most common among the elderly and represents 60% of the dementias diagnosed. Many investigations were conducted on the cognitive sequelae of DA, but few concentrated on the extent to which deficiencies in cognitive abilities are reflected in difficulties in performing daily activities. Objective: To verify the factors related to impairment of functional capacity and its influences in relation to socio-demographic, clinical, staging, mobility, postural and cognitive balance of elderly with Alzheimer's disease (DA). Methods: This is an observational, analytical, cross-sectional study conducted in Natal-/rn. Participants were 40 elderly individuals aged 60 years or older with Alzheimer's disease in the mild (CDR1) or moderate (CDR2) phase, with independent ambulation. The instruments were utilized: questionnaire for the evaluation of sociodemographic and anthropometric data; Mini Mental Health Examination; Clock drawing test (TDR);  Verbal fluency Test (TFV) Timed Up and Go test (TUG) and Clinical test of Sensory Organization and Balance