Banca de DEFESA: LUIZ EDUARDO LIMA DE ANDRADE

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUIZ EDUARDO LIMA DE ANDRADE
DATA : 17/12/2021
HORA: 09:00
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO:

Mapeamento e comparação de instrumentos para rastreio e estratificação do idoso comunitário frágil


 


PALAVRAS-CHAVES:

Fragilidade, envelhecimento, idoso comunitário, atenção primária em saúde, idoso frágil



PÁGINAS: 134
RESUMO:

Introdução: A fragilidade em idosos representa um estado de vulnerabilidade fisiológica relacionada à idade, produzida pela diminuição da reserva homeostática e da capacidade do organismo de enfrentar um número variado de desfechos negativos de saúde. Reconhecer precocemente essa síndrome é importante, uma vez que identifica idosos com maior risco de desfechos desfavoráveis. Objetivo: Mapear na literatura instrumentos válidos para rastreio e estratificação do idoso comunitário frágil, além de compará-los para saber qual a melhor opção Metodos: Artigo 1 - Trata-se de uma revisão de escopo realizado por meio da busca de instrumentos disponíveis na literatura para avaliação e estratificação da fragilidade em idosos comunitários. As pesquisas foram realizadas em 5 bases de dados Medline, LILACS, Scopus, Web of Science e CINAHL, com a seguinte estratégia de busca: frail OR frailty AND “independent living” OR “community dwelling” AND aging OR elderly AND “Observational Study”. Também foi realizada uma busca na literatura cinzenta a fim de identificar estudos adicionais relevantes. Os dados foram apresentados e analisados de forma descritiva. Artigo 2 – Trata-se de um estudo metodológico para avaliar a validade discriminativa dos instrumentos Vulnerable Elderly Survey-13 (VES-13) e Índice de Vulnerabilidade Clínico Funcional-20 (IVCF-20) comparado ao Fenótipo de Fragilidade. Foi realizado com idosos comunitários com idade a partir de 60 anos, de ambos os sexos, residentes em Parnamirim, na região nordeste do Brasil. A comparação dos grupos frágil e não-frágil, identificados por meio do Fenótipo de Fragilidade, foi analisada pelo teste t de Student e tamanho do efeito para cada escore dos instrumentos. Para averiguar a correlação entre os três instrumentos foi realizada a correlação de Pearson. A validade discriminativa foi testada por meio da análise da curva ROC, além do cálculo da acurácia dos instrumentos. Resultados: Artigo 1 - 55 estudos foram selecionados para análise final desta pesquisa. Foram analisados 17 instrumentos, sendo os critérios de fragilidade de Fried o método mais utilizado, estando presente em 25 estudos (45,5%). Em relação aos domínios de avaliação, 6 instrumentos avaliam apenas questões físicas, quatro avaliam questões físicas, psicológicas e sociais, e os demais instrumentos possuem mais de três domínios de avaliação da fragilidade. Artigo 2 - Foram avaliados 732 idosos, dentre os quais 17,1% apresentavam-se como frágeis segundo o Fenótipo de Fragilidade. A correlação de Pearson encontrada entre o Fenótipo de Fragilidade e o IVCF-20 foi 0,53 (p<0,001), já para o VES-13, esse valor foi de 0,42 (p-valor<0,001). A diferença das médias dos grupos frágil e não-frágil nos escores do VES-13 e IVCF-20 com o Fenótipo foram significativas (p<0,001), com tamanho do efeito de 0,95 e 1,26 respectivamente. Os instrumentos se mostraram válidos para discriminar idosos frágeis de não-frágeis (p<0.001), o IVFC-20 apresentou uma AUC de 0,81 e o VES-13 de 0,75. Conclusões: A avaliação da fragilidade em idosos comunitários pode ser realizada por diversos instrumentos. A revisão de escopo serve como guia norteador para os profissionais da área de geriatria, demonstrando 17 instrumentos aplicáveis ao contexto dos idosos comunitários, apontando vantagens e desvantagens na decisão sobre o instrumento a ser utilizado. Os instrumentos VES-13 e IVCF-20 apresentam boa validade discriminativa para avaliação da fragilidade em idosos comunitários, sendo melhores para identificar idosos frágeis do que não frágeis. Na comparação destas ferramentas, o IVCF-20 demonstrou ser melhor que o VES-13.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1460020 - ALVARO CAMPOS CAVALCANTI MACIEL
Externa à Instituição - DANIELE SIRINEU PEREIRA - UFMG
Externo à Instituição - DIEGO DE SOUSA DANTAS - UFPE
Externo ao Programa - 1674532 - DIMITRI TAURINO GUEDES
Interna - 3885543 - SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
Notícia cadastrada em: 07/12/2021 15:41
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao