Banca de DEFESA: LEONILDO SANTOS DO NASCIMENTO JUNIOR

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LEONILDO SANTOS DO NASCIMENTO JUNIOR
DATA : 11/03/2021
HORA: 13:00
LOCAL: Vídeo Conferência
TÍTULO:

Lesões musculoesqueléticas em trabalhadores da indústria: análise dos fatores relacionados à concessão de auxílio-doença e efetividade de intervenções ergonômicas para controle da dor


PALAVRAS-CHAVES:

Ergonomia; Indústria; Saúde Ocupacional; Seguridade Social


PÁGINAS: 85
RESUMO:

Os trabalhadores da indústria são afetados, com elevada frequência, por doenças musculoesqueléticas que podem estar relacionadas ao trabalho e que tem a dor como principal sintoma. Essas doenças podem conduzir a incapacidade laboral e ao afastamento do trabalho que, em combinação com a concessão de benefícios sociais, levam a um aumento das despesas públicas com seguridade social e saúde. Frente ao exposto, intervenções ergonômicas tem sido desenvolvidas no ambiente de trabalho com o intuito de controlar os sinais e sintomas das lesões que englobam os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Para esta tese de Doutorado foram realizados dois estudos, cujos objetivos foram: 1) Analisar os fatores que se relacionam à concessão de diferentes tipos de benefícios a trabalhadores afastados por DORT; 2) Investigar os efeitos de intervenções ergonômicas no ambiente de trabalho com o objetivo de reduzir os efeitos da dor sobre os trabalhadores da indústria. O estudo 1 trata-se de um estudo retrospectivo transversal com abordagem quantitativa. Foram usados os dados das fichas de avaliação dos trabalhadores da indústria admitidos em um Centro de Referência em Saúde do Trabalhador afastados por terem o diagnóstico de DORT. Foi conduzida análise estatística descritiva e a regressão logística foi utilizada para estimar os fatores que se relacionam ao tipo de auxilio concedido ao trabalhador. Foram avaliados 108 prontuários de trabalhadores da indústria, onde 56,5% receberam o auxílio doença acidentário (B-91). A maioria na amostra são mulheres (72,2%) oriundas da indústria com demanda leve de trabalho (95,4%) e o ombro foi o segmento acometido com maior frequência (85,2%). Os fatores relacionados à concessão de auxílio-doença previdenciário foram a realização de exame demissional (OR = 0.22) e trabalho anterior com exposição a risco químico (OR = 0.21) e para a concessão de auxílio-doença acidentário foram o tempo na ocupação atual (OR=1.01), o trabalho com flexão da coluna cervical (OR = 4.68), a participação no programa de reabilitação do Instituto Nacional de Seguridade Social (OR = 31.27) e encaminhamento para interconsulta com especialistas (OR = 3.10). O estudo 2 trata-se de uma revisão sistemática de estudos controlados e randomizados com metanálise. Foram incluídos 15 estudos envolvendo 4.286 trabalhadores da indústria. Evidenciou-se uma maior prevalência da inclusão de exercícios físicos no ambiente laboral que permitiram moderada evidência para controle da dor na cervical (-0.66; -1.12 a -0.20; p=0,005) e forte evidência para controle da dor no ombro (-0.84; -1.26 a -0.41; p=0,0001) em trabalhadores da indústria com demanda leve de trabalho submetidos a esta intervenção. Foi verificada muito baixa evidência para o controle da dor na cervical, lombar e nos ombros para a inclusão de exercícios físicos na indústria pesada. Não foram verificados resultados positivos nos estudos que utilizaram treinamentos ou capacitações em ergonomia, no entanto houve resultados positivos em estudos que modificaram a estrutura física do posto de trabalho. A inserção de exercícios físicos no ambiente de trabalho industrial pode reduzir a dor no ombro e na cervical em trabalhadores da indústria leve. Há a necessidade da criação de programas institucionais na indústria e a implementação de políticas públicas de saúde e de previdência social como medidas de controle dos fatores relacionados ao adoecimento e à concessão dos benefícios.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - PAULA MACHADO DE SOUSA CARNEIRO - UMinho
Presidente - 1081828 - CATARINA DE OLIVEIRA SOUSA
Externo ao Programa - 1674532 - DIMITRI TAURINO GUEDES
Externo à Instituição - FRANCISCO LOCKS NETO - UPE
Externo à Instituição - ROBSON DA FONSECA NEVES - UFPB
Notícia cadastrada em: 02/03/2021 16:11
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao