Banca de QUALIFICAÇÃO: GIULIANA DE SOUZA SENA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GIULIANA DE SOUZA SENA
DATA : 14/08/2020
HORA: 08:00
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO:

Estratificação de risco prognóstica e fatores associados em pacientes encaminhados para a reabilitação cardíaca.


PALAVRAS-CHAVES:

Doenças cardiovasculares, reabilitação cardíaca, terapia por exercício, medição de risco.


PÁGINAS: 40
RESUMO:

Introdução: As doenças cardiovasculares (DCV) alteram a capacidade física dos pacientes, além de contribuírem para o aumento de despesas com saúde. A reabilitação cardíaca (RC) é reconhecida como instrumento importante desse processo. No entanto, durante a prática de exercício, os cardiopatas podem apresentar evento adverso associado ao exercício. Diante disso, é indispensável realizar a estratificação de risco ao exercício desses pacientes antes de iniciar o programa. A utilização da estratificação de risco e prognostico nas unidades de RC ambulatorial é atrasada em relação as evidências científicas para sua utilização. Entretanto, a estratificação de risco derivada dos testes físicos máximos são o eixo sobre a qual a RC se inicia, sem a qual a tomada de decisão sobre dosagem de prescrição de exercício e as possíveis interrupções durante a sessão de RC não pode avançar sob o risco de aumentar os eventos cardíacos. Objetivo: Conhecer o perfil dos pacientes e estabelecer o risco prognóstico de pacientes com IC que foram tratados em um programa de RC, e comparar em termos de avaliação de risco prognóstico, os testes ergométricos e ergoespirométricos antes e após a RC. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, com análise retrospectiva com relação a estratificação de risco de pacientes encaminhados para RC no Setor de Reabilitação Cardíaca do Hospital Universitário Onofre Lopes – CORE HUOL. O risco cardiovascular foi analisado de acordo com a recomendação para TECP publicada pela AHA (2012). A análise estatística será realizada através do software (IBM SPSS versão 22.0). Sendo utilizado o teste de Kolmogorov-Smirnov para verificar a normalidade dos dados. Para identificar se existe diferença entre as médias das variáveis com distribuição normal pré e pós reabilitação será utilizado o teste T pareado, e sem distribuição normal o teste de Wilcoxon. Será utilizado correlação de Pearson para avaliar se existe correlação entre as variáveis com distribuição normal e correlação de Spearman para aquelas com distribuição não normal. E para identificar se existe relação entre as variáveis categóricas será utilizado o teste Qui quadrado, e ao identificar as variáveis que apresentaram diferença estatisticamente significante será utilizado uma regressão logística. Resultados esperados: Espera-se com esse estudo conhecer o risco prognóstico de pacientes com IC tratados em um programa de RC, identificar as diferenças entre cada variável pré e pós reabilitação, e estabelecer as diferenças entre a ergometria e a ergoespirometria em termos de avaliação do risco.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 2646588 - JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
Externa à Instituição - RENATA CARLOS FELIPE NOGUEIRA - UFRN
Presidente - 1149619 - SELMA SOUSA BRUNO
Notícia cadastrada em: 29/07/2020 09:40
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao