Banca de DEFESA: AMANDA SOARES FELISMINO SILVEIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AMANDA SOARES FELISMINO SILVEIRA
DATA : 02/03/2020
HORA: 08:00
LOCAL: sala 8
TÍTULO:

EFEITOS DE UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO CARDÍACA NAS VARIÁVEIS INDEPENDENTES DO ESFORÇO MÁXIMO EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CRÔNICA.


PALAVRAS-CHAVES:

Insuficiência cardíaca, reabilitação cardíaca, exercício aeróbico.


PÁGINAS: 54
RESUMO:

Os efeitos da Reabilitação Cardíaca (RC) em pacientes com insuficiência cardíaca (IC) crônica são avaliados por mudanças na captação de oxigênio no pico do esforço (VO2pico). No entanto, apresenta limitações, como a necessidade de exercício máximo, o que não é possível em pacientes severamente limitados. Dessa forma, outras variáveis por serem empregadas independentes do esforço máximo tem sido estudadas como o Liminar Anaeróbico - LA, relação entre o ventilação minuto e a produção de dióxido de carbono -VE/VCO2Slope, eficácia de consumo de oxigênio – OUES e Oscilação ventilatória – OV e para avaliar os efeitos do exercício físico, além do emprego dessas variáveis somadas a outras variáveis do TECP que possam ser usadas em conjunto e fornecer dados clínicos importantes sobre o paciente como a estratificação de risco. Objetivo: Avaliar os efeitos da RC nas variáveis independentes do esforço máximo (LA, VE/VCO2slope, OUES e a OV), estratificação de risco e do equivalente metabólico da tarefa em pacientes com IC crônica. . Materiais e métodos: Trata-se de uma análise retrospectiva composto por pacientes com IC crônica. Os indivíduos foram submetidos a uma avaliação clínica, espirométrica de cardiopulmonar. Em seguida foram submetidos a um protocolo de exercícios (aeróbicos e resistidos), 3 vezes/semana, por 12 semanas, sendo reavaliados ao final do período de RC. Resultados: Foram avaliados 45 pacientes com IC crônica com média de idade de 49,8±12,97 anos e Fração de Ejeção de 39,0±15,8%. Foi identificado um aumento de 2 min e 4 segundo (p<0,001) na sua média e 24,1% no MET. Quanto a análise metabólica tivemos crescimento de 18,3% no VO2pico após a RC, bem como aumento de 12,9 % VO2 no momento do LA e de 20,14% no OUES75%, além da redução da média do VE/VCO2slope e da presença de OV, o que gerou melhoria de estratificação de risco de 4 pacientes. Além disso, os resultados das curvas ROC mostraram que o OUES é capaz de identificar pacientes com IC crônica grave com diferentes capacidades aeróbicas (<ou>70% VO2predito) como o LA (ASC=0,865,p=<0.0001;ASC= 0,800, p= 0.002 respectivamente), além de não haver diferença significativa na comparação entre as curvas  de característica de operação do receptor (ROC). A análise da regressão identificou fatores cardiovasculares e pulmonares relacionados a ambas variáveis. Conclusão: Conclui-se que a RC com uma dose de exercício individualizada e reajustada sempre que necessário foi eficiente em melhorar a capacidade aeróbica e estratificação de risco do paciente com IC crônica e que as variáveis independentes do esforço máximo foram eficazes em identificar esses resultados. Logo, são uma alternativa para aqueles em que a avaliação do VO2pico pode estar prejudicada pela sua condição clínica. Dentre as variáveis independentes do esforço o OUES foi tão eficaz quanto o VO2LA para identificar pacientes com capacidades aeróbicas distintas.  Logo, as variáveis independentes do esforço são uma alternativa para aqueles em que a avaliação do VO2pico pode estar prejudicada pela sua condição clínica.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANTONIO JOSÉ SARMENTO DA NÓBREGA
Externa ao Programa - 2646588 - JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
Externa à Instituição - NICOLE SOARES OLIVER CRUZ
Presidente - 1149619 - SELMA SOUSA BRUNO
Interna - 5566309 - VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
Notícia cadastrada em: 17/02/2020 15:17
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao