Banca de QUALIFICAÇÃO: RAIFF SIMPLICIO DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAIFF SIMPLICIO DA SILVA
DATA : 22/03/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do departamento de fisioterapia
TÍTULO:

EFEITOS DO TREINO EM ESTEIRA INCLINADA SOBRE OS PARÂMETROS FUNCIONAIS E CARDIOVASCULARES DE INDIVÍDUOS COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO

 


PALAVRAS-CHAVES:

Fisioterapia, Marcha, Reabilitação, Exercício Aeróbico, Terapia por Exercício.


PÁGINAS: 48
RESUMO:

RESUMO

Contextualização: Diante das repercussões ocasionadas pelo AVC, tem sido posta a importância do treino aeróbico, em especial o treino em esteira, na melhora das variáveis funcionais e cardiovasculares dos sequelados da doença. Contudo, pouco tem se investigado sobre os melhores parâmetros e a segurança deste tipo de treinamento, uma vez que incrementos como a inclinação anterior podem aumentar a demanda cardiovascular nesse tipo de abordagem.

Objetivo: Avaliar os efeitos de um protocolo de treinamento de marcha em esteira inclinada sobre variáveis funcionais e cardiovasculares de indivíduos com AVC crônico.

Métodos: Trata-se de um ensaio clínico randomizado e cego em andamento, que está sendo realizado no Laboratório de Intervenção e Análise do Movimento (Departamento de Fisioterapia da UFRN), do qual participaram até o momento 18 indivíduos de ambos os sexos, com idade entre 20 e 70 anos e sequela de AVC há mais de 6 meses. Estes foram randomizados em 3 grupos: grupo controle (GC=6), submetido a treinamento em esteira sem inclinação; grupo experimental 1 (GE1), submetido a treinamento com esteira inclinada à 5%; e grupo experimental 2 (GE2=6), submetido a treinamento em esteira inclinada à 10%. A intervenção constou de 3 sessões semanais durante um período de 6 semanas. Os indivíduos foram avaliados em 3 momentos (pré-treino, pós-treino e follow-up) quanto as medidas de caracterização da amostra, medidas de desfecho primário (velocidade da marcha em 10m, capacidade funcional, torque neuromuscular e parâmetros cardiovasculares [pressão arterial sistêmica - PA, frequência cardíaca-FC e saturação periférica de oxigênio SPO2]), bem como de desfecho secundário (qualidade de vida). Além disso, foram monitorados durante as sessões de treinamento quanto aos parâmetros cardiovasculares (PA, FC e SpO2), assim como esforço percebido e dor (escala de Borg). Na análise estatística utilizou-se o teste de Shapiro-wilk, para verificação da normalidade dos dados; além disso, utilizou-se a ANOVA one-way para verificação de possíveis diferenças nas médias das variáveis desfecho entre os grupos e a ANOVA de medidas repetidas na análise intragrupo das variáveis desfecho nos 3 momentos de avaliação.

Resultados Preliminares: Com relação aos parâmetros cardiovasculares (FC e PA), nenhum dos grupos apresentou diferença entre as médias nos 3 momentos avaliados. Já a análise intergrupos mostrou que as médias da FC dos grupos não foram diferentes em nenhum momento, exceto as de PA, que diferiram no pós-treino entre os grupos GE1 e GE2 (P= 0,047). Quanto as demais medidas desfecho, o GE2 apresentou uma tendência a aumento em todas as variáveis na reavaliação; contudo, não houve significância estatística. Já o grupo GC apresentou comportamento semelhante ao descrito no tocante às médias de velocidade e torque isométrico. Nas análises bivariadas, observou-se que as médias gerais de Pico de torque e Velocidade de marcha não demonstraram correlação significativa, tanto na avaliação (r=0,45; P = 0,58) quanto na reavaliação (r= 0,43; P = 0,07).

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - RENCIO BENTO FLORENCIO
Presidente - 2319151 - TATIANA SOUZA RIBEIRO
Interno - 2566849 - WOUBER HÉRICKSON DE BRITO VIEIRA
Notícia cadastrada em: 11/03/2019 14:34
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao