Banca de QUALIFICAÇÃO: LILIANE SANTOS DE VASCONCELLOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LILIANE SANTOS DE VASCONCELLOS
DATA : 18/06/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Departamento de Fisioterapia (Parecer)
TÍTULO:

Efeitos de um Programa de Exercícios Domiciliares sobre sintomas motores e não-motores de indivíduos com Doença de Parkinson: ensaio clínico randomizado


PALAVRAS-CHAVES:

Reabilitação, Transtornos do Movimento, Programa de Fortalecimento, Assistência Centrada no Paciente.


PÁGINAS: 92
RESUMO:

Contextualização: A atuação fisioterapêutica no paciente com Doença de Parkinson visa principalmente aumentar a capacidade funcional e minimizar complicações secundárias através da reabilitação do movimento, no contexto de educação e apoio ao indivíduo. Dessa forma, abordagens nas quais o indivíduo pode realizar a terapia, total ou parcialmente, em seu domicílio, têm sido propostas. Embora as alterações presentes na região do tronco pareçam estar relacionadas a sintomas motores e não-motores de indivíduos com DP, tais como equilíbrio postural, marcha e constipação, poucos estudos têm utilizado exercícios físicos direcionados a essa região para melhora de alguns sintomas motores na DP, e nenhum estudo para melhora dos sintomas não-motores.

Objetivo: Avaliar os efeitos de um programa de exercícios domiciliares sobre sintomas motores e não-motores de indivíduos com Doença de Parkinson.

Metodologia: Trata-se de um ensaio clínico controlado e randomizado, com amostra de 42 indivíduos com diagnóstico de Doença de Parkinson Idiopática e que apresentem sintomas de Constipação Intestinal (CI), déficits de equilíbrio e marcha, os quais serão distribuídos aleatoriamente em grupo controle (GC, n=21) e grupo experimental (GE1, n=21). Os participantes serão avaliados através de: avaliação clínico-funcional (dados clínicos e antropométricos); Escala de Incapacidade de Hoehn & Yahr; Movement Disorders Society – Unified Parkinson’s Disease Rating Scale - MDS-UPDRS); nível de atividade física (International Physical Activity Questionnaire - IPAQ); avaliação proctológica (The Bowel Function in the Community; Escala de Bristol); análise da marcha, utilizando-se o sistema de análise do movimento - Qualisys Motion Capture System®; análise do equilíbrio postural, através da plataforma de força; e avaliação da qualidade de vida (Parkinson Disease Questionnaire-39 - PDQ-39). Ambos os grupos serão treinados no Laboratório de Práticas Corporais da UFRN por um dos terapeutas do estudo, para realização dos protocolos em seu domicílio. O protocolo deverá ser efetuado por três semanas consecutivas, em que o GC deverá realizar atividades simples: respiração diafragmática; alongamentos dos principais grupos musculares de membros superiores e inferiores; exercícios miolinfocinéticos nos pés; e exercícios ativos livres de membros superiores. Enquanto o GE realizará o protocolo de exercícios focados no tronco: fortalecimento abdominal; fortalecimento da coluna; inclinação pélvica; e contração do assoalho pélvico. As avaliações das medidas de desfecho ocorrerão no 1º dia (avaliação inicial), após o término das intervenções (reavaliação) e 30 dias após o término das intervenções (follow-up). A análise dos dados será realizada por um avaliador mascarado utilizando-se o Statistical Package for the Social Sciences, através de análise descritiva das variáveis de caracterização da amostra, por meio das medidas de tendência central e dispersão. As análises inferenciais considerarão a significância estatística de 5% para todas as variáveis estudadas. Também serão aplicados testes de correlação (Pearson ou Spearman), após testada a normalidade dos dados. As correlações serão realizadas entre a variável constipação e as variáveis ‘motoras’: equilíbrio e marcha. A descrição dos grupos será apresentada como média e desvio padrão, sendo reportados ainda o tamanho do efeito e o intervalo de confiança de 95%.

Resultados esperados: Acredita-se que o programa de fortalecimento do tronco beneficiará os participantes no âmbito físico, podendo repercutir positivamente no âmbito psicológico e social devido à melhora nos aspectos de equilíbrio e marcha, proporcionando diminuição do risco de quedas. Espera-se também que haja melhora nos parâmetros funcionais, com aumento da capacidade funcional. Por fim, ainda pode ser esperada melhora nos sintomas da constipação, que é um sintoma não-motor da doença. Dessa forma, os resultados esperados atendem aos sintomas motores e não-motores; almejando, dessa forma, o aumento da qualidade de vida como reflexo da melhora dos parâmetros supracitados.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - LARISSA COUTINHO DE LUCENA - UFPE
Interno - 2786809 - MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
Presidente - 2319151 - TATIANA SOUZA RIBEIRO
Notícia cadastrada em: 18/05/2018 14:27
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao