Banca de DEFESA: ANA ALINE MARCELINO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA ALINE MARCELINO DA SILVA
DATA : 28/02/2018
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

VALORES DE REFERÊNCIA DA PRESSÃO INSPIRATÓRIA NASAL EM CRIANÇAS SAUDÁVEIS: UM ESTUDO MULTICÊNTRICO


PALAVRAS-CHAVES:

criança, músculos respiratórios, valores de referência.


PÁGINAS: 55
RESUMO:

Introdução: A pressão inspiratória nasal sniff (SNIP) é um teste fácil de ser realizado, que estima a pressão esofágica e prediz a força dos músculos inspiratórios, sendo complementar às medidas das pressões máximas inspiratória e expiratória (PImáx e PEmáx, respectivamente). No Brasil, seus valores de referência para crianças ainda não foram propostos. Objetivo: Propor equações de predição da SNIP para crianças saudáveis brasileiras e determinar os valores de referência para essa população. Métodos: Estudo multicêntrico (Natal, Recife e Belo Horizonte), transversal observacional, onde foram avaliadas crianças saudáveis de 6 a 12 anos de idade incompletos, de ambos os sexos. Foram estratificadas em três subgrupos (6-7, 8-9, 10-11 anos) dentro de cada sexo. Todos realizaram após anamnese com avaliação sociodemográfica e antropométrica (percentil), a prova de espirometria, seguida da mensuração das forças dos músculos respiratórios, composta por PImáx (Capacidade Residual Funcional (CRF) e Volume Residual (VR)), PEmáx e SNIP. Por fim, dois testes de caminhada de 6 minutos (TC6M) foram feitos a fim de avaliar a capacidade de exercício funcional. Análise estatística: Utilizamos o teste de Kolmogorov-Smirnov para normalidade dos dados, e o teste t para testar as relações intergrupos e ANOVA one-way para análises intragrupos. A análise de regressão linear foi utilizada para a obtenção de equações preditivas para as variáveis independentes que se correlacionarem com a pressão inspiratória nasal. Resultados: Foram avaliadas 135 crianças no centro de Natal, das quais 118 foram incluídas no estudo. As meninas alcançaram valores da SNIP ligeiramente superiores  aos meninos (91,3 ± 21,2 cmH2O vs 89,4 ± 19,6 cmH2O), mas sem significância estatística. Enquanto que os valores de PImáxCRF, PImáxVR e PEmáx foram significantemente maiores no sexo masculino (p=0,03, p=0,009 e p=0,02, respectivamente). Em meninos, a SNIP correlacionou-se de forma positiva com altura (cm) (r=0,25), enquanto que em meninas, com peso e percentil (r=0,23; r=0,27)  respectivamente). Assim, foram geradas as seguintes equações para o sexo masculino e feminino, respectivamente: SNIP= 21,257 + 0,497 * alturacm; SNIP= 72,122 + 0,230 * pesokg + 0,167 * percentil. Conclusões: De acordo com o que foi encontrado a partir da regressão linear, as variáveis que influenciaram a SNIP em meninas foram peso e percentil, e nos meninos apenas a altura, resultados estes encontrados para crianças saudáveis brasileiras da cidade de Natal.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2646588 - JOCELINE CASSIA FEREZINI DE SA
Presidente - 5566309 - VANESSA REGIANE RESQUETI FREGONEZI
Externo à Instituição - VERÔNICA FRANCO PARREIRA - UFMG
Notícia cadastrada em: 09/02/2018 15:13
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao