Banca de QUALIFICAÇÃO: FABIELI PEREIRA FONTES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FABIELI PEREIRA FONTES
DATA : 12/05/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Sala 08 do anexo do Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2


PALAVRAS-CHAVES:

Idoso, Quedas, Diabetes Mellitus, Avaliação.


PÁGINAS: 70
RESUMO:

Contextualização: A diabetes mellitus tipo 2 (DM2) representa um importante problema de saúde pública. Frequentemente esses pacientes apresentam queixas de tonturas e instabilidade postural, que depende da recepção adequada de informações de componentes sensoriais, cognitivos, integrativos centrais (principalmente cerebelo) e músculoesqueléticos, de forma altamente integrada. O efeito cumulativo de alterações relacionadas à idade, doenças e meio ambiente inadequado parecem predispor à queda Objetivo: Avaliar o risco de quedas em idosos com DM2. Metodologia: Estudo observacional analítico de caráter transversal cuja amostra será constituída por idosos com 60 anos ou mais, com diagnóstico de DM2, segundo os critérios da American Diabetes Association (ADA), de ambos os sexos. Será utilizado o instrumento de medida para a avaliação do risco de quedas, o Quick Screen Clinical Falls Risk Assessment (QuickScreen) de fácil e rápida aplicabilidade, traduzido, validado e adaptado culturalmente para uma amostra de idosos brasileiros. A avaliação da mobilidade e equilíbrio corporal será realizado por meio do Mini BEST test; o WHODAS será utilizado para a avaliação da funcionalidade dos pacientes; além da avaliação dos aspectos cognititivos e de saúde mental por meio dos instrumentos Mini Mental e GDS, respectivamente. Todos os procedimentos estatísticos serão realizados por meio do software SPSS versão 17.0 para Windows. A normalidade de distribuição dos dados será verificada por meio do teste Kolmogorov-Smirnov. Para análise inferencial, serão verificadas associações entre o risco de quedas (sim/não) (variável dependente) e as variáveis independentes quantitativas, por meio dos testes T-Student ou Mann-Whitney, de acordo com a distribuição de Normalidade; e as variáveis independentes, por meio dos testes Qui-quadrado ou Teste Exato de Fisher. Será adotado um nível de significância de 5% (p<0,05). Posteriormente, será realizada análise de regressão logística em blocos, para identificar os dados independentes da amostra associados independentemente às variáveis relacionadas ao risco de quedas. Resultados preliminares: Amostra composta por 38 idosos, até o presente momento, com idade entre 60 e 86 anos (média de 69,1 ± 6,7 anos) e prevalência para a faixa etária de 65-69 anos (34,2%), maioria feminina (55,3%), com vida conjugal (73,7%), escolaridade até primário incompleto (28,9%), arranjo de moradia de 1 a 3 pessoas (78,9%), participação nas atividades comunitárias (55,3%), miscigenado (47,4%), não praticam atividade física de forma regular (60,05%), com percepção subjetiva da saúde geral boa (44,7%), assim como a audição (55,3%) e ruim para a visão (28,9%), relato de dor em MMII (63,2%), média de 3,97 ± 3,78 na EVA e não utilizam dispositivo de auxílio à marcha (92,1%). Relataram entre duas a seis comorbidades e de cinco ou mais medicamentos utilizados (78,9%). O tempo de diagnóstico do Diabetes foi acima de dez anos (65,5%) e a medicação oral (50%) foi o tipo mais usada. Quanto ao risco de queda, prevaleceu de 4-6 fatores de risco (47,4%), com no mínimo 1 fator relatado e no máximo 8 (média de 4,11 ± 1,82 fatores) e probabilidade mínima de 7% e máxima de 49%.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2090691 - JULIANA MARIA GAZZOLA
Externo ao Programa - 1639565 - LIDIANE MARIA DE BRITO MACEDO FERREIRA
Externo ao Programa - 2374850 - THAIZA TEIXEIRA XAVIER NOBRE
Notícia cadastrada em: 05/05/2017 15:11
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao