Banca de DEFESA: ADRIANA GUEDES CARLOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADRIANA GUEDES CARLOS
DATA : 22/12/2016
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

FATORES RELACIONADOS AO CONTROLE POSTURAL EM IDOSOS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2



PALAVRAS-CHAVES:

Idoso, Acidente por Quedas, Equilíbrio Postural, Diabetes Mellitus, Avaliação em Saúde.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

Introdução: O Diabetes Mellitus (DM) é fator de risco para outras comorbidades no idoso, devido às alterações funcionais dos sistemas sensoriais, motores e autonômicos que ficam expostos ao descontrole do metabolismo dos carboidratos, podendo comprometer o Controle Postural (CP) nas tarefas diárias, tornando-os mais susceptíveis às quedas. Objetivos: Verificar a associação entre o sistema do controle postural, avaliado pelo Mini BESTest, e os dados sociodemográficos, clínicos, funcionais e psico-cognitivos de idosos com DM do tipo 2 (DM2). Método: Trata-se de um estudo observacional analítico de caráter transversal em que foram avaliados 90 indivíduos, dos sexos feminino e masculino, com idade igual ou superior a 60 anos. Os idosos também foram avaliados por meio dos instrumentos Mini Exame do Estado Mental, Escala de Depressão Geriátrica e WHODAS. Foram aplicados os testes de Mann-Whitney, de Kruskal-Wallis seguido do teste de Tukey e o Coeficiente de Correlação de Spearman (ρ), p<0,05. Resultados: A amostra apresentou a maioria feminina (65,6%), com média etária de 68,6 ±7,5 anos. O número médio de doenças associadas ao DM2 foi de 3,1 ± 0,7 e o número médio de medicamentos foi de 5,8 ± 2,8. Grande parte dos idosos relatou conhecer o diagnóstico da DM há mais de dez anos (51,2%). A média do Mini BESTest foi de (74,3%), a sessão com pior desempenho foi a de Respostas Posturais (57,1%), enquanto que a Orientação Sensorial obteve o melhor desempenho (89,8%). Ocorreram associações significantes entre a pontuação total do Mini BESTest e as categorias das variáveis: faixa etária (p<0,001), escolaridade (p=0,024), visão (p=0,002), prática regular de atividade física (p=0,008), doenças dos transtornos mentais e/ou comportamentais (p=0,021), doenças do sistema respiratório (p=0,02), medicamentos em uso para o sistema nervoso (p=0,001), uso de dispositivo de marcha (p=0,001), número de alterações nos pés (p=0,006), calosidade nos pés (p=0,002), alterações dermatológicas (p=0,026), dor em MMII (p=0,019), quedas no último ano (p=0,001), medo de quedas (p=0,035), tendência a quedas (p=0,012), mobilidade e risco de quedas (p<0,001), queixa de tonturas (p=0,008) e sintomas depressivos (p=0,001). Correlações significantes foram encontradas entre a pontuação do Mini BESTest e as variáveis quantitativas: idade (ρ= -0,391; p<0,001), número de doenças (ρ= -0,278; p=0,031), dor em MMII (ρ= -0,279; p=0,008), força de preensão palmar (ρ= 0,227; p=0,033), Mini Exame do Estado Mental (ρ=-0,295; p=0,005), Escala de Depressão Geriátrica (ρ=-0,389; p<0,001) e Desempenho Funcional (ρ= -0,504; p<0,001). Conclusões: O CP de idosos com DM tipo 2 é mais comprometido quando associado ao avançar da idade, baixa escolaridade, maior número de doenças, pior percepção visual, inatividade física, diminuição da força no membro superior dominante, presença das doenças dos transtornos mentais e/ou comportamentais e respiratório, uso de medicamentos para o sistema nervoso, uso de dispositivo de marcha, maior número de alterações nos pés, calosidade nos pés, alterações dermatológicas, dor em MMII, quedas recorrentes, medo de quedas, tendência a quedas, risco de quedas, prejuízo na mobilidade, queixa de tontura e presença de sintomas depressivos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2179208 - ANA RAQUEL RODRIGUES LINDQUIST
Externo à Instituição - FLÁVIA DONÁ SIMONE - UNIAN
Presidente - 2090691 - JULIANA MARIA GAZZOLA
Notícia cadastrada em: 08/12/2016 13:54
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao