Banca de DEFESA: GABRIELA SUELLEN DA SILVA CHAVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GABRIELA SUELLEN DA SILVA CHAVES
DATA: 18/11/2013
HORA: 09:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA
TÍTULO:

Fisioterapia Respiratória em Crianças com Pneumonia: Revisão Sistemática


PALAVRAS-CHAVES:

Pneumonia; Criança; Fisioterapia; Ensaio clínico; Revisão


PÁGINAS: 73
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

Introdução: A pneumonia é uma doença pulmonar inflamatória e apresenta-se como a maior causa de morte em crianças menores de cinco anos de idade em todo o mundo. A fisioterapia respiratória é amplamente utilizada no tratamento da pneumonia, pois pode ajudar a eliminar os exsudados inflamatórios e secreções traqueobrônquicas, a desobstruir e a reduzir a resistência das vias aéreas, a aumentar a troca de gases e a reduzir o trabalho da respiração. Assim, a fisioterapia respiratória pode contribuir para a recuperação do paciente como um tratamento adjuvante, embora sua indicação ainda permaneça controversa. Objetivos: avaliar a eficácia da fisioterapia respiratória em relação ao tempo até a resolução clínica em crianças (do nascimento até 18 anos) de ambos os sexos, com qualquer tipo de pneumonia. Métodos: Foram pesquisados CENTRAL 2013, Issue 4 , MEDLINE (1946 a maio semana 4, 2013) , EMBASE (1974 a maio de 2013) , CINAHL (1981 a maio de 2013) , LILACS (1982 a maio de 2013); Web of Science (1950 a maio de 2013) e Pedro (1950 a Maio de 2013). Consultamos o ClinicalTrials.gov e a OMS ICTRP registra identificar os ensaios previstos, em andamento e inéditos . Ainda houve a consulta das listas de referências de artigos relevantes encontrados pelas buscas eletrônicas. Foram incluídos ensaios clínicos randomizados (ECR) que, comparou a aplicação da fisioterapia respiratória de qualquer tipo com a não aplicação da fisioterapia respiratória em crianças com pneumonia. Dois revisores independentes selecionaram os estudos a serem incluídos na revisão, avaliou a qualidade dos estudos e extraíram os dados. Resultados: Três ECRs envolvendo 255 crianças internadas estão incluídos na revisão. Realizaram fisioterapia convencional, pressão expiratória positiva e pressão positiva contínua nas vias. Os seguintes resultados foram medidos: tempo de internação hospitalar, o tempo de resolução clínica (observando-se os seguintes parâmetros: febre, a tiragem, a queima nasal, taquipneia e os níveis de saturação periférica de oxigênio), mudança nos ruídos adventícios, mudança na radiografia de tórax e duração da tosse em dias. Dois dos estudos incluídos encontraram uma melhoria significativa na frequência respiratória e saturação de oxigênio enquanto o outro estudo incluso não conseguiu demonstrar que a fisioterapia respiratória padronizada e pressão expiratória positiva alteraram o tempo para resolução clínica e o tempo de internação hospitalar. Nenhum efeito adverso relacionado às intervenções foi descrito. Devido às características diferentes dos ensaios, tais como a duração do tratamento, os níveis de gravidade dos tipos de pneumonia e as técnicas utilizadas em crianças com pneumonia, bem como a diferenças na apresentação de análise estatística, não fomos capazes de reunir os dados. Dois estudos incluídos tinham um baixo risco global de viés enquanto outros tiveram um risco geral de viés incerto. Conclusão: Nossa revisão não fornece evidências conclusivas que justifiquem o uso de fisioterapia respiratória em crianças com pneumonia, devido à falta de dados. O número de estudos incluídos é pequeno e eles diferem na sua apresentação estatística.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BRENDA NAZARÉ GOMES ANDRIOLO - UEPA
Interno - 350636 - GARDENIA MARIA HOLANDA FERREIRA
Presidente - 2291421 - KARLA MORGANNA PEREIRA PINTO DE MENDONCA
Notícia cadastrada em: 06/11/2013 09:31
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao