Banca de DEFESA: KELVE DE ALMEIDA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KELVE DE ALMEIDA SANTOS
DATA : 30/01/2024
HORA: 15:00
LOCAL: PLATAFORMA VIRTUAL
TÍTULO:

Perda dentária: fatores associados e impacto na qualidade de vida de pessoas idosas residentes em zona rural.


PALAVRAS-CHAVES:

Saúde do idoso; Qualidade de vida; Perda de dente


PÁGINAS: 67
RESUMO:

A saúde bucal das pessoas idosas residentes em áreas rurais é considerada como mais comprometida que aquelas que vivem em áreas urbanas. O reflexo desse quadro pode ser um elevado impacto relacionado à qualidade de vida em saúde bucal. Nesse sentido, o objetivo do estudo foi avaliar a prevalência de perda dentária - expressa pelo edentulismo, edentulismo funcional, pares em oclusão, dentes funcionais e raízes residuais -, os fatores associados e impacto na qualidade de vida em pessoas idosas residentes em zona rural. Para tanto, uma amostra de 239 pessoas idosas foi avaliada, a partir de um sorteio com as listas de pessoas idosas de cada Unidade Básica de Saúde da zona rural do município de São Bento/PB. Os indivíduos foram examinados clinicamente em relação à perda dentária e a qualidade de vida em saúde bucal foi avaliada pelo GOHAI. A análise dos dados foi realizada a partir do teste do qui quadrado e regressão robusta de Poisson para um nível de significância de 5%. A perda dentária nas pessoas idosas residentes na zona rural representada pelo edentulismo foi de 48,8% (IC 95% 42,2 – 55,5%), edentulismo funcional de 95,3% (IC 95% 95,0 – 98,1%), nenhum par em oclusão de 82,6% (IC 95% 77,5 – 87,7%), poucos – menos que 5 - dentes funcionais de 68,5% (IC 95% 62,2 – 74,7%) e número elevado de raízes residuais de 14,6% (IC 95% 9,9 – 19,3%). Os fatores associados ao edentulismo, representando a perda dentária, foram o sexo feminino (RP = 1,15), a avaliação da saúde bucal como boa ou muito boa (RP = 1,18), a higiene da boca realizada com métodos preventivos individuais ou apenas água (RP = 1,32), polifarmácia (RP = 1,12) e última consulta do dentista há mais de 3 anos (RP = 1,09). Não houve associação da perda dentária com o impacto relacionado à qualidade de vida em saúde bucal. Conclui-se que a perda dentária nas pessoas idosas residentes na zona rural foi elevada, assim como também o foi a pouca funcionalidade dos dentes presentes e a ausência de cuidado em saúde bucal a essa população, evidenciada pela grande presença de raízes residuais, as quais estiveram associadas a variáveis de várias dimensões, quais sejam, sociodemográfica (sexo), autopercepção da saúde bucal, condições de saúde (polifarmácia), e cuidado em saúde bucal. Também se destaca a ausência de impacto da grande perda dentária sobre a qualidade de vida em saúde bucal.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GUSTAVO PINA GODOY - UFPE
Presidente - 277398 - KENIO COSTA DE LIMA
Interno - 1031499 - LAERCIO ALMEIDA DE MELO
Notícia cadastrada em: 16/01/2024 08:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao