Banca de QUALIFICAÇÃO: RAISSA DE ALBUQUERQUE GAMELEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAISSA DE ALBUQUERQUE GAMELEIRA
DATA : 13/07/2021
HORA: 09:00
LOCAL: sala virtual
TÍTULO:

POÉTICA E GEOMETRIA DO ESPAÇO IMAGINATIVO: As experiências das Casas-Museus do Século XX no Brasil e em Portugal


PALAVRAS-CHAVES:

Casa-museu, Habitar; Habitação e Memória; Arquitetura de Casas-Museu,
Museografia e Memória;


PÁGINAS: 399
RESUMO:

A investigação insere‐se na temática da qualificação projetual das casas-museu. A pesquisa é baseada nos estudos da arquitetura dos museus e da habitação, atrelada aos conceitos da poética e geometria do espaço, bem como a relação entre a vida prática e a memória imaginativa. Assume-se que, como todas as outras instituições museológicas, esta tipologia de museu necessita imprimir no ambiente expositivo práticas que a levem a ser uma instituição de guarda do acervo e ensino, pois, caso contrário, será apenas uma casa aberta ao público. Percebemos, neste sentido, o grande desafio atribuído as casas-museu: transformar um edifício residencial,
com seus objetos e memórias, em uma instituição museológica responsável por preservar, educar, se comunicar, e outras ações intrínsecas à instituição. A questão de investigação surge da lacuna evidenciada nas pesquisas sobre casas-museu: como a arquitetura e a museografia influenciam na percepção de uma casa-museu, enquanto memória imaginativa? Nesta investigação, as relações entre forma e imagem, espaço expositivo, espaço habitado e sua interação com o público nas casas-museu, provocam uma reflexão sobre os conceitos vigentes na arquitetura das habitações e nos projetos de museografia. Compreendemos que o espaço é uma forma de linguagem, que em uma casa-museu exerce papel fundamental na compreensão da vida intima representada. Assume-se como hipótese inicial desta investigação, com base nos estudos da poética e geometria do espaço que, é possível identificar os elementos da arquitetura que aliados à museografia, possibilitam a desejada “memória imaginativa” para uma casa-museu. Foi utilizada uma metodologia qualitativa mista, com instrumentos e técnicas de análises e interpretação que permitem compreensão ampla dos fenômenos, seu sentido e significação, num processo que envolveu várias etapas interativas e simultâneas. Para tanto, as quatro casas-museu selecionadas como casos de estudo foram investigadas tendo por base a análise técnica do espaço e a percepção de seus usuários, cujos dados foram tratados de modo conjunto. Os dados obtidos nos dois momentos de pesquisa (técnica e percepção dos usuários) foram cruzados entre si, possibilitando o desenvolvimento de parâmetros confrontados com o estado da arte. As conclusões remontam à problemática estabelecida, sugerindo os meios para repensar a compreensão da poética do espaço habitado e da “memória imaginativa” no processo de transformação de uma casa em uma casa-museu.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149643 - GLEICE VIRGINIA MEDEIROS DE AZAMBUJA ELALI
Interno - 1720813 - GEORGE ALEXANDRE FERREIRA DANTAS
Externa à Instituição - MARIA JOÃO DE MENDONÇA E COSTA PEREIRA NETO - ULISBOA
Externo à Instituição - JORGE LUÍS FIRMINO NUNES - ULISBOA
Externo à Instituição - HUGO JOSÉ ABRANCHES TEIXEIRA LOPES FARIAS - ULISBOA
Notícia cadastrada em: 21/06/2021 17:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao