Projeto Pedagógico do Curso

D

e acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Comunicação Social, aprovadas pelos Pareceres CNE/CES 492/2001 e  1.363/2001, de  o perfil comum do egresso corresponde a um objetivo de formação geral que deve ser atendido por todos os cursos da área e em todas as habilitações de Comunicação, qualquer que seja sua ênfase ou especificidade. Trata-se de base que garante a identidade do curso como de Comunicação Social. O egresso do curso de Comunicação, em qualquer de suas habilitações, caracteriza-se por:

a. Sua capacidade de criação, produção, distribuição, recepção, e análise crítica referentes às mídias, às práticas profissionais e sociais relacionadas com estas, e a suas inserções culturais, políticas e econômicas;

b. Sua habilidade em refletir a variedade e mutabilidade de demandas sociais e profissionais na área, adequando-se à complexidade e velocidade do mundo contemporâneo;

c. Sua visão integradora e horizontalizada - genérica e ao mesmo tempo especializada de seu campo de trabalho possibilitando o entendimento da dinâmica das diversas modalidades comunicacionais e das suas relações com os processos sociais que as originam e que destas decorrem;

d. Utilizar criticamente o instrumental teórico-prático oferecido em seu curso, sendo portanto competente para posicionar-se de um ponto de vista ético-político sobre o exercício do poder na comunicação, sobre os constrangimentos a que a comunicação pode ser submetida, sobre as repercussões sociais que enseja e ainda sobre as necessidades da sociedade contemporânea em relação à comunicação social.

Assim, o perfil do egresso em Publicidade e Propaganda pretendido pela UFRN se caracteriza:

a. Pelo conhecimento e domínio de técnicas e instrumentos necessários para a proposição e execução de soluções de comunicação eficazes para os objetivos de mercado, de negócios de anunciantes e institucionais;

b. Pela tradução em objetivos e procedimentos de comunicação apropriados os objetivos institucionais, empresariais e mercadológicos;

c. Pelo planejamento, criação, produção, difusão e gestão de comunicação publicitária, de ações promocionais e de incentivo, eventos e patrocínio, atividades de marketing, venda pessoal, design de embalagens e de identidade corporativa, e de assessoria publicitária de informação;

d. Pelo uso de sua criatividade de forma a traduzir em peças publicitárias as transformações do mundo contemporâneo, respeitando os fundamentos éticos prescritos para a sua atividade profissional, a partir do reconhecimento das expectativas e demandas da sociedade em relação ao seu papel social e ao produto de sua atividade

            Diante do exposto, a UFRN, como instituição pública, oferece à comunidade o curso de Publicidade e Propaganda, cujos egressos têm amplas possibilidades de serem absorvidos pelo mercado nos mais diferentes ramos de atuação, tais como: docência em instituições de ensino superior; agências de propaganda (atuação nas áreas de planejamento, pesquisa, atendimento, redação, criação, produção e mídia); agências de comunicação e mídias digitais; emissoras de rádio e TV; estúdios fotográficos; empresas jornalísticas; institutos de pesquisas; empresas de promoções e eventos; assessorias especializadas em marketing; produtoras de áudio e de vídeo; gráficas; editoras; escritórios de design; além das próprias organizações – com ou sem fins lucrativos – em departamentos de comunicação ou comerciais, sobretudo nos setores de varejo e de serviços. Pode, também, atuar de forma autônoma, em empresa própria ou prestando consultoria.

         As competências gerais do campo da Comunicação Social são as seguintes:

a. Discutir informações atualizadas, de acordo com a diversidade teórico-prática;

b. Fomentar a pesquisa em comunicação a partir do desenvolvimento do pensamento crítico e da competência metodológica;

c. Desenvolver uma formação profissional, voltada ao compromisso com a realidade social e qualidade de vida;

d. Desenvolver e consolidar uma prática profissional baseada em princípios éticos;

e.  Capacidade de assimilar criticamente conceitos que permitam a apreensão de teorias;

f.  Capacidade de usar tais conceitos e teorias em análises críticas da realidade;

g. Capacidade de dominar as linguagens habitualmente usadas nos processos de comunicação, nas dimensões de criação, de produção, de interpretação e de técnica;

h.  Experimentar e inovar no uso destas linguagens;

i.  Refletir criticamente sobre as práticas profissionais no campo da Comunicação;

j.  Ter competência no uso da língua nacional para escrita e interpretação de textos gerais e especializados na área.

 

         As habilidades específicas para a Publicidade e Propaganda são:

a. Ordenar as informações conhecidas e fazer diagnóstico da situação de clientes;

b. Realizar pesquisas de consumo, de motivação, de concorrência, de argumentos etc.

c. Definir objetivos e estratégias de comunicação como soluções para problemas de mercado e institucionais dos anunciantes;

d. Conceber meios de avaliar e corrigir resultados de programas estabelecidos;

S

erão oferecidas 40 vagas por semestre no turno da noite, para aproveitar a disponibilidade da infraestrutura existente atualmente no CCHLA. As atividades de ensino terão o apoio da multimídia, da tecnologia de ponta, podendo até incluir o recebimento e transmissão de aulas à distância, conferências e outros eventos.

            Com o intuito de promover a multidisciplinaridade, como método de inter-relacionar conteúdos e integrar disciplinas, fez-se a opção pelos trabalhos integrados do 1º ao 7º períodos do curso, sempre conduzidos por uma disciplina integradora. Foram eleitas como disciplinas integradoras, isto é, responsáveis pela condução dos trabalhos integrados nos respectivos períodos, as seguintes: Linguagem Publicitária (1º); Redação Publicitária I (2º); Redação Publicitária II (3º); Criação Publicitária (4º); Comunicação & Marketing I (5º); Comunicação & Marketing II (6º) e Pesquisa de Marketing (7º).

            Durante os referidos períodos, o aluno poderá realizar atividades que terão como principal objetivo colocar em prática os conteúdos aprendidos nas disciplinas cursadas. Esta característica das atividades integradas tem como meta desenvolver a capacidade e a habilidade para o trabalho em equipe, peça muito importante para o profissional de comunicação, principalmente o publicitário.

 Além disso, sob a orientação do professor responsável pela disciplina, poderão ser realizados trabalhos de campo como: pesquisas em bibliotecas, acervos, aplicação de questionários, visitas técnicas a empresas e agências, veículos de comunicação ou a eventuais anunciantes que estejam atendendo por meio de atividades ou projetos.

Os estudantes são estimulados a atuar na Agência Júnior de Publicidade e Propaganda, a 59 MIL, que tem recursos e infraestrutura própria com a finalidade de exercitar a parte prática, e também atender aos diversos programas e departamentos da UFRN.

Além das disciplinas obrigatórias para a integralização dos conteúdos básicos, o aluno pode distribuir a carga horária entre disciplinas optativas. A carga horária será integralizada com o exercício de atividades complementares (extraclasse) correlatas com o curso.

O que caracteriza este conjunto de atividades é a possibilidade de escolha, por parte do aluno, do exercício de atividades que considera necessário a sua formação profissional. Essa flexibilização de conteúdo e de carga horária requer os seguintes requisitos:

-           adoção de um sistema de creditação de horas baseado em decisões específicas para cada caso, projeto ou atividade específica e em função do trabalho realizado, visto que o projeto determina o número de horas, aprovadas pelo Colegiado do Curso;

-           ampliação da autonomia do estudante para organizar seus horários, objetivos e direcionamento, de acordo com o seu professor orientador acadêmico.

De acordo com as Diretrizes Curriculares do MEC para a área de Comunicação Social, o aproveitamento de atividades extraclasse não pode ultrapassar 20% (vinte por cento) do total de horas previsto para a integralização do curso e a pertinência do aproveitamento das atividades deverá ser analisada caso a caso.

A UFRN oferece diversas atividades e projetos que podem contribuir com a formação humanística e profissional do aluno de Publicidade e Propaganda, desde que comprovada a sua participação e aprovada pelo Colegiado do Curso como atividade complementar. Por exemplo:

a)         Programas especiais: atividade de monitoria, bolsa de extensão, bolsa de iniciação científica, e outras, orientadas por um professor do Curso;

b)        Outras atividades de extensão (além das formalizadas através de projetos aprovados pela Pró-Reitoria de Extensão) de produção técnico-artística e científica em fotos, vídeos, fitas cassetes, textos escritos e quaisquer outros suportes;

c)         Produção acadêmica publicada em jornais, revistas, anais, livros etc.;

d)        Apresentação de trabalhos acadêmicos em eventos de caráter científico-culturais e/ou artísticos, comprovados por certificados expedidos pela instituição que realizou o evento;

e)         Eventos acadêmicos: (seminários, cursos, oficinas, encontros, palestras etc.) -- atividades realizadas em eventos promovidos por instituições reconhecidas, comprovadas por certificado;

Para efeito de contabilização de carga horária preenchida com atividades que contribuam para a formação humanista, será considerada a participação do aluno em:

- atividades de extensão promovidas pela UFRN, como Trilhas Potiguares, Universidade Solidária, além de Bolsas de Extensão em projetos desenvolvidos por professores da UFRN;

- atividades de extensão promovidas por Instituições reconhecidas na sociedade, como Igrejas, ONGs, Sindicatos, Cooperativas, Institutos ligados a Partidos Políticos, Instituições Filantrópicas e Beneficentes e afins;

- projetos elaborados para prestação de serviços a comunidades carentes ou programas de comunicação alternativa.

            As atividades acadêmicas culminam na produção do Projeto Experimental Integrador, que consiste na elaboração de uma campanha publicitária completa, em todas as suas fases e desdobramentos, para um anunciante real. O Projeto Experimental Integrador é desenvolvido no último período (8º) em grupos de alunos (denominadas Agências) e possui regulamento próprio, elaborado pelo Colegiado do curso e em conformidade com as normas da UFRN.

            O curso incentiva também, ao longo de todos os períodos, a produção teórica e científica, que serve de base para a produção do Artigo Científico que é, portanto, o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Nele, o acadêmico terá especial atenção para o estudo teórico, que poderá será aprofundado pelo egresso em cursos de pós-graduação e também aproveitado para participação em congressos e eventos acadêmicos.

Um processo de avaliação institucional pressupõe a existência de procedimentos que permitam a análise crítica do desempenho acadêmico. Tal avaliação deve ser entendida como uma atividade contínua, integralizadora de objetivos e ações desenvolvidas na busca constante não apenas da qualidade de ensino, mas, sobretudo, da excelência no aprendizado.

Reconhecendo a importância de um processo de avaliação contínua, como instrumento de apoio à gestão acadêmica administrativa, o curso pretende fazer uso de procedimentos e indicadores próprios, para a avaliação do projeto pedagógico, que expressem a realidade qualitativa das suas ações, respeitando os parâmetros estabelecidos pelas Diretrizes Curriculares do MEC.

Visando a uma interação entre os professores do Curso, propõe-se que a comissão responsável pela execução do projeto organize, semestralmente, reuniões pedagógicas como: seminários, palestras, encontros, etc., com professores que lecionam disciplinas para o curso, independentemente do seu departamento de lotação. Os objetivos dessa reunião serão os seguintes:

            - discutir o currículo completo do curso permitindo uma contextualização das disciplinas dentro da estrutura curricular;

            - organizar a oferta de disciplinas de forma a permitir a formação dos alunos nos perfis que serão oferecidos naquele período;

            - permitir que os professores das disciplinas de formação profissional troquem informações com os professores das disciplinas de conteúdos gerais sobre o enfoque mais adequado para transmitir determinados conteúdos, tendo em vista as necessidades específicas do curso;

            - possibilitar a discussão sobre conteúdos transversais;

            - possibilitar o contato entre professores que lecionam para o mesmo nível, o que torna possível a existência de trabalhos interdisciplinares, e ainda tratar de outros assuntos pertinentes ao curso que não estão aqui relacionados.

No que se refere à avaliação, este Projeto Político Pedagógico será constantemente acompanhado por uma comissão a ser determinada pelo Colegiado de curso. Professores, funcionários, estudantes e o meio profissional serão chamados a opinar em seminários pedagógicos de avaliação que se realizarão pelo menos uma vez por ano. Semestralmente, serão realizadas as seguintes atividades: no início do semestre letivo um fórum de professores deverá discutir os conteúdos das disciplinas, suas avaliações, metodologias e outras formas de conduzir o processo ensino-aprendizagem, além da troca de experiências didático-pedagógicas. Este encontro de professores servirá para propor ao departamento e à coordenação a programação do respectivo semestre. No final do período letivo, a comissão encarregada do acompanhamento do projeto pedagógico deverá aplicar questionários de avaliação que irão subsidiar o diagnóstico do desempenho do curso.

            Fica instituído o sistema de orientação acadêmica, onde cada professor (com uma determinada carga horária para isso), deverá se encarregar de orientar a vida acadêmica de um determinado grupo de alunos.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao