Projeto Pedagógico do Curso

O licenciado em Ciências Biológicas pela UFRN deverá ser:
 generalista, crítico, ético e cidadão com caráter solidário;
 detentor de fundamentação teórico-prática adequada, como base para uma atuação docente no ensino fundamental e médio competente e adaptável à dinâmica do mundo do trabalho, que inclua o conhecimento e uma postura investigativa da diversidade dos seres vivos, bem como de sua organização e funcionamento em diferentes níveis, suas relações filogenéticas e evolutivas e suas respectivas distribuições e relações com o meio em que vivem; de noções básicas sobre saúde e doença, além de conhecimentos sobre química e física no ensino fundamental;
 detentor de conhecimento didático-pedagógico que o habilite a utilizar novas metodologias e técnicas no processo de ensino e aprendizagem de modo a atuar de forma multi e interdisciplinar exercendo o papel de mediador junto aos alunos de um saber-fazer, crítico e reflexivo;
 comprometido com a formação de cidadãos conscientes de sua realidade e da responsabilidade pelo estabelecimento de uma melhoria da qualidade de vida da sociedade; atuando como agente transformador da realidade, na busca dessa melhoria;
 comprometido com os resultados de sua conduta profissional, a partir de referenciais éticos legais e critérios humanísticos, respeitando a cidadania.

 pautar-se por princípios da ética democrática: responsabilidade social e ambiental, dignidade humana, direito à vida, justiça, respeito mútuo, participação, diálogo e solidariedade;
 utilizar o conhecimento pedagógico para atuar no ensino de ciências e biologia nos níveis fundamental e médio, comprometendo-se com o papel social da escola na formação de cidadãos;
 entender e estimular a discussão sobre o processo histórico de produção do conhecimento das ciências biológicas referente a conceitos, princípios e teorias;
 trabalhar os conteúdos referentes às ciências biológicas, de modo que seus significados possam ser estudados em diferentes contextos e permitam despertar a curiosidade investigativa no aluno;
 estabelecer relações entre ciência, tecnologia e sociedade;
 utilizar novas metodologias, estratégias e materiais que possibilitem o aperfeiçoamento da prática pedagógica em diferentes contextos;
 utilizar os conhecimentos das ciências biológicas para formar cidadãos comprometidos e transformadores do contexto sócio-político e ambiental;
 atuar multi e interdisciplinarmente, interagindo com diferentes especialidades e diversos profissionais;
 comprometer-se com o desenvolvimento profissional constante, assumindo uma postura de flexibilidade e disponibilidade para mudanças contínuas;
 atuar de forma comprometida junto à comunidade em que está inserido, promovendo o compartilhamento do conhecimento científico e a interação com o conhecimento de populações tradicionais.

O Curso de Ciências Biológicas Licenciatura Presencial fundamenta-se nos seguintes princípios: interdisciplinaridade, articulação teoria e prática e indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.
a) Interdisciplinaridade: nesse contexto, a inter-relação entre diferentes disciplinas passa a constituir-se em uma das bases metodológicas dessa formação e da busca de uma aproximação entre a formação teórica e a formação prática. Apesar de não ser possível excluir uma pequena disjunção do conhecimento, devido a algumas disciplinas ainda não aglutinadas em temas comuns do conhecimento, o atual projeto político-pedagógico apresenta um arcabouço integrador do conhecimento, esforço conjunto para aprimorar a construção deste. A proposta de curso tem a BIODIVERSIDADE como tema aglutinador dos conteúdos e inicia com uma visão geral do ambiente, abordando a temática da biodiversidade nos quatro primeiros semestres. Paralelamente, já a partir do quarto semestre, iniciam-se os enfoques das bases estruturais e funcionais da biodiversidade e, no penúltimo
 pautar-se por princípios da ética democrática: responsabilidade social e ambiental, dignidade humana, direito à vida, justiça, respeito mútuo, participação, diálogo e solidariedade;
 utilizar o conhecimento pedagógico para atuar no ensino de ciências e biologia nos níveis fundamental e médio, comprometendo-se com o papel social da escola na formação de cidadãos;
 entender e estimular a discussão sobre o processo histórico de produção do conhecimento das ciências biológicas referente a conceitos, princípios e teorias;
 trabalhar os conteúdos referentes às ciências biológicas, de modo que seus significados possam ser estudados em diferentes contextos e permitam despertar a curiosidade investigativa no aluno;
 estabelecer relações entre ciência, tecnologia e sociedade;
 utilizar novas metodologias, estratégias e materiais que possibilitem o aperfeiçoamento da prática pedagógica em diferentes contextos;
 utilizar os conhecimentos das ciências biológicas para formar cidadãos comprometidos e transformadores do contexto sócio-político e ambiental;
 atuar multi e interdisciplinarmente, interagindo com diferentes especialidades e diversos profissionais;
 comprometer-se com o desenvolvimento profissional constante, assumindo uma postura de flexibilidade e disponibilidade para mudanças contínuas;
 atuar de forma comprometida junto à comunidade em que está inserido, promovendo o compartilhamento do conhecimento científico e a interação com o conhecimento de populações tradicionais.
semestre do curso, são abordadas as interações do homem com o ambiente e aspectos
funcionais da saúde. Nesta proposta, temas como educação ambiental, àqueles envolvendo
questões culturais, sociais, econômicas, relações étnico-raciais, necessidades especiais e
comunidades indígenas são vistos de forma transversal, desde o início do curso, e nos mais
variados componentes curriculares, desde obrigatórios a optativos.
Com o objetivo de integrar disciplinas afins que abordam a temática de cada semestre,
algumas destas foram agrupadas, tais como Geologia e Paleontologia, que foram reunidas
em Fundamentos de Geologia e Paleontologia diminuindo assim a sobreposição de
conteúdos encontrada na proposta em andamento.
b) Articulação entre teoria e prática: essa articulação existe desde o primeiro semestre do curso e prolonga-se ao longo deste como componente curricular que se insere no contexto programático das diversas disciplinas, adequando-se às necessidades específicas de cada uma delas, sendo este processo viabilizado através de oficinas, laboratórios, seminários, palestras, atividades de prática docente e aproveitamento das experiências vivenciadas pelo aluno, o que permite uma aplicação imediata dos conhecimentos construídos pelos mesmos, ao longo do desenvolvimento do processo formativo;
c) Articulação entre os pilares de ensino, pesquisa e extensão: promover a articulação, durante todo o processo formativo, dos pilares de ensino, de pesquisa e de extensão. Neste contexto, desde o início do curso, os alunos são estimulados a envolver-se em projetos de monitoria, de pesquisa e de extensão desenvolvidos no âmbito da UFRN. A participação dos alunos nestes projetos irá oportunizar o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias ao processo formativo, complementando, por exemplo, sua formação científica já que não existe
a exigência da produção de um trabalho de conclusão de curso (TCC).
d) Flexibilização: o projeto apresenta uma nova visão de profissional. Rompe com a visão compartimentada do modelo tradicional, centrado na especificidade e delimitação das competências e habilidades. Hoje, o profissional precisa ter amplas competências, dominar muitas habilidades, como por exemplo: conhecer e dominar a informática, ter conhecimento de gestão, de empreendedorismo, de metodologias de ensino, dentre outras. A carga horária destinada às disciplinas optativas é de 360 horas, respondendo à exigência da resolução nº 171/2013-CONSEPE, de 5 de novembro de 2013, o que torna o curso mais flexível e possibilita ao aluno cursar componentes curriculares que complementem sua formação básica e de acordo com sua escolha. O projeto ainda prevê atividades de cunho científico e cultural que poderão ser realizadas pelo aluno fora da sala de aula, em projetos de extensão e pesquisa ou participando de eventos culturais e científicos.
- Estágio Curricular
A partir do 1º semestre do curso, o aluno iniciará o desenvolvimento das habilidades necessárias para o exercício da docência através dos componentes curriculares obrigatórios: Didática, Fundamentos da Educação, Fundamentos da Psicologia da Educação, Ensino de Ciências e Biologia I, II e III, Organização da Educação Brasileira, como ainda Química para o Ensino de Ciências e Física para o Ensino de Ciências. As atividades desenvolvidas nestes componentes curriculares compreendem a análise dos recursos e materiais para o ensino, elaboração de material didático para auxílio de aulas práticas e expositivas, assim como planejamento, elaboração, aplicação e avaliação de atividades e programas para o ensino de Ciências e Biologia.
Nesse sentido, destaca-se que as disciplinas na licenciatura em Ciências Biológicas são destinadas ajudar os alunos na trajetória para a docência – abrem possibilidades de exercício de aspectos necessários à docência e ao pensamento científico.
Quanto ao desenvolvimento do estágio curricular obrigatório na licenciatura será dividido em dois momentos: Estágios I e II de observação e Estágio III e IV de regência.
Os estágios docentes correspondem ao exercício das atividades docentes em ensino de Ciências, e posteriormente em Biologia, sob a supervisão de um professor, permitem a articulação dos aspectos teóricos e práticos da regência, ocorrendo a partir do 5º semestre para o curso do diurno e a partir do 7º semestre no curso do noturno.
Ressalta-se ainda, que os estágios traçam uma trajetória em direção a um entendimento vivo, in loco, dos espaços educativos – partindo de como são estruturados, como são geridos, como estão inseridos na comunidade, e indo em direção à sua dinâmica, cultura e como articulam a docência: como facilitam, constroem e potencializam ambientes de ensino e aprendizagem.
Durante esses momentos serão abordados os aspectos teóricos-metodológicos do ensino de Ciências e Biologia, assim como seus conceitos, princípios, atitudes, habilidades intelectuais e sociais. O estágio é desenvolvido através de atividades de docência prioritariamente na escola e projetos pedagógicos alternativos para o exercício de atividades docentes.
Considerando a importância e a qualidade das atividades desenvolvidas durante o estágio, resultando em um relatório final completo optou-se por não incluir TCC para o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas - Presencial.
- Atividades Complementares (Atividades Teórico-Práticas): O projeto prevê o aproveitamento da experiência dos alunos na área acadêmica, científica e cultural para o seu currículo, sendo consideradas obrigatórias as atividades extra-classe, de cunho científico e cultural, realizadas pelo aluno e consideradas indispensáveis para a formação do perfil profissional do licenciado em Ciências Biológicas. Essas atividades, denominadas de Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACC) ou Atividades Teórico-Práticas, sofreram algumas adequações como o acréscimo de atividades de trabalho voluntário de cunho social e a contabilização na forma de carga horária. O total de 200 h de atividades nas áreas acadêmica, científica e cultural deverão ser realizadas ao longo do curso e incluídas na carga horária total da formação do aluno, ao final do curso. Destaca-se ainda a possibilidade de participação dos alunos em atividades de intercâmbio e mobilidade estudantil, a fim de serem contabilizadas como carga horária para integralização curricular;
- Orientação Acadêmica: Para acompanhar o aluno durante todo o curso ressalta-se a importância da figura do orientador acadêmico. Essa orientação é realizada por um docente do curso de Ciências Biológicas que acompanhará o aluno até o final do curso, orientando suas matrículas nos componentes curriculares a cada semestre. O orientador acadêmico poderá ficar responsável por uma turma do turno diurno e outra do noturno. A orientação acadêmica funcionará de acordo com o regulamento do ensino de graduação e o regimento
interno do curso.
e) Migração curricular: Os alunos que estão cursando o projeto político-pedagógico em vigor não farão migração compulsória para o novo projeto. Este conta com grande parte das disciplinas do projeto anterior, aquelas que tornaram-se optativas continuarão a ser ofertadas, enquanto as novas, iniciarão suas ofertas e poderão inclusive ser cursadas como complementares pelos alunos da estrutura anterior. Algumas equivalências deverão ser adicionadas para aquelas disciplinas que foram fundidas ou rearranjadas para permitir que esses alunos, da estrutura anterior, possam cursá-las.
A criação de um curso e consequente implantação do projeto pedagógico requer o desenvolvimento de um processo de avaliação, seja do próprio projeto pedagógico, seja do processo de ensino-aprendizagem. Desta forma, a dinâmica curricular requer um acompanhamento constante para que se possa estabelecer uma relação entre os princípios norteadores do projeto e a prática desenvolvida, de modo a apontar para uma formação de qualidade. O processo de avaliação está evidenciado no item 8 deste documento.

A gestão do projeto político-pedagógico requer que a avaliação seja realizada de forma contínua para possibilitar a concretização plena dos objetivos propostos.
O acompanhamento e a avaliação do projeto político-pedagógico deverão ser realizados pelos professores que compõem o Núcleo Docente Estruturante, Colegiado do Curso e professores convidados pelo colegiado de curso, juntamente com a equipe de acompanhamento e avaliação de projetos da PROPLAN e PROGRAD. O processo deverá envolver professores e alunos para a realização de reuniões, encontros e oficinas, visando: analisar o seu desempenho, fazer os ajustes necessários e o planejamento de ações que favoreçam o aperfeiçoamento da proposta.
No início de cada semestre serão também realizadas as Semanas de Planejamento Pedagógico, quando a coordenação do Curso se reunirá com professores do Curso, chefes de Departamento, Diretores de Centros e alunos do Curso a fim de discutir ações acadêmico/administrativas que visem o acompanhamento e avaliação da nova proposta pedagógica. Além disto, será elaborado um plano trienal, onde serão delineados objetivos e metas
de acompanhamento da nova proposta pedagógica como ainda, sua avaliação.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao