Banca de QUALIFICAÇÃO: GUSTAVO LOVATTO MICHAELSEN

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GUSTAVO LOVATTO MICHAELSEN
DATA : 09/06/2023
HORA: 09:30
LOCAL: Google Meet, meet.google.com/eop-hgwa-fmo
TÍTULO:

Construção e Validação de um Modelo Prognóstico Integrando Dados de Expressão Gênica e Metilação de DNA em Meduloblastoma


PALAVRAS-CHAVES:

Meduloblastoma, biomarcador prognóstico, metilação de DNA, medicina de precisão


PÁGINAS: 30
RESUMO:

A desregulação da metilação como a hipermetilação de genes supressores tumorais e a hipometilação de oncogenes são cruciais para o processo de tumorigênese e para a manutenção do tumor, inclusive em meduloblastoma (MB). O MB é um dos tumores cerebrais pediátricos mais frequentes e estima-se que um terço dos pacientes irão a óbito devido à doença. Parâmetros prognósticos convencionais apresentam correlações limitadas e não confiáveis com o desfecho da doença. Considerando que a falta de biomarcadores prognósticos precisos é um grande desafio para a melhora clínica dos pacientes com MB, o nosso objetivo foi construir uma assinatura gênica e avaliar seu potencial como um novo modelo prognóstico para pacientes com a doença. Neste estudo nós utilizamos seis conjuntos de dados totalizando 1935 amostras, incluindo dados de expressão gênica e metilação de DNA de MB primário, bem como amostras controle de cerebelo saudável. Nós identificamos genes regulados via metilação (GRMs) em MB, genes cuja sua expressão está correlacionada com sua metilação e que também encontram-se diferencialmente metilados em relação ao tecido saudável. Utilizamos a regressão LASSO, um método estatístico de machine learning supervisionado, aos GRMs tendo como resultado final uma assinatura de dois genes (AG-2) candidatos a biomarcadores prognósticos para o MB (CEMIP e NCBP3). Através de um modelo de escore de risco, confirmamos o impacto na sobrevida global (OS) da AG-2 com a análise de Kaplan-Meier (log-rank p < 0,01). Avaliamos sua robustez e acurácia por meio da área sob a curva ROC prevendo a OS em 1, 3 e 5 anos em múltiplos conjuntos de dados (conjunto de treino: 77,2%, 73,2% e 71,2%, média em três conjuntos de validação: 83,6%, 77,6%, 75,4% em 1, 3 e 5 anos respectivamente). Avaliamos a AG-2 como um biomarcador prognóstico independente com a regressão de Cox multivariada a qual apresentou p-valor < 0,01 em todos os quatro conjuntos de dados avaliados. O modelo de escore de risco da AG-2 regulado via metilação pode efetivamente classificar pacientes com MB em alto e baixo risco, reforçando a importância dessa modificação epigenética nessa doença. Tais genes destacam-se como biomarcadores prognósticos promissores com potencial aplicação nos tratamentos de MB.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1267860 - GUSTAVO ANTONIO DE SOUZA
Presidente - ***.016.910-** - MARIALVA SINIGAGLIA - ICI-RS
Notícia cadastrada em: 30/05/2023 13:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao