Banca de QUALIFICAÇÃO: JUCÉLIA ROSSANA DE MEDEIROS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JUCÉLIA ROSSANA DE MEDEIROS
DATA : 10/02/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Sala virtual
TÍTULO:

Dípteros de Importância Sanitária em Ambientes Urbanos do Agreste Pernambucano.


PALAVRAS-CHAVES:

Dípteros muscóides. Feiras livres. Musca domestica. Sinantropia. Insetos vetores.


PÁGINAS: 74
RESUMO:

A ordem Diptera constitui um grupo diverso de insetos, possui distribuição cosmopolita e alta capacidade de colonizar diferentes tipos de ambientes. Nesta ordem, encontram-se os representantes muscóides que têm alta capacidade de se adaptarem ao ambiente modificado pelo homem – ambientes sinantrópicos, tendo em vista, sua alta plasticidade alimentar e grande capacidade de dispersão. Adicionalmente, apresentam alta relevância médico-sanitária, uma vez que estão relacionados a transmissão de patógenos. Nesse contexto, é sabido que ambientes antrópicos (e.g. feiras livres) com alta circulação humana e oferta de alimentos podem influenciar diretamente na composição e estrutura das assembleias de dípteros muscóides, uma vez que proporciona a oferta de instalações e abundância de alimento para as moscas. Sendo assim, o objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito das feiras livres na composição e estrutura das assembleias de moscas com importância sanitária em ambiente urbano do agreste de Pernambuco. Além disso, buscamos compreender o papel desses insetos na dispersão de ovos de helmintos e cistos de protozoários. Para tal, foram realizadas coletas de dípteros em pontos comerciais da cidade de Toritama, Agreste Pernambucano – Brasil, sendo as moscas capturas a partir de armadilhas denominada “Ratoeira Adesiva Cola Rato” antes e depois da ocorrência das feiras de ruas (feira livre). Ao longo do estudo, um total de 7.780 espécimes pertencentes a seis famílias de dípteros foi registrado. Muscidae foi a família mais representativa com 96,98% de todas as moscas capturadas, seguida de Sarcophagidae (1,99%), Phoridae (0,53%), Calliphoridae (0,42%), Fanniidae (0,03%), e Stratiomyidae (0,02%). Muscidae também foi o táxon mais diverso com o registro de quatro espécies, seguido de Sarcophagidae (3 spp.), Calliphoridae, Phoridae e Stratiomyidae com duas espécies cada, e Fanniidae com uma espécie. Além disso, observou-se que a presença da feira influencia na estrutura das assembleias, sendo esta mais abundante após a ocorrência das feiras (H = 6.56; df = 1; P < 0,01). Em relação a composição das assembleias, 50% das espécies foram comuns aos dois tratamentos, com destaque paras as espécies dominantes Musca domestica e Megaselia scalaris. Houve também a presença de estruturas parasitológicas (similares a ovos de helmintos) nas amostras antes e depois da feira. Dessa forma, as contribuições deste estudo revelam que feiras livres podem modular a estrutura e composição das assembleias de moscas em ambientes urbanos, inclusive podendo oferecer riscos à saúde, já que estruturas parasitológicas estavam sendo transportadas por estes insetos.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - CARINA MARA DE SOUZA
Interna - 1218940 - ANTONIA CLAUDIA JACOME DA CAMARA
Presidente - 067.948.304-77 - TACIANO DE MOURA BARBOSA - UFRN
Notícia cadastrada em: 20/01/2021 08:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao