Banca de DEFESA: NATHAN RAVI MEDEIROS HONORATO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATHAN RAVI MEDEIROS HONORATO
DATA : 03/03/2020
HORA: 09:00
LOCAL: POP Centro de Convivência
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA PRESENÇA DE TRIATOMÍNEOS E DISTRIBUIÇÃO DE DTUs DO Trypanosoma cruzi EM DIFERENTES MESORREGIÕES DO RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Triatoma brasiliensis. Peridomicílio. Trypanosoma cruzi. Discrete Typing Units. Infecção mista.


PÁGINAS: 75
RESUMO:

Este trabalho avaliou a presença de triatomíneos, indicadores entomológicos de triatomíneos e a distribuição das unidades distintas de tipagem (DTUs, do inglês Discrete Typing Units) do Trypanosoma cruzi isolados de vetores em diferentes mesorregiões do estado do Rio Grande do Norte (RN). As capturas dos triatomíneos foram realizadas em áreas rurais de 21 municípios, 71 comunidades rurais e 345 unidades domiciliares no período de 2015 a 2019. A genotipagem foi realizada pelos marcadores do gene mitocondrial da subunidade 2 do citocromo oxidase (CO II), domínio divergente D71 do gene 24Sα do DNA ribossomal (rDNA) e espaçador intergênico dos genes miniexon (SL-IR). A infestação foi observada em 7,5% (26/345) dos intradomicílios e em 16,2% (56/345) dos peridomicílios pesquisados. A presença de ninfas no peridomicílio foi observada em 94,7% (45/47) das unidades domiciliares infestadas, indicando colonização neste ambiente. Um total de 1.084 triatomíneos foram capturados em ambientes antrópicos e silvestres, sendo o Triatoma brasiliensis (84,5%) a espécie mais encontrada, seguida de Triatoma pseudomaculata (14,9%), Panstrongylus lutzi (0,5%), Rhodnius nasutus (0,1%). O T. brasiliensis foi a única espécie encontrada no intradomicílio, peridomicílio e ambiente silvestre, e também infestou a maior variedade de ecótopos. A infecção natural pelo T. cruzi foi observada em 11% (96/872) triatomíneos, sendo T. brasiliensis a espécie com maior número de exemplares (95,0%). Dos 96 triatomíneos infectados, foi possível isolar o parasito de 33 (34,4%) amostras, as quais todas foram genotipadas. A DTU I: haplótipo A no COII, rDNA 2 e SL-IR com 150pb foi identificada em 51,5% (17/33) dos isolados do parasito no peridomicílio infectando T. brasiliensis nas três mesorregiões estudadas, e T. pseudomaculata, na mesorregião Oeste. A DTU II: haplótipo C no COII, rDNA 1, SL-IR com 150pb foi observado em 9,1% (3/33) dos isolados em T. brasiliensis apenas na mesorregião Central tanto no peridomicílio quanto em ambiente silvestre. Enquanto a DTU III: haplótipo B no COII, rDNA 2, SL-IR com 200pb estava em 27,3% (9/33) das amostras e também foi encontrada em todas as mesorregiões, no intradomicílio na mesorregião Oeste, em áreas silvestres no Centro e em peridomicílio no Agreste. A proximidade e até sobreposição de áreas de ocorrência dos genótipos foi observada em várias áreas. Em Caicó, este fato foi evidenciado pela detecção de infecções mistas com TcI e TcII. Estes resultados mostram que o T. brasiliensis continua sendo a espécie com maior importância epidemiológica  no semiárido do RN, devido à ampla distribuição geográfica, alto grau de adaptação aos diferentes ambientes, ecótopos, elevado índice de infecção natural pelo T. cruzi e a diversidade de DTUs, e reforçam a necessidade de vigilância entomológica contínua no estado, a fim de impedir o contato desta espécie com os seres humanos e animais domésticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1218940 - ANTONIA CLAUDIA JACOME DA CAMARA
Externa à Instituição - DANIELLA CASTANHEIRA BARTHOLOMEU
Interna - 1715271 - RENATA ANTONACI GAMA
Notícia cadastrada em: 12/02/2020 16:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao