Banca de DEFESA: TAMYRES BERNADETE DANTAS QUEIROGA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TAMYRES BERNADETE DANTAS QUEIROGA
DATA: 29/01/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Reuniões do Centro de Biociências
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DE RECEPTORES DA IMUNIDADE INATA DURANTE A INFECÇÃO EXPERIMENTAL PELO TRYPANOSOMA CRUZI UTILIZANDO CEPAS/ISOLADOS COM DIFERENTES GRAUS DE VIRULÊNCIA E PATOGENICIDADE


PALAVRAS-CHAVES:

Trypanosoma cruzi, receptores da imunidade inata, citocinas, TcI-VI


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Protozoologia de Parasitos
ESPECIALIDADE: Protozoologia Parasitária Humana
RESUMO:

Estudos recentes têm demonstrado a importância de receptores do tipo Toll (TLRs) e do tipo NOD (NLRs) na resistência à infecção experimental pelo Trypanosoma cruzi. Entretanto, não existem trabalhos que correlacionem a expressão diferencial desses receptores em camundongos durante à infecção por cepas com diferentes graus de virulência e patogenicidade. Com a finalidade de compreender melhor o papel desses receptores na resistência ou susceptibilidade à infecção experimental pelo T. cruzi, camundongos Swiss Webster foram infectados com 1x104 tripomastigotas sanguíneos das cepas/isolados pertencentes aos seis grupos genéticos: Colombiana (Tc-I), Y (Tc-II), PL 1.10.14 (Tc-III), AM 64 (Tc-IV), 3253 (Tc-V) e CL (Tc-VI). Características biológicas inerentes as diferentes cepas/isolados foram avaliadas (parasitemia, sobrevivência e polimorfismo de formas tripomastigotas), juntamente com a expressão de receptores da imunidade inata (TLR1, TLR2, TLR3, TLR4, TLR5, TLR6, TLR7, TLR8, TLR9, NOD1, NOD2 e NALP3), suas moléculas adaptadoras (TRIF, MyD88, RIP2, ASC e Caspase-1), citocinas (IL-1β, IL-6, IL-10, IL-12p35, IL-12p40, IL-18, IFN-g e TNF-α) e da enzima iNOS em tecido muscular cardíaco. As cepas Y e Colombiana apresentaram os maiores picos de parasitemia e geraram 100% de mortalidade nos animais. A cepa CL e o isolado PL 1.10.14 apresentaram picos intermediários de parasitemia e geraram 70% de mortalidade nos camundongos infectados. Por outro lado, a cepa AM64 e o isolado 3253 geram os menores picos de parasitemia e 100% dos animais sobreviveram a infecção. Animais infectados com as cepas Y e Colombiana do T cruzi, cepas muito virulentas e patogênicas, apresentam elevada expressão de RNAm de NALP3, caspase-1, IL-1β, TNF-α e iNOS na musculatura cardíaca. Por outro lado, apresentam redução na expressão de RNAm de TLR4, TLR5, TLR9, TRIF, IL-6 e IL12p35 quando comparado aos demais grupos de animais infectados com cepas que apresentam menor virulência e patogenicidade. Ainda foi observado uma correlação negativa entre a expressão de RNAm de TLR4 e IL-6 e a quantidade de formas tripomastigotas sanguíneas. Os dados sugerem que as cepas Y e Colombiana, virulentas e patogênicas, induzem a inibição na expressão de RNAm de TLR4, TLR5, TLR9 e TRIF e levam ao aumento na expressão de RNAm de NALP3, caspase-1, IL-1β, TNF-α e iNOS na musculatura cardíaca podendo contribuir para a susceptibilidade a infecção.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1752367 - PAULO MARCOS DA MATTA GUEDES
Interno - 1218940 - ANTONIA CLAUDIA JACOME DA CAMARA
Externo à Instituição - CLÉBER DE MESQUITA ANDRADE - UERN
Notícia cadastrada em: 25/01/2016 10:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao