Banca de DEFESA: FERNANDA DE MACEDO COELHO LEITE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FERNANDA DE MACEDO COELHO LEITE
DATA : 10/06/2022
HORA: 10:30
LOCAL: REMOTO
TÍTULO:

SEGURANÇA DO PACIENTE COM COVID-19 NO CONTEXTO HOSPITALAR: REVISÃO DE ESCOPO

 


PALAVRAS-CHAVES:

Serviços de saúde; Segurança do Paciente; Unidades hospitalares; Infecções por Coronavírus; COVID-19; Pandemias.



PÁGINAS: 40
RESUMO:

Introdução: a COrona VIrus Disease - COVID-19, com sua alta transmissibilidade, trouxe novos desafios às instituições de saúde. Exigiu a redefinição de fluxos de atendimento e a criação de novos protocolos, para oferecer uma assistência segura e de qualidade. Sabe-se que a Segurança do Paciente propõe medidas de prevenção e redução de incidentes nos serviços de saúde, no qual resultam em danos desnecessários ao paciente. Sendo assim, conjunto de competências desenvolvidas no âmbito da segurança do paciente são essenciais à adaptação a um ambiente em constante mudança. Objetivo: mapear na literatura científica as ações adotadas para promover a segurança do paciente com COVID-19 no contexto hospitalar. Metodologia: a partir do método revisão de escopo, seguiram-se as etapas propostas pelo Instituto Joana Briggs. Construiu-se a questão de pesquisa baseado no método PCC (População, Conceito e Contexto): P: pacientes com COVID-19; C: promoção do cuidado seguro; C: unidades hospitalares. Foram realizadas buscas em março de 2022 em nove fontes de dados, sendo elas Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature, Cochrane library, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, National Library of Medicine and National Institutes of Health Scientific, Electronic Library Online, Science Direct, Elsevier's Scopus, Web of Science, Wiley Online Library. Resultados: dos 12.264 artigos científicos encontrados, 15 estudos foram selecionados para compor a amostra final. As práticas de segurança do paciente mais recorrentes foram as de contingência e reorganização de leitos, quartos e salas de cirurgias, além do isolamento e distanciamento praticados pelos pacientes e profissionais. Em relação às áreas de atuação onde os estudos foram desenvolvidos, houve predominância dos centros cirúrgicos (26%) seguido por Unidades de Terapia Intensiva adulto e pediátrica (20%). Conclusão: as práticas de contingência e reorganização de leitos, quartos e salas de cirurgia, isolamento e distanciamento praticado por pacientes e profissionais, utilização de Equipamento de Proteção Individual, classificação de risco do paciente, adiamento de procedimentos médicos, reorganização da triagem, educação em saúde e treinamento de profissionais, realização de swab nos pacientes, desinfecção de equipamentos e ambientes e utilização de telessaúde estiveram presentes e tiveram impacto positivo no contexto da pandemia da COVID-19, de maneira a reduzir as chances de complicações a saúde do usuário.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 4665456 - DANIELE VIEIRA DANTAS
Interna - 2330137 - VILANI MEDEIROS DE ARAUJO NUNES
Interno - ***.028.804-** - WILTON RODRIGUES MEDEIROS - UFRN
Externa ao Programa - 2553720 - KATIA REGINA BARROS RIBEIRO
Externo à Instituição - CLEYTON CÉZAR SOUTO SILVA
Notícia cadastrada em: 20/05/2022 14:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao