Banca de DEFESA: ALESSANDRO DA SILVA DANTAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALESSANDRO DA SILVA DANTAS
DATA : 23/10/2018
HORA: 08:00
LOCAL: Departamento de Saúde Coletiva
TÍTULO:

Protocolo de analgesia, sedação e delirium em unidade de terapia intensiva como instrumento de melhoria da qualidade


PALAVRAS-CHAVES:

 Sedação; Analgesia; Delirium; Terapia intensiva; Segurança do paciente 


PÁGINAS: 78
RESUMO:

Introdução: os protocolos de analgesia, sedação e delirium nas Unidades de Terapia Intensiva ( UTI)  promovem conforto, reduzem o estresse e aceleram a recuperação dos pacientes, com redução de erros de avaliação clínica e qualidade no tratamento, adequando o emprego dos fármacos, propiciando segurança do paciente.

Objetivo: implantar protocolo de analgesia , sedação e delirium em uma UTI de um hospital regional do nordeste brasileiro utilizando um ciclo de melhoria da qualidade.

Metodologia: estudo de natureza quantitativa do tipo quase experimental, antes e depois, sem grupo controle, e de intervenção, para a melhoria da qualidade, desenvolvido com a equipe multiprofissional da UTI adulto do Hospital Regional  Deoclécio Marques de Lucena , Parnamirim - RN , no período de março a agosto de 2018. Elencou-se 15 critérios e seis indicadores para medir a qualidade e realizou-se mensurações diárias destes no período pré e pós intervenção. A intervenção abrangeu a implantação do protocolo assistencial de forma participativa , com educação permanente e mudanças nos processos de trabalho. Os dados de não cumprimentos dos critérios foram analisados no gráfico antes-e-depois de Pareto, estimou-se os valores de melhoria absoluta e relativa e a significância estatística mediante o teste do valor Z unilateral para p <0,05.

Resultados: analisou-se os prontuários de 40 pacientes em cada fase do estudo não havendo diferenças estatísticas em relação aos dados demográficos e critérios de gravidade (apache II ) nos dois grupos e dos 43 profissionais da equipe assistencial que foram treinados na fase de intervenção, 74% afirmaram não ter conhecimento prévio das escalas empregadas, entretanto todos relataram segurança no emprego das mesmas  após a intervenção. Houve melhora significativa ( p< 0,001) em 12 dos 15 critérios porém sem diferença nos indicadores de qualidade.

Conclusões: o protocolo de analgesia , sedação e delirium em unidade de terapia intensiva implantado com o uso de ferramentas de melhoria da qualidade (ciclos de melhoria ) são de fácil manejo, baixo custo e efetivos na segurança do paciente.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2171948 - PAULO JOSE DE MEDEIROS
Interno - 4665456 - DANIELE VIEIRA DANTAS
Externo ao Programa - 3149599 - ANA CRISTINA ARAUJO DE ANDRADE GALVAO
Externo à Instituição - PAULA ADRIANA BORBA - UnP
Notícia cadastrada em: 02/10/2018 08:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao