Banca de DEFESA: SUSANA CECAGNO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SUSANA CECAGNO
DATA : 28/07/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Departamento de Saúde Coletiva - UFRN
TÍTULO:

GESTÃO DA QUALIDADE NA ASSISTÊNCIA DO PRÉ-NATAL: ATENÇÃO ÀS INFECÇÕES URINÁRIAS GESTACIONAIS


PALAVRAS-CHAVES:

pré-natal, gestão da qualidade, mortalidade perinatal


PÁGINAS: 478
RESUMO:

Introdução: A infecção urinária na gestação é um agravo importante que pode prejudicar a saúde do binômio mãe-filho e aumentar a morbimortalidade materna e neonatal. Desfechos desfavoráveis da gestação relacionam-se às falhas na capacidade prevenção e resposta diante de intercorrências do pré-natal, parto e puerpério. Atualmente, carecem estudos sobre estratégias que fomentem a melhoria da qualidade do pré-natal e fortaleçam estratégias de gestão pública para otimizar os processos de trabalho, melhorar a acessibilidade das mulheres aos serviços que realizam pré-natal e, principalmente, qualificar a assistência no período gestacional. Objetivo: Avaliar os efeitos de um ciclo de melhoria da qualidade em prevenção e manejo das ITUs no pré-natal. Metodologia: Trata-se de um estudo de natureza quantitativa, com delineamento quase-experimental, tipo antes e depois, sem grupo controle. Aplicou-se um ciclo externo de melhoria da qualidade, com avaliações de cinco critérios de qualidade e dois indicadores sentinela. Foram realizadas duas avaliações, com temporalidade de três  meses entre elas, e dois monitoramentos tipo Lot Quality Acceptance Sampling – LQAS. Entre a primeira e a segunda avaliação, aplicou-se uma intervenção participativa, planejada e norteada pelos resultados da primeira avaliação. As amostras foram aleatórias, constituídas por 120 cartões de gestantes compreendidas entre a 36ª e 42ª semana de gestação para avaliação dos critérios 1, 2, 3 e 4, além dos dados de mortalidade perinatal, que foram coletados do Relatório de Gestão Municipal. Com intuito de identificar o nível de qualidade, foi empregada a estimativa pontual e intervalo de confiança (95%) do cumprimento dos critérios. E, visando a comprovação da efetividade da intervenção, foram calculadas as melhorias absoluta e relativa entre a primeira e a segunda avaliação, assim como a sua significação estatística com teste z unilateral. Resultados: Na análise multivariada da melhoria da qualidade, observou-se que a maioria dos critérios apresentaram significação estatística (p>0,001), exceto o critério 3 que apresentou um p abaixo do esperado. Já os critérios 1, 2 e 4 alcançaram um percentual acima de 65% de cumprimento em ambas às amostras analisadas. Com relação ao critério 5, pode-se inferir que em 10,8% da amostra analisada,  constava registro de resultados de exames de EQU e/ou urocultura alterados, e destas, 53% tinham registro de tratamento adequado. A taxa mortalidade perinatal teve um declínio significativo de 4,7% entre os anos de 2014 e 2015, e a taxa de mortalidade neonatal precoce diminuiu 3,23% entre os anos de 2013 e 2015. Conclusões: A metodologia empregada com o ciclo externo da melhoria da qualidade colaborou no remodelamento dos processos assistenciais do pré-natal e, principalmente, na integração entre as equipes assistenciais e as gestoras dos diferentes níveis de complexidade trabalhadas, fortalecendo a cogestão e a coparticipação dos trabalhadores envolvidos diretamente no cuidado às usuárias, nos processos de gerenciamento da saúde municipal. Possibilitou, também, reflexões acerca dos fluxogramas vigentes, proporcionando seu redesenho, o que refletiu na melhoria do acesso das gestantes aos serviços de saúde e à qualidade assistencial.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2626690 - JANETE LIMA DE CASTRO
Externo à Instituição - JOÃO BOSCO FILHO - UERN
Interno - 1868020 - ZENEWTON ANDRE DA SILVA GAMA
Notícia cadastrada em: 22/07/2016 08:44
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao