Banca de DEFESA: EMANUELE MÔNICA NERIS GOMES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EMANUELE MÔNICA NERIS GOMES
DATA: 26/08/2015
HORA: 09:00
LOCAL: AUDITÓRIO C DO CCHLA
TÍTULO:

Diários de Leituras – uma ferramenta na construção de leitores responsivos no Ensino Fundamental


PALAVRAS-CHAVES:

Enunciado - Gêneros do discurso - Diário de leitura -  Posicionamentos - Sequência didática.

 


PÁGINAS: 180
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada
RESUMO:

Este trabalho tem por objetivo problematizar como o gênero Diário de leitura pode impactar as práticas de leitura e de escrita nos anos finais do Ensino Fundamental. Para isso, descrevemos as múltiplas vozes presentes em Diários de Leitura de alunos do Ensino Fundamental. Para tal análise, apoiamo-nos nas concepções de Bakhtin (2003) e o Círculo, na perspectiva dialógica da linguagem e nas concepções de língua/linguagem, de enunciado e de gêneros discursivos. Tal fundamentação nos propicia entendermos que os Diários de Leitura produzidos são enunciados e, por isso, constituem um recorte de um contexto, na grande temporalidade em que estamos inseridos, como também revelam as tensões e atravessamentos presentes nos dizeres de sala de aula. Constatamos, no percurso da pesquisa, que as práticas de leitura e de escrita desenvolvidas na escola não possibilitam que as vozes dos alunos sejam reveladas, por estarem, em grande parte do tempo, presas a questões relacionadas à forma do texto e à ortografia, comprometendo, assim, quase sempre, a expressão da responsividade e a afirmação de posicionamentos. Confirmamos, ainda, a relevância dos diários de leitura como gênero que possibilita a expressão da responsividade e da criticidade, algo pouco explorado nas aulas de LM, como apontam as avaliações oficias, tais como Saeb e a Prova Brasil. Nesse sentido, apoiamo-nos em Machado (1998), no que diz respeito aos Diários de Leitura, como gênero organizador de atividades de leitura; em Solé (1997) e Geraldi (1990, 2003) para embasar nossa discussão sobre as práticas de leitura e escrita desenvolvidas na Educação Básica. Descrevemos, ainda, a sequência didática desenvolvida e analisamos os diários produzidos, revelando quais dizeres revelam os posicionamentos e a criticidade.  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Interno - 349685 - MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
Externo à Instituição - ARACELI SOBREIRA BENEVIDES - UERN
Notícia cadastrada em: 19/08/2015 10:40
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2018 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao