Banca de QUALIFICAÇÃO: JOÃO GUALBERTO DE CERQUEIRA JÚNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOÃO GUALBERTO DE CERQUEIRA JÚNIOR
DATA: 06/09/2012
HORA: 15:30
LOCAL: Auditório INPE CRN
TÍTULO:

Estudo da Interferência dos Parâmetros Meteorológicos na Variabilidade Temporal da Espessura Ótica no Nordeste do Brasil.


PALAVRAS-CHAVES:

Estabilidade Ótica; Fotômetro Solar; Parâmetros Meteorológicos; Método de Langley


PÁGINAS: 79
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
SUBÁREA: Meteorologia
RESUMO:

Dentre os vários componentes constituintes da atmosfera, o vapor de água e os aerossóis são os que apresentam a maior variabilidade temporal, devido a fenômenos naturais e antropogênicos. O vapor de água integrado (IWV) é a coluna de vapor de água encontrada da superfície do planeta até a altitude de 300hPa em pressão atmosférica. O IWV na atmosfera tem forte absorção da radiação infravermelha, exercendo assim um papel importante no balanço de energia do planeta. Os aerossóis, que são formados pelos mais diferentes tipos de substâncias, também têm uma forte contribuição no balanço de energia terrestre, mas a contribuição desse balanço no clima não está totalmente esclarecida. A medida da espessura ótica tem sido muito empregada em modelos de transporte de poluentes e de previsões climáticas, sendo uma forma, prática e precisa, de
2
monitorar o IWV e aerossóis. Este monitoramento se dá por meio da medida da atenuação da radiação solar que chega à superfície do planeta. A atenuação acontece devido à absorção e ao espalhamento da radiação solar por um elemento presente na atmosfera, para um dado comprimento de onda. O monitoramento dessa atenuação pode ser feito por fotômetro solar que, por meio de filtros óticos, limitam a faixa de passagem da radiação solar na banda a ser estudada. Na calibração do fotômetro solar são usados o Método de Langley (ML) e Método de Langley Modificado (MLM), para AOT e IWV, respectivamente, quando se exige uma atmosfera estável, ou seja, variações mínimas na absorção e espalhamento da radiação solar. Pequenas variações de absorção do espalhamento interferem diretamente no coeficiente de calibração do equipamento. O objetivo é estudar a possibilidade de calibração do fotômetro solar desenvolvido neste trabalho, comparando uma possível interferência dos parâmetros meteorológicos, analisando-se a frequência e a intensidade destes parâmetros na variabilidade da espessura ótica. Serão investigados sítios, na região semiárida do nordeste do Brasil, que possam oferecer condições de estabilidade ótica, mapeando-se os períodos propícios à calibração do fotômetro solar.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1235107 - GEORGE SANTOS MARINHO
Presidente - 1808127 - JOSE HENRIQUE FERNANDEZ
Interno - 1879213 - JUDITH JOHANNA HOELZEMANN
Interno - 1474380 - MARCIO ASSOLIN CORREA
Notícia cadastrada em: 03/09/2012 09:07
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao