Banca de DEFESA: LIZANDRO PEREIRA DE ABREU

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LIZANDRO PEREIRA DE ABREU
DATA : 21/09/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório CCET
TÍTULO:

Relâmpagos no Nordeste do Brasil: Ocorrência, Variabilidade espaço-temporal e relação com microfísica das nuvens


PALAVRAS-CHAVES:

Sensoriamento remoto, relâmpagos, TRMM, LIS, nuvens de tempestade.


PÁGINAS: 130
RESUMO:

Os relâmpagos constituíram, na história da humanidade, o ponto central das observações de diversas comunidades científicas ao redor do mundo, sem dúvida devido às características agressivas e devastadoras de suas ocorrências. Este importante fenômeno atmosférico pode produzir grandes contratempos para a sociedade, podendo ocasionar anormalidades ou desligamentos na rede de distribuição de energia elétrica, incêndios, acidentes relacionados a meios de transporte, tais como aviões e navios, avarias aos sistemas de telecomunicações, podendo ainda ocasionar mortes de seres humanos e animais. Estima-se que cerca de 60-75 milhões de relâmpagos ocorram anualmente, sendo esses responsáveis pela morte de, em média, 132 pessoas todos os anos no Brasil. A região Nordeste do Brasil (NEB) concentra 18 % da totalidade de óbitos ocorrida em todo o território nacional, e se considerarmos a população das diferentes regiões, o estado do Piauí apresentou a maior taxa de mortalidade da região (1,8 mortes por milhão); sendo esse valor bastante superior à taxa nacional (0,8) e do próprio NEB (0,5). Estudos têm evidenciado que a formação dos relâmpagos está associada à colisão entre as partículas de gelo (cristal e graupel), na presença de água líquida super-resfriada em regiões com fortes correntes ascendentes. Nesse sentido, este trabalho busca avaliar a distribuição espaço-temporal dos relâmpagos no NEB, bem como investigar a relação dos relâmpagos com a microfísica das nuvens, compreendendo o período de 1998 a 2013. Dentro deste escopo, foram utilizados dados de duas plataformas orbitais: i) a partir do satélite Tropical Rainfall Measuring Mission (TRMM) foram utilizados os dados dos sensores Lightning Imaging Sensor (LIS), TRMM Microwave Imager (TMI) e Precipitation Radar (PR), que fornecem informações sobre a ocorrência de relâmpagos totais (intranuvem e nuvem-solo) e conteúdo vertical da atmosfera (hidrometeoros, taxa de precipitação, tipo de chuva); ii) a partir da plataforma Terra, por meio do sensor Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer (ASTER) foram utilizados os dados de elevação do terreno, para verificarmos a influência do relevo na taxa de relâmpagos. Os dados foram analisados na forma de distribuição mensal, sazonal e geral. A distribuição geral foi trabalhada com base na Análise de Agrupamentos, além de auxiliar na identificação dos pontos de maior ocorrência de relâmpagos (hotspots). Por fim, os relâmpagos foram analisados de acordo com a técnica dos quantis, onde buscou-se a distinção em função das características microfísicas das nuvens. O NEB possui grande variabilidade espacial e temporal nas taxas de relâmpagos registradas em seu território, com média variando de 0 a 44,5 relâmpagos/km²*ano. As regiões onde foram registrados índices elevados de relâmpagos totais localizam-se nos estados do Piauí, Maranhão e parte oeste Bahia (compreendendo todos os 20 hotspots do NEB. A topografia da região parece agir como facilitador do processo convectivo propiciando a formação de intensas correntes ascendentes imprescindíveis para geração de cargas elétricas no interior das nuvens de tempestade. A análise de agrupamentos em conjunto com a investigação das características de cada um dos hostspots nos permitiu inferir que a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) e os Sistemas Convectivos de Mesoescala (SCM), são os principais sistemas associados aos relâmpagos no território do NEB, estando os hotspots de relâmpagos caracterizados como locais de ocorrências destes sistemas. Quanto aos parâmetros microfísicos da nuvem, foi observado que associado à ocorrência de relâmpagos, a atmosfera possui menores valores de água líquida na nuvem, quantidades elevadas de gelo, elevada taxa de precipitação convectiva, elevação do nível de congelamento e alta probabilidade de precipitação (ou a ocorrência desta); estas informações permitiram a proposição de um modelo conceitual das características microfísicas presentes quando ocorrem relâmpagos no NEB.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1164414 - WEBER ANDRADE GONCALVES
Interno - 1752417 - CLAUDIO MOISES SANTOS E SILVA
Interno - 320597 - PAULO SERGIO LUCIO
Externo à Instituição - ENRIQUE VIEIRA MATTOS - UNIFEI - UNI
Notícia cadastrada em: 13/09/2018 14:37
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao