Banca de QUALIFICAÇÃO: FELIPE FERREIRA MONTEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FELIPE FERREIRA MONTEIRO
DATA : 30/04/2018
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

ESTUDO SOBRE ILHA DE CALOR URBANA E SUA INFLUÊNCIA NA VARIABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO NAS CAPITAIS ESTADUAIS BRASILEIRAS.


PALAVRAS-CHAVES:

Clima urbano; Precipitação urbana;TRMM; MODIS.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

As cidades ocupam menos 1% da área total do planeta, mas estima-se que 50% da população mundial atual esteja em áreas urbanas e que essa proporção aumentará para 70% em 20 anos, causando transformações no uso dos recursos naturais dentro do ambiente urbano. Vários estudos demonstram que o processo de urbanização causa alterações no meio natural, modificando o equilíbrio atmosférico, levando a transformações no clima do meio urbano e alterando diferentes variáveis como velocidade dos ventos, regime de pluviosidade, além de anomalias nas temperaturas causando o fenômeno da ilha de calor urbana. O uso de dados de sensoriamento remoto tem sido um grande aliado nas pesquisas climáticas urbanas, por sua capacidade em obter dados de temperatura de superfície, dentre outras variáveis, com uma distribuição espacial regular, permitindo uma analise de sua interação com outras variavéis relacionadas às condições da superfície. O objetivo desse estudo é avaliar a formação de ilhas de calor de superfície e a influência nas características pluviométricas das capitais estaduais brasileiras. Serão estudadas todas capitais classificadas como grandes aglomerações urbanas, o que totaliza 21 grandes cidades, sendo três na região centro oeste, três da região sul, quatro capitais da região sudeste, duas da região norte e nove na região nordeste. Pretende-se analisar a formação de ilha de calor de urbana diurna e noturna, durante o período seco de cada cidade, entre os anos 2000 à 2016. Aquelas que forem identificadas com as maiores intensidades de ilha de calor, pretende-se verificar a existência de diferenciais quanto ocorrência e a intensidade de precipitação, comparando-se as áreas urbanas com as não urbanas. Para desenvolvimento da pesquisa serão utilizados dados de sensoriamento remoto do sensor MODIS e de radar, do satélite Tropical Rainfall Measuring Mission (TRMM). Para cada uma das cidades estudadas, serão determinados os meses do ano com menor volume de chuvas, denominado de período seco, a partir dos dados pluviométricos de campo. Utilizando o produto MODIS MCD12Q1, que fornece a classificação de uso do solo, serão delimitadas as áreas urbanas de cada capital e com o produto MODIS MOD11A2, o qual fornece a temperatura de superfície, serão determinadas as ilhas de calor, diurna e noturna, para o meses secos nas diferentes cidades. Para avaliar os diferenciais na pluviosidade, quanto ao uso do solo urbano e não urbano, serão utilizados dados do produto 2A25, que fornece a taxa de chuva horária, proveniente de satélite TRMM. Como primeiros resultados, foi delimitado o período seco das diferentes capitais e obtidas as temperaturas de superfície média anual, para a área urbana e área de borda. Com valores de temperatura obtidos, foi calculada a ilha de calor médio do período seco para cada uma das capitais consideradas no estudo, em que, as cidades da região Nordeste apresentaram valores de ilha de calor em média de 2°C, enquanto para as cidades da região centro-oeste, apresentaram valor máximo da ilha de calor em 1,5°C. Por meio de uma analise de agrupamento, foram identificados cinco diferentes clusters baseado no valor de ilha de calor ao longo do período de estudo, sendo um grupo formado pela cidades de Manaus, isolada, que apresentou valores de ilha calor com até 3 °C, outro com Belém, Recife e Porto Alegre, que apresentaram ilha de calor, entre 2,5 e 3 °C de diferença, sendo essas as capitais que apresentaram as maiores intensidades de ilha de calor em todo o Brasil, enquanto que cidades como São Luis, para o período estudado apresentou valor inferior a 0.5 °C.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1164414 - WEBER ANDRADE GONCALVES
Interno - 1858120 - DAVID MENDES
Interno - 1346630 - LARA DE MELO BARBOSA ANDRADE
Interno - 1249023 - SEBASTIAO MILTON PINHEIRO DA SILVA
Notícia cadastrada em: 23/04/2018 08:34
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao