Banca de DEFESA: JEAN SOUZA DOS REIS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JEAN SOUZA DOS REIS
DATA : 27/02/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de Reuniões do CCET
TÍTULO:

CARACTERÍSTICAS DINÂMICAS E TERMODINÂMICAS DOS VÓRTICES CICLÔNICOS DE ALTOS NÍVEIS NO NORDESTE DO BRASIL



PALAVRAS-CHAVES:

VCAN, rastreamento, termodinâmica


PÁGINAS: 79
RESUMO:

Este trabalho dedica-se a estudar características dinâmicas e termodinâmicas dos Vórtices Ciclônicos de Altos Níveis (VCAN) atuantes no Nordeste do Brasil (NEB), a partir de algoritmo de identificação objetiva de VCAN (AIOV) utilizando dados do ERA-Interim das reanálises do modelo European Centre for Medium-Range Weather Forecasts (ECMWF), o conjunto de precipitação do Climate Prediction Center (CPC), do NCEP (National Centers for Environmental Prediction) ambos no período de 1980 até 2016. O AIOV apresentou ganho na eficiência após as duas melhorias adicionadas podendo ser redirecionado para outros estudos. Os resultados do AIOV foram confirmados pela própria climatologia identificando 1493 VCAN, 51% ocorrendo no verão e 5% no inverno astral. Na análise da climatologia espacial, as regiões de maior ocorrência do VCAN sobre o continente são: A região central de Pernambuco; O litoral na divisa de Pernambuco e Paraíba; litoral norte da Bahia; Região central da Bahia; Região sul da Bahia. Observa-se que no Oceano Atlântico Sul adjacente a costa do NEB existe uma grande densidade de VCAN. No verão, os VCAN ocorrem com maior frequência nas regiões litorânea e centro-sul da Bahia, central de Pernambuco e no litoral da divisa de Pernambuco e Paraíba, enquanto no outono, a região central e litoral da Bahia são as mais afetadas. A evidencia de que este sistema age como um inibidor de precipitação no NEB é mostrado quando se relaciona precipitação e posicionamento preferencial do VCAN. Esse resultado indica que além dos sistemas que alteram a dinâmica da precipitação, o VCAN é responsável pelo déficit hídrico. O perfil atmosférico da divergência mostra que existe uma troca de fase na atmosfera média, a análise mensal da vorticidade e da divergência mostram que março é o mais de VCAN mais intensos. Duas sondagens conceituais são apresentadas, elas mostram que o nível de condensação de levantamento (NCL) em 860 hPa no centro do VCAN e 940 hPa na borda. O perfil sobre a região da borda se mostrou mais instável do que o perfil no centro do VCAN. O comportamento analisado pelos índices termodinâmicos, indicam que ocorre situações em que mesmo sem a termodinâmica local favorável, a atmosfera responde a um sistema dinâmico mais intenso que força condições para favorecer a convecção.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1164414 - WEBER ANDRADE GONCALVES
Interno - 1752417 - CLAUDIO MOISES SANTOS E SILVA
Interno - 1858120 - DAVID MENDES
Interno - 1346630 - LARA DE MELO BARBOSA ANDRADE
Externo à Instituição - CLÊNIA RODRIGUES ALCÂNTARA - UFCG
Notícia cadastrada em: 06/02/2018 17:09
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao