Banca de QUALIFICAÇÃO: RAFAEL VICTOR DE MELO SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAFAEL VICTOR DE MELO SILVA
DATA: 29/03/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala I3 do Setor 2 de Aulas do CCHLA
TÍTULO:

EVENTOS METEOROLÓGICOS, ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL E DIAGNÓSTICO DA OCUPAÇÃO E DO PROCESSO DE EROSÃO COSTEIRA NA PRAIA DE PONTA NEGRA (NATAL/RN), SUAS RELAÇÕES E IMPLICAÇÕES AMBIENTAIS.


PALAVRAS-CHAVES:

: eventos meteorológicos; análise espaço-temporal. erosão costeira; Praia de Ponta Negra; sensoriamento remoto


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
SUBÁREA: Geografia Física
ESPECIALIDADE: Climatologia Geográfica
RESUMO:

Atraído pela riqueza dos recursos naturais disponíveis e de fácil acesso, o homem sempre buscou instalar a sua infraestrutura de ocupação, defesa e sobrevivência cada vez mais próxima e focada nas Zonas Costeiras. Com esta perspecpetiva, o desenvolvimento dos grandes centros urbanos deu-se atrelado a essa porção geográfica do espaço, que de um ambiente inicialmente inóspito, passou a ser um dos lugares mais disputados das cidades. Essas ocupações, ao longo dos tempos, se deu, via de regra, sem planejamento e de forma desordenada. A Praia de Ponta Negra, localizada ao sul da cidade de Natal, retrata bem o processo comumente praticado  pelo homem de ocupação das terras, de forma lenta e gradual, mediante a exploração dos recursos naturais, impondo alterações na paisagem a partir do desmatamento, das práticas de cortes e aterros para urbanização, da especulação do preço da terra e da instalação de inúmeras atividades econômicas ao longo da praia. A implementação de políticas públicas voltadas quase que exclusivamente para a atividade turística também tem gerado impactos ambientais significativos nas  zonas costeiras. A dinâmica da ocupação de Ponta Negra gerou condições favoráveis ao crescente processo erosivo que resultou no cenário de destruição da praia que é cartão postal da capital potiguar. A questão despertou o interesse em desenvolver esta pesquisa, compreendendo o levantamentos de dados em órgãos públicos e em registro de jornais, no período de 1950 a 1987 e de 2005 a 2016, para identificação de eventos de natureza erosiva costeira nos dados sedimentológicos, de perfis de praia e de sistemas metereológicos atuantes no NEB (El Niño, El Niña, precipitação, ventos) associados aos momentos erosivos identificados. O emprego de dados de sensoriamento remoto servirá como principal instrumento para identificação das feições naturais pretéritas e das mudanças ocorridas no uso e ocupação do solo entre 1970 e 2015, frente ao processo de urbanização e da dinâmica populacional que destruiu feições geomorfológicas importantes ao equilíbrio praial. Entre os principais resultados esperados estão o posicionamento espaço-temporal dos principais eventos metereológicos e de mudanças ambientais ocorridos, suas relações e impactos na praia. Neste trabalho são apresentados a estrutura geral da pesquisa, da dissertação e os primeiros resultados da investigação da área de estudos que sofre com forçantes naturais e antrópicos e apresenta processo erosivo na praia.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1249023 - SEBASTIAO MILTON PINHEIRO DA SILVA
Interno - 1346630 - LARA DE MELO BARBOSA ANDRADE
Interno - 345792 - MARIO PEREIRA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 10/03/2016 12:37
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao