Banca de DEFESA: ANA CARLA DOS SANTOS GOMES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CARLA DOS SANTOS GOMES
DATA: 06/03/2015
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

MODELAGEM DE INTERNAÇÕES E ÓBITOS POR MEIO DE VARIÁVEIS ATMOSFÉRICAS PARA A REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - SP NO PERÍODO DE 10 ANOS (2000 A 2010).


PALAVRAS-CHAVES:

Clima, Saúde, Poluição do Ar


PÁGINAS: 97
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

O clima e a poluição do ar, dentre outros, são fatores responsáveis pelo aumento da vulnerabilidade da saúde das populações residentes nos grandes centros urbanos. Alterações climáticas combinadas a altas concentrações de poluentes atmosféricos estão associadas a doenças respiratórias e cardiovasculares. Neste sentido, o objetivo principal da pesquisa é modelar de diferentes formas a relação clima e saúde, especificamente para a população de crianças e idosos residentes em São Paulo. Para tanto, foram utilizados dados de variáveis meteorológicas, poluentes atmosféricos, internações e óbitos por doenças respiratórias e cardiovasculares no período de 10 anos (2000 a 2010). Por intermédio da modelagem via equações de estimação generalizadas, captou-se o risco relativo. Com a regressão dinâmica, foi possível prever o número de óbitos por meio das variáveis atmosféricas e o modelo beta-binomial-poisson foi capaz de estimar o número de óbitos e simular cenários. Os resultados mostraram que o risco das internações por asma aumenta aproximadamente duas vezes para crianças expostas às concentrações do material particulado do que crianças que não são expostas. O risco de morte por infarto agudo do miocárdio de idosos aumenta em 3%, 6%, 4% e 9% devido ao CO, SO2, O3 e PM10, respectivamente. Com relação à modelagem via regressão dinâmica, os resultados mostraram que os óbitos por doenças respiratórias podem ser previstos de forma consistente. Já o modelo beta-binomial-poisson conseguiu retratar o número médio de óbitos por insuficiência cardíaca, na região de Santo Amaro o número observado foi de 2.462 e o simulado de 2.508, na região da Sé o observado foi de 4.308 e o simulado de 4.426, o que possibilitou a geração de cenários que possam servir como parâmetro para a análise destinada à tomada de decisão. A partir dos resultados obtidos, é possível contribuir com metodologias que possam auxiliar a compreensão da relação clima e saúde fornecendo subsídios aos gestores no planejamento de políticas de saúde pública e ambiental.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1752417 - CLAUDIO MOISES SANTOS E SILVA
Interno - 1879213 - JUDITH JOHANNA HOELZEMANN
Presidente - 350691 - MARIA HELENA CONSTANTINO SPYRIDES
Interno - 320597 - PAULO SERGIO LUCIO
Notícia cadastrada em: 13/02/2015 10:43
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao