Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSÉ PEDRO DA SILVA JÚNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ PEDRO DA SILVA JÚNIOR
DATA: 23/07/2014
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório da Geofísica
TÍTULO:

Desenvolvimento de um sensor magnético de fluxo saturado para fins aeroespaciais.


PALAVRAS-CHAVES:

Magnetômetro Fluxgate, Eletrojato Equatorial, Sfotware LabView, Carga Útil.


PÁGINAS: 51
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

O presente trabalho visa à utilização de um sensor magnético para medir campos magnéticos de pequena intensidade, estáticos ou de pequenas variações. Para isto é indicado o uso do magnetômetro do tipo fluxgate, que funciona a partir da saturação de um material ferromagnético que é utilizado como núcleo do sensor.  O objetivo de usar um sensor magnético com uma alta sensibilidade é tentar medir variações no campo geomagnético, em regiões próximas ao equador geomagnético, que a uma determinada altura, não estão previstas pelo modelo da IGRF. Estas variações são causadas pela alta concentração de uma corrente elétrica variável que flui de oeste para leste, a uma altura de 90 km até 120 km do solo e possui 600 km de largura, corrente elétrica na qual é denominada de Eletrojato Equatorial. Este trabalho está dividido em duas etapas: a primeira tem como objetivo a instrumentação do sensor, montar o aparato experimental, construir um programa em plataforma LabView e medir o campo geomagnético no solo; a segunda tem como objetivo mostrar uma forma de embarcar o magnetômetro fluxgate em um foguete de sondagem, para que o sensor se aproxime deste fenômeno atmosférico e possa medi-lo com maior precisão, para isso será necessário submeter o sensor a vários problemas que ocorrerão durante lançamento do veículo, como o empuxo causado pela queima do propelente no motor, onde esse poderá ‘esmagar’ o experimento na decolagem, também a influência do lastro no experimento, além da presença dos equipamentos eletrônicos que fazem parte da estrutura do veículo que poderão atrapalhar as medidas e a metalização externa. O veículo ideal para este trabalho é o VS-30, pois possui um desempenho de 260 kg de carga útil para um apogeu de 140 km, sendo assim, o foguete passará pode dentro da região de maior concentração do eletrojato equatorial, sendo possível fazer medidas precisas dos campos magnéticos gerados por esta corrente elétrica.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 346466 - ENIVALDO BONELLI
Interno - 1235107 - GEORGE SANTOS MARINHO
Interno - 348011 - GILVAN LUIZ BORBA
Presidente - 350830 - JOSE HUMBERTO DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 21/07/2014 14:40
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao