PGE/CB PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA CENTRO DE BIOCIÊNCIAS Telefone/Ramal: (33) 4222-34/401 https://posgraduacao.ufrn.br/pge

Banca de DEFESA: AUGUSTO CÉSAR CAVALCANTI GOMES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AUGUSTO CÉSAR CAVALCANTI GOMES
DATA : 31/05/2024
HORA: 08:30
LOCAL: https://meet.google.com/idi-sorf-bwo
TÍTULO:

IMPACTOS NA QUALIDADE DA ÁGUA CAUSADOS PELA ANTROPIZAÇÃO DA ZONA RIPÁRIA EM RESERVATÓRIOS NO SEMIÁRIDO TROPICAL BRASILEIRO


PALAVRAS-CHAVES:

caatinga; eutrofização; geoprocessamento; mata ciliar; uso e ocupação do solo


PÁGINAS: 55
RESUMO:

Os efeitos da antropização do ecossistema terrestre afetam os ecossistemas aquáticos que recebem os nutrientes provenientes da bacia hidrográfica por meio de processos superficiais do solo. A aplicação do geoprocessamento pode ser uma ferramenta valiosa para a gestão sustentável desses ecossistemas, auxiliando na tomada de decisões relativas às medidas de proteção da zona ripária e do ecossistema aquático. O objetivo do nosso trabalho foi avaliar a influência do uso e ocupação da zona ripária na qualidade da água de reservatórios da região semiárida tropical. Os reservatórios foram divididos em grupos – grandes (n = 6) e médios (n = 11) – de acordo com o volume máximo de água (maior ou menor que 75 hm³). Nossa hipótese foi de que reservatórios grandes apresentam maiores áreas de antropização devido à extensão das zonas ripárias, porém as consequências na qualidade da água são retardadas por conta do efeito de diluição do seu maior volume de água estocada. Enquanto que os reservatórios médios tem uma resposta mais imediata na intensificação da eutrofização, uma vez que seu volume de estocagem é menor e se tornam mais vulneráveis aos efeitos climáticos da região semiárida tropical. O estudo foi conduzido em 17 reservatórios da região do semiárido tropical, localizados nas bacias hidrográficas Apodi-Mossoró (RN), Piancó-Piranhas-Açú (RN/PB) e do rio Paraíba (PB), no nordeste brasileiro. Foram realizadas análises de uso e ocupação do solo na zona ripária, dentro de um zoneamento de 100 metros a partir da margem de cada reservatório, através de análise de geoprocessamento. As categorias de uso e ocupação do solo utilizadas foram: mata galeria; caatinga densa; caatinga esparsa; solo exposto e urbana. As zonas ripárias dos reservatórios apresentaram uma elevada taxa de antropização devido à ocupação do solo de áreas agrícolas/pastagem, solo exposto e urbana. Os efeitos da antropização na qualidade da água receberam contribuições de variáveis limnológicas dos sólidos em suspensão, frações de carbono, clorofila-a, e fósforo total. A supressão da vegetação nativa pode minimizar o efeito tampão que os solos e a vegetação exercem na zona ripária. A vegetação densa da caatinga apresentou remanescentes e podem não ser suficientes para proteger o influxo da poluição difusa para os reservatórios. Esses reservatórios apresentaram vegetação de caatinga esparsa na área de drenagem que promovem maior influxo de nutrientes quando inundados.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 2412921 - JULIANA DEO DIAS
Externo à Instituição - JULIANA DOS SANTOS SEVERIANO
Interno - 1177742 - RONALDO ANGELINI
Presidente - 1764855 - VANESSA BECKER
Notícia cadastrada em: 20/05/2024 13:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao