PGE/CB PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA CENTRO DE BIOCIÊNCIAS Telefone/Ramal: (33) 4222-34/401 https://posgraduacao.ufrn.br/pge

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANDERSON DANTAS LEAL

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDERSON DANTAS LEAL
DATA : 23/03/2023
HORA: 08:30
LOCAL: Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=0D9vmDUxmQs)
TÍTULO:

Padrões de diversidade de formigas à escala local, regional e global


PALAVRAS-CHAVES:

Biogeografia; Comunidades; Restauração; Perturbações; Perda de habitat.


PÁGINAS: 103
RESUMO:

A biodiversidade é estruturada espacialmente seguindo processos que agem em diferentes escalas. Clima, perturbações antrópicas e interações bióticas, por exemplo, atuam principalmente em escalas globais, regionais e locais respectivamente. Descrever padrões de biodiversidade nos fornecem importantes informações para a determinação de protocolos de conservação atuais e futuros. Entretanto, dado a insuficiência de informações sobre a distribuição e enviesamentos espaciais, muitos táxons são negligenciados nos planos de conservação. As formigas estão envolvidas na manutenção de populações de plantas e de condições químicas e físicas do solo globalmente, porém existem lacunas de conhecimento sobre os determinantes dos seus padrões globais de biodiversidade, suas respostas as perturbações antrópicas crônicas e como elas respondem à composição vegetal, o que acarretam incertezas sobre a conservação do grupo. Na tese, nos propomos a investigar os determinantes da diversidade de formigas em três distintas escalas, (i) global, testando o efeito do clima e topografia, (ii) regional, testando o efeito das perturbações antropogênicas e (iii) local, testando o efeito da diversidade das plantas e suas capacidades de facilitação. Neste sentido, a tese esta estrutura em três capítulos. O primeiro capítulo visa testar a força relativa dos gradientes abióticos na determinação dos padrões espaciais de diversidade das formigas no mundo e entre domínios biogeográficos. Utilizamos regressões múltiplas para relacionar dados globais de diversidade de formigas  com dados climáticos e topográficos. Os resultados indicam que as formigas são altamente diversificadas nas regiões tropicais, particularmente em locais com maior precipitação anual e temperatura média mais alta. No entanto, os determinantes entre reinos zoogeográficos variaram muito, desafiando a generalidade do padrão geral, mostrando a importância de considerar os contextos históricos e ecológicos regionais na investigação de padrões de biodiversidade. No segundo capítulo testamos como perturbações antropogênicas crônicas, índice geral ou seus vetores (ex. retirada de lenha), e agudas (perda de habitat) influenciam a riqueza de espécies de formigas, a riqueza de espécies especialistas em habitat e espécies generalistas na Caatinga. Para tanto construímos um banco de dados estruturado a partir de estudos de diversidade de formigas na Caatinga em diferentes cenários de perturbação, e em seguida ajustamos regressões múltiplas para testar os efeitos dos vetores de perturbação sobre os padrões de diversidade de formigas. No geral, descobrimos que a perda de habitat diminui a riqueza de espécies em qualquer nível, riqueza de espécies, apenas espécies especialistas ou generalistas, enquanto o índice geral de perturbação crônica afeta particularmente as espécies especialistas. Adicionalmente, os vetores individuais de perturbação quando combinados com a perda de habitat têm efeitos e magnitude diferentes sobre o aspecto da biodiversidade analisado (espécies no geral, especialistas ou generalistas), indicando a necessidade de abordagens específicas de conservação. (3) o terceiro capítulo visa testar como a diversidade de plantas, facilitação promovida por árvores e a presença de plantas com nectários extraflorais afetam os padrões de diversidade de formigas, incluindo a riqueza de espécies, a diversidade filogenética e a abundancia. Para isto, amostramos a fauna de formigas nas 155 parcelas da área experimental do projeto BrazilDry, um experimento de biodiversidade instalado na Floresta Nacional de Açu que possui plotes com uma, duas, quatro, oito e 16 espécies de plantas, com diferentes composições, e que possui um gradiente de facilitação. Nossos resultados indicam que a diversidade de plantas é o principal mecanismo que explica a riqueza e diversidade filogenética de formigas no experimento BrazilDry. Adicionalmente, percebemos que a riqueza, diversidade filogenética e abundancia das formigas tem uma forte organização espacial no experimento. Nossas descobertas, possivelmente são relacionadas a um efeito de baixo para cima na cadeia trófica, quando as plantas providenciam importantes recursos para formigas, aumentando sua diversidade. Com a tese, preenchemos lagunas importantes sobre a biogeografia das formigas do mundo, seus determinantes, e adicionalmente as respostas das comunidades de formigas aos efeitos antrópicos positivos e negativos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1678202 - CARLOS ROBERTO SORENSEN DUTRA DA FONSECA
Interno - 1718346 - EDUARDO MARTINS VENTICINQUE
Interna - 1914239 - MIRIAM PLAZA PINTO
Notícia cadastrada em: 21/03/2023 11:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao