Banca de DEFESA: JINADIENE DA SILVA SOARES MORAES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JINADIENE DA SILVA SOARES MORAES
DATA : 31/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/isj-ggtr-rep
TÍTULO:

ÉTICA EM QUESTÃO: as estratégias para consolidação do Projeto Ético-Político do Serviço Social na Secretaria Municipal de Saúde de Maceió


PALAVRAS-CHAVES:

Serviço Social; Projeto Ético-Político; Política de Saúde; Trabalho.

 


PÁGINAS: 350
RESUMO:

A pesquisa teve como objeto de estudo os desafios ético-políticos e as estratégias utilizadas no cotidiano profissional pelas assistentes sociais da Saúde para a consolidação do projeto ético-político do Serviço Social (PEP) e teve, como objetivo principal, conhecer e analisar os desafios ético-políticos e as estratégias utilizadas pelos assistentes sociais para a consolidação do PEP. Para tanto, foram definidos os seguintes objetivos específicos: apreender os impactos do projeto privatista da saúde no exercício profissional do assistente social e analisar como os assistentes sociais lidam e avaliam tais impactos; identificar e analisar as estratégias e ações de fortalecimento do projeto ético-político por meio da atuação dos profissionais de Serviço Social; identificar e analisar a base teórico-política que referencia a atuação dos assistentes sociais. A perspectiva adotada para o desenvolvimento da pesquisa fundamentou-se no método crítico-dialético, que estabelece como categorias centrais no desvendamento da realidade: a contradição, a mediação, a historicidade e a totalidade. Durante todo o processo de aproximação ao objeto foram discutidas também categorias como trabalho, ética e política. Partindo dessa perspectiva e para alcançar os objetivos propostos a essa investigação definiu-se uma abordagem qualitativa da pesquisa que se deu por meio das seguintes abordagens: revisão bibliográfica, análise documental e entrevista semi-estruturada. Estabeleceu-se como critérios para inclusão na amostra: ser assistente social concursada, atuar na atenção primária na Secretaria Municipal de Saúde de Maceió (Alagoas), estar em pleno exercício profissional no período da entrevista e não estar em estágio probatório. Devido ao distanciamento imposto pela pandemia de coronavírus que perdura desde março de 2020, apenas uma entrevista foi realizada presencialmente, as demais aconteceram via plataforma digital Google Meet. O projeto foi aprovado no comitê de ética do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e as profissionais assinaram a autorização para que fossem gravadas as entrevistas. Participaram da entrevista, 12 assistentes sociais perfazendo um percentual de 12% das profissionais que atuam na atenção primária de Maceió. As profissionais foram selecionadas por meio de sorteio aleatório e optou-se, inicialmente, por sortear uma profissional por distrito, naqueles que possuem menor número de assistentes sociais (distritos II, IV, VI e VIII) e duas profissionais nos quatro distritos que concentram maior número de assistentes sociais (I, III, V e VII). Contudo, precisou-se redimensionar essa divisão devido à indisponibilidade de assistentes sociais do III distrito sanitário que foi atingido pelo crime ambiental provocado pela BRASKEM, aumentando de 02 para 04 assistentes sociais do VII distrito sanitário. Segundo as assistentes sociais esse foi o território que mais recebeu pessoas dos bairros que estão afundando. A partir da análise das falas, concluiu-se que as assistentes sociais desenvolvem estratégias para a consolidação do projeto ético-político do Serviço Social nas unidades básicas de saúde do município de Maceió, por meio do contínuo trabalho de socialização das informações aos usuários, articulação com assistentes sociais de outras unidades de saúde e de outros serviços sociais, a constante qualificação profissional e avaliação de sua prática. Pode ser constatado também o incentivo à participação social nos conselhos gestores de saúde e nos grupos existentes nas unidades. Registrou-se uma incipiente articulação com outras categorias profissionais, organizações não governamentais e movimentos sociais. Os principais desafios ético-políticos e impactos enfrentados pelas assistentes sociais são conjuntura nacional e a local que são desfavoráveis à materialização do referido projeto, haja vista, a ênfase dos governos federal e local no fortalecimento do projeto privatista na política de saúde, o que afeta o desenvolvimento das ações profissionais relativas ao acesso dos usuários a seus direitos, a serviços sociais públicos e de qualidade. Verificou-se ainda como um desafio e dificuldade para as profissionais a questão do planejamento e da sistematização de suas ações, bem como, maior a articulação com outras categorias profissionais e com os demais trabalhadores cujos princípios se assemelham aos defendidos pelo projeto profissional crítico, assumido pelo Serviço Social. O distanciamento entre as profissionais e as entidades representativas da profissão, não apareceu como um problema nas falas, contudo, considera-se importante o estímulo a essa aproximação com o intuito de fortalecer o PEP. Essas são estratégias indispensáveis para a manutenção da hegemonia do projeto ético-político.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - ***.164.894-** - RITA DE LOURDES DE LIMA - UFRN
Interna - 1149518 - SILVANA MARA DE MORAIS DOS SANTOS
Externa ao Programa - 2314135 - ILKA DE LIMA SOUZA - UFRNExterna à Instituição - ERLENIA SOBRAL DO VALE - UECE
Externa à Instituição - IANA VASCONCELOS MOREIRA ROSADO - UERN
Externo à Instituição - MARIA VALERIA COSTA CORREIA - UFAL
Notícia cadastrada em: 23/08/2022 15:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao