Banca de DEFESA: KAROLAYNE RIBEIRO DE GOES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KAROLAYNE RIBEIRO DE GOES
DATA : 11/08/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma google meet
TÍTULO:

ESTADO BRASILEIRO E AS METAMORFOSES DO MUNDO DO TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL: A TERCEIRIZAÇÃO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES - HUOL


PALAVRAS-CHAVES:

Modo de Produção Capitalista. Trabalho. Estado. Precarização do Trabalho no Brasil.


PÁGINAS: 183
RESUMO:

O Estado tem centralidade na exploração do homem pelo homem, e compreender isso é também entender como o poder é exercido na história da sociedade. O objetivo principal desta tese é o de analisar o atual papel do Estado brasileiro na intensificação da precarização do trabalho, especificamente, no Hospital Universitário Onofre Lopes - HUOL. Para isto, delimitamos três objetivos específicos: investigar o papel do Estado no Modo de Produção Capitalista, analisar as particularidades da formação e atuação do Estado brasileiro e identificar como se expressam as atuais configurações da precarização do trabalho para os profissionais do HUOL após a transferência da sua gestão para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH. Pautamo-nos no método de interpretação da realidade crítico dialético, por entendermos que os acontecimentos no mundo dos homens devem ser explicados por meio da história e por compreendermos que a realidade social é dinâmica, contraditória e impermanente. Esta pesquisa é de caráter bibliográfico, documental e empírico, uma vez que nos referendamos por estudos bibliográficos de autores que discutem as categorias centrais de nossas análises: trabalho, Estado e Modo de Produção Capitalista. Realizamos entrevistas presenciais, de cunho qualitativo, com doze trabalhadores do HUOL e com uma servidora pública, que atua no campus universitário da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, totalizando treze entrevistas, analisadas a partir da técnica de análise de conteúdo. A intepretação dos nossos dados de pesquisa revelou que existe uma tendência estatal em quebrar a estabilidade do servidor público por meio das terceirizações dos serviços públicos, como forma de intensificar a dominação da classe trabalhadora e de flexibilizar o direcionamento do orçamento público para o capital financeiro. Nossas análises também revelaram os conflitos desencadeados pela convivência de trabalhadores com vínculos trabalhistas diferentes e, portanto, direitos trabalhistas diferentes, o que dificulta a gestão do trabalho e incita a competição entre a classe trabalhadora. Identificamos que a intensificação da precarização do trabalho no HUOL, hoje, não decorre apenas de vínculos trabalhistas diferentes, mas também devido a nova organização do trabalho executada pela lógica empresarial da EBSERH, intensificando a perda do sentido do trabalho, especialmente para os servidores públicos federais. Nossas considerações apontam, deste modo, para a progressiva perda de autonomia dos trabalhadores do serviço público, subjugados pela estrutura de poder do Estado brasileiro, e para o esfacelamento da real essência do trabalho: dar sentido à vida humana, através da construção de nossa identidade. 


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1714329 - ANDREA LIMA DA SILVA
Interna - 1451156 - CARLA MONTEFUSCO DE OLIVEIRA
Interna - 1149518 - SILVANA MARA DE MORAIS DOS SANTOS
Externa à Instituição - HILDERLINE CAMARA DE OLIVEIRA - UnP
Externa à Instituição - MOEMA AMÉLIA SERPA LOPES DE SOUZA - UEPB
Notícia cadastrada em: 20/07/2020 15:34
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao