Banca de DEFESA: SHEINE SANTOS DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SHEINE SANTOS DO NASCIMENTO
DATA : 31/07/2018
HORA: 14:30
LOCAL: NEPSA II - CCSA/UFRN
TÍTULO:

O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NA EDUCAÇÃO: ampliação do espaço ocupacional e precarização na assistência estudantil



PALAVRAS-CHAVES:

   

Serviço Social. Educação. Ampliação do espaço ocupacional. Transformações societárias. Precarização do trabalho.

 


PÁGINAS: 90
RESUMO:

Esta dissertação versa sobre o trabalho do assistente social na educação, na particularidade da assistência estudantil. Parte-se do pressuposto de que, enquanto trabalhador assalariado, o profissional de Serviço Social não está imune aos rebatimentos das transformações societárias e de suas implicações sobre a classe trabalhadora, dentre os quais a precarização. Tomando como lócus de pesquisa as Instituições Federais de Educação (IFEs) do município de Natal/RN, tem por objetivo analisar os determinantes e as formas através das quais a precarização se expressa no trabalho profissional na educação, no contexto de ampliação do espaço ocupacional na assistência aos estudantes. Alicerçada no método crítico dialético, buscou problematizar, a partir das mudanças que atravessam o ensino superior no Brasil, notadamente a partir da primeira década do século XXI, os elementos que contribuíram para a ampliação do mercado de trabalho no âmbito da política de educação e as condições sob as quais essa ampliação tem sido materializada. Como forma de subsidiar as análises teórico-metodológicas, foram realizadas, além da pesquisa de campo com assistentes sociais inseridas nas IFEs, através de entrevistas semi-estruturadas, a revisão bibliográfica, que acompanhou todo o processo de realização deste estudo, e a pesquisa documental, que envolveu, dentre outros, o estudo de documentos relativos às instituições pesquisadas. As reflexões tecidas permitiram apreender que, ainda que guardadas especificidades, o trabalho do assistente social nas IFEs é atravessado pela precarização, que se torna estrutural no capitalismo contemporâneo, expressando-se nesses espaços, dentre outras formas, na sobrecarga de trabalho, na elevação de seu ritmo e intensidade, na extensão da jornada e na cobrança por resultados imediatos; sofrendo ainda os rebatimentos da assistência estudantil como política seletiva e focalizada. Atravessando o trabalho profissional, a precarização reflete não só em seu desenvolvimento, atingindo também as assistentes sociais através do desgaste físico e emocional e desafiando-as a buscar estratégias para a ela resistir.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6347119 - MARIA CELIA CORREIA NICOLAU
Externo ao Programa - 1543230 - ELIANA COSTA GUERRA
Externo ao Programa - 2314135 - ILKA DE LIMA SOUZA
Externo à Instituição - ERLENIA SOBRAL DO VALE - UECE
Notícia cadastrada em: 20/07/2018 07:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao