Banca de DEFESA: JOSE RONALDO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSE RONALDO DOS SANTOS
DATA: 03/08/2012
HORA: 14:00
LOCAL: Anfiteatro das Aves
TÍTULO:

ESTUDO DAS ALTERAÇÕES COGNITIVAS, MOTORAS E NEUROQUÍMICAS EM DOIS NOVOS MODELOSPROGRESSIVO DA DOENÇA DE PARKINSON 


PALAVRAS-CHAVES:

Doença de Parkinson, Memória, Distúrbios do movimento, Modelo animal, Reserpina, 6-OHDA.

 

PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A Doença de Parkinson (DP) é um distúrbio neurodegenerativo crônico e progressivo caracterizado pela morte de neurônios dopaminérgicos na substância negra parte compacta (SNpc). A sintomatologia da DP envolve alterações motoras (tremor, rigidez muscular, bradicinesia) e cognitivas (déficit de atenção, prejuízos na aprendizagem, na memória de reconhecimento e tarefas executivas). Estudos tem mostrado que as alterações cognitivas podem preceder as alterações motoras na DP e que modelos animais são excelentes ferramentas para compreender melhor esses mecanismos. Entretanto, até o momento, nenhum modelo animal da DP é capaz de mimetizar a natureza crônica da doença, no qual seja possível avaliar os aspectos motores e cognitivos no mesmo animal ao longo da progressão da patologia. O objetivo do presente trabalho foi estabelecer dois novos modelos animais para o estudo da natureza progressiva da Doença de Parkinson através da administração repetida de de drogas que conhecidamente causam sinais parkinsonianos em  doses mais baixas que as geralmente usadas. Utilizamos drogas que causam depleção de neurotransmissores (reserpina) ou a morte de neurônios envolvidos na fisiopatologia dessa doença (6-OHDA). Para os dois modelos foram utilizados ratos Wistar com 6 meses de idade. Nós mostramos que o tratamento repetido em dias alternados com 0,1mg/kg de reserpina por via s.c.é capaz de causar alterações motoras progressivas e déficits cognitivos, evidenciadas por meio dos testes de catalepsia, movimentos orais, atividade motora em campo aberto e reconhecimento de objetos. Essas alterações foram acompanhadas por uma diminuição de 45% dos níveis de tirosina hidroxilase (TH) no estriado, em animais eutanasiados ao término do tratamento de 10 injeções. Além disso, 30 dias após a última injeção, animais tratados com reserpina apresentaram níveis normais de TH e atenuação dos déficits motores (catalepsia e movimentos orais), mas ainda demonstravam alteração cognitiva observada no teste de reconhecimento de objetos. Ao longo do tratamento com 6 injeções i.c.v. em dias alternados com 6-OHDA, foram observados efeitos semelhantes aos apresentados no modelo da reserpina no que diz respeito a alterações cognitivas, motoras e nos níveis de TH. Entretanto, os déficits motores e a diminuição dos níveis de TH parecem ser irreversíveis, uma vez que animais eutanasiados 20 dias após a última injeção ainda apresentavam tais alterações, asselhando-se a fisiopatologia da DP em humanos. É importante ressaltar que em ambos os modelos as alterações cognitivas foram observadas antes das alterações motoras ao longo dos tratamentos. Em conclusão, o tratamento repetido com baixas doses de reserpina ou 6-OHDA induzem alterações progressivas nas funções motora, cognitiva e neuronal, indicando possíveis aplicações desses dois modelos no estudo da natureza progressiva da DP.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CLAUDIO DA CUNHA - UFPR
Interno - 1645202 - ELAINE CRISTINA GAVIOLI
Interno - 2351800 - JEFERSON DE SOUZA CAVALCANTE
Externo à Instituição - MURILO MARCHIORO - UFS
Presidente - 1439078 - REGINA HELENA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 12/07/2012 10:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao