Banca de DEFESA: ANA AMÁLIA TORRES SOUZA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA AMÁLIA TORRES SOUZA
DATA: 20/07/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Departamento de Fisioterapia
TÍTULO:

CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS, HÁBITOS DE SONO, ESTADO COGNITIVO E FUNCIONAL APÓS ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL.


PALAVRAS-CHAVES:

Acidente Vascular Cerebral; independência funcional; qualidade do sono; cognição.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
SUBÁREA: Psicologia Fisiológica
RESUMO:

Introdução: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma importante causa de comprometimento neurológico. Poucos dados à respeito dos fatores associados à morbidade do AVC são encontrados no Brasil. Objetivos: Avaliar as características sociodemográficas, hábitos de sono, estado cognitivo e funcional de pacientes com AVC. Métodos: Os pacientes foram avaliados através do questionário Step 1 para levantamento das características sociodemográficas e Escala Modificada de Rankin para avaliação funcional. O grau neurológico foi avaliado pela  National Institute of Health Stroke Scale (NIHSS), o sono pelo Questionário de Hábitos de sono e o estado cognitivo pelo Mini-Exame do Estado Mental (MEEM). Os dados foram analisados através do teste Qui-quadrado para verificar diferenças nas proporções das variáveis estudadas. Resultados: Foram avaliados 305 pacientes e o maior número de indivíduos estava entre 50 e 69 anos (40%), grande parte dos pacientes não possuía estudo formal (40,3%) e tinham AVC do tipo isquêmico (72,5%). Na análise da funcionalidade constatou-se que a maioria dos pacientes tinha incapacidade moderada (55,1%). Os resultados dos hábitos de sono apontaram que os pacientes se queixavam de muita iluminação e de incômodo no quarto, apresentavam dificuldade de pegar no sono e acordavam no meio da noite. Foram apresentadas queixas de pesadelos, sensação de sufoco e parassonias. Além disso, sentiam muito sono durante o dia, cochilavam e não realizavam atividades físicas habitualmente. O rastreamento cognitivo realizado determinou uma associação do estado cognitivo com a idade e escolaridade e o grau neurológico. Conclusão: O estudo conseguiu evidenciar uma frequência elevada de casos de AVC com dependência funcional de grau moderado, identificou que muitos pacientes não seguem medidas de higiene do sono e verificou que a avaliação de déficits cognitivos deve levar em consideração a idade, escolaridade e o grau neurológico dos pacientes. Sugerimos a necessidade de programas de atenção aos pacientes vítimas do AVC, com uma abordagem multidimensional incluindo a equipe de reabilitação, a atuação da Medicina do sono e da Neuropsicologia,  a fim de que os pacientes tenham acesso a uma reabilitaçao funcional mais adequada, desenvolvam um estilo de vida que garanta uma boa qualidade de sono e sejam bem avaliados e reabilitados quanto aos comprometimentos cognitivos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2374822 - FABRICIA AZEVEDO DA COSTA CAVALCANTI
Externo à Instituição - KÁTIA KARINA DO MONTE SILVA - UFPE
Externo à Instituição - MARIA DAS GRAÇAS RODRIGUES DE ARAÚJO - UFPE
Externo ao Programa - 350637 - RICARDO OLIVEIRA GUERRA
Presidente - 350635 - TANIA FERNANDES CAMPOS
Notícia cadastrada em: 09/07/2012 10:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao