Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIA ROBERT DE SOUSA TEIXEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIA ROBERT DE SOUSA TEIXEIRA
DATA : 05/04/2023
HORA: 09:00
LOCAL: Video conferência
TÍTULO:

 EXPOSIÇÃO AO DIFLUBENZURON NO DESENVOLVIMENTO E COMPORTAMENTO DE ZEBRAFISH (Danio rerio)


PALAVRAS-CHAVES:

embriotoxicidade; neurotoxicidade; diflubenzuron; larvicida; zebrafish;


PÁGINAS: 18
RESUMO:

O uso de agrotóxicos (agroquímicos ou defensivos agrícolas) com a finalidade de proporcionar maior rendimento produtivo de grandes colheitas pela prevenção da ação danosa de pragas e doenças está em uma crescente. Porém, apesar das indicações dos riscos toxicológicos e da eficácia desses produtos, é difícil conhecer os impactos reais da exposição aguda e crônica a partir do consumo de água e alimentos previamente expostos a esses produtos químicos. Além do consumo humano, animais que vivem em ambientes aquáticos são diretamente afetados por não somente um produto, mas a mistura de diversos defensivos agrícolas utilizados nas lavouras. As consequências da exposição gradual ainda é incerta e necessita investigação. Dentre os agrotóxicos mais amplamente utilizados, o diflubenzuron (DFB) é um inseticida derivado da uréia e classificado como regulador de crescimento de insetos (IGR) por impedir a formação da quitina, principal constituinte do exoesqueleto dos artrópodes. Embora direcionado a insetos, a conservação de diversas características de carboidratos (como a quitina), proteínas e lipídios ao longo da evolução, bem como o potencial de bioacumulação de elementos químicos nos organismos consumidores levantam o questionamento dos efeitos dos agrotóxicos em outros grupos animais além daqueles diretamente afetados, como os insetos. Assim, a avaliação da biossegurança de produtos como DFB e outros agrotóxicos deve ser considerada utilizando-se animais vertebrados modelos. Neste sentido, o presente estudo visa avaliar a toxicidade do DFB no desenvolvimento embrionário do zebrafish (Danio rerio), considerado modelo translacional devido à homologia de cerca de 70% do genoma com seres humanos, além dos benefícios experimentais oferecidos pela alta fecundidade e fácil manutenção. Este trabalho avaliará os efeitos de diferentes concentrações de DFB na sobrevivência e desenvolvimento ontogenético, o comportamento de respostas reflexas, locomotoras e cognitivas, com a finalidade de identificar os possíveis efeitos tóxicos da exposição ao DFB em organismos não alvo. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1644341 - ANA CAROLINA LUCHIARI
Externa ao Programa - 2888478 - DENISE MORAIS LOPES GALENO - null
Notícia cadastrada em: 26/03/2023 12:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao