Banca de QUALIFICAÇÃO: NATSUMI HAMADA FEARNSIDE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NATSUMI HAMADA FEARNSIDE
DATA : 15/03/2021
HORA: 10:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO:
Quem balança o berço? Cuidado de infantes e juvenis de macacos-prego-galego (Sapajus flavius) em vida livre

PALAVRAS-CHAVES:
cuidado parental; cuidado aloparental; male service

PÁGINAS: 20
RESUMO:
Em animais sociais, a imaturidade consiste em uma importante fase da vida no que se diz respeito ao desenvolvimento físico, motor e social. O cuidado parental é uma estratégia evolutiva custosa, e seu grau de intensidade varia a depender de fatores ecológicos, fisiológicos e socais. Quanto mais longo o período de imaturidade, maior o investimento parental naquela prole. Cuidado aloparental é uma forma de cuidado onde cuidadores que não são os pais genéticos da prole investem cuidado ao imaturo. Há duas hipóteses que tentam explicar este comportamento: seleção de parentesco e seleção sexual. Primatas estão entre um dos grupos de animais que mais apresentam cuidado aloparental. Macacos-prego compõe um clado de primatas do novo mundo com alto grau de encefalização e que possui diversas formas de organização social dentre suas espécies. O período de imaturidade representa aproximadamente 10% da vida de um macaco-prego e o cuidado direto ao filhote é oferecido majoritariamente pela mãe, mas cuidado alomaternal oferecido por outros indivíduos do grupo é observado em algumas espécies. O macaco-prego-galego (Sapajus flavius) é uma espécie ameaçada de extinção endêmica ao nordeste brasileiro, cujas populações se restringem a alguns fragmentos de Mata-Atlântica e Caatinga. A fase de imaturidade é a de maior risco de mortalidade entre as espécies com prole altriciais, sendo esta portanto uma fase crítica para manutenção de populações em ambientes fragmentados. Pouco se sabe ainda do período de infância e juventude do macaco-prego-galego, portanto, este estudo tem por objetivo estudar a forma de cuidado aos infantes e juvenis em um grupo de S. flavius que habita um fragmento de Mata Atlântica no nordeste do Brasil. Dados de animais em vida livre são essenciais para entender os comportamentos em seu contexto natural. O estudo desta espécie, em particular neste fragmento onde a dificuldade de emigração dos machos é exacerbada pelo seu pequeno tamanho, nos permite observar quais consequências comportamentais ocorrem devido à essa convivência maior em seu grupo natal, e como os machos se adaptam em relação ao cuidado de imaturos nessa condição de superpopulação de machos filopátricos.

MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2316116 - FELIPE NALON CASTRO
Presidente - 2696495 - RENATA GONCALVES FERREIRA
Notícia cadastrada em: 11/03/2021 04:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao