Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIANA DA SILVA CAPÍTULO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIANA DA SILVA CAPÍTULO
DATA : 05/03/2018
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Aula do PPg em Psicobiologia
TÍTULO:

Influência da visão de cores sobre o comportamento alimentar e liderança de grupo em grupos de Callithrix jaccus numa área de caatinga


PALAVRAS-CHAVES:

Polimorfismo visual; frugivoria; insetivoria.


PÁGINAS: 20
RESUMO:

Os primatas são únicos entre os mamíferos porque têm a capacidade de ser tricromatas. No entanto, enquanto nos catarríneos (primatas do Velho Mundo) os machos e as fêmeas apresentam ambos visão tricromata, nos platirríneos (primatas do Novo Mundo) existe polimorfismo de visão de cores, com ocorrência de fêmeas heterozigóticas (i.e. tricromatas), além de machos hemizogóticos e fêmeas homozigóticas (i.e. dicromatas). No que se refera ao comportamento alimentar, pensa-se que a tricromacia seja uma adaptação para melhorar a eficiência do forrageamento, nomeadamente, melhorar a deteção de frutos maduros e/ou folhas jovens contra as folhas maduras do background. Por outro lado, tem sido sugerido que a tricromacia nem sempre é vantajosa, nomeadamente, os indivíduos dicromatas seriam mais aptos a encontrar insetos camuflados. Outra importante relação da visão de cores sobre o comportamento de primatas seria sua influência sobre a liderança do grupo durante o deslocamento, uma vez que o líder do grupo tem maior probabilidade de chegar primeiro às fontes de alimento e pode controlar a qualidade da fonte de alimento e o tipo de alimento. De fato, alguns estudos mostram que as fêmeas lideram o grupo mais frequentemente do que os machos, influenciando a sua eficiência de forrageio e taxa de alimentação. Considerando essas questões, analisaremos se a visão de cores influencia a eficiência de forrageio e a liderança do grupo durante o deslocamento de Callithrix jacchus na Caatinga. Para isso serão observados dois grupos na Floresta Nacional de Assu, desde o amanhecer até ao anoitecer, em que cada indivíduo será observado por 2h e será registrado o número de alimentos consumidos, o tipo de alimento (fruto, goma e insetos), a sua cor e o tipo de substrato e também será registrada a sua posição durante o deslocamento do grupo. Durante o ano de observações será avaliada a disponibilidade de frutos e abundância de artrópodes na área utilizada por ambos os grupos e será medido o espectro de reflectância dos itens consumidos com o auxílio de um espectrofotômetro para comparar a capacidade de deteção dos mesmos entre os fenótipos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1476621 - DANIEL MARQUES DE ALMEIDA PESSOA
Interno - 1863735 - RENATA SANTORO DE SOUSA LIMA MOBLEY
Notícia cadastrada em: 02/03/2018 11:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao