Banca de DEFESA: ALINE SILVA BELISIO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALINE SILVA BELISIO
DATA: 28/07/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Aula da Pós-Graduação em Psicobiologia
TÍTULO:

Padrões de sono, sonolência diurna e os componentes da atenção em crianças que estudam pela manhã e à tarde na educação infantil


PALAVRAS-CHAVES:

Criança, horário escolar, sono, atenção, sonolência.


PÁGINAS: 144
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

As crianças tendem a dormir e acordar cedo e podem apresentar episódios de sono diurno (cochilo), que são frequentes no início da vida e de grande importância para o amadurecimento do sistema nervoso. Além dessas modificações biológicas, ocorrem mudanças marcantes no meio social, por exemplo, o início da vida escolar. Existem indícios que o horário escolar pode modificar os padrões de sono em crianças. Contudo, o efeito do horário escolar sobre o ciclo sono e vigília de crianças da educação infantil em idade escolar é pouco conhecido. Assim, esse trabalho tem como objetivo comparar os padrões de sono, sonolência diurna e os componentes da atenção entre crianças que estudam pela manhã e a tarde na educação infantil. Participaram do estudo 210 crianças (66 que estudam pela manhã e 144 que estudam à tarde), entre 4 e 6 anos. Os seguintes questionários foram usados: hábitos de sono, classificação econômica e o diário de sono. A escala de sonolência adaptada de Maldonado et al. (2004) e a Tarefa de execução contínua adaptada para crianças de Valdez et al. (2005) foram aplicadas. A pesquisa foi conduzida em duas etapas: 1ª Caracterização geral dos hábitos de sono e nível econômico, e na 2ª Caracterização dos padrões de sono durante 9 dias, registro da sonolência diurna por 5 dias e avaliação da atenção durante 3 dias, das 8h às 9h e das 14h às 15h. Observa-se que, independe do turno, a maior parte das crianças realiza frequentemente co-leito e rituais antes de dormir (X2, p>0,05). Comparando o turno escolar, observou-se que durante a semana, as crianças que estudam pela manhã levantam 1h e 30 min mais cedo que àquelas que estudam à tarde. Consequentemente, passam 1h a menos na cama à noite (Anova, p<0,05) e são mais sonolentas na segunda e sexta-feira em relação às crianças que estudam à tarde. Além disso, na semana, as crianças da manhã apresentam uma maior frequência de cochilos (X2, p<0,05) e maior duração nos episódios de cochilo em relação às da tarde (Mann-Whitney, p<0,05). Com relação à avaliação da atenção, as crianças que estudam pela manhã apresentaram uma diminuição no número de respostas corretas na tarefa de atenção para a atenção sustentada em relação àquelas que estudam à tarde (Mann-Whitney, p<0,05). Com isso, observa-se que as crianças, independente do turno, realizam frequentemente o co-leito e os rituais da hora de dormir, principalmente ir ao banheiro e requerer a presença dos pais no quarto. As crianças que estudam pela manhã apresentam privação diária de sono associada ao horário escolar durante a semana, caracterizada pela redução do tempo na cama noturno, maiores níveis de sonolência e um menor percentual de respostas corretas ao longo do teste de atenção sustentada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1199136 - CAROLINA VIRGINIA MACEDO DE AZEVEDO
Interno - 1216466 - JOHN FONTENELE ARAUJO
Externo ao Programa - 1665448 - KATIE MORAES DE ALMONDES
Externo à Instituição - LUIZ SILVEIRA MENNA BARRETO - UNIFESP
Externo à Instituição - MARIA CANDELARIA RAMÍREZ TULE - UANL
Notícia cadastrada em: 15/07/2014 11:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao