CCHLA - PGAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 3342-2240/2 http://www.posgraduacao.ufrn.br/ppgas

Banca de DEFESA: FERNANDO JOAQUIM DA SILVA JUNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FERNANDO JOAQUIM DA SILVA JUNIOR
DATA : 19/12/2019
HORA: 09:00
LOCAL: auditorio 2 de políticas publicas
TÍTULO:

Narrativas, memórias e práticas sociopolítica: uma etnografia da mobilização social e da resposta coletiva à epidemia do HIV/AiDS no Rio Grande do Norte


PALAVRAS-CHAVES:

AIDS; Ativismo; ONG; memória; Rio Grande do Norte


PÁGINAS: 190
RESUMO:

Este texto apresenta uma pesquisa de mestrado que oferece uma análise etnográfica da mobilização sociopolítica de resposta ao HIV e AIDS no contexto urbano de Natal e Mossoró, as duas maiores cidade do Rio Grande do Norte. A dissertação objetivou compreender as narrativas, práticas, e sentidos de resposta à epidemia entre ativistas, grupos de pacientes, gestores e profissionais de saúde diante de desigualdades e desafios na adesão à Terapia Antirretroviral (TARV) e de prevenção ao HIV. Busquei atentar como os projetos coletivos e individuais dos meus interlcutores eram elaborados e as suas razões internas ao ponto de enfrentarem a fofoca, cooperarem ou divergirem com gestores e demais participantes da mobilização, além de dedicarem tempo, investimento econômico, esforço físico e emocional. Na pesquisa etnográfica, realizei observação participante em diferentes ambientes, como: cerimônias, audiências e manifestações públicas, festejos, hospitais e serviços de atendimento especializado, dando ênfase aos usos dos espaços pelos interlocutores. Simultaneamente, foram produzidas entrevistas em profundidade com ativistas, profissionais de saúde, pacientes e gestores públicos, além de análise da impressa local e uso de fotografias para ampliar as percepções sobre o campo pesquisado. Dessa forma, apresento um panorama da mobilização sociopolítica HIV e AIDS, sem deixar de perceber as particularidades desses diferentes coletivos e atores sociais. Pude constatar um mundo social fortemente disputado, cheio de projetos coletivos e individuais no enfrentamento da epidemia e atravessado por múltiplas desigualdades sociais que afetam decisivamente a vida de milhares de pessoas dessa região vivendo e convivendo com HIV. Percebi também a comunicação, a narrativa, a memória e o testemunho do trauma como poderosos instrumentos de ação politica. Portanto, esta pesquisa busca contribuir para a discussão antropológica sobre a HIV e AIDS no contexto do Rio Grande do Norte, num momento crítico para o enfrentamento da epidemia no Estado, afetada pelo crescimento exponencial de pessoas diagnosticadas com HIV e de pessoas morrendo em decorrência da AIDS. Um presente que insiste em fazer aproximações com um capítulo doloroso do  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1358748 - CARLOS GUILHERME OCTAVIANO DO VALLE
Interna - 1360691 - RITA DE CASSIA MARIA NEVES
Interna - 1691014 - ROZELI MARIA PORTO
Externa à Instituição - MÓNICA LOURDES FRANCH GUTIÉRREZ - UFPB
Notícia cadastrada em: 07/12/2019 09:29
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao