CCHLA - PGAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 3342-2240/2 http://www.posgraduacao.ufrn.br/ppgas

Banca de QUALIFICAÇÃO: PIETRA CONCEIÇÃO AZEVEDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PIETRA CONCEIÇÃO AZEVEDO
DATA : 17/10/2019
HORA: 15:00
LOCAL: Sala 913
TÍTULO:

ARCO-ÍRIS DO CAMPO: ETNOGRAFIA DA PERFORMANCE IDENTITÁRIA DAS TRAVESTIS EM CONTEXTOS RURAIS E INTERIORANOS DO SERTÃO POTIGUAR


PALAVRAS-CHAVES:

Travestis; Ruralidades; Interioridades; Performance identitária.


PÁGINAS: 58
RESUMO:

RESUMO

 

As pesquisas sobre travestis apresentam majoritariamente um locus urbano para a performance identitária das travestilidades, pouco conhecendo as performatizações em outros contextos, como rurais, interioranos e etnicamente diferenciados. Por via etnográfica acompanhei cotidianamente, com alguns intervalos, cinco travestis entre fevereiro e setembro de 2019 em um município rural/interiorano do sertão norteriograndense, buscando problematizar e compreender como essas travestis performatizam suas identidades de gênero e constroem seus corpos e subjetividades. Para isso refletirei sobre a fluidez e descentramento destas performances identitárias no jogo nos símbolos, comportamentos e práticas generificadas e sexualizadas, percebendo a potência das corporeidades nesses contextos; analisarei as várias vias de socialização dessas sujeitas a partir de suas trajetórias de vida (BOURDIEU, 2006) e dos seus os projetos (VELHO, 1981), buscando evidenciar os marcadores sociais da diferença de raça, classe, geração e deficiência. Também refletirei sobre suas redes de sociabilidade no que tange principalmente às relações estabelecidas entre elas, com as travestis de outros municípios, com a família e com seus parceiros amorosos. De forma transversal discutirei temáticas que versam a (in) visibilidade social, os deslocamentos e as resistências cotidianas. Deste modo, as reflexões desse texto dissertativo também têm como foco a desmistificação da existência das travestis nesses contextos, assim como o rompimento da percepção dual que coloca o rural como um lugar subalterno das performances de travestilidades.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149569 - ELISETE SCHWADE
Interna - 2313763 - ANGELA MERCEDES FACUNDO NAVIA
Interno - 2385456 - PAULO VICTOR LEITE LOPES
Interna - 1691014 - ROZELI MARIA PORTO
Notícia cadastrada em: 09/10/2019 18:39
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao