CCHLA - PGAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 3342-2240/2 http://www.posgraduacao.ufrn.br/ppgas

Banca de DEFESA: RUDÁ SILVA DE PINHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RUDÁ SILVA DE PINHO
DATA : 19/08/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório E do CCHLA
TÍTULO:

“É ASSOBIO DE MATINTA”, É PRESSÁGIO DE VISAGEM: NOTAS SOBRE MEMÓRIAS E MITOS EM UM ESTUDO ETNOGRÁFICO NO BAIRRO DO GUAMÁ – BELÉM/PA


PALAVRAS-CHAVES:

Espaço; Memória; Paisagem; Bairro do Guamá; Matinta Perera.


PÁGINAS: 162
RESUMO:

Esta pesquisa tem como objetivo a análise do imaginário diante do sobrenatural, principalmente com o mito da Matinta Perera, a partir de crenças e memórias de moradores do bairro do Guamá, em Belém do Pará, utilizando um exame das percepções desses moradores sobre o espaço em que vivem e viveram, a partir de suas memórias e experiências. Para tanto torna-se importante percorrer os processos de urbanização e estrutura nesse bairro, para melhor entendimento do espaço paisagístico e suas transformações. Torna-se necessário também, a argumentação sobre processos migratórios do interior do estado do Pará e de outros estados, para a cidade de Belém, a fim de inserir à discussão um debate sobre a interface entre o rural e o urbano no contexto amazônico, construindo uma análise da ideia de espaços ressignificados; e a articulação dos elementos da fauna e flora local nos mitos sobrenaturais, para o debate relacional entre paisagem, memória, sujeitos e espaço. Para isso, utilizo-me do método etnográfico, com visitas às duas associações de moradores do bairro do Guamá, AMI (Associação da Melhor Idade dos Moradores do Guamá) e ECNB (Espaço Cultural Nossa Biblioteca). Para as conversas com os participantes dessas associações, optei pela realização de entrevistas abertas e semi-abertas. A pesquisa em campo foi realizada durante os meses de janeiro e fevereiro de 2018, com retorno em outubro do mesmo ano. Como principal consideração a partir do fim desta pesquisa, existe a compreensão de que as lendas presentes no imaginário popular de parte da população foi, em grande medida, influenciada e influenciadora da formação dos espaços experienciados por essa população. Este mesmo imaginário transformou-se ao longo dos anos por meio de novas informações e experiências, bem como de novos conhecimentos e desenvolvimentos de crenças religiosas e que a mesma cidade que outrora foi palco para aparições de seres encantados e visagens no espaço público, muito por causa de sua intensa urbanização, deixa de apresentar tais personagens que parecem “voltar” aos seus pontos de origem: pequenos municípios do interior do estado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1219932 - FRANCISCA DE SOUZA MILLER
Interna - 1642956 - JULIANA GONCALVES MELO
Interna - 1149572 - LISABETE CORADINI
Externo à Instituição - FLAVIO BEZERRA BARROS - UFPA
Notícia cadastrada em: 25/07/2019 13:44
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao