Banca de DEFESA: LIDIA SILVA DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LIDIA SILVA DE SOUZA
DATA : 27/08/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Sala Virtual RUTE do HUOL através do link: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/posgraduacao-huol
TÍTULO:

Percepção das mães de crianças com risco para Transtorno do Espectro Autista quanto ao perfil comunicativo de seus filhos no contexto da pandemia


PALAVRAS-CHAVES:

Transtorno do Espectro Autista; Transtornos da Comunicação; Cuidadores; Desenvolvimento Infantil; Desenvolvimento da Linguagem


PÁGINAS: 62
RESUMO:

Introdução: A identificação dos sinais clínicos de risco para o Transtorno do Espectro Autista (TEA) pela própria família é fundamental na busca por auxílio profissional, seja para o processo de diagnóstico, seja para intervenção. Com o contexto de distanciamento social imposto pela pandemia de COVID-19 as famílias passaram a conviver mais tempo com seus filhos, o que levou ao aumento da percepção de dificuldades relacionadas à comunicação. Objetivos: Caracterizar a percepção dos cuidadores de crianças com risco para TEA a respeito das dificuldades comunicativas dos seus filhos, além de investigar se essa percepção é compatível com a avaliação fonoaudiológica. Método: Esta pesquisa foi realizada por meio de um estudo observacional, cuja amostra foi composta por oito mães cujos filhos apresentavam indicadores clínicos de risco para o TEA e que foram acompanhados em um projeto de telemonitoramento breve. Os resultados foram divididos em dois manuscritos, sendo que no primeiro foi utilizado o Questionário sobre Dificuldades Comunicativas (QDC); e no segundo foram utilizados o Perfil Funcional da Comunicação (PFC) e o protocolo de pragmática do teste infantil ABFW. Resultados: A partir dos resultados obtidos foi possível caracterizar as principais dificuldades percebidas pelas mães e constatar que a participação no programa de telemonitoramento não provocou mudanças substanciais nessa percepção. Além disso, o perfil comunicativo destas crianças foi caracterizado e comparado com a percepção de suas mães. Conclusão: Os instrumentos utilizados demonstraram capacidade de caracterizar a percepção das mães a respeito das dificuldades comunicativas de seus filhos, contribuindo para o processo diagnóstico e intervenção.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - LILIANE PERROUD MIILHER - UFES
Presidente - 2321749 - ANA MANHANI CACERES ASSENCO
Externa à Instituição - JULIANA IZIDRO BALESTRO
Notícia cadastrada em: 28/07/2021 10:42
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao