Banca de DEFESA: MARIA HELENA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA HELENA DA SILVA
DATA : 04/12/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Sala Virtual RUTE do HUOL através do link: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/posgraduacao-huol
TÍTULO:

RELAÇÃO DO SISTEMA FONOLÓGICO E CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA EM CRIANÇAS PRÉ–ESCOLARES DE BAIXA RENDA


PALAVRAS-CHAVES:

Linguagem Infantil, Fala, Aprendizagem, Carência socioeconômica.


PÁGINAS: 88
RESUMO:

Introdução: A linguagem escrita é uma extensão da linguagem oral e seu desenvolvimento ocorre sob a influência de vários fatores, dentre os quais podemos destacar o nível fonológico e as habilidades de processamento fonológico, especialmente a consciência fonológica. O nível fonológico está relacionado ao sistema de sons presentes em uma determinada língua e o mesmo tem demonstrado relação com o desenvolvimento da leitura e escrita. A consciência fonológica é uma das habilidades do processamento fonológico de maior influência para a aquisição da linguagem escrita. Objetivo: Avaliar o sistema fonológico e a consciência fonológica em crianças pré-escolares de baixa renda e correlacionar as habilidades entre si. Método: Estudo observacional, transversal, retrospectivo e documental. Amostra composta por 93 crianças do nível IV da educação infantil, estudantes de Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) de 3 regiões da cidade de Natal/RN (Oeste, Sul e Leste), com idade entre 5 e 6 anos e 11 meses, de ambos os sexos. Foram analisados os resultados das avaliações da fonologia pelo uso do Teste de Linguagem Infantil - ABFW e a consciência fonológica por meio do instrumento CONFIAS. Para a análise do nível fonológico, foi considerado a Porcentagem de Consoantes Corretas (PCC), Porcentagem de Consoantes Corretas - Revisado (PCC-R), Índice de Ocorrência de Processos (PDI) e a produtividade dos processos fonológicos e, para a consciência fonológica, foram considerados os acertos das habilidades silábicas, fonêmicas e o escore total. Resultados: No estudo 1, foi observado adequação dos valores da PCC e PCC-R na maioria dos participantes (PCC: 82 crianças - 88,2%; PCC R: 84 crianças - 90,4%), produtividade dos processos de simplificação de líquida (SL), simplificação de encontro consonantal (SEC), simplificação de consoante final (SCF) e frontalização de palatal (FP) e correlação negativa muito forte entre as variáveis PCC x PDI e PCC-R x PDI. Já no estudo 2, amostra apresentou desempenho aquém do esperado em todos os itens do CONFIAS, demonstrando dificuldades nas habilidades de consciência fonológica. A correlação entre o PCC e consciência fonológica e PCC R e a consciência fonológica e PDI e a consciência fonológica foi fraca.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2143029 - CINTIA ALVES SALGADO AZONI
Externa à Instituição - HAYDÉE FISZBEIN WERTZNER - USP
Externa à Instituição - ISABELLE CAHINO DELGADO - UFPB
Notícia cadastrada em: 04/11/2020 11:31
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao