Banca de DEFESA: AYSLA MONIQUE FERNANDES FERREIRA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AYSLA MONIQUE FERNANDES FERREIRA DOS SANTOS
DATA : 16/09/2020
HORA: 14:00
LOCAL: VIA PLATAFORMA DO GOOGLE MEET
TÍTULO:

DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DOS SERVIDORES QUE NÃO REALIZAM OS EXAMES MÉDICOS PERIÓDICOS EM UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA


PALAVRAS-CHAVES:

Serviços de Saúde do Trabalhador. Vigilância em saúde do trabalhador. Servidores públicos. Exames médicos.


PÁGINAS: 142
RESUMO:

A promoção a saúde do servidor, além de contar com o seu próprio empenho enquanto agente ativo na proteção de sua saúde, envolve estratégias multiprofissionais e de multigestão. Nesta perspectiva, o Exame Médico Periódico atua como importante ferramenta para compor perfis epidemiológicos pois, de forma coletiva, permite avaliar a condição de saúde dos servidores, bem como detectar precocemente doenças relacionadas ou não ao trabalho. Neste contexto, este estudo teve como objetivo construir um diagnóstico situacional e estratégias de enfrentamento às causas da não realização dos Exames Periódicos na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Trata-se de uma pesquisa do tipo exploratória e descritiva, com estratégia multi método sequencial, de abordagem quantitativa e qualitativa. Deste modo, após o parecer favorável do Comitê de Ética da UFRN, a coleta de dados ocorreu em duas etapas. Na primeira, de abordagem quantitativa, ocorreu a coleta de dados no Módulo Órgão do portal SIAPEnet. Em seguida, para a coleta de abordagem qualitativa, foram enviados convites por e-mail aos participantes, para o preenchimento de um questionário com perguntas abertas e fechadas. Os dados foram analisados, respectivamente, por estatística descritiva e análise de conteúdo segundo Laurence Bardin. Os resultados revelaram que, superando os fatores sociodemográficos, a característica comum ao perfil destes servidores é subjetiva, referindo-se à baixa expectativa quanto ao potencial de resolutividade do serviço às suas demandas de saúde; e a principal causa identificada para a não realização dos exames, refere-se à falta de tempo e/ou prioridade. Assim, constatou-se que o ponto crítico para o distanciamento ao serviço, está diretamente associado à baixa efetividade em comunicar as ações pretendidas, evidenciado pela pouca adesão, relacionado a inobservância de sua importância enquanto ferramenta de vigilância, além do conhecimento insuficiente dos servidores em relação a necessidade e importância do acompanhamento de sua saúde. Esta mudança de paradigma pode ser alcançada mediante ajustes estratégicos nos fluxos, além da disponibilização de informações mais claras e precisas. Finalmente, destaca-se a necessidade de ações direcionadas, coletivas, intersetoriais e multidisciplinares, com métodos intencionais e programados, a fim de alcançar estes trabalhadores públicos.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2212238 - CLEONICE ANDREA ALVES CAVALCANTE
Interna - 2568454 - ELISANGELA FRANCO DE OLIVEIRA CAVALCANTE
Externo à Instituição - MARIA LÚCIA DO CARMO CRUZ ROBAZZI
Notícia cadastrada em: 14/09/2020 13:48
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao